Abrir menu principal
Grande Prêmio da França
de Fórmula 1 de 1979
Dijon-Prenois Circuit.svg
Terceiro GP da França realizado em Dijon-Prenois
Detalhes da corrida
Categoria Fórmula 1
Data 1º de julho de 1979
Nome oficial Grand Prix de France
Local Dijon-Prenois, Prenois, Borgonha-Franco-Condado, Côte-d'Or, França
Total 80 voltas / 304.080 km
Pole
Piloto
França Jean-Pierre Jabouille Renault
Tempo 1:07.19
Volta mais rápida
Piloto
França René Arnoux Renault
Tempo 1:09.16 (na volta 71)
Pódio
Primeiro
França Jean-Pierre Jabouille Renault
Segundo
Canadá Gilles Villeneuve Ferrari
Terceiro
França René Arnoux Renault

Resultados do Grande Prêmio da França de Fórmula 1 realizado em Dijon-Prenois à 1º de julho de 1979.[1] Oitava etapa da temporada, esta prova marcou a primeira vitória da de Jean-Pierre Jabouille e da equipe Renault na história da categoria,[2] mas para os fãs o grande acontecimento do dia foi um duelo de pilotos considerado o mais sensacional da história da Formula 1: nas últimas voltas, o canadense Gilles Villeneuve, da Ferrari, e o francês René Arnoux, da Renault, duelaram pela segunda colocação da corrida, um ultrapassando o outro por várias vezes. No fim, Villeneuve chegou em segundo e Arnoux em terceiro.[3][nota 1]

Índice

Antecedentes da provaEditar

O acidente de Patrick DepaillerEditar

Nos dias que antecederam ao Grande Prêmio da França, Patrick Depailler sofreu um acidente à 3 de junho enquanto voava de asa-delta. Regatado próximo ao Puy de Dôme na região central do país, foi enviado ao Centro Hospitalar Universitário de Clermont-Ferrand onde diagnosticaram fraturas nas pernas, no tornozelo e em algumas costelas.[4] Contrariado, Guy Ligier lamentou que seu funcionário tenha se exposto a riscos desnecessários e no fim daquele mês anunciou a contratação de Jacky Ickx, vice-campeão de Fórmula 1 em 1969 e 1970 e multicampeão das 24 Horas de Le Mans.[5][6][7][nota 2]

Outra substituição entre os pilotos foi a contratação de Keke Rosberg para substituir James Hunt como titular da Wolf pelo resto da temporada, afinal o britânico encerrou a carreira em Mônaco e passou a comentar as corridas de Fórmula 1 ao lado de Murray Walker na BBC.[8]

Suécia fora do calendárioEditar

Previsto para 16 de junho de 1979, o Grande Prêmio da Suécia foi cancelado por falta de patrocínio e desde então a Fórmula 1 não retornou ao país.[9][10] Influíram nessa decisão as mortes de Ronnie Peterson em 11 de setembro de 1978 após um acidente no Grande Prêmio da Itália[11][12] e de Gunnar Nilsson à 20 de outubro daquele ano vítima de câncer nos testículos.[13][14]

Resumo da corridaEditar

Treinos oficiaisEditar

Já na sexta-feira o desempenho do modelo Renault RS10 fazia do conjunto francês o favorito para os treinos oficiais vindouros quando, de fato, Jean-Pierre Jabouille e René Arnoux capturaram a primeira fila no dia seguinte à frente de Gilles Villeneuve e sua Ferrari e de Nelson Piquet, da Brabham, deixando Jody Scheckter, o líder do campeonato, em um discreto quinto lugar com o outro carro de Maranello num treino onde o tempo oscilava entre frio, vento e calor esporádico. Menos satisfeito estava Jacques Laffite com sua Ligier em oitavo lugar, contudo destino pior foi o de Didier Pironi cuja Tyrrell apresentou uma falha nas rodas traseiras pouco antes da entrada da reta e bateu na barreira de contenção. Em meio à balbúrdia o australiano Alan Jones foi acusado de ultrapassar um adversário sob bandeira amarela e teve cassada a volta que poderia render um lugar nas primeiras filas à sua Williams, sétimo carro do grid.[15]

Jabouille consagra a RenaultEditar

Não obstante a inédita primeira fila da Renault, foi Gilles Villeneuve quem saiu à frente seguido por Jabouille e Scheckter numa perseguição que durou quatorze voltas até que Arnoux (cuja má largada o fez cair para nono) tomou a terceira posição do sul-africano. Líder da prova, Villeneuve exigia tudo de seu equipamento para salvaguardar a posição que ocupava, entretanto forçava demasiadamente sua Ferrari nas curvas de modo a compensar a grande potência do turbo que impulsionava o carro de seu rival, estratégia ruinosa para os pneus do canadense. De fato Jean-Pierre Jabouille tornou-se líder na quadragésima sétima volta enquanto seu rival ferrarista estava meio minuto adiante de René Arnoux.

A partir de então a diferença pró-Villeneuve foi paulatinamente encurtada até que Arnoux subiu à segunda posição na septuagésima oitava volta, pois àquela altura o bólido do canadense apresentava sinais de desequilíbrio em seu conjunto dada a quantidade de vezes que seus pneus "fritaram" antes daquele momento. Contudo o rendimento de Arnoux também decaíra graças ao rareamento do motor e por isso Villeneuve manteve-se próximo ao rival a ponto de forçar uma ultrapassagem e retomar o segundo lugar na penúltima volta. Brioso, Arnoux partiu para o revide e tocou rodas com Villeneuve por mais de uma vez e nisso ambos trocaram momentaneamente de posições até que o ferrarista firmou-se em segundo lugar e superou René Arnoux por menos de três décimos de segundo.[3] Ao fim da prova os dois abraçaram-se calorosamente nos boxes em reconhecimento ao espetáculo proporcionado ao público.[16] Sobre este dia, Arnoux declarou: "É a melhor memória da minha carreira de piloto de corridas".[3]

Euforia à parte, Jean-Pierre Jabouille cruzou a linha de chegada quinze segundos à frente de Gilles Villeneuve e René Arnoux e com isso tornou-se o primeiro nativo a vencer o Grande Prêmio da França desde Jean-Pierre Wimille em 1948. Cansado,[17] o piloto entrou para a história não apenas por seu primeiro triunfo na carreira, mas também como autor da primeira vitória tanto da equipe Renault[18] quanto de um carro com motor turbo.[19]

Mesmo fora da zona de pontuação, Jody Scheckter manteve a liderança do campeonato com os 30 pontos de outrora tendo Gilles Villeneuve como vice-líder com 26 enquanto a Ferrari, equipe de ambos, liderava o mundial de construtores com 60 pontos.[nota 3]

Classificação da provaEditar

Pos. Piloto Construtor Voltas Tempo/Diferença Grid Pontos
1 15   Jean-Pierre Jabouille Renault 80 1:35:20.42 1 9
2 12   Gilles Villeneuve Ferrari 80 + 14.59 3 6
3 16   René Arnoux Renault 80 + 14.83 2 4
4 27   Alan Jones Williams-Ford 80 + 36.61 7 3
5 4   Jean-Pierre Jarier Tyrrell-Ford 80 + 1:04.51 10 2
6 28   Clay Regazzoni Williams-Ford 80 + 1:05.51 9 1
7 11   Jody Scheckter Ferrari 79 + 1 volta 5
8 26   Jacques Laffite Ligier-Ford 79 + 1 volta 8
9 20   Keke Rosberg Wolf-Ford 79 + 1 volta 16
10 8   Patrick Tambay McLaren-Ford 78 + 2 voltas 20
11 7   John Watson McLaren-Ford 78 + 2 voltas 15
12 31   Hector Rebaque Lotus-Ford 78 + 2 voltas 23
13 2   Carlos Reutemann Lotus-Ford 77 + 3 voltas 13
14 29   Riccardo Patrese Arrows-Ford 77 + 3 voltas 19
15 30   Jochen Mass Arrows-Ford 75 + 5 voltas 22
16 18   Elio de Angelis Shadow-Ford 75 + 5 voltas 24
17 35   Bruno Giacomelli Alfa Romeo 75 + 5 voltas 17
18 17   Jan Lammers Shadow-Ford 73 + 7 voltas 21
Ret 3   Didier Pironi Tyrrell-Ford 71 Suspensão 11
Ret 14   Emerson Fittipaldi Fittipaldi-Ford 53 Motor 18
Ret 6   Nelson Piquet Brabham-Alfa Romeo 52 Acidente 4
Ret 1   Mario Andretti Lotus-Ford 51 Freios 12
Ret 25   Jacky Ickx Ligier-Ford 45 Motor 14
Ret 5   Niki Lauda Brabham-Alfa Romeo 23 Rodou 6
DNS 9   Hans-Joachim Stuck ATS-Ford Problema com os pneus
DNQ 22   Patrick Gaillard Ensign-Ford
DNQ 24   Arturo Merzario Merzario-Ford

Tabela do campeonato após a corridaEditar

  • Nota: Somente as primeiras cinco posições estão listadas. As quinze etapas de 1979 foram divididas em um bloco de sete e outro de oito corridas onde cada piloto podia computar quatro resultados válidos em cada, não havendo descartes no mundial de construtores.

Notas

  1. Voltas na liderança: Gilles Villeneuve 46 voltas (1-46), Jean Pierre Jabouille 34 voltas (47-80).
  2. Jacky Ickx venceu as 24 Horas de Le Mans em 1969, 1975, 1976, 1977, 1981, 1982.
  3. Por força do regulamento vigente, Jody Scheckter teve que descartar o sexto lugar obtido no Brasil e o quarto lugar conquistado na Espanha, reduzindo de 34 para 30 a sua pontuação.

Referências

  1. «1979 French Grand Prix - race result». Consultado em 14 de outubro de 2018 
  2. Fred Sabino (1 de outubro de 2018). «Jean-Pierre Jabouille, um engenheiro que virou piloto de F1 e foi primeiro a vencer com turbo». globoesporte.com. Globo Esporte. Consultado em 1º de julho de 2019 
  3. a b c Fred Sabino (1 de julho de 2019). «Villeneuve x Arnoux: há 40 anos, Fórmula 1 teve sua maior disputa, na pista de Dijon-Prenois». globoesporte.com. Globo Esporte. Consultado em 1º de julho de 2019 
  4. Depailler quebra as pernas em vôo (sic) com asa delta (online). Jornal do Brasil, Rio de Janeiro (RJ), 04/06/1979. Primeiro caderno, Amador, pág. 03. Página visitada em 29 de janeiro de 1979.
  5. Fred Sabino (1 de agosto de 2018). «Patrick Depailler foi uma das esperanças francesas na F1 da década de 1970». globoesporte.com. Globo Esporte. Consultado em 1º de julho de 2019 
  6. Médicos já admitem a volta de Depailler à F-1 mas não este ano (online). Jornal do Brasil, Rio de Janeiro (RJ), 05/06/1979. Primeiro caderno, Esporte, pág. 26. Página visitada em 29 de janeiro de 1979.
  7. Ligier já terá Ickx no lugar de Depailler para o GP da França (online). Jornal do Brasil, Rio de Janeiro (RJ), 22/06/1979. Primeiro caderno, Amador, pág. 28. Página visitada em 29 de janeiro de 1979.
  8. Fred Sabino (14 de junho de 2018). «Personagem polêmico e carismático na F1, James Hunt morreu há 25 anos». globoesporte.com. Globo Esporte. Consultado em 2 de julho de 2019 
  9. Suécia cancela prova de F-1 por falta de dinheiro (online). Folha de S.Paulo, São Paulo (SP), 17/05/1979. Esportes, pág. 35. Página visitada em 29 de janeiro de 2019.
  10. Suécia perde a sua prova de Fórmula 1 (online). O Estado de S. Paulo, São Paulo (SP), 17/05/1979. Geral, pág. 32. Página visitada em 29 de janeiro de 2019.
  11. Fred Sabino (10 de setembro de 2018). «Ronnie Peterson, o carismático, arrojado e talentoso sueco que morreu há 40 anos». globoesporte.com. Globo Esporte. Consultado em 1º de julho de 2019 
  12. Monza mata seu maior vencedor (online). Folha de S.Paulo, São Paulo (SP), 12/09/1978. Esportiva, pág. 36. Página visitada em 29 de janeiro de 2019.
  13. Fred Sabino (20 de outubro de 2018). «A triste história de Gunnar Nilsson, morto há exatos 40 anos após luta contra o câncer». globoesporte.com. Globo Esporte. Consultado em 1º de julho de 2019 
  14. Morreu Gunnar Nilsson (online). O Globo, Rio de Janeiro (RJ), 21/10/1978. Matutina, Esportes, pág. 33. Página visitada em 29 de janeiro de 2019.
  15. TEIXEIRA, Álvaro. Piquet larga na 2.ª fila logo atrás das Renault (online). Jornal do Brasil, Rio de Janeiro (RJ), 01/07/1979. Primeiro caderno, Esporte, pág. 35. Página visitada em 2 de julho de 2019.
  16. Fred Sabino (4 de julho de 2018). «Os 70 anos de René Arnoux, um dos mais arrojados pilotos da década de 1980». globoesporte.com. Globo Esporte. Consultado em 2 de julho de 2019 
  17. Jabouille subiu ao pódio amparado (online). Jornal do Brasil, Rio de Janeiro (RJ), 02/07/1979. Primeiro caderno, Amador, pág. 02. Página visitada em 14 de outubro de 2018.
  18. TEIXEIRA, Álvaro. Piloto e carro franceses vencem seu GP pela 1ª vez (online). Jornal do Brasil, Rio de Janeiro (RJ), 02/07/1979. Primeiro caderno, Amador, pág. 02. Página visitada em 14 de outubro de 2018.
  19. Vitória não causou surpresa à Renault (online). Jornal do Brasil, Rio de Janeiro (RJ), 02/07/1979. Primeiro caderno, Amador, pág. 02. Página visitada em 14 de outubro de 2018.
Precedido por
Grande Prêmio de Mônaco de 1979
Campeonato mundial de Fórmula 1 da FIA
Ano de 1979
Sucedido por
Grande Prêmio da Grã-Bretanha de 1979
Precedido por
Grande Prêmio da França de 1978
Grande Prêmio da França
65ª edição
Sucedido por
Grande Prêmio da França de 1980