Abrir menu principal
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde junho de 2019). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Diocese de Cametá
Cametanensis
Localização
País Brasil
Arquidiocese metropolitana Arquidiocese de Belém do Pará
Estatísticas
População 616.574
Área 48.308,885 km²
Informação
Rito Romano
Criação 6 de fevereiro de 2013
Padroeiro(a) São João Batista
Governo da diocese
Bispo Dom José Altevir da Silva, C.S.Sp.
Jurisdição Diocese
dados em catholic-hierarchy.org

A Diocese de Cametá (Dioecesis Cametanensis) é uma circunscrição eclesiástica da Igreja Católica no Brasil, pertencente à Província Eclesiástica de Belém do Pará e ao Conselho Episcopal Regional Norte II da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, sendo sufragânea da Arquidiocese de Belém do Pará. A sé episcopal está na Catedral de São João Batista, na cidade de Cametá, no estado do Pará.[1][2]

Índice

HistóricoEditar

Início da presença da Igreja CatólicaEditar

A presença dos religiosos Franciscanos da Província de Santo Antônio de Portugal (capuchos de Santo Antônio) em Camutá, no Rio Tocantins, inicia-se no ano de 1617, com a chegada de Frei Cristóvão de São José, Frei Filipe de São Boaventura, Frei Antônio de Merciana e Frei Sebastião do Rosário.[3][4]

Na margem esquerda do rio Tocantins estabeleceu-se um núcleo populacional, que tomou o nome dos habitantes locais, os índios camutás, estabeleceu-se a Vila Viçosa de Santa Cruz, núcleo original da futura Capitania de Camutá, de Feliciano Coelho de Carvalho, a ser criada em 1635.[5]

Em 1624 é publicado o alvará régio sobre a liberdade dos índios. Em 1625, Frei Cristóvão de Lisboa, primeiro custódio dos religiosos Franciscanos da Província de Santo Antônio de Portugal no Maranhão, é nomeado comissário do Santo Ofício e Protetor dos índios. Neste mesmo ano, Frei Cristóvão funda a aldeia de Santa Cruz do Camutá.[3]

PrelaziaEditar

A Prelazia de Cametá foi criada a 29 de novembro de 1952 por meio da Constituição Apostólica Providentissimi Consilium, do Papa Pio XII,[6] com território desmembrado da Arquidiocese de Belém do Pará, confiada pela santa Sé aos cuidados da Congregação da Missão.[1]

Padre Cornélio Veerman, CM, foi o administrador apostólico no período de 1955 a 1961, quando foi nomeado primeiro bispo prelado.[1]

DioceseEditar

Em 6 de fevereiro de 2013, a prelazia foi elevada à dignidade de diocese pelo Papa Bento XVI, que nomeou Dom Jesús María Cizaurre Berdonces, OAR, como primeiro bispo diocesano.[7][2]

Breve cronologiaEditar

Quando não mencionada fonte diversa, as datas são oriundas da Cronologia eclesiástica do Pará, de Dom Alberto Ramos.[3]

DemografiaEditar

Em 2004, a então prelazia contava com uma população aproximada de 411.657 habitantes, com 69,9% de católicos. Em 2016, já nomeada diocese, contava com uma população, segundo dados do IBGE, de aproximadamente 616.574.

O território da diocese é de 48.308,885 km², organizado em 20 paróquias.

A diocese abrange os seguintes municípios: Baião, Breu Branco, Cametá, Igarapé-Miri, Limoeiro do Ajuru, Mocajuba, Novo Repartimento, Oeiras do Pará, Pacajá e Tucuruí.

ParóquiasEditar

  • Baião - Paróquia Santo Antônio de Pádua.
  • Breu Branco - Paróquia São Sebastião.
  • Cametá - Paróquia São João Batista.
  • Cametá - Paróquia Santa Maria de Cametá (São Benedito dos Inocentes).
  • Cametá - Paróquia São José das Ilhas - Vila de Cupijó.
  • Cametá - Paróquia N. Sra. do Carmo - Vila do Carmo do Tocantins.
  • Cametá - Paróquia N. Sra. do Carmo (São Benedito) - Vila de Carapajó.
  • Igarapé-Miri - Paróquia N. Sra. Sant'Ana.
  • Igarapé-Miri - Paróquia N. Sra. de Nazaré - Vila Maiuatá.
  • Limoeiro do Ajuru - Paróquia N. Sra. Imaculada Conceição.
  • Mocajuba - Paróquia N. Sra. da Conceição.
  • Novo Repartimento - Paróquia São Francisco de Assis.
  • Novo Repartimento - Paróquia São José de Maracajá - Vila de Maracajá.
  • Novo Repartimento - Paróquia N. Sra. Aparecida - Vila de Nova Conquista (Rio Gelado).
  • Oeiras do Pará - Paróquia N. Sra. da Assunção.
  • Pacajá - Paróquia Cristo Rei.
  • Tucuruí - Paróquia São José.
  • Tucuruí - Paróquia Sagrado Coração de Jesus.
  • Tucuruí - Paróquia Santa Rita de Cássia.
  • Tucuruí - Paróquia Menino Jesus.

BisposEditar

Nome Período Notas
Bispos diocesanos
Dom José Altevir da Silva, C.S.Sp. 2017 - atual
Dom Frei Jesús María Cizaurre Berdonces, OAR 2013 - 2016 Foi transferido para a Diocese de Bragança do Pará.
Bispos prelados
Dom Frei Jesús María Cizaurre Berdonces, OAR 2000-2013 Nomeado bispo diocesano.
Dom José Elias Chaves Júnior, CM 1980-1999 Renunciou.
Dom Cornélio Veerman, CM 1961-1969 Renunciou.


Referências

  1. a b c d e f Centro de Estatística Religiosa e Investigações Sociais (2009). Anuário Católico do Brasil. 2009/2010 12 ed. Brasília: CERIS; CNBB; CRB. p. 899-900. 1424 páginas 
  2. a b c d e f Catholic Hierarchy. «Diocese of Cametá» (em inglês). Consultado em 6 de fevereiro de 2013 
  3. a b c d Ramos, Alberto (1985). Cronologia eclesiástica do Pará. [S.l.]: Falângola. 305 páginas 
  4. Amorim, Maria Adelina (2005). Os franciscanos no Maranhão e Grão-Pará subtítulo= missão e cultura na primeira metade de seiscentos (PDF). Lisboa: Centro de Estudos de História Religiosa, Universidade Católica Portuguesa. p. 32. 368 páginas. ISBN 972-8361-20-3 
  5. Magalhães, Pablo Antonio Iglesias (jul./dez. 2011). «A palavra e o império» (PDF). a arte da língua brasilica e a conquista do Maranhão. São Paulo. Revista de História (165): 367-401  Verifique data em: |data= (ajuda)
  6. a b Pius XII (1953). «Providentissimi Consilium». Roma. Acta Apostolicae Sedis (em latim). 45: 259-261 
  7. Sala Stampa della Santa Sede (6 de fevereiro de 2013). «Erezione della Prelatura Territoriale di Cametá (Brasile) in Diocesi e nomina del primo vescovo» (em italiano). Consultado em 9 de fevereiro de 2013 [ligação inativa]
  8. Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (1997). Membros da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil. Brasília: CNBB 

Ligações externasEditar