Abrir menu principal
Didier Pironi
Didier-1.jpg
Pironi competindo na Fórmula 2 em 1977
Informações pessoais
Nome completo Didier Joseph Louis Pironi
Nacionalidade francês
Nascimento 26 de março de 1952
Villecresnes
Morte 23 de agosto de 1987 (35 anos)
Southampton
Registros na Fórmula 1
Temporadas 1978-1982
Equipes 3 (Tyrrell, Ligier e Ferrari)
GPs disputados 72 (70 largadas)
Títulos 0 (2º em 1982)
Vitórias 3
Pódios 13
Pontos 101
Pole positions 4
Primeiro GP GP da Argentina de 1978
Último GP GP da Alemanha de 1982
Registros nas 24 Horas de Le Mans
Edições 1976-1978, 1980
Equipes Porsche Kremer Racing, J. Haran de Chaunac, Renault Sport e BMW France
Vitórias em classe(s) 1 (1978)

Didier Joseph Louis Pironi, (Villecresnes, 26 de março de 1952 - Southampton, 23 de agosto de 1987), foi um piloto francês de Fórmula 1 e de lancha off-shore.

Índice

CarreiraEditar

Ele foi premiado com o patrocínio do piloto Elf em 1972, um programa destinado a promover o jovem talento do automobilismo francês, que também levou Alain Prost, René Arnoux e Patrick Tambay à Fórmula 1. Depois de se tornar campeão da Fórmula Renault na França em 1974, tendo o título de campeonato da Super Renault em 1976 e conquistando a prestigiosa corrida de apoio do Fórmula Três do Mônaco em 1977, Pironi fez sua estréia na F1 no GP da Argentina em 15 de janeiro de 1978. Isto foi com Ken O time de Tyrrell que, apesar de ser britânico, teve uma forte relação de trabalho com o Elf, que remonta ao final da década de 1960. No mesmo ano, Pironi faz parte do enorme time da Renault encarregado de ganhar as 24 Horas de Le Mans. Parceria com Jean-Pierre Jaussaud no segundo carro da equipe, o incomum "tobo abundo" A442B, pelo qual ele ganhou a corrida por quatro voltas da rival Porsche 936s.

Pironi correu na Fórmula 1 entre os anos de 1978 a 1982 pelas equipes: 78-79 Tyrrell, 80 Ligier conquistando a primeria vitória na categoria no Grande Prêmio da Bélgica e 81-82 Ferrari. A sua segunda vitória e a primeira na Ferrari aconteceu no Grande Prêmio de San Marino. Foi a corrida que contou com 7 equipes: Ferrari, Renault, Alfa Romeo, Tyrrell, Toleman, Osella e ATS, enquanto que as demais boicotaram por divergências políticas. Com os carros da Renault fora da prova, só restaram os dois carros da equipe italiana. Pironi ultrapassou Gilles Villeneuve e vice-versa para dar um pouco de emoção ao público presente ao autódromo, já que não tinha concorrência e o 3º colocado que era o Tyrrell-Ford Cosworth aspirado de Michele Alboreto, e estava bem longe da dupla Ferrarista. Na última volta, Pironi ultrapassou Villeneuve e venceu a corrida ignorando as ordens da equipe. No pódium, era visível a crise interna dos dois pilotos. Foi a última corrida do piloto canadense e que faleceria duas semanas depois nos treinos do GP da Bélgica em Zolder. A terceira e última vitória de Pironi aconteceria no GP da Holanda em Zandvoort.

Com o 2º lugar no GP da Grã-Bretanha em Brands Hatch, Pironi liderava o campeonato pela primeira vez e com 5 pontos de vantagem sobre o norte-irlandês John Watson da McLaren. Na etapa seguinte, o GP da França em Paul Ricard, Pironi aumentava para 9 com o 3º lugar conquistado. Imaginava-se que ele seria o primeiro piloto francês com grandes chances de ganhar o campeonato. Com a pole conquistada para o GP da Alemanha em Hockenheim, nos treinos livres debaixo de imensa chuva, ele ultrapassava o Williams do irlandês Derek Daly, não vê o Renault de Alain Prost, e catapulta-se, quase da mesma forma que no acidente do seu ex-companheiro Gilles Villeneuve, exatamente três meses antes. Gravemente ferido em ambas as pernas, não corre as últimas cinco provas do campeonato e também na Fórmula 1. Na antepenúltima etapa, o GP da Suíça, sua liderança foi perdida para o finlandês Keke Rosberg, o campeão daquele ano. Na grande chance de alcançar o tão sonhado campeonato, Pironi foi vice-campeão (o melhor até então para os franceses) terminando com a mesma pontuação de John Watson, porém no critério de desempate, o francês tem um 3º lugar de vantagem sobre o norte-irlandês. Pironi ainda voltou a testar um carro de Formula 1 da equipe AGS no ano de 1986, mas depois disso se dedicou a competição de Offshore (barcos). Em Agosto de 1987, numa prova ao largo da Ilha de Wight, no sul da Inglaterra, o seu barco Colibri, que disputava a ponta com outro barco, virou numa onda causada pelo petroleiro “Avon” e Pironi morreu no choque.

Todos os Resultados de Didier Pironi na Fórmula 1Editar

(legenda) (Corridas em negrito indica pole position e corridas em itálico indica volta mais rápida)

Ano Nome Oficial da Equipe Chassis Motor Pneus 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 Pontos Posição
1978 Elf Team Tyrrell Tyrrell 008 Ford Cosworth DFV V8 G ARG
14º
BRA
RSA
USW
Ret
MON
BEL
ESP
12º
SUE
Ret
FRA
10º
GBR
Ret
ALE
AUT
Ret
HOL
Ret
ITA
Ret
USE
10º
CAN
7 15º
1979 Team Tyrrell Tyrrell 009 Ford Cosworth DFV V8 G ARG
Ret
BRA
RSA
Ret
USW
DSQ
ESP
14 10º
Candy Tyrrell Team BEL
MON
Ret
FRA
Ret
GBR
10º
ALE
AUT
HOL
Ret
ITA
10º
CAN
USE
1980 Equipe Ligier Gitanes Ligier JS11/15 Ford Cosworth DFV V8 G ARG
Ret
BRA
RSA
USW
BEL
MON
Ret
FRA
GBR
Ret
ALE
Ret
AUT
Ret
HOL
Ret
ITA
CAN
USE
32
1981 Scuderia Ferrari SpA SEFAC Ferrari 126 CK Ferrari 021 V6 Turbo M USW
Ret
BRA
Ret
ARG
Ret
SMR
BEL
MON
ESP
15º
FRA
GBR
Ret
ALE
Ret
AUT
HOL
Ret
ITA
CAN
Ret
LVG
9 13º
1982 Scuderia Ferrari SpA SEFAC Ferrari 126 C2 Ferrari 021 V6 Turbo G RSA
18º
BRA
USW
Ret
SMR
BEL
DNS
MON
USE
CAN
HOL
GBR
FRA
ALE
DNS
39

24 Horas de Le Mans[1]Editar

Ano Classe N# Equipe Co-Pilotos Chassis Motor Pneus Largada Final Clas.
Pos
Voltas
1976 GT 65   Porsche Kremer Racing   Marie-Claude Charmasson
  Bob Wollek
Porsche 934 Porsche 3.0L Turbo Flat-6 G 20º 19º 270
1977 S +2.0 16   J. Haran de Chaunac   René Arnoux
  Guy Fréquelin
Renault Alpine A442 Renault 2.0L Turbo V6 M DNF
55º
DNF
12º
0
1978 S +2.0 2   Renault Sport   Jean-Pierre Jaussaud Renault Alpine A442B Renault 2.0L Turbo V6 M 369
1980 IMSA 83   BMW France   Marcel Mignot
  Dieter Quester
BMW M1 BMW M88 3.5L I6 D 25º 14º 293

Referências

  1. 24 Hours of Le Mans Race-Database.com

Ligações externasEditar