Abrir menu principal
TV Senado
Senado Federal
Tipo Governamental
País  Brasil
Fundação 5 de fevereiro de 1996 (23 anos)
por Senado Federal
Pertence a Senado Federal
Proprietário Senado Federal
Cidade de origem Brasília, DF
Slogan Democracia. Todo dia.
Formato de vídeo
Canais irmãos
Página oficial www.senado.leg.br/tv
Disponibilidade aberta e gratuita
Digital
Disponibilidade por satélite
Algar TV
Canal 693
Claro TV
Canal 06
Nossa TV
Canal 15
Oi TV
Sky
  • Canal 26
Vivo TV
Disponibilidade por cabo
NET
Canal 9 ou Canal 8 (Rio de Janeiro)
Vivo TV
Canal 183

TV Senado é o canal de televisão brasileiro que transmite eventos, discussões e procedimentos do Senado Federal do Brasil.

HistóriaEditar

 
Logotipo usado até fevereiro de 2016.

Primeira emissora legislativa de alcance nacional, a TV Senado[1] começou a funcionar definitivamente no dia 5 de fevereiro de 1996, com base na Lei 8.977/95.[2]

Essa lei determinou às operadoras de TV a Cabo a destinação de um canal para o Senado Federal, entre os chamados canais básicos de utilização gratuita, que devem constar do cardápio de canais oferecidos aos assinantes.

Com o objetivo de ser um canal de comunicação direta com o cidadão, a TV Senado passou a levar ao telespectador informações sobre o Legislativo e suas atribuições. Antes de a emissora ser instalada, o registro audiovisual das sessões e reuniões vinha sendo feito desde 1993 por uma central de vídeo que produziu os primeiros vídeos institucionais do Senado Federal, material que era distribuído para as emissoras de TV comerciais. No início, a emissora mantinha no ar somente 15 horas de programação, transmitidas apenas para Brasília. Em maio de 1996, o sinal da TV Senado já chegava a todo o Brasil pelo sistema de satélite digital. Antes de completar um ano, a TV Senado já transmitia sua programação durante 24 horas, inclusive nos finais de semana.

Hoje, o sinal da TV Senado cobre todo o país levado por meio das operadoras de TV a cabo, por satélites e antenas parabólicas do tipo analógico e digital e, em várias localidades, em sinal aberto de UHF. No dia 29 de abril de 2010, a TV Senado inaugurou transmissões digitais pelo canal 61 em São Paulo, em parceria com a TV Câmara e a TV ALESP (da Assembleia Legislativa de São Paulo). O canal transmite as programações das três emissoras públicas, de modo simultâneo, durante 24 horas por dia.[3]

 
Senado Federal

Em 2 de fevereiro de 2016, a TV Senado ganhou uma nova identidade visual, integrada aos outros Veículos de Comunicação do Senado. [4]

SintonizaçãoEditar

Antena ParabólicaEditar

A TV Senado pode ser captada em todo o território nacional por antenas parabólicas dos tipos analógico e digital. Veja como sintonizar: Antena Parabólica - Sistema Analógico: Satélite - C2 Transponder - 11 A2 Polarização: Horizontal Frequência - 4.130 MHz

Antena Parabólica - Sistema Digital: Satélite - C2 Transponder - 1 BE (Banda Estendida), Polarização: Vertical Frequência - 3.644,4 MHz Frequência (Banda L) - 1.505,75 MHz

Antena - 3,6 m PID - Vídeo: 1110 / Áudio: 1211 / PCR: 1110 Receptor de Vídeo/Áudio Digital NTSC MPEG-2 DVB Symbol Rate - 3,2143Ms/s FEC - ¾ Caso ocorram problemas na recepção do sinal da TV Senado via antenas parabólicas, o usuário deverá entrar em contato com o técnico que fez a instalação da antena.

TV por assinaturaEditar

A TV Senado também é transmitida na tv por assinatura e via satélite. NET, SKY Brasil, Claro TV, Vivo TV, CTBC TV, GVT TV, Nossa TV são algumas operadoras de TV por assinatura via satélite que atuam no Brasil. Essas empresas transmitem pelo sistema conhecido como DTH, onde o telespectador/assinante recebe o sinal diretamente do satélite. E via cabo Sim TV, TVN, ViaCabo , BVCi, Astro, CaboNNet, TCM e Cabo Telecom. Caso ocorram problemas na recepção do sinal da TV Senado na TV por assinatura, o usuário deverá entrar em contato com a operadora da qual contratou o serviço.

TV abertaEditar

Desde 12 de dezembro de 2000, a TV Senado opera com transmissão em UHF em Brasília, no canal 51. Em 20 de novembro de 2006 a emissora deu início ao seu projeto de expansão e passou a operar em canal aberto na cidade de Salvador (53/UHF) e, em 14 de março de 2007, João Pessoa (40/UHF), Recife (55/UHF) e Manaus (57/UHF) passaram a receber o sinal da TV Senado.

A TV Senado dá continuidade à expansão, consolidando a Rede Senado de Televisão em sinal aberto, com mais 9 canais retransmissores já autorizados pelo Ministério das Comunicações, já em fase de implantação. São eles: Goiânia (canal 62/UHF); e Belém (canal 44/UHF).

Hoje, a TV Senado transmite seus sinais para satélites de cobertura nacional, podendo ser captada em mais de cinco mil municípios brasileiros. A recepção em UHF só depende da instalação de estações que captem essa transmissão e façam a retransmissão local.

Para isso, é necessário fazer um convênio com emissoras locais para instalação do seu transmissor e a antena de retransmissão da TV em UHF. As normas de instalação e operação estão previstas no regulamento do serviço, bem como da legislação de radiodifusão.

Rede LegislativaEditar

TV Senado é integrante da Rede Legislativa.[5]

Emissoras abertas da TV SenadoEditar

Transmissões ao vivoEditar

A cobertura das atividades legislativas e eventos ocorridos no Senado Federal e no Congresso Nacional obedece ao ATO DA COMISSÃO DIRETORA DO SENADO FEDERAL Nº 21, de 2009, que estabelece a ordem de prioridade[6] para cobertura e transmissão ao vivo da TV Senado, combinado com o Artigo 107 do Regimento Interno, que determina o dia e hora das reuniões das comissões. O objetivo desta medida é estabelecer critérios para escolha da atividade parlamentar a ser exibida ao vivo, tornando-a menos subjetiva e passível de influências editoriais ou políticas. A TV Senado transmite por TV Digital para Brasília e cidades do entorno,também o canal principal para digital nas cidades: São Paulo/SP, no canal 61.3; Fortaleza, 61.2; Porto Alegre, 61.4; e Belo Horizonte, 61.3. Pela SKY, os canais digitais também são sintonizados. Para isso, o telespectador deverá colocar o número 3 na frente. Por exemplo: 361-3 em São Paulo. Via Internet para todo o país e o sinal ao vivo de até oito eventos que estejam acontecendo simultaneamente no Senado Federal. Quando, em obediência ao Ato da Comissão Diretora nº 21, de 2009, combinado com o Artigo 107 do Regimento Interno, o sinal de um evento que está sendo transmitido em canal aberto é substituído por outro, aquele que estava ao vivo continua sendo transmitido pela Internet e pela TV Digital.

A TV Senado divulga ao vivo todas as mudanças que são feitas e indica onde o telespectador poderá continuar acompanhando o evento que estava sendo transmitido na programação normal. O acesso ao sinal da TV Senado via Internet é feito pela página da emissora no endereço (www.senado.leg.br/tv), clicando-se nos canais 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7 e 8. O canal 9 é um atalho para o sinal com a programação padrão da TV Senado, hospedado no Portal Terra, provedor com o qual a emissora estabeleceu parceria.

InternetEditar

Criada em 14 de fevereiro de 2001, a página da TV Senado na internet inaugurou uma nova forma de acesso à emissora.

Além da programação normal, o cidadão pode acompanhar pela internet as atividades legislativas que acontecem simultaneamente no Senado [1]. São 13 comissões permanentes, com mais de 30 subcomissões que realizam reuniões em dias e horários distintos sem que nada deixe de ser disponibilizado ao cidadão que acompanha a TV Senado na internet. Esse sistema de transmissões simultâneas no site da emissora ficou conhecido como multiprogramação.

Com esse serviço, o cidadão pode acompanhar a reunião que esteja debatendo assuntos ou votando projetos de seu interesse. Para acessar a multiprogramação ao vivo da TV Senado na Internet, basta acessar a página da emissora (www.senado.leg.br/tv) e clicar no canal que esteja retransmitindo o sinal da comissão pretendida.

Em 1º de setembro de 2014, o Senado Federal concedeu à empresa Google INC, por meio de um contrato de licença de conteúdo, direitos não exclusivos e limitados para armazenar de maneira intermediária seu acervo em vídeo. Esse acordo permitiu à TV Senado ampliar o alcance de suas publicações para smartphones, tablets e outros dispositivos móveis por meio do YouTube.[7] Um ano após a parceria, a emissora já contava com mais de 50 mil publicações na principal plataforma de vídeos do mundo. São discursos dos senadores, votações de projetos nas comissões, todos os programas, documentários, entrevistas e jornais produzidos pela emissora.

Outro serviço que também passou a ser oferecido ao cidadão em 2014 foi a disponibilização, na íntegra, de todas as reuniões e sessões exibidas ao vivo pelo YouTube. A partir desse período, as transmissões ao vivo pela internet ganharam um novo fôlego passando a contar com a praticidade de poderem ser vistas em qualquer lugar e a qualquer momento. Tudo sem custos adicionais para o Senado Federal.

Em agosto de 2016 a TV Senado teve recorde de audiência ao transmitir o processo de impeachment de Dilma Rousseff pelo YouTube.[8] Durante esse período, a emissora recebeu do YouTube uma placa comemorativa em reconhecimento à marca de cem mil inscritos no canal.[9]

ProgramaçãoEditar

Criada para fazer a divulgação institucional do Senado Federal e oferecer ao cidadão uma programação educativa e cultural de qualidade e diferenciada das emissoras comerciais, a TV Senado faz a cobertura de todas as sessões plenárias do Senado Federal e do Congresso Nacional, bem como das reuniões das comissões permanentes e temporárias. As sessões plenárias têm prioridade de exibição sobre qualquer outro programa. Quando não são exibidas ao vivo, os eventos legislativos são gravados para serem veiculados em outros horários na programação, no mesmo dia ou posteriormente.

A cobertura institucional gera diversos tipos de programas para a TV Senado: transmissões ao vivo, íntegras de reuniões pré-gravadas, produção de especiais e programas jornalísticos. Os temas relevantes e de interesse do cidadão são tratados também em entrevistas, debates, e grandes reportagens.

Atualmente, a programação da TV Senado conta com os boletins Senado Agora, Senado Informa, e com os programas Alô Senado, Em Discussão!, EcoSenado e Parlamento Brasil; com as entrevistas Agenda Econômica, Cidadania e Argumento; com os documentários Senado na História, Histórias Contadas, Tela Brasil, Senado Documento; com os culturais Espaço Cultural, Conversa de Músico e Conversa de Músico - Concertos.

A TV produz ainda interprogramas, como É Lei, Senado Aprova, Histórias do Brasil, Histórias Trnasformadoras, Arquivo Aberto e Grandes Personagens.

DiplomaciaEditar

Revista mensal de política internacional, com a participação de diplomatas, acadêmicos, parlamentares e intelectuais. A cada programa, um tema é eleito para uma análise mais profunda e constitui um micro documentário chamado Dossiê Diplomático. Entrevistas especiais também fazem parte do programa, sendo veiculadas depois no Diplomacia Entrevista. Após a estreia, o programa é traduzido para o espanhol e veiculado no Canal Brasil Integración, mantido pela TV Senado, TV Câmara, TV Justiça e Empresa Brasileira de Comunicação. O Diplomacia já entrevistou personalidades como o ministro da Defesa, Celso Amorim, e o vice-presidente da Argentina, Amado Boudou.[10]

EcosenadoEditar

Programa quinzenal com informações sobre a diversidade dos ecossistemas brasileiros, as políticas e ações voltadas para a preservação da natureza e os projetos de lei em discussão. O EcoSenado também já abordou temas como a preservação de felinos, reaproveitamento de água e Enchentes[11]

ArquivoEditar

O Arquivo de Imagens em Movimento da TV Senado é responsável pela preservação do patrimônio cultural, histórico e político transmitido pela emissora em suas 24 horas ininterruptas de transmissão. Nossa missão é garantir à sociedade a conservação de parte expressiva da memória legislativa audiovisual brasileira, assegurando o papel da TV Senado e do próprio Senado Federal na formação permanente da cidadania. O arquivo da TV Senado fornece imagens para TVs de todo o país.

Acervo disponívelEditar

Com prioridades para as transmissões ao vivo de sessões plenárias e reuniões de comissões, a TV Senado mantém no ar uma programação informativa e diversificada, incluindo telejornais e programas temáticos. Essa produção forma o acervo da emissora disponível em mídias analógicas e digitais. Integram esse arquivo:

  • coleção das sessões plenárias ocorridas a partir de agosto de 1998;
  • coleção das reuniões das comissões permanentes e temporárias, comissões parlamentares de inquérito[12] e especiais transmitidas pela TV Senado, a partir de agosto de 1998;
  • edições do Jornal do Senado a partir de 1999;
  • programas de estúdio que fizeram ou fazem parte da programação desde agosto de 1998;
  • programas educativos e culturais que compõem o catálogo da TV Senado.

Cópias de programasEditar

Todo o material produzido e editado pela TV Senado pode ser disponibilizado aos interessados, desde que não possua restrições relativas a direitos autorais. Os pedidos de cópias de discursos, audiências ou programas devem ser encaminhados à Central de Cópias da COELET, pelo telefone (61) 3303-3900. As emissoras de televisão que necessitam de imagens para uso jornalístico e em formato profissional podem solicitar cópias no Serviço de Acervo da TV Senado, pelo telefone (61) 3303-4788 ou pelo email [[1]]. Só estão disponíveis para cópia os produtos que tiverem sido veiculados na emissora. No caso das emissoras de TV, as cópias de registro em vídeo de atividades legislativas poderão ser cedidas em formato bruto unicamente para divulgação de caráter jornalístico, histórico ou cultural. Todas as imagens cedidas devem ser obrigatoriamente veiculadas com a logomarca da TV Senado. As normas que regulamentam o fornecimento de cópias de imagens estão em acordo com o Ato da Comissão Diretora nº 10, de 2015.

TV AgênciaEditar

A TV Agência é uma ferramenta de internet implantada pela TV Senado em parceria com a Agência Senado. Serviço oferecido às emissoras de televisão de todo o país, com disponibilização, sob oferta, de vídeos em baixa e alta resolução, contendo trechos de discursos proferidos na tribuna e de debates das votações no Senado Federal, bem como os discursos de sessões do Congresso Nacional. A TV Agência funcionará da seguinte forma:

  • Inicialmente, serão publicados vídeos dos discursos no Plenário e trechos da CPMI do Cachoeira e das reuniões do Conselho de Ética do Senado.
  • Serão publicados, também, trechos com imagens em plano geral das sessões plenárias e reuniões de comissões.
  • Em período eleitoral serão disponibilizados apenas vídeos com conteúdos em consonância com as normas eleitorais estabelecidas pelo Tribunal Superior Eleitoral.
  • De acordo com o Artigo 207 do Regimento Interno do Senado Federal, não serão publicados vídeos com trechos de debates ou discussões que tenham sido retirados da Ata pela Presidência.
  • Os vídeos terão duração de até 5 minutos, e permanecerão disponíveis para download, em formato AVI, por cinco dias úteis.
  • O conteúdo disponibilizado destina-se exclusivamente ao uso jornalístico por emissoras de televisão, sendo vedada a sua redistribuição por qualquer meio, inclusive cópia a terceiros.
  • Os vídeos serão publicados com a logomarca da TV Senado localizada no canto superior esquerdo da imagem.
  • Será publicada uma versão de cada vídeo em baixa resolução para visualização rápida do conteúdo.
  • Para fazer o download dos vídeos em alta resolução, a emissora de televisão deverá se cadastrar na página da TV Agência na internet, submetendo-o à aprovação desta emissora.
  • A TV Agência funcionará sob oferta. Pedidos específicos serão analisados apenas para o conteúdo descrito no item um. O atendimento dependerá das condições operacionais e técnicas da equipe gerencial.

Os vídeos em alta resolução são liberados apenas para usuários cadastrados e aprovados pela TV Senado e só podem ser baixados via rede externa ao Senado Federal. A melhor navegação é realizada pelo browser internet Explorer.

LegislaçãoEditar

Acesse abaixo a íntegra da legislação relativa à criação da TV Senado:

Ver tambémEditar

Referências

  1. «Jornalismo institucional nas TVs legislativas : os casos do Brasil e do México». UnB. 13 de fevereiro de 2009. Consultado em 22 de novembro de 2013 
  2. «Lei 8.977, de 6 de janeiro de 1995». Palácio do Planalto. 9 de janeiro de 1995. Consultado em 21 de novembro de 2013 
  3. «Conheça a TV Senado». Consultado em 8 de março de 2013. Arquivado do original em 6 de fevereiro de 2013 
  4. Redação (2 de fevereiro de 2016). «Veículos de Comunicação do Senado ganham novas logomarcas». Agência Senado. Consultado em 3 de fevereiro de 2016 
  5. Rede Legislativa de TV
  6. «TV pública no Brasil : a criação da TV Brasil e sua inserção no modo de regulação setorial da televisão brasileira». UnB. 9 de julho de 2009. Consultado em 22 de novembro de 2013 
  7. Transparência, Senado Federal -. «Senado Federal - Transparência». www.senado.leg.br. Consultado em 13 de fevereiro de 2017 
  8. Gabriel Vaquer (30 de agosto de 2016). «TV Senado bate recorde de audiência no YouTube com julgamento do impeachment». natelinha.uol.com.br. Consultado em 2 de novembro de 2016 
  9. «Canal da TV Senado no YouTube recebe placa comemorativa de 100 mil inscritos - TV Senado». www.senado.leg.br. Consultado em 13 de fevereiro de 2017 
  10. «TV Senado apresenta entrevista exclusiva com presidente em exercício da Argentina». Agência Senado. 18 de outubro de 2013. Consultado em 21 de novembro de 2013 
  11. «Enchentes de janeiro são tema de programa da TV Senado». Agência Senado. 4 de fevereiro de 2011. Consultado em 21 de novembro de 2013 
  12. «Visibilidade e espetacularização nos canais parlamentares Um olhar sobre as transmissões de CPIs no Brasil e na França». Francisco Sant’Anna. 2010. Consultado em 22 de novembro de 2013. Arquivado do original em 3 de março de 2016 

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre Televisão no Brasil é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.