Língua maxacali

Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Maxacali (desambiguação).
Maxacali (Tikmũũn yĩy ax, Mãxakani yĩy ax[1]:22)
Pronúncia:[tɪjmɨ̃ˈʔ̰ɘ̃ə̯̃ ɲɪ̃j̃ ʔɑj], [mɑ̃tɕakaˈd̪i ɲɪ̃j̃ ʔɑj]
Outros nomes:Maxakalí
Falado em: Estado de Minas Gerais
Região: Sudeste
Total de falantes: 2.071 (2014)
Família: Tronco Macro-jê
 Maxacali
Códigos de língua
ISO 639-1: --
ISO 639-2: ---

O maxacali (Maxakalí; autodenominação Tikmũũn yĩy ax [tɪjmɨ̃ˈʔ̰ɘ̃ə̯̃ ɲɪ̃j̃ ʔɑj] ou Mãxakani yĩy ax [mɑ̃tɕakaˈd̪i ɲɪ̃j̃ ʔɑj][1]:22) é uma língua indígena brasileira falada por mais de dois mil indígenas[1]:30 em três reservas descontínuas no Vale do Mucuri, no nordeste do estado de Minas Gerais. Os falantes se dispersam pelos municípios de Santa Helena de Minas/Bertópolis, Aldeias de Agua Boa e Pradinho; no município de Ladainha, em Aldeia Verde e no município de Teófilo Otoni, Aldeia Cachoeirinha. Etnicamente, os falantes constituem o povo conhecido maxacali e se autodenomina Tikmũũn.

O maxacali pertence à família linguística maxacali, da qual é a única representante nos dias atuais. Rodrigues (1986) classifica o idioma como integrante do tronco macro-jê.

Situação linguísticaEditar

A maioria dos maxacalis é ainda monolíngue. Apenas alguns poucos falam português fluentemente. A língua maxacali foi parcialmente descrita pelo linguista estadunidense Harold Popovich, nos anos 1960. Popovich desenvolveu um alfabeto fonêmico para a língua e ensinou alguns índios a empregá-lo. Atualmente, professores índios alfabetizam uma parcela das crianças em língua materna em escolas estaduais criadas dentro do seu território.

O termo maxacali também se refere à família linguística maxacali, da qual esta língua é a única representante ainda viva, assim como aos membros da etnia maxacali.

TipologiaEditar

A língua maxacali é sintaticamente uma língua ergativa-absolutiva ativa e a ordem predominante dos constituintes é SOV.

FonologiaEditar

O maxacali apresenta uma fonologia complexa, com um grande número de alofones e um extenso processo de nasalização.

VogaisEditar

Anterior Central Posterior
Alta i, ĩ ɯ, ɯ̃
Média ɛ, ɛ̃ o, õ
Baixa a, ã

ConsoantesEditar

Bilabiais Alveolares Palatais Velares Glotais
Oclusivas p t k ʔ
Nasais m ~ b n ~ d g ~ ŋ
Fricativas ʃ j ~ ʒ h

Referências

  1. a b c Silva, Mário André Coelho da (2020). Tikmũũn yĩy ax tinã xohi xi xahĩnãg. Sons e pedaços da língua Maxakalí: descrição da fonologia e morfologia de uma língua Macro-Jê (Tese de doutorado). Belo Horizonte: Universidade Federal de Minas Gerais 

BibliografiaEditar

  • ANTUNES, M. A. D. Pequeno dicionário indígena Maxakali-Português/Português-Maxakali. Juiz de Fora: s. ed., 1999. 56 f.
  • ARAÚJO, G. A. Fonologia e morfologia da língua Maxakalí. 2000. 144 p. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Instituto de Estudos da Linguagem, Campinas: Universidade Estadual de Campinas.
  • ARAÚJO, G. A. Mašakarí: Vocabulário Maxakalí de Curt Nimuendaju. Cadernos de Estudos Lingüísticos, Campinas, v. 31, p. 5–31, jul./dez. 1996.
  • ARAÚJO, G. A. Formas curtas e formas longas em Maxakalí. Sínteses, Campinas, v. 6, p. 31–47, 2001.
  • CAMPOS, Carlo Sandro de Oliveira. Verbos transitivos, inergativos e inacusativos em Maxakalí. In: DUARTE, Fábio Bonfim. Cisão de Caso, telicidade e posse em línguas indígenas brasileiras. Belo Horizonte: Fale, 2007
  • CAMPOS, Carlo Sandro de Oliveira. 2009. Morfofonêmica e morfossintaxe da língua Maxakalí. Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte: tese de Doutorado.
  • CAMPOS, Carlo Sandro de Oliveira. 2011. Contribuições da língua Maxakalí para a descrição léxico-gramatical da língua Pataxó. Comunicação feita no Congresso Nacional de Estudos Linguísticos, Vitória (Espírito-Santo).
  • NIMUENDAJÚ, Curt. 1958. “Índios Machacarí”, Revista de Antropologia, Separata do vol. 6, nº1, pp. 53-61. São Paulo: Universidade de São Paulo.
  • NIKULIN, A. Algumas considerações sobre a fonologia do Proto-Maxakalí. In: SILVEIRA, M.; GUERRA, M. J.; SANTOS, L. C. dos (Orgs.). VIII Macro-Jê: Língua, Cultura e Reflexões. Londrina: EDUEL. 2020.
  • NIKULIN, A.; SILVA, M. A. C. da. As línguas Maxakalí e Krenák dentro do tronco Macro-Jê. Cadernos de Etnolinguística, v. 8, n. 1, p. –abr. 2020.
  • NIKULIN, A.; SILVA, M. A. C. da. Evolução do alinhamento na língua Maxakalí. In: OLIVEIRA, C. C. de (org.). Memórias do 2º Encontro de Americanistas no Cerrado. No prelo.
  • PEREIRA, Deuscreide. Alguns aspectos gramaticais da língua maxakalí. Belo Horizonte: Fale, 1992
  • POPOVICH, Harold. Maxakalí language. Manuscrito, 1971
  • POPOVICH, A. H. Discourse phonology of Maxakalí: a multilevel, multiunit approach. 1985. 146 f. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Universidade do Texas em Arlington, 1985.
  • POPOVICH, A. H.; POPOVICH, F. Maxakalí-English Dictionary / English-Maxakalí Glossary. Cuiabá: Soceidade Internacional de Lingüística, 2005.
  • RODRIGUES, A. D. Línguas brasileiras: para o conhecimento das línguas indígenas. Rio de Janeiro: Ed. Loyola, 1986
  • GM = Equipe maxakali. Tikmũ’ũn yĩy ’ax kup: Gramática (prática) Maxakali. Manuscrito, 2003. 70 f.

Ligações externasEditar