Abrir menu principal
Portas de plataforma da estação Sacomã da Linha 2 do Metrô de São Paulo.

As portas de plataforma são telas situadas na borda de uma plataforma, que protegem a via férrea, e que têm portas sincronizadas com as do trem pelas quais se acessa ao mesmo. São utilizadas principalmente nas estações de metropolitano, pois apresentam dificuldades técnicas em outro tipo de ferrovia. Trata-se de uma medida de segurança relativamente nova, tanto em sua instalação em linhas novas como a adaptação de linhas já construídas. Utilizam-se em metrôs asiáticos e europeus como os de Tóquio, Quioto, Seul, Hong Kong, Londres, Pequim, Xangai, Singapura, Copenhague, Paris, São Petersburgo ou Sevilha, além de seu futuro uso nas novas Linha 3 e Linha 6 do Metro de Santiago.

Índice

FuncionamentoEditar

Em algumas linhas as portas de plataforma são de altura completa, desde o solo até o teto da estação, enquanto em outras linhas chegam a meia altura. Os trens têm que parar sempre no mesmo ponto da plataforma, o que se garante utilizando balizas de parada ou sistemas de condução como o ATO. Uma vez parado o trem, tanto suas portas como as da plataforma se abrem ao uníssono automaticamente, como as portas de caixa e de planta de um elevador. A confiabilidade na sincronização do processo é essencial para que o sistema seja seguro.

Estas portas permitem a:

  • Prevenir suicídios e assassinatos, ao não permitir que pessoas caiam na via;
  • Reduzir o perigo de arraste ou impacto, especialmente dos trens que passam em alta velocidade;
  • Melhorar o controle climático da estação (calefação, ventilação, e ar condicionado são mais efetivos quando a estação está fisicamente isolada do túnel);
  • Aumentar a segurança, ao não permitir que entrem nos túneis pessoas não autorizadas pela companhia;
  • Reduzir custos utilizando um sistema de trens sem condutor, alguns dos quais requerem portas de plataforma;
  • Evitar que os usuários joguem lixo na via;

A implantação deste sistema em outros sistemas de ferrovia é complexo, pois os trens que o utilizam têm que ser compatíveis com o sistema e vice-versa, e numa rede de ferrovia convencional circulam trens de vários tipos.

UsoEditar

Notas e referências

Notas

  1. Foram instaladas em 2010, mas só começaram a funcionar efetivamente em 2016.
  2. a b A estação já tem portas instaladas, mas estão inoperantes.

Referências

  1. «Portas de Plataformas funcionam em horário integral na Linha 3». Via Trolebus. 6 de abril de 2016. Consultado em 15 de janeiro de 2018 
  2. «Estação Chácara Klabin terá portas de plataforma em 2018». Via Trolebus. 29 de outubro de 2018. Consultado em 29 de outubro de 2018 

Referências