Religião na Ucrânia

Historicamente, os territórios da atual Ucrânia eram habitados por tribos pagãs, mas o rito bizantino do cristianismo foi introduzido com a chegada do primeiro milênio. Os escritores procuraram colocar o cristianismo deste país como introduzido pelo Apóstolo Santo André.


Circle frame.svg

Religião na Ucrânia (2018)[1]

  Igreja Ortodoxa (67.3%)
  Catolicismo (10.2%)
  Cristão não-especificado (7.7%)
  Protestante (2.2%)
  Sem religião (11%)
  Outros (0.8%)
  Sem resposta (0.9%)

No entanto, foi somente no século X que o estado emergente foi influenciado pelo Império Bizantino. A primeira conversão conhecida foi a da princesa Santa Olga que foi para Constantinopla em 945 ou 957. Vários anos depois, o seu neto, o knyaz Vladimir batizou seu povo no rio Dnieper. Aí começou a longa história do domínio da Ortodoxia Oriental na Rutênia que mais tarde influenciaria a Rússia e a Ucrânia.

O judaísmo está presente em terras ucranianas há cerca de 2000 anos, desde quando os comerciantes judeus apareceram em colónias gregas. Desde o século XIII, a presença judaica na Ucrânia aumentou significativamente. Mais tarde, na Ucrânia, foi estabelecido novo ensinamento do judaísmo - hassidismo.

O islamismo foi trazido para a Ucrânia com a Horda de Ouro pelo Império Otomano. Os tártaros da Crimeia aceitaram o Islão por ser uma parte da Horda de Ouro, e mais tarde também os vassalos do Império Otomano o fizeram.

A religião na Ucrânia passou por uma série de fases, mas em especial nos tempos da União Soviética, quando era dominada pelo regime oficial comunista, em que os cristãos foram perseguidos e apenas uma pequena fração de pessoas foram oficialmente frequentadoras da igreja.

Estrutura religiosa da sociedadeEditar

As estimativas compiladas pela Razumkov Centre numa pesquisa nacional em 2003 constatou que 75,2% dos entrevistados acreditam em Deus e 22% disseram que não acreditam em Deus. 37,4% disseram frequentar a igreja regularmente.

A 1 de janeiro de 2006, havia 30.507 organizações religiosas registadas, incluindo 29.262 comunidades religiosas. O Governo estimou haver cerca de 1.679 comunidades religiosas não registadas. Mais de 90% dos cidadãos religiosamente ativos eram cristãos - a maioria ortodoxa. A prática religiosa é geralmente mais forte na parte ocidental do país, devido ao facto de Ucrânia Ocidental ter feito parte da União Soviética por um período mais curto (1939–1941, 1944–1991).

A Igreja Ortodoxa Russa (hoje na Ucrânia, ele é chamado Igreja Ortodoxa Ucraniana tradicionalmente (desde os tempos do Império Russo e da União Soviética) esteve muitas vezes a favor das autoridades locais.

Igreja Ortodoxa Ucraniana - Patriarcado de MoscovoEditar

A Igreja Ortodoxa Ucraniana - Patriarcado de Moscovo tem 35 paróquias e 10.875 comunidades (cerca de 68% de todas as comunidades cristãs ortodoxas do país). A maioria está localizada no centro, sul e leste do país. Em 2007, a Igreja tinha 122 mosteiros, 3.519 monges e freiras, 7.509 sacerdotes, 7.755 igrejas com 840 igrejas a ser construídas. [3]

A Igreja é liderada pelo Metropolita de Kiev e de toda a Ucrânia, Volodymyr Viktor Sabodan. Esta Igreja utiliza predominantemente o idioma eslavo nas suas celebrações.

Igreja Ortodoxa Ucraniana - Patriarcado de KievEditar

 
A Catedral de São Volodymyr em Kiev.

A Igreja Ortodoxa Ucraniana - Patriarcado de Kiev foi formada após a independência, sendo dirigida desde 1995 pelo Patriarca Filaret (Denysenko), que era anteriormente o Metropolitana Ortodoxo Russo de Kiev e de toda a Ucrânia. A Igreja afirma linhagem direta com o metropolitano de Kiev Petro Mohyla.

A Igreja tem 31 paróquias, 3.721 comunidades e 2.816 membros do clero. Aproximadamente 60% dos seus fiéis vivem na parte ocidental do país. Não foi reconhecida pela Comunhão Ortodoxa Oriental.

Esta igreja usa o ucraniano e o eslavo como línguas litúrgicas.

Igreja Ortodoxa Autocéfala UcranianaEditar

A Igreja Ortodoxa Autocéfala Ucraniana foi fundada em 1919, em Kiev. Foi banida durante a era soviética, e voltou a ser legalizada em 1989.

A igreja tem 12 paróquias e 1166 comunidades, cerca de 70% deles, na parte ocidental do país.

No interesse da possível unificação das igrejas ortodoxas do país, acabaram por não nomearam um patriarca para suceder ao falecido Patriarca Dmitriy. A Igreja foi formalmente liderada no país pelo Metropolita Methodij de Ternopil e Podil. No entanto, as grandes paróquias de Kharkiv-Poltava, Lviv, Rivne-Volyn e Tavriya quebraram oficialmente as relações com Methodij e pediram para ser colocado sob a jurisdição direta do com base em Istambul, do Patriarca Ecumênico Bartolomeu I.

A Igreja usa a língua ucraniana.

Igreja Greco-Católica UcranianaEditar

A Igreja Greco-Católica Ucraniana constitui o segundo maior grupo de crentes depois das igrejas ortodoxas cristãs. A União de Brest formou a Igreja em 1596 para unificar os crentes católicos ortodoxos e romanos. Foi proibida pela União Soviética em 1946 e novamente legalizada em 1987.

A IGCU tem 18 paróquias, 3.433 comunidades e 2.136 membros do clero. Os membros da Igreja, que constituíam a maioria dos crentes na Ucrânia ocidental, está estimada em cerca de quatro milhões fiéis. O seu atual chefe é o Arcebispo Maior Sviatoslav Shevchuk[3] e a língua litúrgica utilizada é a língua ucraniana.

Igreja Católica LatinaEditar

 Ver artigo principal: Catolicismo na Ucrânia

A Igreja Católica Latina está histórica e tradicionalmente associada aos cidadãos de ascendência polaca, que vivem principalmente nas regiões central e ocidental.

A Igreja de Rito Latino possui 7 dioceses, 879 comunidades e 499 membros do clero que servem a aproximadamente um milhão de pessoas. As línguas litúrgicas utilizadas são o polaco, o latim, o ucraniano e o russo. Os católicos latinos estão em plena comunhão com os greco-católicos ucranianos.

Igrejas protestantes ucranianasEditar

Os protestantes representam entre 1% e 3% da população na Ucrânia, mas constituem mais de 25% da rede de igrejas no país. O maior deles é o pentecostal, com mais de 2.500 igrejas e mais de 250 mil membros. Existem mais de 2.500 igrejas batistas com mais de 150 mil membros, além de metodistas, menonitas, luteranos (Igreja Luterana Ucraniana), presbiterianos e outros.

Outras igrejas e movimentos cristãosEditar

Há também comunidades de católicos armênios, apostólicos armênios e algumas outras ativas na Ucrânia [3] O Embaixada de Deus de Domingo Adelaja mantém uma presença significativa em todo o país, assim como os outros grupos. Os testemunhas de Jeová estão fortemente representados, com 265.985 fiéis estimados em 2013 pelo Anuário do movimento. Em 2010, a Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias (Mórmons) construiu o seu Templo na capital, em Kiev, e em 2012 estabeleceu-se como uma comunidade com mais de 11.000 fiéis em 57 congregações na Ucrânia.[4] Outros movimentos ativos incluem Adventistas do Sétimo Dia, igrejas protestantes pentecostais e branhamitas.

IslãoEditar

 
O palácio de Khan da Criméia em Hansaray foi o centro do Islã na Ucrânia por mais de 300 anos

De acordo com o Pew Research Center no relatório de 2009, há uma estimativa de 456 mil muçulmanos na Ucrânia.[5] Na Crimeia, os muçulmanos ucranianos podem representar até 12% da população. A maior parte das regiões do sul da Ucrânia moderna pertenceu num determinado período aos povos turcos, sendo a maioria dos quais muçulmanos, desde a queda de Khazar Canato.

O "tártaros da Crimeia" é o único grupo étnico muçulmano nativo no país. O Nogays, outro grupo de muçulmanos que viviam nas regiões do sul da Ucrânia, mas emigrou para a Turquia entre os séculos XVIII e XIX. Além disso, existem comunidades muçulmanas em todas as grandes cidades ucranianas, que representam os imigrantes da era soviética de origens muçulmanas. Há aproximadamente 150 mesquitas na Ucrânia.

JudaísmoEditar

O tamanho da população judaica atual varia muito. O Comité Estadual de Estatísticas estimou haver 103.600 judeus. Alguns líderes judeus, porém, dizem que a população judaica poderia ser quase de 300 mil fiéis. Vários observadores acreditam que 35 a 40% da população judaica é comunitariamente ativa, e há 240 organizações judaicas registadas. A maioria dos judeus observantes eram ortodoxos, e havia 104 comunidades Chabad-Lubavitch no país.

ReferênciasEditar

  1. Особливості Релігійного І Церковно-Релігійного Самовизначення Українських Громадян: Тенденції 2010-2018 [Features of Religious and Church - Religious Self-Determination of Ukrainian Citizens: Trends 2010-2018] (pdf) (in Ukrainian), Kiev: Razumkov Center in collaboration with the All-Ukrainian Council of Churches, April 22, 2018, pp. 12, 13, 16, 31, archived (PDF) from the original on April 26, 2018 Sample of 2,018 respondents aged 18 years and over, interviewed 23–28 March 2018 in all regions of Ukraine except Crimea and the occupied territories of the Donetsk and Lugansk regions.
  2. «Kiev Catedral de Santa Sofia». Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO). UN. Consultado em 8 de julho de 2008 
  3. a b c religiões / orthodox.mp / Serviço de Informação Religiosa da Ucrânia Erro de citação: Código <ref> inválido; o nome "risu" é definido mais de uma vez com conteúdos diferentes Erro de citação: Código <ref> inválido; o nome "risu" é definido mais de uma vez com conteúdos diferentes
  4. LDS Newsroom (Informação Estatística)
  5. «Cópia arquivada» (PDF). Consultado em 17 de maio de 2019. Arquivado do original (PDF) em 19 de maio de 2011 

Ligações externasEditar