Abrir menu principal

Wikipédia β

Estação Ferroviária de Cacela

estação ferroviária em Portugal
Cacela
Estação de Cacela, em 2008.
Inauguração 14 de Abril de 1906
Linha(s) L.ª do Algarve (PK 384,058)
Coordenadas 37° 10′ N 7° 32′ W
Concelho Vila Real de Santo António
Serviços Ferroviários Regional

A Estação Ferroviária de Cacela, primitivamente denominada de Cacella, é uma interface ferroviária da Linha do Algarve, que serve a localidade de Vila Nova de Cacela, do concelho de Vila Real de Santo António, em Portugal.

Índice

CaracterizaçãoEditar

Características e serviçosEditar

Em Janeiro de 2011, esta estação possuía duas vias de circulação, cada uma com 262 m de comprimento, e duas plataformas, que contavam com 128 e 210 m de extensão, e 40 cm de altura.[1]

HistóriaEditar

 
Aviso de 1905 dos Caminhos de Ferro do Estado, com os descontos na Linha do Algarve, incluindo a futura estação de Cacella.
 Ver artigo principal: História da Linha do Algarve

Planeamento e inauguraçãoEditar

Em 1878, uma empresa britânica foi autorizada a construir um caminho de ferro ao longo das principais povoações do Algarve, que incluía um apeadeiro em Cacela, mas este projecto foi cancelado em 1893.[2]

Em 11 de Janeiro de 1905, realizou-se a arrematação para a terraplanagem e obras de arte no troço entre Cacela e Vila Real de Santo António, no âmbito da construção do Caminho de Ferro do Sul.[3] Esta interface situa-se no troço entre as estações de Tavira e Vila Real de Santo António, que abriu à exploração em 14 de Abril de 1906.[4]

Movimento de passageiros e mercadoriasEditar

No Século XX, esta foi uma das principais estações no Algarve que eram utilizadas como destino de veraneio.[5] Manteve igualmente um constante movimento de passageiros com Faro e Tavira.[5]

Em 1972, esta estação expedia, nos regimes de grande velocidade e pequenos volumes, hortaliças e frutas para Vila Nova de Gaia, principalmente citrinos, na Primavera e no Outono; também enviava polvo durante o Outono, e azeite em embalagens, para Setúbal e Lisboa.[6] Em termos de mercadorias recebidas, recebia, principalmente durante o Outono, adubos originários das instalações da Companhia União Fabril em Faro, palha, trigo de semente, e materiais de construção, especialmente cimento.[6]

Ver tambémEditar

Referências

  1. «Linhas de Circulação e Plataformas de Embarque». Directório da Rede 2012. Rede Ferroviária Nacional. 6 de Janeiro de 2011. p. 71-85 
  2. «Há Quarenta Anos» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 49 (1198). 16 de Novembro de 1937. p. 541-542. Consultado em 29 de Julho de 2015. 
  3. NONO, Carlos (1 de Janeiro de 1949). «Efemérides ferroviárias» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 60 (1465). p. 25-26. Consultado em 29 de Julho de 2015. 
  4. TORRES, Carlos Manitto (1 de Fevereiro de 1958). «A evolução das linhas portuguesas e o seu significado ferroviário» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 70 (1683). p. 76-78. Consultado em 4 de Novembro de 2014. 
  5. a b CAVACO, p. 436-438
  6. a b CAVACO, p. 438-439

BibliografiaEditar

  • CAVACO, Carminda (1976). O Algarve Oriental. As Vilas, O Campo e o Mar. Volume II. Faro: Gabinete de Planeamento da Região do Algarve. 204 páginas 
 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre a Estação de Cacela

Ligações externasEditar