Madame Satã (filme)

filme de 2002 dirigido por Karim Aïnouz

Madame Satã é um filme franco-brasileiro de 2002, do gênero drama biográfico, dirigido por Karim Aïnouz e escrito por ele, Marcelo Gomes e Sérgio Machado. O filme retrata a vida polêmica do artista e transformista João Francisco dos Santos, mais conhecido como Madame Satã. É protagonizado por Lázaro Ramos no personagem-título e conta ainda com Marcélia Cartaxo, Flávio Bauraqui, Emiliano Queiroz e Renata Sorrah nos demais personagens principais.[2]

Madame Satã
Madame Satã
 Brasil ·  França
2002 •  cor •  105 min 
Direção Karim Aïnouz
Roteiro Karim Aïnouz
Marcelo Gomes
Sérgio Machado
Elenco Lázaro Ramos
Flávio Bauraqui
Marcélia Cartaxo
Ricardo Blat
Renata Sorrah
Emiliano Queiroz
Marcelo Valle
Floriano Peixoto
Gero Camilo
Guilherme Piva
Género drama biográfico
Estreia 8 de novembro de 2002[1]
Idioma português brasileiro

O filme teve estreia na mostra Um Certo Olhar do Festival de Cannes em 19 de maio de 2002 e foi lançado no Brasil a partir de 8 de novembro de 2002. Foi bem recebido pela crítica, em especial pela atuação do elenco e as direções de fotografia e arte, e foi indicado a diversos prêmios. Madame Satã teve um desempenho modesto nos cinemas, gerando uma receita de R$ 1.155.180,00.[3] Em novembro de 2015 o filme entrou na lista feita pela Associação Brasileira de Críticos de Cinema dos 100 melhores filmes brasileiros de todos os tempos.[4]

Por suas atuações no filme, Lázaro Ramos e Marcélia Cartaxo foram premiados pela Academia Brasileira de Cinema com o Grande Otelo de melhor ator e melhor atriz, respectivamente. Renata Sorrah também foi indicada ao prêmio na categoria de melhor atriz coadjuvante, enquanto que Flávio Bauraqui e Emiliano Queiroz foram indicados na categoria de melhor ator coadjuvante.[5] Lázaro também foi premiado com o Prêmio APCA de melhor ator de cinema e o Prêmio Guarani de melhor ator.[6]

SinopseEditar

O filme retrata a vida da referência na cultura marginal urbana do século XX, o célebre transformista João Francisco dos Santos- malandro, artista, presidiário, pai adotivo de sete filhos, negro, pobre, homossexual - conhecido como "Madame Satã" e frequentador do bairro boêmio da Lapa, no Rio de Janeiro. Mostra seu círculo de amigos, antes de se transformar no mito Madame Satã, lendária personagem da boêmia carioca.

ElencoEditar

ProduçãoEditar

Madame Satã foi o primeiro longa-metragem da carreira do cineasta Karim Aïnouz. O filme é coproduzido entre Brasil e França e a produção é assinada por Marc Beauchamps, Donald Ranvaud, Vincent Maraval, Walter Salles e Mauricio Andrade Ramos.[7] O orçamento do filme é estimado em R$ 3.336.214,40.[3] As filmagens ocorreram inteiramente no bairro da Lapa e regiões adjacentes, na cidade do Rio de Janeiro, onde o artista Madame Satã passou grande parte de sua vida e carreira.[6]

Este é também o primeiro grande filme da carreira do ator Lázaro Ramos, o qual o tornou conhecido do grande público.[8] Para desenvolver o roteiro da cinebiografia de João Francisco dos Santos, Karim Aïnouz fez uma pesquisa da vida do artista no Arquivo Nacional, em arquivos jurídicos que relatam os crimes cometidos por ele, assim como também entrevista com pessoas que conviveram com Madame Satã na prisão e no bairro da Lapa. O cineasta também visitou o túmulo da mãe do artista no agreste pernambucano.[8]

Com exceção do protagonista, todos os personagens são fictícios e foram construídos a partir dos depoimentos de pessoas que conviveram pessoalmente com Madame Satã, como cartunista Jaguar, um de seus ex-namorados e também parceiros de malandragens.[8]

LançamentoEditar

O filme teve uma grande repercussão e exibição em festivais por vários países do mundo. Sua première foi no Festival de Cannes de 2002, sendo exibido na mostra Um Certo Olhar. Em 11 de setembro de 2002, foi exibido no Toronto International Film Festival (TIFF) e em outubro esteve no Chicago International Film Festival, nos Estados Unidos. Foi lançado nos Países Baixos a partir de 9 de outubro de 2002. Com distribuição da Miramax, chegou aos cinemas do Brasil de 9 de novembro de 2002.[9]

Ainda participou de diversos festivais de cinema, como: Oslo International Film Festival, na Noruega; Sundance Film Festival, nos Estados Unidos; Buenos Aires International Festival of Independent Cinema, na Argentina; e no Hong Kong International Film Festival. Madame Satã foi lançado comercialmente em diversos países também: Bélgica, Espanha, México, Estados Unidos, Reino Unido, Argentina, Polônia e Portugal.[9]

RecepçãoEditar

Resposta da críticaEditar

Madame Satã foi bem recebido pelos críticos. A atuação de Lázaro Ramos foi amplamente elogiada, lhe rendendo diversos prêmios e indicações. No site agregador de resenhas Rotten Tomatoes, o filme mantém um índice de aprovação de 60%, com base em 43 resenhas, e uma classificação média de 6,10/10.[10] No Metacritic, o filme tem uma pontuação média ponderada de 59 em 100, com base em 17 críticos, indicando "críticas mistas e médias".[11]

Do Village Voice, J. Hoberman escreveu: "Pode parecer um pouco leve e, dada a extensão épica da vida de seu tema, um pouco mal traçado. Mas não há como negar o poder incendiário da atuação de Ramos - ele está presente em quase todas as cenas. O filme é tanto a história de sua transformação em Madame Satã quanto a de João Francisco"[11] Curt Fields, em sua crítica ao The Washington Post, disse: "Filmado quase inteiramente no local com uma câmera portátil, o filme do diretor Karim Ainouz atrai você para perto. O carisma e a intensidade de Lázaro Ramos como João seguram você."[11]

Do The New York Times, Stephen Holden escreveu: "Um retrato voluptuoso e de sangue quente de um pária social, um criminoso homossexual negro que, ao encenar seus sonhos mais vistosos de Hollywood, se reinventou transcendentemente."[12] À Variety, David Rooney disse: "Embora seja um pouco sem forma e dramaticamente exagerado, o filme continua divertido graças ao seu assunto fascinante, visuais nítidos e desempenho central ferozmente orgulhoso."[11]

Prêmios e indicaçõesEditar

 
O ator Lázaro Ramos recebeu diversos prêmios por sua atuação, incluindo o Grande Otelo de Melhor Ator pela Academia Brasileira de Cinema.

O filme recebeu inúmeras indicações a prêmios nacionais e internacionais de cinema. A performance de Lázaro Ramos foi bastante elogiada e premiada. A atuação de Marcélia Cartaxo também recebeu destaque e prêmios. No Festival de Cannes, um dos mais tradicionais festivais de cinema do mundo, o filme foi indicado a dois prêmios: na mostra Um Certo Olhar e também na categoria Caméra d'Or para o diretor, então estreante, Karim Aïnouz.[13] Na edição de 2002 do Huelva Latin American Film Festival, o filme se saiu vencedor em três categorias: melhor filme, melhor ator para Lázaro Ramos e melhor fotografia para Walter Carvalho.[14]

O filme ainda foi premiado em vários festivais de cinema, como no Festival de Cinema de Lima, onde venceu nas categoria de melhor ator para Lázaro Ramos e melhor fotografia para Walter Carvalho, e no Festival de Cinema de Havana, onde ganhou como melhor direção de arte e levou um prêmio especial do júri de melhor diretor estreante para Karim Aïnouz. A Associação Paulista de Críticos de Arte concedeu o Prêmio APCA de melhor ator para Lázaro Ramos e melhor diretor para Karim Aïnouz em 2003.[15]

No Grande Prêmio do Cinema Brasileiro de 2003, Madame Satã recebeu 15 indicações, incluindo: melhor filme, melhor diretor, melhor ator para Lázaro Ramos, melhor atriz para Marcélia Cartaxo, melhor atriz coadjuvante para Renata Sorrah, melhor ator coadjuvante para Flávio Bauraqui e Emiliano Queiroz, melhor roteiro original, melhor fotografia, melhor direção de arte, melhor maquiagem e figurino, melhor montagem, melhor trilha sonora e melhor som. Saiu-se vencedor em 5 dessas categorias, incluindo melhor ator e melhor atriz.[16]

Ano Associações Categoria Recipiente(s) Resultado
2002 Festival Internacional de Cinema de Cannes Um Certo Olhar Madame Satã Indicado
Caméra d'Or Karim Aïnouz
Chicago International Film Festival Melhor Filme Madame Satã Venceu
Huelva Latin American Film Festival Colon de Ouro Karim Aïnouz
Melhor Ator Lázaro Ramos
Melhor Fotografia Walter Carvalho
Festival de Cinema de Havana Melhor Primeiro Filme Karim Aïnouz
Melhor Direção de Arte Marcos Pedroso
Festival Internacional de Cinema de São Paulo Melhor Filme (Prêmio do Júri Internacional) Madame Satã Indicado
Prêmio Especial de Melhor Ator Lázaro Ramos Venceu
2003 Prêmio ABC de Cinematografia Melhor Fotografia de Longa-metragem Walter Carvalho Indicado
Melhor Direção de Arte Marcos Pedroso
Melhor Som Aloysio Compasso, Waldir Xavier e Dominique Hennequin
Prêmio APCA Melhor Diretor Karim Aïnouz Venceu
Melhor Ator Lázaro Ramos
Buenos Aires Festival Internacional de Cine Independiente Melhor Filme Madame Satã Indicado
Melhor Fotografia Walter Carvalho Venceu
Grande Prêmio do Cinema Brasileiro Melhor Filme Madame Satã Indicado
Melhor Diretor Karim Aïnouz
Melhor Ator Lázaro Ramos Venceu
Melhor Atriz Marcélia Cartaxo
Melhor Ator Coadjuvante Emiliano Queiroz Indicado
Flávio Bauraqui
Melhor Atriz Coadjuvante Renata Sorrah
Melhor Roteiro Original Karim Aïnouz, Marcelo Gomes e Sérgio Machado
Melhor Fotografia Walter Carvalho
Melhor Montagem Isabela Monteiro de Castro
Melhor Direção de Arte Marcos Pedroso Venceu
Melhor Figurino Rita Murtinho
Melhor Maquiagem Sonia Penna
Melhor Trilha Sonora Marcos Suzano e Sacha Amback Indicado
Melhor Som Aloysio Compasso, Waldir Xavier e Dominique Hennequin
Inside Out Toronto LGBT Film Festival Melhor Filme ou Vídeo Karim Aïnouz Venceu
Istanbul International Film Festival Melhor Filme Madame Satã Indicado
Mons International Festival of Love Films Prêmio Kodak Karim Aïnouz Venceu
Melhor Ator Lázaro Ramos
Prêmio Guarani de Cinema Brasileiro Melhor Filme Madame Satã Indicado
Melhor Diretor Karim Aïnouz
Melhor Ator Lázaro Ramos Venceu
Melhor Atriz Coadjuvante Marcélia Cartaxo
Melhor Ator Coadjuvante Flávio Bauraqui Indicado
Melhor Revelação do Ano Lázaro Ramos Venceu
Melhor Roteiro Original Karim Aïnouz, Marcelo Gomes e Sérgio Machado Indicado
Melhor Montagem Isabela Monteiro de Castro
Melhor Figurino Rita Murtinho Venceu
Melhor Efeitos Visuais Sergio Farjalla Jr. Indicado
Festival de Cinema de Lima Melhor Ator Lázaro Ramos Venceu
Melhor Fotografia Walter Carvalho
Festival SESC Melhores Filmes Melhor Ator (voto júri) Lázaro Ramos
Melhor Ator (voto público)
2004 Festival Internacional de Cinema de Cartagena Melhor Filme Madame Satã Indicado
GLAAD Media Awards Melhor Filme - Lançamento Limitado
Glitter Awards Melhor Filme Estrageiro Venceu

Referências

  1. «Filme de estréia de Aïnouz conta a história de Madame Satã». Folha Ilustrada. 8 de novembro de 2002. Consultado em 18 de setembro de 2016 
  2. AdoroCinema, Madame Satã, consultado em 11 de outubro de 2021 
  3. a b «Cinema | Observatório Brasileiro do Cinema e do Audiovisual». oca.ancine.gov.br. Consultado em 11 de outubro de 2021 
  4. André Dib (27 de novembro de 2015). «Abraccine organiza ranking dos 100 melhores filmes brasileiros». Abraccine. abraccine.org. Consultado em 26 de outubro de 2016 
  5. «Madame Satã». Consultado em 11 de outubro de 2021 
  6. a b AdoroCinema, Madame Satã: Curiosidades, consultado em 11 de outubro de 2021 
  7. AdoroCinema, Madame Satã : Elenco, atores, equipe técnica, produção, consultado em 11 de outubro de 2021 
  8. a b c Cultural, Instituto Itaú. «Madame Satã». Enciclopédia Itaú Cultural. Consultado em 11 de outubro de 2021 
  9. a b Madame Satã (2002) - IMDb, consultado em 11 de outubro de 2021 
  10. Madame Satã (em inglês), consultado em 11 de outubro de 2021 
  11. a b c d Madame Satã, consultado em 11 de outubro de 2021 
  12. Holden, Stephen (9 de julho de 2003). «FILM REVIEW; An Outcast on Fire in Rio's Underworld». The New York Times (em inglês). ISSN 0362-4331. Consultado em 11 de outubro de 2021 
  13. «Folha Online - Reuters - "Madame Satã" surpreende platéias de Cannes por ousadia sexual - 21/05/2002». www1.folha.uol.com.br. Consultado em 11 de outubro de 2021 
  14. reporters2002-11-19T00:00:00+00:00, Staff. «Madame Sata enchants Huelva». Screen (em inglês). Consultado em 11 de outubro de 2021 
  15. «Folha Online - Ilustrada - Veja a lista dos premiados pela APCA em 2002 - 10/12/2002». www1.folha.uol.com.br. Consultado em 11 de outubro de 2021 
  16. «Folha de S.Paulo - Cinema: Academia brasileira anuncia indicados - 04/11/2003». www1.folha.uol.com.br. Consultado em 11 de outubro de 2021 

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre um filme brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.