Estação Ferroviária de Dois Portos

estação ferroviária em Portugal

A Estação Ferroviária de Dois Portos é uma interface da Linha do Oeste, que serve a localidade de Dois Portos, no concelho de Torres Vedras, em Portugal.

Dois Portos
Identificação: 62380 DPO (Dois Portos)[1]
Denominação: Estação de Dois Portos
Administração: Infraestruturas de Portugal (até 2020: centro;[2] após 2020: sul)[3]
Classificação: E (estação)[1]
Tipologia: D [3]
Linha(s): Linha do Oeste (PK 55+018)
Altitude: 80 m (a.n.m)
Coordenadas: 39°2′33.19″N × 9°11′4.65″W

(=+39.04255;−9.18463)

Mapa

(mais mapas: 39° 02′ 33,19″ N, 9° 11′ 04,65″ O; IGeoE)
Município: border link=Torres VedrasTorres Vedras
Serviços:
Estação anterior Comboios de Portugal Comboios de Portugal Estação seguinte
Torres Vedras
C. Rainha
  IR   Pero Negro
Lisboa S.Ap.
Runa
Leiria
Fig. Foz
  R   Feliteira
Lisboa S.Ap.
Runa
C. Rainha
    Feliteira
M.S.-Meleças

Conexões:
Ligação a autocarros
Ligação a autocarros
37 50 718 720
Endereço: Rua Adriano Ramalho, s/n
PT-2565-213 Dois Portos TVD
Inauguração: [quando?]
Website:
A estação em 2008.

Descrição

editar
 
Automotora 0466 no serviço regional 6419, perto de Dois Portos em 2011.

Localização e acessos

editar

Esta interface tem acesso pela Rua Adriano Ramalho,[4] no limite norte do aglomerado urbano de Dois Portos, distante menos de meio quilómetro do seu centro (C.C.A.M.).[5]

Neste local a Linha do Oeste segue paralela ao Rio Sizandro, entre Sapataria e Torres Vedras,[6] num troço de 18 km.[1]

Infraestrutura

editar

Esta interface apresenta duas vias de circulação, identificadas como I e II, com 307 e 309 m de extensão e acessíveis por plataforma com comprimentos de 114 e 112 m, ambas com e 70 cm de altura[3] (valores sem alteração desde,[quando?] pelo menos, 2011)[7]; existem ainda duas vias secundárias, identificadas como III e IV, com comprimentos de 410 e 40 m.[3] O edifício de passageiros situa-se do lado és-sudeste da via (lado direito do sentido ascendente, para Figueira da Foz).[8][9][10]

Serviços

editar

Em dados de 2023, esta interface é servida por comboios de passageiros da C.P. tipicamente com oito circulações diárias em cada sentido, entre Caldas da Rainha ou Coimbra-B ou Figueira da Foz e Lisboa - Santa Apolónia ou Mira Sintra - Meleças; estes serviços são maioritariamente de tipo regional, havendo uma circulação diária em cada sentido de tipo inter-regional (Lisboa-Caldas).[11]

História

editar
 Ver artigo principal: Linha do Oeste § História
 
Estação de Dois Portos, nos primeiros tempos.

A estação integra-se no troço entre Agualva - Cacém e Torres Vedras, que foi aberto à exploração pela Companhia Real dos Caminhos de Ferro Portugueses em 21 de Maio de 1887.[12]

Numa sessão da Câmara dos Pares em 1897, o Visconde de Chanceleiros questionou o Ministro das Obras Públicas sobre a construção de um ramal de Dois Portos a Merceana, que tinha sido autorizada mas não concretizada; o ministro respondeu que a Companhia estava legalmente obrigada a instalar o ramal, pelo que tinha incumbido um engenheiro para estudar a situação e proceder de forma a cumprir a lei.[13] Este ramal nunca seria construído.[carece de fontes?]

Em 1913, existia uma carreira de diligências entre a estação de Dois Portos a Sobral de Monte Agraço e Monfalim.[14]

Na XIII edição do Concurso das Estações Floridas, organizado em 1954 pelo Secretariado Nacional de Informação, a estação de Dois Portos recebeu um diploma de menção honrosa simples.[15]

 
Antigo armazém da estação, em 2008.

Nos finais da década de 2010 foi finalmente aprovada a modernização e eletrificação da Linha do Oeste; no âmbito do projeto de 2018 para o troço a sul das Caldas da Rainha, a Estação de Dois Portos irá ser alvo de remodelação a nível das plataformas e respetivo equipamento, prevendo-se também a instalação de um sistema ATV — sinalização para atravessamento de via seguro (ao PK 55+031).[16] Serão suprimidas duas passagens de nível a norte da estação (aos PK 56+430 e 56+967), mantendo-se a passagem inferior mais próxima (ao PK 55+641); será também suprimida a passagem de nível junto da estação (ao PK 54+810), a substituir por uma nova passagem superior para a EN248 (ao PK 54+870).[16][17]

Documentação oficial publicada em finais de 2022 indicava já esta estação como tendo as vias de circulação eletrificadas em toda a sua extensão.[3]

Ver também

editar

Referências

  1. a b c (I.E.T. 50/56) 56.º Aditamento à Instrução de Exploração Técnica N.º 50 : Rede Ferroviária Nacional. IMTT, 2011.10.20
  2. Diretório da Rede 2021. IP: 2019.12.09
  3. a b c d Diretório da Rede 2024. I.P.: 2022.12.09
  4. «Dois Portos - Linha do Oeste». Infraestruturas de Portugal. Consultado em 2 de Março de 2017 
  5. OpenStreetMaps / GraphHopper. «Cálculo de distância pedonal (39,04256; −9,18437 → 39,03802; −9,18261)». Consultado em 16 de junho de 2023 : 596 m: desnível acumulado de +7−2 m
  6. (anon.): Modernização da Linha do Oeste troço Mira Sintra / Meleças – Caldas da Rainha, entre os km 20+320 e 107+740 : Verificação da Conformidade Ambiental do Projeto de Execução (AIA 2979). Agência Portuguesa do Ambiente; Direção-Geral do Património Cultural; Laboratório Nacional de Energia e Geologia, I.P.; Laboratório Nacional de Engenharia Civil; Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional de Lisboa e Vale do Tejo; Instituto Superior de Agronomia / Centro de Ecologia Aplicada Prof. Baeta Neves: 2019.01: p.31
  7. «Linhas de Circulação e Plataformas de Embarque». Directório da Rede 2012. Rede Ferroviária Nacional. 6 de Janeiro de 2011. p. 71-85 
  8. (anónimo): Mapa 20 : Diagrama das Linhas Férreas Portuguesas com as estações (Edição de 1985), CP: Departamento de Transportes: Serviço de Estudos: Sala de Desenho / Fergráfica — Artes Gráficas L.da: Lisboa, 1985
  9. Diagrama das Linhas Férreas Portuguesas com as estações (Edição de 1988), C.P.: Direcção de Transportes: Serviço de Regulamentação e Segurança, 1988
  10. Sinalização da estação de Dois Portos” (diagrama anexo à I.T. n.º 28)
  11. Comboios Regionais : Linha do Oeste : Lisboa / Mira Sintra-Meleças ⇄ Caldas da Rainha / Coimbra («horário em vigor desde 2023.06.05»). Esta informação refere-se aos dias úteis.
  12. TORRES, Carlos Manitto (16 de Janeiro de 1958). «A evolução das linhas portuguesas e o seu significado ferroviário» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 70 (1682). p. 61-64. Consultado em 17 de Maio de 2014 
  13. «Há Quarenta Anos» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 49 (1193). 16 de Setembro de 1937. p. 434. Consultado em 17 de Maio de 2014 
  14. «Serviço de Diligencias». Guia official dos caminhos de ferro de Portugal. 39 (168). Outubro de 1913. p. 152-155. Consultado em 19 de Março de 2018 
  15. «XIII Concurso das Estações Floridas» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 67 (1608). 16 de Dezembro de 1954. p. 365. Consultado em 6 de Abril de 2017 
  16. a b ELABORAÇÃO DO PROJETO DE MODERNIZAÇÃO DA LINHA DO OESTE – TROÇO MIRA SINTRA / MELEÇAS – CALDAS DA RAINHA, ENTRE OS KM 20+320 E 107+740 (PDF). Volume 00 – Projeto Geral. [S.l.: s.n.] 
  17. Nota: No que parece ser um lapso, o resumo não-técnico do projeto indica a P.N.54+810 como «a suprimir» na tabela da pág.8/19 mas como «a manter» no anexo cartográfico.
 
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre a Estação de Dois Portos

Ligações externas

editar
  Este artigo sobre uma estação, apeadeiro ou paragem ferroviária é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.