Maria Amália da Saxónia (1757–1831)

Maria Amália da Saxónia (26 de setembro de 1757 - 20 de abril de 1831) foi uma filha de Frederico Cristiano, Eleitor da Saxônia, e da sua esposa, a princesa Maria Antónia da Baviera. Tornou-se duquesa de Zweibrücken quando se casou, em 1774 com Carlos II Augusto do Palatinado-Zweibrücken.

Maria Amália da Saxónia
Duquesa de Zweibrücken
Princesa da Saxónia
Retrato por Friedrich Ludwig Vieth von Goldenau, c. 1785.
Duquesa de Zweibrücken
Reinado 1774 a 1 de abril de 1795
Antecessor(a) Carolina de Nassau-Saarbrücken
Sucessor(a) Augusta Guilhermina de Hesse-Darmstadt
 
Cônjuge Carlos II Augusto do Palatinado-Zweibrücken
Descendência Carlos de Zweibrücken
Casa Wettin (por nascimento)Wittelsbach, linhagem de Zweibrücken-Birkenfeld (por casamento)
Nome completo em alemão: Maria Amalie Anna Josephina Antonia Justina Augusta Xaveria Aloysia Johanna Nepomucena Magdalena Walpurgis Katharina von Sachsen
em português: Maria Amália Ana Josefa Antónia Justina Augustina Xaviera Aloísia Joana Nepomucena Madalena Valburga Catarina
Nascimento 26 de setembro de 1757
  Dresden, Saxónia
Morte 20 de abril de 1831 (73 anos)
  Neuburgo do Danúbio, Alemanha
Pai Frederico Cristiano, Eleitor da Saxônia
Mãe Maria Antónia da Baviera
Religião Católica

FamíliaEditar

Maria Amália era uma dos nove filhos de Frederico Cristiano, Eleitor da Saxônia, e da princesa Maria Antónia da Baviera. Entre os seus irmãos incluia-se o rei Frederico Augusto I da Saxónia, o príncipe António da Saxónia e o príncipe-herdeiro Maximiliano da Saxónia. Através do seu irmão Maximiliano, Maria Amália era tia do rei Frederico Augusto II da Saxónia e da rainha de Espanha Maria Josefa.

Uma vez que os seus pais eram primos direitos, Maria Amália era também duplamente neta do imperador José I através das suas duas avós, as arquiduquesas Maria Josefa e Maria Amália da Áustria, que eram irmãs.

Pelo lado da mãe, era neta do imperador Carlos VII. Era também prima direita do rei Luís XVI de França, através da sua tia, a princesa Maria Josefa da Saxônia, Delfina da França.

Casamento e DescendênciaEditar

Maria Amália casou-se em 1774, com o duque Carlos de Zweibrücken-Birkenfeld, em Dresden. A irmã do seu marido, a princesa Amália, tinha-se casado com o irmão mais velho de Maria Amália, Frederico, em 1769. Carlos tornou-se duque de Zweibrücken em 1775. Antes de se casar com ela, Carlos tinha sido rejeitado amargamente em 1768 pela imperatriz Maria Teresa da Áustria quando tentou pedir a mão de uma das suas filhas, a arquiduquesa Maria Amália, em casamento. Maria Teresa considerou que Carlos não tinha estatuto suficiente para casar com a sua filha. Maria Amália foi, assim, a segunda escolha do marido.

Maria Amália e o marido tiveram apenas um filho:

Maximiliano, irmão de Carlos, herdou o título após a sua morte em 1795.

MorteEditar

Maria Amália morreu a 20 de abril de 1831 em Neuburg, trinta-e-seis anos depois do marido.

GenealogiaEditar

Os antepassados de Maria Amália da Saxónia em três gerações[1]
Maria Amália da Saxónia Pai:
Frederico Cristiano, Eleitor da Saxônia
Avô paterno:
Augusto III da Polónia
Bisavô paterno:
Augusto II da Polónia
Bisavó paterna:
Cristiana Everadina de Brandemburgo-Bayreuth
Avó paterna:
Maria Josefa da Áustria
Bisavô paterno:
José I do Sacro Império Romano-Germânico
Bisavó paterna:
Guilhermina Amália de Brunsvique-Luneburgo
Mãe:
Maria Antónia da Baviera
Avô materno:
Carlos VII do Sacro Império Romano-Germânico
Bisavô materno:
Maximiliano II Emanuel, Eleitor da Baviera
Bisavó materna:
Teresa Cunegunda Sobieska
Avó materna:
Maria Amália da Áustria
Bisavô materno:
José I do Sacro Império Romano-Germânico
Bisavó materna:
Guilhermina Amália de Brunsvique-Luneburgo

Referências

  1. The Peerage, consultado a 4 de Junho de 2014
O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Maria Amália da Saxónia (1757–1831)