Orlando Ribeiro

geógrafo e historiador português

Orlando da Cunha Ribeiro GOSEGOIP (Lisboa, 16 de Fevereiro de 1911 — Lisboa, 17 de Novembro de 1997), foi um geógrafo e historiador português.

Orlando Ribeiro
Nascimento 15 de fevereiro de 1911
Lisboa
Morte 17 de novembro de 1997
Lisboa
Cidadania Portugal
Cônjuge Suzanne Daveau
Alma mater
Ocupação geógrafo, historiador, professor universitário
Prêmios
  • Grande-Oficial da Ordem Militar de Sant'Iago da Espada
  • doutor honoris causa da Universidade de Coimbra
  • Cavaleiro da Legião de Honra
  • Grande-Oficial da Ordem da Instrução Pública
  • Doctor honoris causa pela Universidade Complutense de Madri (1985)
Empregador Faculdade de Artes de Paris, Universidade de Lisboa

BiografiaEditar

Ribeiro dedicou toda a sua vida ao ensino e investigação em Geografia, e é a justo título considerado como o renovador desta ciência em Portugal. Foi também o geógrafo português do século XX com mais projecção a nível internacional. A sua vasta obra inclui não só estudos científicos na Geografia, mas revela também uma diversidade de interesses intelectuais invulgares. Orlando Ribeiro licenciou-se em Geografia e História em 1932 e veio a doutorar-se em 1935 pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa com a tese A Arrábida, esboço geográfico. Entre 1937 e 1940 (durante a guerra) viveu em Paris, e trabalhou na Sorbonne, com Marc Bloch, Emmanuel de Martonne e A. Demangeon. Em 1940, foi nomeado Professor da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, mas rapidamente se instalou em Lisboa. Em 1943, já em Lisboa, fundou o Centro de Estudos Geográficos.

Em 1965 casou-se com a geógrafa francesa Suzanne Daveau. Colaboraram cientificamente ao longo das suas vidas.[1]

Da sua intensa actividade científico-académica destaca-se Portugal, o Mediterrâneo e o Atlântico. Em 1966, o Centro de Estudos Geográficos começou a publicar a revista Finisterra, que foi e continua a ser a principal publicação da Geografia portuguesa, com projecção internacional. Também colaborou na Revista Municipal de Lisboa (1939-1973) e na revista luso-brasileira Atlântico.[2] [3]

O interesse intelectual de Ribeiro pela História, Antropologia e Etnografia foi desenvolvido essencialmente enquanto discípulo de David de Melo Lopes e de Leite de Vasconcelos. Ribeiro lançou-se também na Geologia com Carlos Teixeira. Trabalhou ainda com Juvenal Esteves, Barahona Fernandes e Celestino da Costa.

Pai do geólogo e lente da FC/UL António Ribeiro.

Homenagens e ReconhecimentoEditar

Recebeu o grau de Grande-Oficial da Ordem da Instrução Pública a 7 de Agosto de 1981 e o grau de Grande-Oficial da Ordem Militar de Sant'Iago da Espada a 20 de Junho de 1987.[4]

Por deliberação da Câmara Municipal de Lisboa, em 1997 foi atribuído o seu nome a uma rua no Paço do Lumiar, entre a Rua Professor Alfredo de Sousa e a Rua Professor Fernando de Mello Moser.[5] Para além Lisboa, o seu nome consta da toponímia de outras cidades, entre elas: Setúbal, Porto, Pinhal Novo, Vila Nova de Gaia, Tavira e Cascais. [6]

Tem uma Biblioteca com o seu nome em Telheiras, Lisboa. [7]

ObrasEditar

  • Finisterra
  • A Arrábida. Esboço Geográfico, (1935)
  • Contribuição para o estudo do pastoreio na Serra da Estrela (1941)
  • Portugal o Mediterrâneo e o Atlântico, (1945)
  • A Ilha do Fogo e as Suas Erupções, (1954 e 1960)
  • Portugal, (1955)
  • Mediterrâneo. Ambiente e Tradição, (1968)

Bibliografia sobre Orlando RibeiroEditar

  • Amaral, Ilídio do, "O Centro de Estudos Geográficos de Lisboa (1943-1973)", , Lisboa, VIII, 16, 1973, p. 310-315.
  • Idem, A "Escola de Geografia de Lisboa" e a contribuição para o conhecimento geográfico das regiões tropicais, Lisboa, Centro de Estudos Geográficos, 1979.
  • Idem, "Homenagem a Orlando Ribeiro", Finisterra, Lis­boa, XVI, 31, 1981, p. 5-14.
  • Idem, "Geógrafos e Geografia na Faculdade de Letras de Lisboa", Revista da Faculdade de Letras, Lisboa, 1983, p. 68-82.
  • Amaral, Ana e Ilídio do Amaral, Bibliografia Científica de Orlando Ribeiro, Lisboa, Centro de Estudos Geográficos, 1984.
  • Azevedo, A. Lobo de - "Calor e secura: elementos climáticos da agri­cultura portuguesa", Ler História, Lisboa, 13, 1988, p. 135-138.
  • Barreto, António, "Orlando Ribeiro" in Dicionário de História de Portugal, IX - Suplemento P/Z, coord. António Barreto e Maria Filomena Mónica, Porto, Figueirinhas, 1999, p. 267-268.
  • Belo, Duarte - Orlando Ribeiro seguido de uma viagem breve à Serra da Estrela, Lisboa, Assírio & Alvim, 1999.
  • Bosque Maurel, J., "Orlando Ribeiro, geógrafo ibérico", In Geografia y Geógrafos en la España Contemporánea, Granada, Universidad de Granada, 1992, p. 189-213.
  • Cabo Alonso, Angel - "El geógrafo Orlando Ribeiro a través de sus Opúsculos", Ería, Oviedo, 45, 1998 p. 103-107.
  • Idem - "Orlando Ribeiro, Maestro de Geógrafos", Estudios áficos, Madrid, LIX, 232, 1998, p. 375-388.
  • Costa, Jaime Celestino da, Um Certo Conceito da Medicina, Lisboa, Gradiva, 2002.
  • Daveau, Suzanne – “ Os Opúsculos Geográficos de Orlando Ribeiro", Finisterra, Lisboa, XXIX, 58, 1994, p. 385-389.
  • Idem - "Bibliografia Científica de Orlando Ribeiro (2ª parte, 1981-1995)", Finisterra, Lisboa, 61, 1996, p. 87-97.
  • Daveau, Suzanne, Maria Joaquina Feijão, Paulo Barata, "O espólio científico do Professor Orlando Ribeiro", Finisterra, Lisboa, XXXVII, 73, 2002, p. 133-137.
  • Esteves, Juvenal – Anamnesis. Memória e História. Lisboa, Galeria de São Mamede, 1992.
  • Ferro, Gaetano, "Orlando Ribeiro (1911-1997)", Bollettino della Societa Geografica, Roma, XII, 12, p. 1-5.
  • Gama, António - "Os sentidos de Mediterrâneo e a Geografia Portuguesa: a interpretação culturalista de Orlando Ribeiro", Aprender, Portalegre, 10, 1990, p. 45-48.
  • Garcia, João Carlos - "As cidades na obra de Orlando Ribeiro", Penélope, Lisboa, 7, 1992, p. 107-114.
  • Idem - "Orlando Ribeiro (1911-1997), o Mundo à sua procura" Revista da Faculdade de Letras da Universidade do Porto - Geografia, Porto, XIV, 1998, p. 107-116.
  • Gaspar, Jorge - "O jubileu de Orlando Ribeiro, um marco simbólico na Geografia Portuguesa", O Professor, Lisboa, 29, 1981, p. 30-33.
  • Idem - "Orlando Ribeiro", Finisterra, Lisboa, XXXIII, 65, 1998, p. 3-6.
  • Leal, João - "Orlando Ribeiro, Jorge Dias e José Cutileiro: imagens do Portugal mediterrânico", Ler História, Lisboa, 40, 2001, p. 141-163
  • Medeiros, Carlos Alberto - "Um marco indelével na Geografia portuguesa", Ler História, Lisboa, 13, 1988, p. 131-135.
  • Idem - A Geografia no sentir de Orlando Ribeiro, Lisboa, Ministério da Educação, 1998.
  • Oliveira, Ernesto Veiga de - "Orlando Ribeiro e a Etnologia", Ler História, Lisboa, 13, 1988, p. 138-142.
  • Siza, Teresa, Jorge Gaspar e Suzanne Daveau - Finisterra. Imagens de Orlando Ribeiro, Coimbra, Encontros de Fotografia, 1994.

Referências

  1. «Suzanne DAVEAU - Dictionnaire créatrices». www.dictionnaire-creatrices.com. Consultado em 26 de junho de 2021 
  2. Revista Municipal (1939-1973) [cópia digital, Hemeroteca Digital]
  3. Helena Roldão (12 de Outubro de 2012). «Ficha histórica:Atlântico: revista luso-brasileira (1942-1950)» (pdf). Hemeroteca Municipal de Lisboa. Consultado em 25 de Novembro de 2019 
  4. «- Página Oficial das Ordens Honoríficas Portuguesas». www.ordens.presidencia.pt. Consultado em 29 de setembro de 2021 
  5. Toponímia de Lisboa, consultado a 2 /11/2015.
  6. «Código Postal». Código Postal. Consultado em 29 de setembro de 2021 
  7. «BIBLIOTECA ORLANDO RIBEIRO». Consultado em 29 de setembro de 2021 

Ligações externasEditar