Abrir menu principal

Ipiranga (empresa)

empresa brasileira de distribuição de combustíveis
(Redirecionado de Petróleo Ipiranga)
Ipiranga
Razão social Ipiranga Produtos de Petróleo S.A.
Empresa de capital fechado
Slogan Ipiranga, apaixonada por carro como todo brasileiro.
Atividade Gás e Petróleo
Gênero Subsidiária
Fundação 7 de setembro de 1937 (81 anos)
Sede Porto Alegre, RS,  Brasil
Proprietário(s) Grupo Ultra
Pessoas-chave Marcelo Pereira Malta Araújo (Diretor Superintendente)[1]
Produtos Postos de combustíveis
Rede de lojas de conveniência
Serviços de troca de óleo
Programa de milhagem
Pagamento eletrônico de pedágios e combustíveis
Faturamento Aumento R$ 66,4 bilhões (2016)
Website oficial www.ipiranga.com.br

Ipiranga (ou apenas Grupo Ipiranga) é uma empresa brasileira do ramo de combustíveis e pertencente ao Grupo Ultra, é a segunda maior empresa brasileira de distribuição de combustíveis e a maior de capital privado.

De acordo com a revista Exame, a empresa possui cerca de 6.500 postos de combustíveis em todo o território nacional e 1.400 lojas de conveniência. Em 2012, representou mais de 90% da receita do Ultra.[2]

Além de postos de combustíveis, a Ipiranga é dona da am/pm, rede de lojas de conveniência; do Jet Oil, serviço de troca de óleo; do km de Vantagem, programa de fidelidade; e do ConectCar, sistema pré-pago para pagamento eletrônico de pedágios e estacionamentos.[2]

A sede da empresa fica no bairro Praia de Belas, na cidade de Porto Alegre, capital do Rio Grande do Sul.[3][4]

Índice

EtimologiaEditar

Ipiranga é uma palavra de origem tupi que significa "rio vermelho", através da junção dos termos 'y (rio) e pirang (vermelho).[5]

HistóriaEditar

Companhia Brasileira de Petróleo IpirangaEditar

A Companhia Brasileira de Petróleo Ipiranga originou-se da Destilaria Rio-Grandense de Petróleo S.A, primeira destilaria brasileira, fundada em novembro de 1934 por um grupo de investidores brasileiros e argentinos, em Uruguaiana, RS. A destilaria produzia em alta escala gasolina, querosene, óleo diesel e óleo combustível. Em agosto de 1936, os donos da Destilaria Rio-Grandense uniram interesses e capitais com um grupo de investidores uruguaios e criaram a Ipiranga S.A., Companhia Brasileira de Petróleos. A nova empresa foi constituída em Rio Grande, RS.[6] Em 7 de setembro de 1937 foi fundada a Refinaria de Petróleo Riograndense na cidade de Uruguaiana e que marcou também a fundação da Petróleo Ipiranga.[7]

Em 1938, a Ipiranga inaugurou o primeiro posto de combustíveis com a bandeira da empresa também na cidade de Rio Grande (RS). No mesmo ano, o Presidente Getúlio Vargas assinou um decreto que nacionalizou a indústria de refinação de petróleo. As ações controladas por estrangeiros foram, então, negociadas entre brasileiros que já tinham um vínculo com a refinaria.[6]

Na década de 40, a Ipiranga ampliou a sua gama de produtos, passando a produzir solventes, asfalto, lubrificantes e inseticidas no Brasil, pois as importações desses e outros produtos foram restritas com a Segunda Guerra Mundial. A refinaria chegou a parar suas atividades durante a guerra, porém retomou-as com o seu fim. Mais tarde, em 1953, entraram em funcionamento as unidades de craqueamento térmico, adquiridas nos Estados Unidos, que permitiram a fabricação de novos combustíveis.[6]

Em 1957, a Ipiranga dividiu suas operações de distribuição de combustíveis em duas empresas, a Distribuidora de Produtos de Petróleo Ipiranga, S.A. (DPPI), responsável pela Região Sul, e a Companhia Brasileira de Petróleo Ipiranga (CBPI), abrangendo todas as outras regiões. Dois anos depois, em maio de 1959, a Ipiranga comprou a Gulf Oil Brasil, ampliando sua atuação no território brasileiro. Juntas, a CBPI e a DPPI passaram a representar 10% do mercado nacional.[6][8][9]

A partir da década de 60, a Ipiranga iniciou a sua diversificação em outros setores, como pavimentação, química, petroquímica, fertilizantes, insumos agrícolas, pesca, agricultura, reflorestamento, administração e hotelaria. Essa estratégia ajudou a companhia a resistir ao “choque do petróleo” de 1973.[6]

Em 1993, a Ipiranga comprou a rede de postos Atlantic no Brasil e consolidou sua posição entre as maiores empresas de distribuição de combustíveis do país. De acordo com o jornal O Globo, a compra da Atlantic foi a maior negociação até então realizada por uma empresa privada nacional.[10] Na ocasião, a Ipiranga herdou 11 pontos da franquia am/pm. No ano seguinte, a empresa lançou a Jet Oil, franquia de serviços automotivos e troca de óleo.[11][12][13]

De acordo com a revista Green Building, a unidade da Ipiranga em Londrina, em 1998, foi a primeira empresa de distribuição de combustíveis na América Latina a ser certificada conforme a ISO 14001 – Sistema de Gestão Ambiental.[14]

Em 2006, a Ipiranga passou a oferecer biodiesel em seus postos.[15]

IpirangaEditar

 
Sede da empresa no bairro de Praia de Belas em Porto Alegre.

Em março de 2007 o controle acionário do Grupo Ipiranga foi vendido para as empresas Petrobras, Ultra e Braskem.[16] A operação foi considerada, na época, o maior negócio já realizado no Brasil.[17] Com a venda, o Ultra assumiu a rede de distribuição de combustíveis da Ipiranga nas regiões sul e Sudeste, bem como a marca Ipiranga.[18] Com a aquisição, o Ultra se transformou na segunda maior companhia de distribuição de combustíveis do Brasil, detendo participação de 15% do mercado - posição detida na época pela Ipiranga. No mesmo ano, foi lançado o cartão Ipiranga Carbono Zero, um cartão de crédito no qual uma parte do valor gasto na compra de combustível é investido em programas de neutralização de carbono, como o plantio de árvores.[17][19]

No ano seguinte, em 2008, o Ultra comprou a distribuição de combustíveis da Texaco no Brasil, com bandeira presente em 1986 postos no país. Com isso, a Ipiranga assumiu os postos da marca e voltou a ter presença com rede própria nas regiões Centro-Oeste, Norte e Nordeste. (Estadão 2) De acordo com o contrato, o Ultra poderia manter a marca Texaco por cinco anos, devendo substituí-la posteriormente pela bandeira Ipiranga. Com a compra, o Ultra passou a deter 23% do mercado brasileiro de combustíveis.[16]

No mesmo ano, a Ipiranga lançou o Jet Oil Motos, uma franquia especializada na troca de óleo e serviços para motos.[11]

A Ipiranga inaugurou o primeiro Posto Ecoeficiente do Brasil, em Porto Alegre (RS), em 2009. O posto visou aumentar a eficácia da gestão de energia, água, resíduos e materiais utilizados durante todas as etapas do seu processo de construção até a sua fase de operação.[20][21]

Em outubro de 2010, o Ultra adquiriu 100% da Distribuidora Nacional de Petróleo (DNP), ampliando o volume da Ipiranga em 40% nos estados de Amazonas, Rondônia, Roraima, Acre, Pará e Mato Grosso.(Estadão) No ano seguinte, a rede de postos Ipiranga implantou um projeto de coleta de pilhas, baterias e celulares em cerca de 30 postos da cidade do Rio de Janeiro, nas unidades Jet Oil.[22]

Em novembro de 2012, a Ipiranga fez uma parceria com a Odebrecht TransPort para criar a ConectCar, empresa que atua no segmento de pagamento eletrônico de pedágios, estacionamentos e combustíveis. A ConectCar iniciou suas operações em abril de 2013 no estado de São Paulo.[23]

No ano seguinte, em 2014, a Ipiranga foi eleita, pelo quarto ano consecutivo, a melhor empresa de atacado pelo anuário Melhores e Maiores da revista Exame. (Exame 5) (Apsis) No mesmo ano, a am/pm foi eleita a 11ª franquia que mais fatura no Brasil pela revista Exame. (am/pm) (Exame 6) (FDBE) A am/pm é um sistema de franquias administrado pela Ipiranga, com mais de mil unidades em operação e marca própria de comidas e bebidas.[24]

Ver tambémEditar

Referências

  1. http://ultrapar.riweb.com.br/show.aspx?idMateria=ygpP4KO9Mnhm4LrhM8fQ2g==&linguagem=pt
  2. a b «Grupo Ultra quer ir além do negócio de combustível». Exame. 17 de fevereiro de 2014. Consultado em 4 de Junho de 2015 
  3. http://www.guiamais.com.br/porto-alegre-rs/petroleo-e-derivados/produtos-petroquimicos/16281415-1/ipiranga-produtos-de-petroleo
  4. http://acionista.com.br/home/ipiranga/190307_CBPI_fato_relevante.pdf
  5. NAVARRO, E. A. Método moderno de tupi antigo: a língua do Brasil dos primeiros séculos. 3ª edição. São Paulo. Global. 2005. p. 42.
  6. a b c d e Denise Martins. «Institutional Repository». PUC. Consultado em 4 de Junho de 2015 
  7. http://www.jornalagora.com.br/site/content/noticias/print.php?id=33436
  8. «Company Overview of Distribuidora de Produtos de Petroleo Ipiranga S.A». Bloomberg. Consultado em 4 de Junho de 2015 
  9. «Ipiranga S.A. History». Funding Universe. Consultado em 4 de Junho de 2015 
  10. «Petrobras quer evitar a entrada da venezuelana PDVSA no mercado». Itabora. 20 de março de 2007. Consultado em 4 de Junho de 2015 
  11. a b «Jet Oil, da rede Ipiranga, é a maior franquia automotiva do Brasil». Autobem. 18 de setembro de 2010. Consultado em 4 de Junho de 2015 
  12. «Ipiranga integra distribuidoras de combustível». InfoEner. 23 de março de 2002. Consultado em 4 de Junho de 2015 
  13. «Ipiranga integra distribuidoras de combustível». NTC. Consultado em 4 de Junho de 2015 
  14. «À favor do meio ambiente». GreenBuilding. Consultado em 4 de Junho de 2015 
  15. «Ipiranga adere ao biodiesel antes de virar lei». Biodiesel. 2 de agosto de 2006. Consultado em 4 de Junho de 2015 
  16. a b «Petrobras, Ultra e Braskem compram Ipiranga por US$ 4 bilhões». Biodiesel. 19 de março de 2007. Consultado em 4 de Junho de 2015 
  17. a b Juliana Rangel (19 de março de 2007). «Compra do grupo Ipiranga de R$4 milhões, é a maior aquisição já realizada no país». Globo. Consultado em 4 de Junho de 2015 
  18. «Grupo Ipiranga é vendido por US$ 4 bilhões». Exame. 19 de março de 2007. Consultado em 4 de Junho de 2015 
  19. Laura Naime (19 de março de 2007). «Petrobras, Braskem e Ultra compram Ipiranga por US$ 4 bilhões». G1. Consultado em 4 de Junho de 2015 
  20. Wellington Rocha (26 de junho de 2012). «Ipiranga inaugura o primeiro Posto Ecoeficiente do Rio de Janeiro». Envolverde. Consultado em 4 de Junho de 2015 
  21. «Finep apoia Posto Ecoeficiente». Envolverde. 12 de junho de 2014. Consultado em 4 de Junho de 2015 
  22. «Ipiranga instala pontos de coleta lixo eletrônico». Exame. 3 de janeiro de 2012. Consultado em 4 de Junho de 2015 
  23. «Ultrapar e Odebrecht se associam e criam ConectCar». Brasil Econômico. 27 de novembro de 2012. Consultado em 4 de Junho de 2015 
  24. «Ipiranga é a melhor de atacado de 2012». Exame. 4 de julho de 2012. Consultado em 4 de Junho de 2015 

Ligações externasEditar