Economia da Polónia

A economia da Polónia (ou Polônia no português brasileiro) é diversificada, dividida entre as indústrias de construção naval, produção de carvão, aço e energia elétrica.

Economia da Polônia
Varsóvia.
Moeda Złoty
Ano fiscal Ano calendário
Blocos comerciais OMC, União Europeia, OCDE
Estatísticas
PIB
  • Aumento $585,816 billhões (nominal, 2018)[1]
  • Aumento $1,215 trilhões (PPC, 2018)[1]
Variação do PIB Aumento 4,3% (2019)[2]
PIB per capita
  • Aumento $15,426 (nominal, 2018)[1]
  • Aumento $32,005 (PPC, 2018)[1]
PIB por setor agricultura 2,6%, indústria 38,5%, comércio e serviços 58,9% (2016)
Inflação (IPC)
  • 2,407% (2019 est.)[1]
  • 1,600% (2018)[1]
  • 1,975% (2017)[1]
População
abaixo da linha de pobreza
15% (2016)
Coeficiente de Gini 27,8 (2018)
Força de trabalho total Baixa 18,176,456 (2018)
Força de trabalho
por ocupação
agricultura 11,5%, indústria 30,4%, comércio e serviços 58,1% (2015)
Desemprego 3,2% (outubro de 2019)[3]
Principais indústrias construção de máquinas, ferro e aço, extração de carvão, produtos químicos, construção naval, alimentos, vidro, bebidas, têxtil
Exterior
Exportações Aumento $224,6 bilhões (2017)[4]
Produtos exportados máquinas e equipamentos de transporte 37.8%, manufaturados intermediários 23.7%, manufaturados diversos 17.1%, alimentos e animais vivos 7.6%
Principais parceiros de exportação Alemanha 28,8%, Reino Unido 6,6%, República Checa 6,4%, França 6,3%, Itália 5,5%, Países Baixos 4,5%, Rússia 4,2% (2011)
Importações Aumento $223,8 bilhões (2017)[4]
Produtos importados máquinas e equipamentos de transporte 38%, manufaturados intermediários 21%, produtos químicos 15%, minerais, combustíveis, lubrificantes 9%
Principais parceiros de importação Alemanha 28,7%, Rússia 10,3%, Países Baixos 5,9%, Itália 5,3%, República Popular da China 5,3%, França 4,4%, República Checa 4,3% (2011)
Dívida externa bruta BaixaPositiva $241 bilhões (2017)[4]
Finanças públicas
Dívida pública BaixaPositiva 47,5% do PIB (2019)[5]
Receitas $207,5 bilhões (2017)[4]
Despesas $216,2 bilhões (2017)[4]
Fonte principal: The World Factbook
Salvo indicação contrária, os valores estão em US$

A mais importante concentração industrial ocorre na Silésia, uma área muita rica em carvão mineral, onde ocorrem indústrias siderúrgicas, químicas e de máquinas. Outras áreas importante são: Varsóvia - indústrias siderúrgicas e mecânicas - e Gdańsk - indústrias de produção naval.

A agricultura baseia-se principalmente na produção de batata e beterraba açucareira, juntamente com a criação de suínos.

Até ao início da década de 90, a Polónia foi uma economia planificada. Após a instauração do regime democrático a economia sofreu profundas reformas e tornou-se numa economia de mercado.

Agora a Polônia almeja um desenvolvimento econômico maior. O caminho encontrado é a entrada na União Europeia, mas ainda há uma resistência entre a população, que tem medo do aumento do custo de vida (o Euro é uma moeda muito forte) e da completa desnacionalização da economia. A moeda da Polônia, o Zloty, tem se valorizado, principalmente com a entrada na UE.Em 2002 1 Euro = 4,5 Zloty e em 2007, 1 Euro = 3,4 Zloty.

Dívida com o Brasil (Polonetas)Editar

Entre 1977 e 1980 o governo brasileiro abriu uma linha de crédito para financiamento das exportações brasileiras para a Polônia, produtos e serviços do Brasil em valores superiores a US$ 6 bilhões, financiados a curto prazo. Na medida em que os débitos foram vencendo, o então ministro da Fazenda, Mário Henrique Simonsen, percebeu que os poloneses não tinham como honrar seus compromissos com o Brasil, e o governo polonês ofereceu títulos da dívida pública como pagamento, que ficaram conhecidos como "polonetas".

Em 1992, no âmbito do Clube de Paris, o Brasil concordou, juntamente com outros credores da Polônia, entre eles a França e a Itália, em conceder aos poloneses um desconto do valor devido, de 50%.[6]

Comércio exteriorEditar

 
Porto de Gdynia.

Em 2020, o país foi o 22º maior exportador do mundo (US $ 251,8 bilhões, 1,3% do total mundial).[7][8] Já nas importações, em 2019, foi o 19º maior importador do mundo: US $ 246,6 bilhões.[9]

Setor primárioEditar

AgriculturaEditar

 
Maçã polonesa.
 
Plantação de cevada no Condado de Olkusz.

A Polônia produziu, em 2018[10]:

  • 14,3 milhões de toneladas de beterraba (6º maior produtor do mundo), que serve para produzir açúcar e etanol;
  • 9,8 milhões de toneladas de trigo (17º maior produtor do mundo);
  • 7,4 milhões de toneladas de batata (9º maior produtor do mundo);
  • 4 milhões de toneladas de triticale (maior produtor do mundo);
  • 4 milhões de toneladas de maçã (3º maior produtor do mundo, somente atrás de China e EUA);
  • 3,8 milhões de toneladas de milho;
  • 3 milhões de toneladas de cevada (14º maior produtor do mundo);
  • 2,2 milhões de toneladas de colza (8º maior produtor do mundo);
  • 2,1 milhões de toneladas de centeio (2º maior produtor do mundo, somente atrás da Alemanha);
  • 1,1 milhão de toneladas de aveia (5º maior produtor do mundo);
  • 985 mil toneladas de repolho;
  • 928 mil toneladas de tomate;
  • 726 mil toneladas de cenoura;
  • 562 mil toneladas de cebola;
  • 538 mil toneladas de pepino;
  • 292 mil toneladas de couve-flor e brócolis;
  • 205 mil toneladas de morango (7º maior produtor do mundo);
  • 200 mil toneladas de cogumelo e trufa;
  • 167 mil toneladas de pimenta;
  • 164 mil toneladas de groselha (2º maior produtor do mundo);
  • 122 mil toneladas de tremoço;
  • 121 mil toneladas de ameixa;
  • 115 mil toneladas de framboesa (4º maior produtor do mundo);
  • 60 mil toneladas de cereja (11º maior produtor do mundo);

Além de produções menores de outros produtos agrícolas.[11]

PecuáriaEditar

 
Avicultura na Polônia.

Em 2018, a Polônia foi o 10º maior produtor mundial de carne suína (2,09 milhões de toneladas). Neste ano o país também produziu 14,1 bilhões de litros de leite de vaca (um dos 15 maiores produtores do mundo), 2,07 milhões de toneladas de carne de frango (um dos 15 maiores produtores do mundo), 564 mil toneladas de carne bovina, 23 mil toneladas de mel, entre outros.[12]

Setor secundárioEditar

IndústriaEditar

 
Siderúrgica polonesa.

O Banco Mundial lista os principais países produtores a cada ano, com base no valor total da produção. Pela lista de 2019, a Polônia tinha a 21ª indústria mais valiosa do mundo (US $ 99,1 bilhões).[13]

Em 2019, a Polônia era o 24ª maior produtor de veículos do mundo (498 mil) e o 19ª maior produtor de aço (9,1 milhões de toneladas).[14][15][16]

MineraçãoEditar

 
Mina de cobre na Polônia.

Em 2019, o país era o 3º maior produtor mundial de rênio;[17] 5º maior produtor mundial de prata;[18] o 12º maior produtor mundial de cobre;[19] o 14º maior produtor mundial de enxofre;[20] além de ser o 14º maior produtor mundial de sal.[21]

EnergiaEditar

 
A Central Elétrica de Bełchatów é uma usina movida a lignito que produz de 27 a 28 TWh de eletricidade por ano, ou 20% da geração total de energia na Polônia.

Nas energias não-renováveis, em 2020, o país era o 64º maior produtor de petróleo do mundo, extraindo 18,7 mil barris/dia.[22] Em 2019, o país consumia 670 mil barris/dia (29º maior consumidor do mundo).[23][24] O país foi o 19º maior importador de petróleo do mundo em 2013 (467,4 mil barris/dia).[25] Em 2015, a Polônia era o 47º maior produtor mundial de gás natural, 6,1 bilhões de m3 ao ano. Em 2010 o país era o 23º maior importador de gás (10,8 bilhões de m3 ao ano).[26] Na produção de carvão, o país foi o 9º maior do mundo em 2018: 127,1 milhões de toneladas.[27]

Nas energias renováveis, em 2020, a Polônia era o 16º maior produtor de energia eólica do mundo, com 6,2 GW de potência instalada, e o 21º maior produtor de energia solar do mundo, com 3,9 GW de potência instalada.[28]

Setor terciárioEditar

TurismoEditar

 
Aquário no Jardim Zoológico de Wrocław.

Em 2018, a Polônia foi o 19º país mais visitado do mundo, com 19,6 milhões de turistas internacionais. As receitas do turismo, neste ano, foram de US $ 14,0 bilhões.[29]

Referências

  1. a b c d e f g «World Economic Outlook Database, October 2019». IMF.org. International Monetary Fund. Consultado em 16 de outubro de 2019 
  2. «Europe and Central Asia Economic Update, Fall 2019 : Migration and Brain Drain p. 13» (PDF). openknowledge.worldbank.org. World Bank. Consultado em 12 de outubro de 2019 
  3. «Unemployment by sex and age - monthly average». appsso.eurostat.ec.europa.eu. Eurostat. Consultado em 29 de novembro de 2019 
  4. a b c d e «The World Factbook». CIA.gov. Central Intelligence Agency. Consultado em 4 de fevereiro de 2019 
  5. https://www.imf.org/external/datamapper/GGXWDG_NGDP@WEO/OEMDC/ADVEC/WEOWORLD
  6. «Polonetas já assustaram o Brasil». Senado Federal. 9 de outubro de 2001. Consultado em 2 de janeiro de 2015 
  7. Trade Map - List of exporters for the selected product in 2018 (All products)
  8. Market Intelligence: Disclosing emerging opportunities and hidden risks
  9. «International Trade Statistics». International Trade Centre. Consultado em 25 de agosto de 2020 
  10. Poland production in 2018, by FAO
  11. Poland production in 2018, by FAO
  12. Pecuária da Polônia em 2018, pela FAO
  13. Fabricação, valor agregado (US $ corrente)
  14. World vehicle production in 2019
  15. World crude steel production
  16. Global crude steel output increases by 3.4% in 2019
  17. USGS Rhenium Production Statistics
  18. USGS Silver Production Statistics
  19. USGS Copper Production Statistics
  20. USGS Sulfur Production Statistics
  21. USGS Salt Production Statistics
  22. Annual petroleum and other liquids production
  23. Statistical Review of World Energy, June 2020
  24. The World Factbook — Central Intelligence Agency
  25. Annual petroleum and other liquids production
  26. CIA. The World Factbook. Natural gas - production.
  27. Statistical Review of World Energy 2018
  28. RENEWABLE CAPACITY STATISTICS 2021
  29. Destaques do turismo internacional


  Polónia
História • Política • Forças Armadas • Subdivisões • Geografia • Economia • Demografia • Cultura • Turismo • Bandeira • Portal • Imagens