Itaocara

Itaocara
  Município do Brasil  
Símbolos
Bandeira de Itaocara
Bandeira
Brasão de armas de Itaocara
Brasão de armas
Hino
Apelido(s) "Princesinha do Paraíba"
Gentílico itaocarense
Localização
Itaocara está localizado em: Brasil
Itaocara
Localização de Itaocara no Brasil
Mapa de Itaocara
Coordenadas 21° 40' 44" S 42° 04' 55" O
País Brasil
Unidade federativa Rio de Janeiro
Municípios limítrofes Aperibé, Cambuci, Cantagalo, Santo Antônio de Pádua, São Fidélis e São Sebastião do Alto
Distância até a capital 270 km
História
Fundação 28 de outubro de 1890 (129 anos)
Aniversário 28 de outubro
Administração
Prefeito(a) Manoel Queiroz Faria (PL, 2017 – 2020)
Características geográficas
Área total [1] 428,440 km²
População total (estimativa IBGE/2019[2]) 23 234 hab.
Densidade 54,2 hab./km²
Clima Tropical (Aw)
Altitude 60 m
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
CEP 28570-000
Indicadores
IDH (PNUD/2010[3]) 0,713 alto
 • Posição 38º/RJ
PIB (IBGE/2008[4]) R$ 246 642,646 mil
PIB per capita (IBGE/2008[4]) R$ 10 951,19
Outras informações
Padroeiro(a) São José de Leonissa
Website www.itaocara.rj.gov.br/ (Prefeitura)
www.camaraitaocara.rj.gov.br/ (Câmara)

Itaocara é um município situado no noroeste do estado do Rio de Janeiro, no Brasil. Sua população, conforme estimativas do IBGE de 2019, era de 23 234[2] habitantes.

HistóriaEditar

Devido à luta entre os índios Coroados e Puris, os religiosos Capuchinhos que colonizavam São Fidélis sentiram a necessidade de criar, no local das divergências, uma nova aldeia, que, acolhendo uma das tribos, separasse os litigiantes. Em 1809, o frei Tomás, da cidade de Castelo, chegou às terras escolhidas para a fundação da aldeia, a qual denominou São José de Dom Marcos, em homenagem ao antigo vice-rei Marcos de Noronha e Brito. O nome escolhido, entretanto, não criou raízes no pensamento dos habitantes, que preferiram designar o local de "Itaocara", termo tupi que significa "ocara de pedras", através da junção dos termos itá ("pedra") e okara ("ocara")[5], em referência ao penhasco que lhe fica fronteiro, na margem oposta do Rio Paraíba do Sul.[6]

No século XIX e início do século XX, como o ocorrido em todo o interior do estado, recebeu significativa mão de obra de imigrantes, sobretudo de origem síria e libanesa.

GeografiaEditar

Localiza-se na margem direita do Rio Paraíba do Sul, estando a uma altitude de sessenta metros. Sua área territorial é de 429,68 km².

Serra do CândidoEditar

Localizada no distrito de Laranjais, possui 630 metros de altitude. É cercada de árvores de grande porte e se encontra como um atrativo turístico para a localidade de Engenho Central. Do seu pico avista-se grande parte do município itaocarense e de outros vizinhos.

Futura UHE ItaocaraEditar

O empreendimento da usina hidrelétrica Itaocara, concessão dada ao Consórcio UHE Itaocara, será um grande investimento no noroeste fluminense. O lago do reservatório da represa irá inundar diversos pontos do município e da região. A parte boa é que será replantada em dobro cada árvore desmatada pela gigantesca construção.[7] A previsão era de que as obras começassem no primeiro trimestre de 2016, porém, em junho desse ano, o consórcio anunciou o adiamento do início das obras.[8]

SubdivisõesEditar

DistritosEditar

O município possui seis distritos. Batatal, que era um bairro, passou a ser o Sexto Distrito devido à construção da Hidrelétrica de Itaocara.

BairrosEditar

  • Adovani
  • Ambal
  • Bela Vista
  • BNH
  • Bocaina
  • Morro Alto
  • Caeté
  • Caxias
  • Centro
  • Cidade Nova
  • Cidade Seca
  • Cruzeiro
  • Engenho Central
  • Escolástica (Florestal)
  • Eucalipto
  • Fuguista
  • Jardim da Aldeia (CERJ)
  • Juca Rocha
  • Pôr do Sol
  • São Benedito (Caixa d'Água)
  • Sardinha
  • Sobradinho
  • Vista do Paraíba (Fim de Linha)

PolíticaEditar

Poder ExecutivoEditar

Cinco modelos administrativos governaram o município de Itaocara ao longo dos anos: intendentes, presidentes da câmara (que acumulavam a função de prefeito antes da tripartição dos poderes), prefeitos, prefeitos-interventores e, finalmente, os prefeitos eleitos. Em 7 de outubro de 2012, houve a eleição do primeiro prefeito filiado ao PSOL (Partido Socialismo e Liberdade), o sindicalista Gelsimar Gonzaga.[9] Em 2016 Gonzaga foi condenado por abuso de poder econômico e político e ficou inelegível por oito anos.[10] O atual prefeito itaocarense é Manoel Queiroz Faria (PL), eleito com 55,05% dos votos válidos nas eleições de 2016. Ele já havia ocupado o cargo anteriormente por dois mandatos consecutivos, entre 2001 e 2008. O vice-prefeito é Robério Arêas Sampaio, conhecido popularmente como Roberinho (Solidariedade).[11]

Poder LegislativoEditar

A Câmara Municipal de Itaocara é, desde 2013, composta por onze cadeiras. Até 2004 contou com treze vereadores. Após aquele ano, a representação passou a ser equivalente à população do município. Foi quando o Legislativo Itaocarense passou a ter nove representantes e permaneceu assim até 2012. A atual Mesa Diretora da Câmara Municipal de Itaocara (biênio 2019-2020) é formada por:

  • Presidente: Robson Luís Câmara Vogas (PSD);
  • Vice-Presidente: Ângelo Márcio Goulart Patrinieri (PL);
  • 1º Secretário: Jaderson Aleixo Couto Silva (PSC);
  • 2º Secretário: Alberto Taveira dos Santos, Beto Papagaio (Solidariedade).

EconomiaEditar

PecuáriaEditar

  • Pecuária de corte: é uma das principais áreas econômicas do município. Existe tanto nas grandes fazendas quanto nos pequenos sítios.
  • Pecuária leiteira: assim como a pecuária de corte, é bastante comum no município, colocando o município entre os maiores produtores de leite do estado.

Indústria têxtilEditar

Itaocara conta com um importante grupo de confecções, organizados em uma associação (ACIT-Associação de Confeccionistas de Itaocara). Também existem confecções individuais, responsáveis por um grande número de empregos.

Indústria moveleiraEditar

A indústria moveleira do distrito de Portela, com cerca de uma dúzia de empresas, ajuda em muito a economia local.

Outras áreasEditar

Também existem 4 ou mais fábricas de linguiça, de gaiola e de artesanato.

Referências

  1. IBGE (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  2. a b «Estimativa populacional 2019 IBGE». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de agosto de 2019. Consultado em 14 de setembro de 2019 
  3. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  4. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  5. NAVARRO, E. A. Dicionário de Tupi Antigo: a Língua Indígena Clássica do Brasil. São Paulo. Global. 2013. p. 573
  6. «Biblioteca do IBGE» (PDF). 8 de agosto de 2007. Consultado em 25 de janeiro de 2020 
  7. https://web.archive.org/web/20190527022632/http://www.uheitaocara.com.br/ Página arquivada.
  8. SF Notícias. Disponível em http://www.sfnoticias.com.br/consorcio-anuncia-adiamento-do-inicio-das-obras-da-usina-de-itaocara. Acesso em 23 de abril de 2017.
  9. «Ex-cortador de cana é o 1º prefeito eleito pelo PSOL» 
  10. «Único prefeito do PSOL no Rio é condenado por abuso de poder». Extra Online. 7 de dezembro de 2016 
  11. «Manoel Faria é eleito novo prefeito de Itaocara». SF Notícias. 2 de outubro de 2016. Consultado em 13 de julho de 2017 
  Este artigo sobre municípios do estado do Rio de Janeiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.