Abrir menu principal
Manuel da Rocha Felício
Bispo da Igreja Católica
Bispo da Guarda
Hierarquia
Papa Francisco
Arcebispo metropolita Manuel Clemente
Atividade Eclesiástica
Diocese Diocese da Guarda
Entrada solene 1 de dezembro de 2005
Predecessor António dos Santos
Ordenação e nomeação
Ordenação presbiteral 21 de outubro de 1973
Igreja Matriz de Mangualde
Nomeação episcopal 21 de outubro de 2002
Ordenação episcopal 15 de dezembro de 2002
Catedral de Viseu
por António Ramos Monteiro
Dados pessoais
Nascimento Mamouros
6 de novembro de 1947 (71 anos)
Nacionalidade português
Habilitação académica Licenciatura (1975) e Doutoramento (2002) em Teologia pela Universidade Católica Portuguesa
Funções exercidas - Bispo-auxiliar de Lisboa (2002-2004)
- Bispo-coadjutor de Guarda (2004-2005)
Títulos anteriores Bispo titular de Aquae Flaviae
(2002-2004)
dados em catholic-hierarchy.org
Bispos
Categoria:Hierarquia católica
Projeto Catolicismo

Manuel da Rocha Felício (Mamouros, Castro Daire, 6 de Novembro de 1947) é um bispo católico português, actualmente bispo da Guarda.

Formação e vida eclesiásticaEditar

Frequentou os seminários de Fornos de Algodres e Viseu entre 1960 e 1968 e o Seminário de Cristo-Rei dos Olivais antes de ser ordenado presbítero da Diocese de Viseu em 21 de Outubro de 1973, na Igreja Matriz de Mangualde. Licenciou-se em Teologia em 1975 pela Facultade de Teologia da Universidade Católica Portuguesa (UCP), com a tese "A Infalibilidade da Igreja "in credendo" na "Lumen Gentium". Integrou a equipa sacerdotal da paróquia de Mangualde até 1988.[1] Depois empenhou grande parte do seu tempo na vida académica e na Conferência Episcopal Portuguesa trabalhou no diálogo ecuménico e inter-religioso. Secretário da Comissão Episcopal da Doutrina da Fé desde 1990, foi vice-reitor do Seminário Maior de Viseu até 2001 e professor no pólo de Viseu da UCP e também professor auxiliar da Faculdade de Letras desta mesma universidade, onde é membro efectivo do Conselho Científico. Foi coordenador do processo da extensão em Viseu do Instituto Universitário de Ciências Religiosas, sediado em Lisboa, e responsável do processo de filiação do Seminário Maior de Viseu na Faculdade de Teologia de Lisboa da UCP, entre 1992 e 1995, e dois anos depois tornou-se director do Instituto Superior de Teologia das dioceses da Guarda, Lamego e Viseu, que assumiu até 2001. Completou o doutoramento em Teologia em 2002 na Faculdade de Teologia da UCP com a tese "Portugal e a Definição Dogmática da Infalibilidade Pontifícia: Teologia, Magistério, Debate Público".

BispoEditar

Bispo auxiliar de LisboaEditar

Foi nomeado bispo auxiliar de Lisboa a 21 de Outubro de 2002 por João Paulo II, com o título de bispo-titular de Aquae Flaviae, juntando-se assim aos bispos auxiliares José Francisco Sanches Alves, Manuel José Macário do Nascimento Clemente, e Tomás Pedro Barbosa da Silva Nunes. A ordenação episcopal decorreu em 15 de Dezembro desse mesmo ano, na Sé de Viseu, pelos bispos António Ramos Monteiro, António dos Santos e pelo arcebispo Jorge Ferreira da Costa Ortiga. Pouco antes da cerimónia da sua ordenação, o novo bispo revelou que o reforço dos bispos no Patriarcado de Lisboa estava relacionado com a necessidade de D. Tomaz da Silva Nunes se dedicar quase exclusivamente ao cargo de secretário da Conferência Episcopal Portuguesa, na sequência da sua reeleição, em Abril de 2002. Manuel da Rocha Felício foi apresentado aos fiéis e ao clero de Lisboa e tomou posse em 22 de janeiro de 2003, solenidade de São Vicente, numa cerimónia litúrgica na Sé Patriarcal. A nível territorial, Manuel da Rocha Felício teve a seu cargo as vigararias do Oeste da diocese, onde se incluem os concelhos de Alcobaça, Bombarral, Cadaval, Caldas da Rainha, Lourinhã, Mafra, Nazaré, Óbidos, Peniche e Torres Vedras. Na área da acção pastoral, irá acompanhar os departamentos do sector "Evangelização e Comunidade", e nos movimentos laicais a Acção Católica Rural, a Acção Católica dos Meios Independentes, as Equipas Jovens de Nossa Senhora, a Juventude Operária Católica, a Juventude Agrária Rural Católica, o Movimento de Trabalhadores Cristãos, Movimento Católico de Estudantes, o Movimento de Educadores Católicos e o Movimento Encontros Jovens Shalom.[2]

Bispo da GuardaEditar

Foi nomeado bispo coadjutor da Guarda a 21 de dezembro de 2004 por João Paulo II, tomando posse em 16 de Janeiro de 2005 para auxiliar D. António dos Santos, com problemas de saúde. Em Dezembro do mesmo ano, D. Manuel da Rocha Felício sucedia a D. António dos Santos, após a aceitação da renúncia deste ao governo pastoral pelo Papa Bento XVI.[3]

Obras publicadasEditar

Entre os trabalhos já publicados, contam-se "Ecumenismo. In Historia Religiosa de Portugal: Dicionário Temático" (Círculo de Leitores, 2000), "Universidade Católica Portuguesa - Projecto com Identidade. Para uma leitura crítica dos seus estatutos" (1998), "Diálogo Ecuménico em Portugal. Elementos para a sua história" (1997), e "Para um Modelo Cristão de Desenvolvimento" (1992).

Referências

  1. «Paróquia de Mangualde». Consultado em 21 de maio de 2013 
  2. «Angola Press». Consultado em 21 de maio de 2013 
  3. «Catholic Hierarchy». Consultado em 21 de maio de 2013 

Ligações externasEditar