Francisca de Orleães-Longueville

Francisca de Orleães, Mademoiselle de Longueville (em francês: Françoise d'Orléans, Mademoiselle de Longueville; Châteaudun, 5 de abril de 1549[1] - Paris, 11 de junho de 1601), foi uma nobre francesa pertencente à Casa Orleães-Longueville. Foi princesa de Condé por casamento com Luís I de Bourbon, Príncipe de Condé chefe dos protestantes durante as Guerras religiosas na França.

Francisca de Orleães
Mademoiselle de Longueville
Princesa de Sangue (por casamento)
Princesa de Condé
Reinado 8 de novembro de 1565 - 11 de junho de 1601
Antecessor(a) Leonor de Roye
Sucessor(a) Maria de Cleves
 
Cônjuge Luís I de Bourbon-Condé
Casa Orleães-Longueville (por casamento)
Borbon-Condé (por casamento)
Nome completo Françoise d'Orléans, Mademoiselle de Longueville
Nascimento 5 de abril de 1549
  Châteaudun
Morte 11 de junho de 1601 (52 anos)
  Paris
Enterro Igreja dos Jacobinos, Dijon, França
Pai Francisco de Orleães, Marquês de Rothelin
Mãe Jaqueline de Rohan
Assinatura Assinatura de Francisca de Orleães
Brasão

BiografiaEditar

Francisca de Orleães, dita Mademoiselle de Longueville, era filha de Francisco de Orleães-Longueville, Marquês de Rothelin, e de Jaqueline de Rohan[2], nasceu cerca de seis meses após a morte de seu pai (que faleceu a 25 de outubro de 1548).

A 8 de novembro de 1565 casa no castelo de Vendôme com o Príncipe de Condé Luís de Bourbon, chefe protestante e tio do futuro rei Henrique IV de França. Do seu casamento, ela teve três filhos, sem contar com os três outros nascidos do primeiro casamento do seu esposo. Luís casara com Leonor de Roye que falecera em 1564.

No início da terceira guerra religiosa, Francisca refugiara-se em La Rochelle com a sua família junto da rainha de Navarra Joana de Albret. O seu marido, o Príncipe de Condé que comandava o exército protestante, foi morto em combate 13 de março de 1569, durante a batalha de Jarnac, onde os Huguenotes são vencidos pelo exército real.

Após a guerra, ela reaproxima-se da Corte e do cardeal de Bourbon. Vivia em Blandy e, gradualmente, distancia-se do protestantismo. è na sua residência que tem lugar as núpcias do seu enteado, Henrique I de Condé com Maria de Cleves no Verão de 1572. Após o Massacre da noite de São Bartolomeu, ela converte-se ao catolicismo sem qualquer resistência e partilha a sua vida entre a corte e o seu castelo de Blandy.

Vem a falecer em 11 de junho de 1601 em Paris, sendo sepultada na igreja cartuxa Nossa senhora da Boa Esperança[3], próxima de Gaillon.

FamiliaresEditar

AscendênciaEditar

Os seus avós eram:

Francisca era a filha mais nova de Léonor, duque de Longueville (1540-1573). Este casara em 1563 Maria de Bourbon (1539-1601) Duquesa de Estouteville e Condessa de Saint-Pol, de quem tivera, entre outros, Henrique I de Orleães-Longueville.

Francisco III de Orleães-Longueville, primo co-irmão de Francisca, era meio-irmão (uterino) da rainha Maria Stuart. A sua tia materna, Cláudia de Thoury de Rohan-Gié, fora uma das amantes do rei Francisco I de França.

Os príncipes de Carignan, depois reis da Itália, desceram de Francisca através de seu filho Charles.

DescendênciaEditar

Francisca teve três filhos do seu casamento:

  1. Carlos (Charles) (1566-1612), Conde de Soissons;
  2. Luís (Louis) (1567-1569);
  3. Benjamim (Benjamin) (1569-1573).

TratamentosEditar

Ver tambémEditar

ReferênciasEditar

  1. Père Anselme, Histoire des Rois de France
  2. Wilhelm K. Isenburg, Wilhelm K. - Europäische Stammtafeln, Edições Klostermann, Frankfurt
  3. em francês: Notre-Dame de Bonne-Espérance


Francisca de Orleães-Longueville
Ramo cadete da Casa de Orleães
Nascimento: 5 de abril 1549 Morte: 11 de junho 1601
Nobreza da França
Precedido por:
Leonor de Roye
 
Princesa Consorte de Condé

8 de novembro de 1565 - 13 de março de 1569
Sucedido por:
Maria de Cleves


BibliografiaEditar

  • Strage, Mark - Women of Power – The life and times of Catherine de Médicis, Edições Harcourt Brace Jovanovich, 1976, ISBN 0-15-198370-4;
  • Anselme, R. P. - Histoire généalogique et chronologique de la maison royale de France, des pairs, grands officiers de la couronne et de la maison du roy et des anciens barons du royaume, Editor La compagnie des libraires, Paris, 1726-1733.