Abrir menu principal

Wikipédia β

Andradina

município brasileiro do estado de São Paulo
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Andradina (desambiguação).

Andradina é um município brasileiro do estado de São Paulo. Localiza-se a uma latitude 20,53 sul e a uma longitude 51,22 oeste, a 630 quilômetros da cidade de São Paulo.

Município de Andradina
"Terra do Rei do Gado"
Bandeira de Andradina
Brasão de Andradina
Bandeira Brasão
Hino
Fundação 11 de julho de 1937 (80 anos)
Gentílico andradinense
Padroeiro(a) São Sebastião
CEP 16900-000 a 16919-999
Prefeito(a) Tamiko Inoue (PCdoB)
(2017 – 2020)
Localização
Localização de Andradina
Localização de Andradina em São Paulo
Andradina está localizado em: Brasil
Andradina
Localização de Andradina no Brasil
20° 53' 45" S 51° 22' 44" O20° 53' 45" S 51° 22' 44" O
Unidade federativa  São Paulo
Mesorregião Araçatuba IBGE/2008[1]
Microrregião Andradina IBGE/2008[1]
Municípios limítrofes Nova Independência, Castilho, Itapura, Pereira Barreto, Guaraçaí, Murutinga do Sul e Ilha Solteira.
Distância até a capital 630 km[2]
Características geográficas
Área 960,095 km² [3]
População 55 334 hab. (SP: 114º) –  Censo IBGE/2010[4]
Densidade 57,63 hab./km²
Altitude 405 m[5]
Clima Subtropical Cwa
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,798 elevado PNUD/2000[6]
PIB R$ 949 487 mil IBGE/2009[7]
PIB per capita R$ 16 777,47 IBGE/2009[7]
Página oficial
Prefeitura http://www.andradina.sp.gov.br/
Câmara http://www.camaraandradina.sp.gov.br/

Índice

HistóriaEditar

A fundação de Andradina foi idealizada, em 1932, pelo fazendeiro Antônio Joaquim de Moura Andrade, maior criador de gado do Brasil e que tinha o apelido de Rei do Gado.

Na verdade seu nome era Antônio Joaquim de Andrade, o "Moura" era o sobrenome de seu sócio, a quem muito estimava por isso agregou ao seu próprio nome. Sua empresa com seu sócio era Moura, Andrade & Cia., placa esta fixada na entrada da cidade com o slogan publicitário: "Terras Ótimas para Culturas Vendas a Prestações de longo prazo".

Moura Andrade conseguiu que se construísse um novo ramal ferroviário, a Variante, entre as estações de Araçatuba e Três Lagoas da Estrada de Ferro Noroeste do Brasil, que teve sua construção ordenada pelo presidente Getúlio Vargas. Às margens da "Variante", foram criados vários povoados, que hoje são cidades.

 
Estação ferroviária de Andradina (década de 1930).

O traçado antigo da linha da NOB, linha que chegou ao Rio Paraná em 1910, e que ficou conhecido depois como Ramal Araçatuba - Lussanvira (a atual Pereira Barreto), por ter sido construído muito próximo ao Rio Tietê, estava muito sujeito à malária, e ficava longe das terras mais altas, as mais adequadas para o plantio de café, o qual era transportado por ferrovias para o porto de Santos.

A Variante,seguindo direto de Araçatuba para a atual Andradina, passaria na Fazenda Guanabara, propriedade do Rei do Gado, seguindo em direção ao Mato Grosso do Sul.

Seu desejo pela urbanização era tanto que, ele, Antônio de Moura Andrade, encomendou ao engenheiro Benelow & Benelow, a elaboração de um projeto para a urbanização da futura povoação.

Devidamente planejada, o novo povoado surgiu em 11 de julho de 1937, em terras da Fazenda Guanabara de propriedade de Moura Andrade. Nesta data chegou o primeiro trem de ferro da Variante da Estrada de Ferro Noroeste do Brasil à nova povoação.

Moura Andrade, loteou, em pequenos sítios, parte da Fazenda Guanabara, para os pioneiros recém-chegados, (a todo eram 6.000 famílias), sem exigir fiador ou entrada em dinheiro.

Moura Andrade instalou luz elétrica movida a motor diesel. Quase todos os comércios da nova povoação pertencia a ele, no início, inclusive um Banco. Moura Andrade atraiu muitos comerciantes para a nova povoação, vendendo a preços baixos, os lotes urbanos. Com um bom marketing, Moura Andrade atraiu muitos compradores para os sítios.

Exemplo deste marketing, foi se colocar quatro enormes toras de madeira em frente a estação de trem da NOB, junto às quais colocou um grande cartaz, com a seguinte frase:

Em homenagem ao seu criador, a nova povoação passou a ser conhecida, como a "Terra do Rei do Gado".

Cinco meses após ter sido formado o povoado, Andradina foi elevada à condição de Distrito de Paz de Valparaíso, em 10 de novembro de 1937, pela Lei Estadual nº 3.126.[8]

Andradina ganhou autonomia administrativa em 30 de dezembro de 1938, quando foi desmembrada do município de Valparaíso e elevada à condição de município pelo interventor federal no Estado de São Paulo, Ademar de Barros, através do decreto estadual nº 9.775.[9]

A sede da prefeitura foi instalada onde hoje é o Grupo Escolar Dr. Álvaro Guião. A posse do primeiro prefeito municipal, Evandro Brembati Calvoso, ocorreu em 10 de janeiro de 1939.

A poetisa Cora Coralina viveu em Andradina, nas décadas de 1940 e 1950, quando escreveu o célebre "Poema ao Milho".

O município de Andradina foi desmembrado várias vezes perdendo parte de seu território para a formação dos novos municípios de Guaraçaí, Algodoal (atual Murutinga do Sul), Castilho e de Nova Independência. Andradina perdeu terras, em 1944, para a formação do Distrito de Gracianópolis (a atual Tupi Paulista) pertencente a Lucélia, e, para Mirandópolis.

GeografiaEditar

Possui uma área de 960,1 km². Sua população estimada em 2008 era de 56.505 habitantes. Contava, em agosto de 2008, com 42.437 eleitores que representavam 0,146% do total dos eleitores do estado de São Paulo.[carece de fontes?]

Segundo dados do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), referentes ao período de 1981 a 1997 (até 31 de março), a menor temperatura registrada em Andradina foi de 0,9 °C em 26 de junho de 1994,[10] e a maior atingiu 39,6 °C em dezembro de 1985, nos dias 9 e 10.[11] O maior acumulado de precipitação em 24 horas foi de 108,4 milímetros em 9 de março de 1982.[12] O menor índice de umidade relativa do ar foi registrado em setembro de 1985, nos dias 11 e 13, de 16%.[13]

Dados climatológicos para Andradina
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura máxima recorde (°C) 38,2 36,8 36,3 35,1 33,7 33 33,8 37,6 38,9 39,4 38,8 39,6 39,6
Temperatura máxima média (°C) 31,2 31,4 31,1 30,2 28 27,2 27,6 29,6 29,9 31,8 32 31,7 30,1
Temperatura média compensada (°C) 25,1 25,2 24,7 23,7 21,3 19,6 19,6 21,4 22,4 24,6 25,3 25,4 23,2
Temperatura mínima média (°C) 20,9 21,2 20,6 19,2 16,9 14,7 13,8 15,2 16,9 19,3 20,4 21,1 18,4
Temperatura mínima recorde (°C) 10,9 16,6 9,8 11,2 4,2 0,9 1 2,8 6,6 11,7 12,4 15,8 0,9
Precipitação (mm) 233,6 183,9 147,7 93,9 69,6 27,5 18 42,2 72,1 116,6 125,5 197,1 1 327,4
Dias com precipitação (≥ 1 mm) 14 11 9 6 5 3 2 3 7 7 8 13 88
Umidade relativa compensada (%) 81,7 82,1 81,4 79,1 77,1 73 65,6 60,4 67,2 67,6 69,8 77,5 73,5
Horas de sol 201,4 189,9 213,4 235,9 234,9 216,9 246,5 232 184 231,4 241,1 220,4 2 647,8
Fonte: Instituto Nacional de Meteorologia (INMET) (normal climatológica de 1981-2010;[14] recordes de temperatura de 01/01/1981 a 31/03/1997)[10][11]

DemografiaEditar

Dados do Censo - 2010

População Total: 55.161

(Fonte: IPEADATA)

Administração públicaEditar

Poder Executivo
 Ver artigo principal: Lista de prefeitos de Andradina

A atual prefeita de Andradina é Tamiko Inoue (PCdoB). Foi precedida pelo prefeito Jamil Akio Ono (PT), natural desta cidade, filho de pais agricultores, com ensino superior completo, eleito em 2012 pela primeira vez. Naquela eleição, teve o apoio dos partidos PSDC, PTN, PC do B, PRP, PRTB, PSD, PMDB, PV, PR e PT, que formaram a coligação Para Andradina Continuar Crescendo.

Poder Legislativo

O Poder Legislativo é representado pela câmara municipal, composta por quinze vereadores com mandato de 4 anos. Cabe aos vereadores na Câmara Municipal de Andradina, especialmente fiscalizar o orçamento do município, além de elaborar projetos de lei fundamentais à administração, ao Executivo e principalmente para beneficiar a comunidade.

Presidente da câmara:

2018 - Raimundo Justino de Souza - PEN;

2017 - Silas Carlos de Oliveira - PDT;

2016 - Hernani Martins da Silva - PT;

2015 - Marcio Makoto Izumi - PT;

2014 - Joaquim Justino da Silva - PSDB;

2013 - Wilson Aparecido Bossolan - PT;

2012 - Fatima Aparecida dos Anjos - PP;

2011 - Cristiano Rodrigues de Oliveira - PSL;

2010 - Paulo Pereira Assis - PPS;

2009 - Ernesto Antonio da Silva Junior - PPS;

2008 - Pedro Ayres de Souza - PT;

2007 - Hermenegildo Gildão de Oliveira - PDT;

2006 e 2005 - Celia Regina de Souza - PDT;

2004 - Jose Rubens Teireixa Borges - PMDB;

2003 - Edilson Gomes da Silva - PMDB;

2002 - Elpidio Tencarte - PP;

2001 - Jamil Akio Ono - PTB;

2000 - Hermenegildo Gildão de Oliveira - PDT;

InfraestruturaEditar

EducaçãoEditar

Contém cerca de 22 centros educacionais estaduais, 33 centros educacionais municipais (EMEIs, EMEFs e CEIs) e 15 centros educacionais privados. Possui uma escola técnica, a ETEC Sebastiana Augusta de Moraes.

SaúdeEditar

A cidade conta com a Santa Casa de Andradina e um PAM - Posto de Atendimento Médico.

EsportesEditar

 
Escudo do Andradina Futebol Clube

O nadador Olímpico Ricardo Prado é natural de Andradina, ganhou medalha de prata nos Jogos Olímpicos de Verão de 1984 em Los Angeles.

Andradina Futebol Clube é o clube de futebol da cidade, fundado em 28 de maio de 1963 e conhecido como "Foguete da Noroeste". Nasceu para disputar o profissionalismo e, no início, adotou as cores vermelha e branca e o escudo igual ao do América do Rio de Janeiro. Depois, passou para azul e branco. Porém, num caso pouco comum no futebol paulista, até hoje ostenta as duas cores no uniforme. Teve 23 participações no Campeonato Paulista de Futebol e foi campeão da Quarta Divisão (atual Série B) em 1965.

CulturaEditar

Como em todo Centro-Oeste Paulista, a cidade de Andradina possui uma cultura distinta do restante do Estado de São Paulo. Com a imigração de Italianos e Japoneses na região, formou-se uma cultura diferenciada, e também com influências da região Centro-Oeste e Sul do Brasil.

O Governo de Andradina realiza a Festa da Mandioca. A Festa foi criada para promover, divulgar e preservar a tradição através das comidas típicas e produtos preparados com base na mandioca, um dos principais ingredientes da gastronomia regional. A festa ocorre geralmente em Novembro.

É um costume comum na cidade, e também na região, o consumo de Tererê (ou Tereré) por parte dos locais. Outros alimentos consumidos tradicionalmente são Yaki manju (doce Japonês de feijão) e garapa com limão (caldo de cana).

A música Rei do Gado, cantada por Tião Carreiro e Pardinho, menciona a cidade de Andradina.

EtniasEditar

A população de Andradina é composta principalmente por imigrantes Europeus e Asiáticos, assim como em toda região Centro-Oeste Paulista. A tabela abaixo representada é apenas um esboço para dar uma ideia étnica da população.

Cor/Etinia Percentagem
Branca 79%
Parda 17%
Amarela 2,0%
Negra 1,8%
Indigena 0,2%

Filhos IlustresEditar

Festivais e Festas tradicionaisEditar

  • AndraRock - É um evento musical. Este evento musical vem crescendo a cada ano na cidade. Realizado pela Secretaria de Cultura do Governo Municipal e com apoio do Projeto Rock, formado por um grupo de músicos – o objetivo é difundir as bandas de rock da cidade e região.
  • Festa da Mandioca - Evento para divulgação da gastronomia cultural.
  • Festa Junina de Andradina - É uma tradicional festa na cidade de Andradina.
  • Bon Odori - É um festival que ocorre anualmente durante o verão entre julho e agosto, no Japão (verão nórdico), sempre após o Pôr do sol, pois prevalece a crença de que os espíritos somente saem durante a noite.
  • Expoan - Maior evento na cidade, é uma festa de rodeio onde também ocorrem shows de duplas sertanejas.

BibliografiaEditar

  • ALCÂNTARA, Luziana Queiroz de, Andradina: a Terra do Rei do Gado - 1937/1969, Editora L&c Artes Gráficas, 2001.
  • TAHAN, Vicência Brêtas, Cora Coragem Cora Poesia, Editora Global, 1989.

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008. 
  2. «Distâncias entre a cidade de São Paulo e todas as cidades do interior paulista». Consultado em 26 de janeiro de 2011. 
  3. IBGE (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010. 
  4. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010. 
  5. Embrapa Monitoramento por Satélite. «São Paulo». Consultado em 21 de julho de 2011. 
  6. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008. 
  7. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2005-2009» (PDF). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 16 de janeiro de 2012. 
  8. [1]
  9. [2]
  10. a b «BDMEP - série histórica - dados diários - temperatura mínima (°C) - Andradina». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 8 de julho de 2015. 
  11. a b «BDMEP - série histórica - dados diários - temperatura máxima (°C) - Andradina». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 8 de julho de 2015. 
  12. «BDMEP - série histórica - dados diários - precipitação (mm) - Andradina». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 8 de julho de 2015. 
  13. «BDMEP - série histórica - dados horários - umidade relativa (%) - Andradina». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 8 de julho de 2015. 
  14. «NORMAIS CLIMATOLÓGICAS DO BRASIL». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 10 de maio de 2018. 

Ligações externasEditar