Abrir menu principal

Wikipédia β

Estação Ferroviária de Cacela

A Estação Ferroviária de Cacela, primitivamente denominada de Cacella, é uma interface ferroviária da Linha do Algarve, que serve a localidade de Vila Nova de Cacela, do concelho de Vila Real de Santo António, em Portugal.

Cacela
Estação de Cacela, em 2008.
Inauguração 14 de Abril de 1906
Linha(s) L.ª do Algarve (PK 384,058)
Coordenadas 37° 10′ N 7° 32′ W
Concelho Vila Real de Santo António
Serviços Ferroviários Regional

Índice

CaracterizaçãoEditar

Características e serviçosEditar

Em Janeiro de 2011, esta estação possuía duas vias de circulação, cada uma com 262 m de comprimento, e duas plataformas, que contavam com 128 e 210 m de extensão, e 40 cm de altura.[1]

HistóriaEditar

 
Aviso de 1905 dos Caminhos de Ferro do Estado, com os descontos na Linha do Algarve, incluindo a futura estação de Cacella.
 Ver artigo principal: História da Linha do Algarve

Planeamento e inauguraçãoEditar

Em 1878, uma empresa britânica foi autorizada a construir um caminho de ferro ao longo das principais povoações do Algarve, que incluía um apeadeiro em Cacela, mas este projecto foi cancelado em 1893.[2]

Em 11 de Janeiro de 1905, realizou-se a arrematação para a terraplanagem e obras de arte no troço entre Cacela e Vila Real de Santo António, no âmbito da construção do Caminho de Ferro do Sul.[3] Esta interface situa-se no troço entre as estações de Tavira e Vila Real de Santo António, que abriu à exploração em 14 de Abril de 1906.[4]

Movimento de passageiros e mercadoriasEditar

No Século XX, esta foi uma das principais estações no Algarve que eram utilizadas como destino de veraneio.[5] Manteve igualmente um constante movimento de passageiros com Faro e Tavira.[5]

Em 1972, esta estação expedia, nos regimes de grande velocidade e pequenos volumes, hortaliças e frutas para Vila Nova de Gaia, principalmente citrinos, na Primavera e no Outono; também enviava polvo durante o Outono, e azeite em embalagens, para Setúbal e Lisboa.[6] Em termos de mercadorias recebidas, recebia, principalmente durante o Outono, adubos originários das instalações da Companhia União Fabril em Faro, palha, trigo de semente, e materiais de construção, especialmente cimento.[6]

Ver tambémEditar

Referências

  1. «Linhas de Circulação e Plataformas de Embarque». Directório da Rede 2012. Rede Ferroviária Nacional. 6 de Janeiro de 2011. p. 71-85 
  2. «Há Quarenta Anos» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 49 (1198). 16 de Novembro de 1937. p. 541-542. Consultado em 29 de Julho de 2015 
  3. NONO, Carlos (1 de Janeiro de 1949). «Efemérides ferroviárias» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 60 (1465). p. 25-26. Consultado em 29 de Julho de 2015 
  4. TORRES, Carlos Manitto (1 de Fevereiro de 1958). «A evolução das linhas portuguesas e o seu significado ferroviário» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 70 (1683). p. 76-78. Consultado em 4 de Novembro de 2014 
  5. a b CAVACO, p. 436-438
  6. a b CAVACO, p. 438-439

BibliografiaEditar

  • CAVACO, Carminda (1976). O Algarve Oriental. As Vilas, O Campo e o Mar. Volume II. Faro: Gabinete de Planeamento da Região do Algarve. 204 páginas 
 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre a Estação de Cacela

Ligações externasEditar