Abrir menu principal
Virada Cultural Paulista
Período de atividade 2006 - atualmente
Local(is) São Paulo São Paulo
Página oficial www.viradaculturalpaulista.sp.gov.br

Virada Cultural Paulista é um evento cultural que acontece desde 2006 em vários municípios do interior e do litoral do estado de São Paulo, Brasil. É promovido pela Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo e, de 2006 a 2015, mais de 7.100 atividades culturais foram desenvolvidas para um público de mais de 10 milhões de pessoas.[1]

O festival é derivado da Virada Cultural, que acontece no município de São Paulo, a capital do estado, desde 2005. A edição de 2016 ocorreu em 23 cidades diferentes: Araçatuba, Araraquara, Assis, Bauru, Botucatu, Caraguatatuba, Franca, Ilha Solteira, Indaiatuba, Limeira, Marília, Mogi das Cruzes, Piracicaba, Presidente Prudente, Registro, Ribeirão Preto, Santa Bárbara d'Oeste, Santos, São João da Boa Vista, Sorocaba, Taubaté e Votuporanga.[2]

HistóricoEditar

A Virada Cultural na capital paulista se tornou uma referência no calendário de eventos da cidade. Em 2007, o então governador José Serra estendeu o festival também para o interior e litoral, ao criar a virada Cultural Paulista, que teve início como um projeto-piloto em dez cidades do estado. O evento teve continuidade nos anos seguintes e o número de cidades foi expandido.[3]

OrganizaçãoEditar

No interior, as atividades não são ininterruptas e acontecem em intervalos de aproximadamente cinco horas entre a última apresentação da madrugada do domingo e a retomada da programação pela manhã do mesmo dia. O evento geralmente ocorre em maio, simultaneamente em todos os municípios participantes, a quantidade de apresentações artísticas também varia entre as cidades, devido ao porte de cada região e capacidade dos equipamentos culturais disponíveis.[3]

A Virada Cultural Paulista é uma realização da Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo em parceria com as prefeituras dos municípios, mas em alguns locais também há uma parceria com as unidades do Serviço Social do Comércio (SESC) e o Serviço Social da Indústria (SESI). Alguns municípios também agregam as atividades à programação da Virada Cultural Paulista. Toda a programação é gratuita e ocorre em áreas livres das cidades, além de teatros, cinemas e outros equipamentos culturais.[3]

Ver tambémEditar

Referências

  1. «Virada Cultural Paulista». Consultado em 24 de maio de 2016 
  2. «Cidades». Consultado em 24 de maio de 2016 
  3. a b c Flavia Cristina Mariano de Amorim (2009). Universidade de São Paulo, ed. «Virada Cultural Paulista: promoção e democratização da cultura» (PDF). Consultado em 24 de maio de 2016 

Ligações externasEditar