Sérgio Arthur Braschi

Sérgio Arthur Braschi
Bispo da Igreja Católica
Bispo de Ponta Grossa
Hierarquia
Papa Francisco
Arcebispo metropolita José Antônio Peruzzo
Atividade eclesiástica
Diocese Diocese de Ponta Grossa
Nomeação 16 de julho de 2003
Entrada solene 5 de setembro de 2003
Predecessor Dom João Braz de Aviz
Mandato 2003 -
Ordenação e nomeação
Ordenação presbiteral 8 de julho de 1973
Paróquia São Francisco de Paula, Curitiba
por Dom Pedro Antônio Marchetti Fedalto
Nomeação episcopal 18 de fevereiro de 1998
Ordenação episcopal 14 de abril de 1998
Catedral Basílica Menor de Nossa Senhora da Luz dos Pinhais
por Dom Pedro Antônio Marchetti Fedalto
Lema episcopal VITA, DULCEDO ET SPES
Vida, Doçura e Esperança
Brasão episcopal
BishopCoA PioM.svg
Dados pessoais
Nascimento Curitiba,  Paraná
3 de dezembro de 1948 (71 anos)
Nacionalidade brasileiro
Progenitores Mãe: Maria Leopoldina Santanna
Pai: Acyr Arthur Braschi
Funções exercidas -Bispo-auxiliar de Curitiba (1998-2003)
dados em catholic-hierarchy.org
Bispos
Categoria:Hierarquia católica
Projeto Catolicismo

Sérgio Arthur Braschi (Curitiba, 3 de dezembro de 1948) é um sacerdote católico brasileiro, o quinto bispo da Diocese de Ponta Grossa.

Foi bispo auxiliar da Arquidiocese de Curitiba, auxiliando a Dom Pedro Antônio Marchetti Fedalto, agora arcebispo emérito de Curitiba.

HistóricoEditar

Dom Sérgio Arthur Braschi nasceu em Curitiba, aos 3 de dezembro de 1948, segundo de sete filhos do casal Acyr Arthur e Maria Leopoldina Santanna Braschi. Batizado na Paróquia São Francisco de Paula, no dia 8 de dezembro, cresceu numa família cuja vida se alimentava na comunidade paroquial. Bem cedo apareceram sinais de vocação ao Sacerdócio no menino que ia, quase diariamente, rezar e treinar os dedos no piano da Igreja.

Cursou os primeiros anos do Primário no Grupo Escolar 19 de Dezembro, ingressando a 17 de fevereiro de 1959, no recém-inaugurado Seminário Menor São José, Colônia Nova Orleans. Aí terminou o primeiro grau e cursou o segundo grau, de formação clássica.

Passando ao Seminário Maior Rainha dos Apóstolos, de 1967 a 1969 cursou Filosofia na Pontifícia Universidade Católica do Paraná. Em setembro de 1969, foi enviado a Roma, por Dom Manuel da Silveira d'Elboux, para estudar Teologia na Pontifícia Universidade Gregoriana.

Regressando ao Brasil, iniciou um trabalho missionário no Nordeste, que iria se repetir durante vários anos seguidos: já sacerdote, de 1973 a 1986, foi às Dioceses de Mossoró e Cajazeiras.

SacerdócioEditar

Foi ordenado sacerdote no dia 8 de julho de 1973 por Dom Pedro Fedalto, na mesma paróquia onde fora batizado, crismado e fizera a Primeira Comunhão.

Primeiramente foi Vigário Paroquial na Paróquia Santa Teresinha do Menino Jesus, em 1973, chamado, em seguida, a longos anos de serviço às vocações sacerdotais: foi diretor espiritual e professor do Seminário menor São José, de 1974 a 1978 e diretor arquidiocesano da Obra das Vocações, mais adiante Reitor do mesmo Seminário, de 1979 a 1981. Em 1982, foi-lhe confiada a formação de alunos filósofos e teólogos de várias dioceses, como reitor do Seminário Maior Rainha dos Apóstolos, que completava seus 25 anos de existência; nesta ocasião, recebeu o título de Cônego.

Foi, também, por alguns anos, presidente da OSIB – Regional Sul II da CNBB (Organização dos Seminários no Paraná), bem como continuava a integrar, desde os primeiros anos de padre, a Equipe Regional de Canto Pastoral, animando com cursos várias dioceses. Em 1985, compôs a Equipe de Coordenação do Curso para Formadores de Seminários em Bogotá, Colômbia. Até meados de 1986, como reitor, fez parte do Conselho Presbiteral, como também do Colégio de Consultores da Arquidiocese. De 1980 a 1986, foi o celebrante oficial da missa dos domingos pela TV Paranaense.

Em 1986 voltou ao Pontifício Colégio Pio Brasileiro, em Roma, conseguindo seu mestrado em Teologia Dogmática, com tese na área eclesiológica, na Pontifícia Universidade Gregoriana. Ao mesmo tempo, aprimorou os dotes musicais com o Curso de Música Religiosa na Scuola di Musica Ludovico da Victoria.

Quando preparava a tese de doutoramento, teve de voltar a Curitiba, passando a residir com sua mãe, e assumindo como pároco a Paróquia de São Judas Tadeu. De 1990 a 1996, construiu com os paroquianos, não só o aconchegante santuário, mas lecionava eclesiologia no Studium Theologicum de Curitiba, assumindo, de 1993 a 1996, a Coordenação Pastoral da Periferia Sul. Nestes anos, voltou a integrar o Conselho Presbiteral, Equipe de Coordenação Pastoral, Colégio de Consultores, Grupo de Teólogos do Sínodo da Arquidiocese. Por cinco anos (de 1992 a 1996), foi Diretor Espiritual Arquidiocesano do Apostolado da Oração, cabendo-lhe celebrar os 100 anos do Apostolado da Oração. Em janeiro de 1997 foi chamado a ser Pároco da Catedral Basílica de Nossa Senhora da Luz dos Pinhais.

EpiscopadoEditar

Aos 18 de fevereiro de 1998 foi nomeado Bispo Auxiliar de Curitiba pelo Papa João Paulo II, e ordenado no dia 14 de abril de 1998 na igreja Catedral de Curitiba. Seu lema é Vida, Doçura e Esperança, baseado na oração da Salve, Rainha. No dia 16 de julho de 2003 foi nomeado Bispo Diocesano de Ponta Grossa, tomando posse da mesma no dia 5 de setembro de 2003.

No dia 11 de maio de 2011 foi eleito Presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Ação Missionária e Cooperação Intereclesial da CNBB, período a concluir-se em 2015.[1]

Ordenações episcopaisEditar

Dom Sérgio foi o ordenante principal da ordenação episcopal de:


Precedido por
Bispo auxiliar de Curitiba
1998 - 2003
Sucedido por
Dom Dirceu Vegini
Precedido por
Dom João Braz de Aviz
Bispo de Ponta Grossa
2003 - atualidade
Sucedido por

Ligações externasEditar

Referências

  1. [1] Arquivado em 14 de maio de 2011, no Wayback Machine., Dom Sérgio Braschi e dom Jacinto Bergmann eleitos para Comissões da CNBB, 11.05.2011
  Este artigo sobre Episcopado (bispos, arcebispos, cardeais) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.