Assis (São Paulo)

município brasileiro

Assis é um município brasileiro do interior do estado de São Paulo. Pertence à Região Geográfica Imediata de Assis e Região Geográfica Intermediária de Marília, localiza-se a oeste da capital do estado, distante 434 km da capital estadual[4] e abriga uma população total de 105 087 habitantes (estimativa IBGE/2020)[6] em seus pouco mais de 462 km².

Assis
  Município do Brasil  
Vista parcial da Avenida Rui Barbosa
Vista parcial da Avenida Rui Barbosa
Símbolos
Bandeira de Assis
Bandeira
Brasão de armas de Assis
Brasão de armas
Hino
Lema Deo et terræ matri
"Deus e a mãe terra"
Apelido(s) "Capital do Paranapanema"
"Cidade Fraternal"
"A cidade dos 3 S"
"A princesinha da Sorocabana (Nos tempos da EFS)
"Cidade do Software/Cidade de Tecnologia[1]"
Gentílico assisense
Localização
Localização de Assis em São Paulo
Localização de Assis em São Paulo
Mapa de Assis
Coordenadas 22° 39' 43" S 50° 24' 43" O
País Brasil
Unidade federativa São Paulo
Região intermediária[2] Região Geográfica Intermediária de Marília
Região imediata[2] Região Geográfica Imediata de Assis
Municípios limítrofes Norte: Lutécia
Sul: Cândido Mota e Tarumã
Leste: Platina e Echaporã
Oeste: Paraguaçu Paulista e Maracaí.[3]
Distância até a capital 434 km[4]
História
Fundação 1 de julho de 1905 (115 anos)
Emancipação 20 de dezembro de 1917 (102 anos)
- de Platina
Administração
Prefeito(a) José Aparecido Fernandes (PDT, 2017 – 2020)
Características geográficas
Área total [5] 461,705 km²
População total (Estimativa IBGE/2020[6]) 105 087 hab.
 • Posição SP: 76º
Densidade 227,6 hab./km²
Clima Tropical com estação seca (Aw)
Altitude 546 m
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
CEP 19800-000
Indicadores
IDH (PNUD/2010[8]) 0,805 muito alto
Gini (2003) 0.42 [7]
PIB (SEADE/2017[9]) R$ 3 303,948 mil
PIB per capita (SEADE/2017[9]) R$ 33 175,17
Outras informações
Padroeiro(a) Francisco de Assis
Sítio https://www.assis.sp.gov.br/ (Prefeitura)
http://www.assis.sp.leg.br/ (Câmara)

É a maior cidade de sua Região Geográfica Imediata, além de ser a terceira da Região Imediata de Marília, atrás de Ourinhos e Marília. além disso ocupa a posição de 77º maior município do estado (estimativa IBGE/2020), situa-se a 22º 39' 42" de latitude sul e 50º 24' 44" de longitude oeste. A sede tem uma temperatura média anual de 21,37 °C e na vegetação do município predomina a Mata Atlântica e o Cerrado, sendo uma zona de transição de vegetação e solo, diferenciando-se da região, possuindo uma coloração avermelhada porém arenoso. O seu Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) segundo a ONU é de 0,805, considerado como elevado em relação ao do estado, em 28º lugar entre cidades de maior IDH do país [10]. Para a FIRJAN em 2014, a cidade estava em 190º a nível nacional e em 49º segundo a FGV em 2012.[11]A cidade também ficou com o 237º maior potencial de consumo (IPC Marketing) entre todas as cidades brasileiras em 2014 e no estado ficou na 72º posição. [12] Também em uma pesquisa do Pnud, o município estava entre as 25 melhores cidades do estado para se viver[13] e a no 90º lugar entre as melhores cidades para realizar investimentos em 2019 segundo a UrbanSystems.[14][15]

Assis foi emancipada de Campos Novos do Paranapanema na década de 1910. A sua etimologia é que o seu nome é uma referência ao Capitão Assis, que explorou as terras da região. Atualmente é formada pela cidade de Assis, sendo a sede seu único distrito desde a emancipação de Tarumã na década de 90.[16]

Assis é conhecida pelo seu título de Cidade Fraternal e pelos cursos de graduação da Unesp de Assis, a FEMA e Unip[17]. Além disso, é uma polarizadora regional de desenvolvimento servindo de referência para os municípios da Região de Assis, de alguns municípios das regiões de Ourinhos, Marília e do Norte do Paraná por seu comércio, serviços, referência cultural, esportiva, tecnológica e científica que fazem com que Assis ostente o título de Capital do Paranapanema, mesmo com a grande concorrência de outros centros urbanos de maior tamanho e expressão.

HistóriaEditar

Antecedentes históricos e doação de terras (até 1914)Editar

A cidade nasceu a partir de viajantes como José Teodoro de Souza, que garimpou pela região a partir de Botucatu. Com a doação de terras de fazendeiros da região, em especial o "Capitão Assis" que doou para a igreja e o povoado foi crescendo no entorno da igreja, atual Catedral de Assis criando um pequeno povoado entorno, criando o Patrimônio do Assiz. Até então o desenvolvimento da cidade era a passos pequenos, ainda era um pequeno povoado próximo dos antigos polos regionais da época como Campos Novos do Paranapanema, Platina e Conceição do Monte Alegre, atual distrito de Paraguaçu Paulista.

Chegada da ferrovia e crescimento (1914 - 1930)Editar

 
Linha férrea em 2014 com trilhos da Estrada de Ferro Sorocabana com fiações já deterioradas da linha eletrificada

O desenvolvimento veio a partir da linha férrea da Estrada de Ferro Sorocabana (em 1914)[16] que ligava o município à capital. Junto com a ferrovia também vieram os ferroviários, o comércio começou a crescer e atender a região e ao Norte do Paraná que ainda estava sendo desbravado.

Além disso, o centro da cidade deslocou da Rua Capitão Assis, próximo a atual Casa de Taípa e a Catedral para a então chamada de Rua da Estação, sendo planejada por Lars Swesson[18]para ligar a antiga capela até a Estação de Assis, em 3 de março de 1923 este logradouro seria reinaugurado com o nome de Avenida Rui Barbosa, sendo uma homenagem ao jurista de mesmo nome[19], nela seria concentrado o comércio e boa parte dos edifícios estatais e privados no entorno. Com a instalação da Estação de Assis se tornou um importante eixo ferroviário (contando com depósitos e sindicato, tendo assim os funcionários da ferrovia um certo destaque), contando com uma das maiores oficinas de trens do Brasil.

Em 1917 tornou-se Distrito de Paz e em 1918 foi elevada à Comarca[20] e recebeu uma Delegacia de Polícia, Grupo Escolar, Fórum e a Diocese de Assis, o desenvolvimento foi tanto que em 1926 é instalada a segunda maior oficina do interior do estado, perdendo apenas para Botucatu (que era a maior), sendo que poderia abrigar 100 locomotivas e reunia 400 ferroviários para pequenos e médios consertos em composições[20]. Na época a cidade era considerada um polo regional da boca do sertão do Oeste Paulista, porém com o crescimento no final dos anos 20 e nos anos 30 de Presidente Prudente e Marília, além de uma certa estagnação no crescimento da cidade fizeram com que a mesma perdesse esse posto e mantivesse apenas como polo regional da Alta Sorocabana de Assis. Nos anos 20 ocorreu a emancipação da cidade de Cândido Mota e criação de vários distritos como Florinea e Tarumã. Também ocorre a instalação da Santa Casa de Misericórdia, Seminário e Bispado de Assis. Na década de 30 a cidade participou da Revolução Constitucionalista, tendo ocorrido diversos atentados ao município, principalmente em seu centro comercial e oficinas da Sorocabana, como uma explosão de dinamites, tendo ocorrido a morte de três ferroviários.[21]

Expansão estatal (1930 - 1970)Editar

 
Monumento em homenagem ao Soldado Constitucionalista da Revolução de 1932

Mesmo com a perda de importância regional a cidade continuava a manter seu desenvolvimento devido a participação estatal no município. A criação de bancos, correios, hospitais, escolas e universidade passaram a sustentar a economia do município de forma paralela a agricultura e a nascente indústria. Na década de 40, a cidade recebeu a instalação da Escola Normal de Assis, a cidade também participou da Segunda Guerra Mundial[22], tendo um monumento em homenagem aos participantes na Praça Arlindo Luz, em frente da Estação Ferroviária, também nesta década há o declínio do café, tendo em vista o clima instável da região e o mesmo migrou quase em totalidade para o Norte do Paraná[21]. Na década seguinte, recebe a Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras, Escola Industrial e inicia as operações da atual Cervejaria Malta[23], já naquela época problemas ambientais em diversos pontos da cidade já eram evidentes devida a má ocupação do solo, sendo duas bem conhecidas: aos fundos da Catedral e aquela na região da Vila Operária[24]. A primeira delas foi contida com galerias para controle, porém a segunda iria expandir mais e desde os 1951 existia um plano, proposto por Amarílio Ribeiro de criar um parque naquela localidade. Demoraria mais de 10 anos com diversas obras e técnicas de engenharia para conter a erosão, apenas no final dos anos 90 seria inaugurado como Parque Ecológico João Domingos Coelho.[25][26][27][28]

Já na década de 60, foi criado Ginásio Estadual de Assis (atual EE "Ernani Rodrigues") na Vila Xavier e o primeiro prédio de 6 pavimentos da cidade - o Santa Rosa Pallace Hotel. Com o início do Regime Militar a cidade passa a perder a importância política e diversos cidadãos assisenses sofreram repressão do regime, sendo o caso da Helenira Rezende[29] e José Santili Sobrinho[30] os mais conhecidos. Mesmo assim diversos bairros foram criados no período e a cidade passa a crescer populacionalmente, saindo de 32 mil habitantes nos anos 50 e chegando a quase 60 mil habitantes nos anos 70, surge a Avenida Dom Antonio e começa de forma tímida o nascimento de indústrias de cana-de-açúcar, no final dos anos 1960 a família Vieira Dias optaram por investir em uma estação repetidora de sinal da TV Coroados de Londrina.[31] Em julho de 1969 a cidade passa a contar com a linha férrea eletrificada - plano que era originalmente previsto para 1949, em 1971 a Estrada de Ferro Sorocabana foi incorporada na FEPASA.[32]

Tentativas de diversificação, urbanização e expansão do ensino (1970-1990)Editar

 
Fachada da FEMA em 2015 foi criada em 1985

As tentativas de industrialização foram iniciadas na década de 70, a criação da Escola Superior de Eduação Física (1970) e a Faculdade de Educação (1971) e no final dos anos 80 houve a criação do rudimentar Distrito Industrial (Chamado de Centro de Desenvolvimento de Assis - CDA), nesse período também começa a ser construído os primeiros edifícios verticais acima dos 6 andares como o Edifício Burali (de 1983)[33], Telesp e Banco do Brasil[34], além disso diversos bairros são formados como a Prudenciana, Vila Ribeiro, BNH, Progresso, Jardim Europa, Tênis Clube, Assis IV, Parque Universitário e Jardim Morumbi[35]. A economia do município é impulsionada na década de 80 por vários segmentos como comércio, eletrônica e agroindústria (sendo maior parte as usinas de cana de açúcar). Parte do desenvolvimento industrial de Assis é freado após a emancipação de Tarumã, onde parte das grandes indústrias da cidade estavam instaladas. Surge em 1985 a FEMA com o propósito de ser uma universidade de interesse regional, uma forma de tentar desenvolver a região e evitar a migração para outros centros.

Após a emancipação de Tarumã e desindustrialização (1991 - 2000)Editar

A emancipação de Tarumã faz com que parte da arrecadação de impostos do município caísse e perdesse parte do desenvolvimento industrial, uma vez que parte das indústrias do município, localizavam-se no distrito, tendo destaque a Usina Nova América, que era a maior responsável pelos impostos recolhidos na época. Além disso, como a economia do país atravessava dificuldades, muitas empresas foram levadas a falência como a Construtora Melior, Mecapel e outras. Algumas surgiram no distrito industrial, outras migraram para outras cidades. Com a crise algumas franquias deixaram a cidade como a Riachuelo. A década foi agitada para a cidade e a região devido a eventos como: a instalação da Canoas I e Canoas II (anos 1990), a duplicação da Raposo Tavares (1990-2000)[36], a instalação de indústrias, shopping center, condomínios e edifícios que chegaram na cidade nos anos 2000.

 
Parque Buracão em 2020 foi inaugurado em 1999

A cidade começa a se planejar para se transformar em uma cidade de 100 mil habitantes, algo que só iria acontecer na década de 2010. Um dos reflexos deste preparo, é o termino da construção do Hospital Regional de Assis, que teve o início de suas obras em 1972 pelo Rotary local e após 16 anos de construção, foi entregue ao governo do estado de São Paulo e sua inauguração foi em 21 de setembro de 1991. Contudo, o endividamento do aparelho estatal e a má gestão da linha férrea pela FEPASA fez com que a mesma fosse concedida para a Rumo Logística em regime de monopólio, porém, desde 1999 a cidade não possui mais trens de passageiros, raramente há trens de carga, apesar disso, a linha férrea que foi construída nos anos 1910 continua cortando a cidade no sentido Norte-Sul. Também em 1999 é aberto o Parque Buracão na Vila Operária, resolvendo de uma vez por todas o problema com a erosão que afetava aquele bairro desde os anos 1950.

Migração para o setor de serviços (2000 - atualidade)Editar

Na primeira década dos anos 2000 a cidade vivencia a parcial estabilidade econômica que o país estava vivenciando. Em 2001 a duplicação da Raposo Tavares chega ao fim, tendo então conexão rápida e segura por meio de uma autoestrada com Ourinhos em uma rodovia de 4 pistas (duas por sentido), além da criação de pedágios na região. O comércio volta a ser diversificado e passa a crescer. O Assis Plaza Shopping em um vago período possuiu a rede Supermercados Pavão, mas devido a falência da mesma, o supermercado é fechado[37]. Novamente há uma explosão de criação de bairros residenciais, condomínios e edifícios, iniciando pelo Residencial D'Ville e o Renascence Residencial, sendo ambos de 2003.

Há também a criação e crescimento de diversas empresas de tecnologia, sendo a PRX e a VSM as mais relevantes nacionalmente, sendo que a PRX em 2013 teve parte de sua participação acionária comprada pela TOTVS, e na área de publicidade e marketing como a NovaMCP[38] e a Quest[39], as mais relevantes neste segmento com premiações[40][41][42][43], ainda tendo outras agências na casa de dezenas de unidades que atendem clientes em todo o Brasil. Em 2003 também tem a inauguração da UNIP no campus as margens da Rodovia Raposo Tavares e a criação de diversos supermercados no restante da década como novas unidades da Rede de Supermercados Avenida como a unidade Max em 2007[44], o Supermercado Amigão[45] (de Lins), o São Judas Tadeu Supermercados[46] (de Ourinhos) em 2011[47] e o Walmart em 2013[48] sendo que o mesmo tornou-se Big em 2020.

Com a crise econômica de 2014 no país, essa bolha de crescimento de Assis estourou e investimentos passaram a ser mais raros e em menor grau, como uma redução brutal na construção cívil, na expansão supermercadista e automotiva. Ainda assim, mesmo com a crise de 2014, aconteceram os lançamentos de residenciais verticais e horizontais, bem como a criação de novos cursos na FEMA tendo o curso de Medicina um dos mais importantes na segunda metade desta década, a criação da Faculdade de Tecnologia de Assis em 2014 e a expansão do ensino superior privado regulado principalmente com faculdades com cursos EADs ou semipresenciais.

Além disso, nesta década inaugurou-se o Poupatempo em 2012[49], o Instituto Médico Legal em 2016[50], reformas asfálticas no Centro de Desenvolvimento de Assis, ainda que estas reformas, não tenham de imediato, traduzido em novas indústrias para a cidade. E inaugurou-se concessionárias de veículos da Toyota em 2015[51] e Jeep em 2018[52], bem como franquias e lojas locais de diversos componentes automotivos.

Origem do nomeEditar

O nome Assis, o qual o município é conhecido hoje, era originalmente Acis e foi batizada assim em homenagem ao fundador do município: Capitão Francisco de Acis Nogueira. Assis teve sua grafia alterada por força do decreto-lei estadual nº 14334, de 30­11-1944.

GeografiaEditar

Localiza-se a uma latitude 22º39'42" sul e a uma longitude 50º24'44" oeste, estando a uma altitude de 546 metros, possui uma área de 462,705 km².[53]

RelevoEditar

Planalto Ondulado Suave.

ClimaEditar

O clima de Assis é tropical com estação seca (fronteiriço com o clima subtropical úmido), com temperatura média anual de 21,37 °C. A temperatura da cidade varia muito no mesmo dia, o que dificulta uma média exata. A seguir, dados do CEPAGRI sobre temperatura anual e chuvas com dados dos últimos 30 anos.[54]


Dados climatológicos para Assis
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura máxima média (°C) 31,0 30,0 30,0 29,0 26,0 25,0 26,0 28,0 28,0 30,0 30,0 31,0 28,7
Temperatura média (°C) 25,0 25,0 24,0 23,0 19,0 18,0 18,0 20,0 21,0 23,0 24,0 25,0 22,1
Temperatura mínima média (°C) 19,0 19,0 19,0 16,0 13,0 11,0 11,0 12,0 14,0 16,0 17,0 18,0 15,4
Precipitação (mm) 214,2 170,2 148,7 75,3 102,0 74,6 45,8 47,6 86,4 123,4 148,0 205,3 1 441,5
Fonte: Centro de Pesquisas Meteorológicas e Climáticas Aplicadas à Agricultura (CEPAGRI).[55]

HidrografiaEditar

A hidrografia do município é pertencente à bacia hidrográfica do Médio Paranapanema - Rio Paranapanema.[53]

  • Capivara
  • Cervo
  • Jacu
  • Pavão
  • Tucuruvi
  • Palmitalzinho
  • Fortuna
  • Matão

SoloEditar

O solo do município é arenoso com cor predominante vermelho-escuro que também está presente em toda a região.[56]

VegetaçãoEditar

Mata atlântica, cerrado [57] e pastagem, no início da primavera pode-se apreciar os Leiteiros, típicos desta região repletos de suas pequenas flores brancas, muitas vezes infestando as pastagens. Cada vez mais comum na região são as florestas comerciais de eucaliptos.

Cidades próximasEditar

As distâncias a seguir são em linha reta e não via rodovia. Em destaque para os centros regionais próximos e que exercem influência sob Assis:

 Assis
 Andirá (48 Km)
 Maracaí (26 Km)
 Tarumã (19 Km)
 Palmital (25 Km)
 Echaporã (34 Km)
 Marília (70 Km)
 Lutécia (40 Km)
 Florínea (36 Km)
 Londrina (105 Km)

[53]

ArquiteturaEditar

 
Skyline de Assis visto da Zona Oeste na Avenida da Integração no Jardim Nossa Senhora de Fátima

Assis possui aproximadamente 54 prédios acima de 6 andares segundo o site Phorio, sendo que boa parte deles são do final dos anos 2000 e meados dos anos 2010, onde diversas construtoras locais, majoritariamente a Melior e a Duaço ergueram diversos edifícios residenciais de baixo, médio e alto padrão na cidade em praticamente todas as direções da cidade. O mais antigo edifício da cidade é o Vieira Dias, com obras iniciadas em 1956 e finalizado em 1961[58] e que também foi o primeiro a contar com um elevador, sendo instalado no largo da estação ferroviária.[59] O título de maior edifício de Assis pertecence, atualmente, ao Barão que teve o início de suas obras em 2011 e sua entrega em agosto de 2016 pela Construtora Duaço com 19 andares.[60][61]

 
Casa de Taipa em Assis

A cidade conta com outras edificações importantes como a Casa de Taipa que foi propriedade de Capitão José de Freitas Garcez, que foi o primeiro escrivão de paz do distrito. Ela foi edificada entre 1914 e 1915 para abrigar o Cartório de Paz, possui estrutura de madeira, paredes de pau-a-pique e revestimento de argamassa. Entre 1968 e 1999 foi sede da Sociedades de Estudos do Paranapanema e em 1999 com sua desativação foi transferida a FAC[62][63]

Além da casa de Taipa, também é de destaque a arquitetura da Faculdade de Ciências e Letras da Unesp de Assis e o Clube Recreativo sendo ambos dos anos 60[64] que possuem linhas da arquitetura moderna com desenho limpo, sendo que a faculdade utiliza-se de concreto e fachada envidraçada e o clube de uma estrutura em aço e vidro[65] foram projetados por João Walter Toscano. Também pertence ao grupo de edificações com arquitetura moderna a EE Ernani Rodrigues, diversas casas e casarões.

Outras edificações importantes e que definem a arquitetura de Assis são: as Oficinas de Locomotivas de 1926 e possui hoje uma parte de uma incubadora de empresas; o Mercado Modelo Municipal dos anos 60[66]; o Colégio Santa Maria; a EE Carlos Alberto Oliveira; o Paço Municipal; o Museu de Arte Primitiva (MAPA); a Biblioteca Municipal; o Fórum; a sede do DER; o Edifício Assis Center; o estádio do Jairão; a Concha Acústica; a Estação de Assis; a Curia Diocesana; a Primeira Igreja Presbiteriana Independente; a Diocese de Assis; a Basilica São Vicente de Paulo; a Catedral de Assis e também da estatua Capitão Assis instalada no cruzamento entre a Avenida Rui Barbosa e Avenida Dória.

DemografiaEditar

Os dados da Estimativa Populacional do IBGE em 2019 afirmam que o município possui 104 386 habitantes.[6]

Crescimento populacional
Censo Pop.
192013 047
194023 70381,7%
195032 95939,0%
196042 66629,5%
197057 22034,1%
198067 35717,7%
199185 39126,8%
200087 2512,2%
201095 1449,0%
Est. 2020105 087[67]10,5%
1920, 1934, 1940, 1950, 1960, 1970, 1980, 1991, 2000 e 2010

NOTA: - Em 1923 o então Distrito de Cândido Mota
- Em 1953 o Distrito de Florínea é emancipado
- Em 1993 o Distrito de Tarumã é emancipado
A população acima leva somada a população urbana e rural da sede e distritos

Fonte: IBGE[68][69][70][71]

O Censo do IBGE, realizado em 2010, fornece os seguintes dados sobre Assis [72]:

População total: 95.144

  • Urbana: 90.991
  • Rural: 4.153
População por sexo
  • Homens: 46.317
  • Mulheres: 48.827

EtniasEditar

O censo do ano 2010 do IBGE apresenta a seguinte composição etnográfica no município de Assis[73]:

Cor/Raça Porcentagem
Branca 72%
Negra 8%
Parda 18%
Amarela 1%
Sem declaração 1%

ReligiãoEditar

A maioria da população do município é adepta do catolicismo. Inclusive é sede de bispado, que abrange parte dos municípios da região. Logo em seguida, em número, vêm os evangélicos de diversas orientações. Segue o quadro com as principais denominações religiosas encontradas em Assis, segundo dados do censo 2010 do IBGE:

Religião Porcentagem Número
Católicos 65% 60.865
Protestantes 25% 18.526
Sem religião 5% 3.943
Espíritas 1% 867

Fonte: IBGE 2000 (dados obtidos por meio de pesquisa de autodeclaração).[74]


BairrosEditar

  • Alto dos Ipês [75]
  • BNH
  • Centro de Desenvolvimento de Assis I
  • Centro de Desenvolvimento de Assis II
  • Centro de Desenvolvimento de Assis III
  • Centro
  • Cervinho
  • Conjunto Habitacional Assis IV
  • Conjunto Habitacional Nelson Marcondes (Inocoop)
  • Condomínio Residencial Alvorada
  • Condomínio Residencial Aquarius
  • Condomínio Residencial Casablanca
  • Condomínio Residencial Damha I[76]
  • Condomínio Residencial D'Ville
  • Condomínio Residencial Esmeralda Park
  • Condomínio Residencial Monte Carlo
  • Condomínio Residencial Monte Verde
  • Condomínio Residencial Provence[77]
  • Condomínio Residencial Renascence[78]
  • Condomínio Residencial Vale do Sol I
  • Condomínio Residencial Vale do Sol II
  • Condomínio Residencial Viverdi I
  • Condomínio Residencial Viverdi II
  • Jardim 3 Américas I
  • Jardim 3 Américas II
  • Jardim Aeroporto
  • Jardim Alvorada
  • Jardim Amaury
  • Jardim América
  • Jardim Canadá
  • Jardim Eldorado
  • Jardim Europa
  • Jardim Faria
  • Jardim Monte Carlo
  • Jardim Morumbi
  • Jardim Nossa Senhora de Fátima
  • Jardim Olinda
  • Jardim Paraná
  • Jardim Paulista
  • Jardim Rezende
  • Jardim Santa Amélia
  • Jardim Santa Clara
  • Jardim São Nicolau
  • Jardim Sul
  • Jardim Taquaral
  • Park Colinas
  • Parque das Acácias
  • Parque do Bambu I
  • Parque do Bambu II
  • Parque das Flores
  • Parque Universitário
  • Portal São Francisco
  • San Fernando Valley
  • Vida Nova Assis
  • Vila Adileta
  • Vila Arlindo Luz
  • Vila Boa Vista
  • Vila Brasileira
  • Vila Cambuí
  • Vila Carvalho
  • Vila Cláudia
  • Vila Clementina
  • Vila Ebenézer
  • Vila Fabiano
  • Vila Fiuza
  • Vila Fortuna
  • Vila Funari
  • Vila Galvão
  • Vila Glória
  • Vila Independência
  • Vila Maria
  • Vila Maria Isabel
  • Vila Marialves
  • Vila Mercedes
  • Vila Nova Assis
  • Vila Nova Florínea
  • Vila Nova Santana
  • Vila Operária
  • Vila Orestes
  • Vila Ouro Verde
  • Vila Palhares
  • Vila Paraíso
  • Vila Piedade
  • Vila Progresso
  • Vila Prudenciana
  • Vila Ribeiro
  • Vila Rodrigues
  • Vila Rosângela
  • Vila Santa Cecília
  • Vila Santa Elisa
  • Vila Santa Rita
  • Vila Santana
  • Vila Silvestre
  • Vila Soubhie
  • Vila Souza
  • Vila Tênis Clube
  • Vila Triângulo
  • Vila Xavier
  • Vila Zulmira
  • Villa Bela


EsporteEditar

FutebolEditar

 
Estádio Tonicão

Assis também se destaca no esporte, tendo início com a chegada dos ferroviários na cidade, criando o Ferroviária em 1927 sendo mandante no Estádio Dr Adhemar de Barros[79]. Nos anos 1980 o Vila Operária Clube Esporte Mariano (Tonicão) com capacidade para 10 mil pessoas, chegou a disputar o quadrangular final do campeonato paulista A2, além disso, o VOCEM voltou a competir no ano de 2014 após 12 anos fora dos jogos[80]. Hoje o Clube Atlético Assisense representa a cidade no campeonato paulista sub-20.

CiclismoEditar

Há alguns anos uma equipe de ciclismo profissional representa a cidade nas principais competições brasileiras da modalidade como Roberto Barbosa, Oswaldo Silva Muniz e João Fernando de Maio e Diogo Bonini Marques.[18]

BasqueteEditar

 
Estádio do Jairão em 2015

O AMEA Assis Basket ou Conti Assis fundado em 2002 conseguiu o acesso a divisão especial do campeonato paulista e ficou com o vice campeonato. Desde 2008, a equipe participava da primeira divisão do NBB; o campeonato brasileiro de basquete, mas em meados de 2011 o clube oficializou suas atividades como suspensas devido à falta de apoio da administração municipal e dos decorrentes problemas financeiros. Havia a previsão de retorno do time em 2020[81], porém interrompidos pela pandemia de 2020. Os jogos locais do Conti Assis são feitos no estádio Ginásio Municipal Jairo Ferreira dos Santos (Jairão), que teve recuperação em seu piso em 2015 assim como o estádio Tonicão que foi recuperado na mesma época.[82] Além do Conti Assis, o basquete feminino também teve destaque em Assis nos anos 1960 e anos 1970 em Jogos Colegiais e Jogos Regionais no estado de São Paulo tendo atletas como Cleonice Maria Akves Gonzáles, que chegou até a Seleção Brasileira de Basquete juntamente com Giselda Durigam. Além delas, também é destaque Cleonice de Lurdes Fillipim, Cleide Maria Fillipim, Elianeth Dias Kanthack, Mariza Melo Moraes, Rita Márcia Moraes, Selma Rizzi, Sueli Tronco e Fernanda de Oliveira Bonini.[18]

EconomiaEditar

 
Exportações (2012)[83]

A composição do PIB do município demonstra a força do setor de serviços na economia local, sendo relativamente bem diversificado, porém altamente concentrado no setor de comércio e serviços (ver Composição da Economia). O desenvolvimento da cidade iniciou-se com a ferrovia, devido ao solo arenoso a atividade que sempre teve destaque na economia foi o setor terciário e de comércio, uma vez que o desenvolvimento agrícola seria maior nas cidades e distritos vizinhos, que possuíam melhor qualidade de terra. Com isso a cidade passou a ser referência de comércio, prestação de serviços de Educação, Saúde e Comunicações para a sua pequena região (na época a Alta Sorocabana) ajudando os agricultores e pioneiros a desbravarem o Oeste Paulista e o Norte do Paraná.

Até hoje o comércio possui papel importante, além de possuir maior parte na composição da economia, é o que emprega a maior parte dos assisenses, além disso, é do comércio que vem a maior parte do PIB do município. É diversificado, principalmente na parte de Supermercados (ver a seguir em Comércio e Serviços), abrigando diversas lojas. O Setor Industrial, apesar de ser o segundo mais relevante, é fraco devido ao processo relativamente recente de investimentos, o Distrito Industrial com baixa infraestrutura (que não conta com ruas asfaltadas, serviço de esgoto e outros), alta regulação de mercado e altos impostos que acabam destoando a capacidade de empreendimentos industriais na cidade. Além disso, na cultura local, existe uma grande crença que intervenções estatais e regulamentações municipais, estaduais e federais possam elevar o crescimento da cidade. Mesmo com esses problemas que impedem o desenvolvimento local, há algumas indústrias dentro e fora dele (ver em Indústria).

 
Atividades econômicas (2012)[84]

Diversas autoridades políticas tentam, sem sucesso, definir qual é a vocação econômica para o município, com o passar dos anos, a cidade recebeu inúmeras propostas de aprimoramento no segmento da agroindústria e de tecnologia, sendo a maioria absoluta delas, por meio de intervenção estatal, com a criação de zonas econômicas ou por outros meios legais, que não obtem efetividade sendo geralmente abandonadas após o uso político destas iniciativas.[85] Portanto, podemos dizer que Assis sofre com uma alta dose de regulamentação e intervenção estatal, que barra novos investimentos que possam aumentar a renda local e muitas destas interferências ocorrem com um intuíto oportunista e regulador, sob a perspectiva de crescimento.

Em termos de renda, segundo o site Atlas Brasil com dados do Pnud, Ipea e FJP, a renda per capita média (isto é, a média da renda de cada cidadão) de Assis subiu progressivamente de 1991 para 2010, pulando de R$ 585,49 para R$ 967,39; sendo uma das mais altas de toda a região, porém bastante abaixo da média estadual. A extrema pobreza caiu em nível expressivo, de 2.60% em 1991 para 0.33% em 2010. A porcentagem de pobreza caiu de 12.5% (1991) para apenas 3.24% (2010) e a População Economicamente Ativa em 2010 era de 66.6%.[86]

A cidade possui um potencial turístico na região do Médio Paranapanema, graças a Casa de Taípa (em que é abrigado parte do acervo histórico da região), o Parque Buracão, o Museu de Arte Primitiva de Assis, o Ecoparque[87], o Ecolago, a Aprumar, o Centro de Convivênvia ao Idoso (CDI), o Centro de Artes e Esportes Unificados (CEU), o Parque de Exposições "Jorge Alves de Oliveira"[88] embora alguns estão sem acesso ao público e outros em deterioramento total.

 
Estação de Assis. Durante muitos anos a ferrovia desempenhou uma importância grande no desenvolvimento de Assis.

Além disso, o município é servido pelo projeto Incubadora de Empresas de Assis - Núcleo de Desenvolvimento Empresarial "Renato de Rezende Barbosa"[89], criada no dia 25 de junho de 2004, com o apoio das entidades parceiras FIESP, SEBRAE, a FEMA e Prefeitura Municipal de Assis, localizada no antigo prédio das Oficinas de Locomotivas da FEPASA (antiga Estrada de Ferro Sorocabana), onde oferece serviços de apoio gerencial e administrativo às micro e pequenas indústrias do município, através do processo de Incubação. Os serviços compreendem, oferta de espaço para instalação da indústria, treinamento e capacitação dos empresários. Segundo um artigo de 2009 do site Vigor Econômico, as empresas são de pequeno porte e estão em crescimento para se lançarem no mercado, na época havia 10 empresas incubadas e mais uma por incubar: a CANTEC (Mecatrônica), Brasileirice (Moda), Diferenti (Moda), Dom Spinosa (Vinagres naturais e de frutas orgânicas - Biotecnologia), BioHengel (controle biológico - Biotecnologia), Biscoilito (Alimentos), Marcenaria Sob Medida (Movelaria), Celeri Bolsas (Moda), Ecovale (Indústria Química) e SDC Eletrônica (Eletrônica).[90] Além dessa incubadora, há também outras como a PreInova da Unesp Assis que visa incorporar projetos de alunos durante a graduação e realizar estudos para lançamentos dos mesmos no mercado.[91] A Unesp também mantém uma Incubadora de Cooperativas Populares, uma das poucas no estado (mantidas por universidades estatais) segundo o site Universia. [92]

Setor primário - AgronomiaEditar

É o setor que atualmente é o menos relevante para a cidade, é baseada na pecuária de corte e no cultivo de soja, trigo, milho e cana-de-açúcar.

Composição da economia (2018)[93]
Serviços

48,64 %

Comércio

36,72 %

Indústria

7,89 %

Construção Cívil

5,47 %

Agropecuária / Pecuária / Produção florestal / Pesca

1,29 %

Setor secundário - IndústriaEditar

A indústria, apesar de ser o segunto setor mais relevante na economia local, possui uma infraestrutura incipiente no chamado de CDA - Centro de Desenvolvimento de Assis, o parque industrial da cidade onde não há em vários lugares nem mesmo asfalto, embora que nos anos 2010 tenha sido feito algo no sentido de melhoria[94], o que ocasiona em diversas tentativas de indústrias quererem deixar a cidade[95]. O CDA é dividido em três zonas, existindo os CDA I, II e III, com destaque para as empresas de construção civil e alimentícia, além de concessionárias e empresas de transportes.

As indústrias mais relevantes da cidade são: a Cervejaria Malta (bebidas)[23], a Inter Brasil Alimentos (bebidas)[96], a Brasinter (química)[97], Altolim (química)[98], a Ramertec (estruturas industriais)[99], a Sollus (mecanização agricola)[100], a AFG do Brasil (agroindústria)[101], a Regional Telhas (construção cívil)[102], a Duaço (construção cívil e urbanização)[103], a Taiga (eletrônica, áudio profissional) [104], a Frigorífico Santa Amélia (Abatedouro de Frangos)[105], o Grupo Siqueira (minérios e pavimentação)[106], Hengel (biomassa)[107], a Sudract (suplementos)[108], a Moinho Nacional (alimentos)[109], a Gelcrem (alimentos)[110], Glutadela (alimentos)[111], Panneto (alimentos)[112], Soluções de Armazenagem (estruturas industriais)[113], Carvoaria Ipê[114], Bencoaço (aço e minério)[115], Gráfica Conosco (gráfica)[116], Concreforty (concreto)[117] e outras empresas.

A cidade passou ao longo dos anos por um processo de desindustrialização após meados dos anos 1990. Nos anos 80, a cidade abrigou a Mecapel que obteve um certo sucesso com sua linha M sob a marca EMC.[118][119]Anteriormente teve ainda a Sociedade Algodoeira do Nordeste Brasileiro[120], CEAGESP, além de empresas locais como a Frigorífico Cabral, Colchões Lord, Latícinios Leco e outras.

Contudo, são das indústrias de cana-de-açúcar da região, sobretudo aquelas de Tarumã, Paraguaçu Paulista e Maracaí as mais relevantes e de maior peso regional, são representadas pela Raízen, Zilor e Agroterenas.

Setor terciário - Comércio e ServiçosEditar

Assis é destaque regional no comércio, sendo o setor mais importante de sua economia (ver Composição da Economia), principalmente para o segmento de supermercados. A Rede de Supermercados Avenida[121] é uma das redes local que durante muitos anos era quem possuía maior fatia de mercado nesse segmento na cidade, sendo que chegou a ter instalada 7 lojas, além de ter lojas em inúmeras cidades da região, também chegou a atuar no Norte do Paraná em cidades como Bandeirantes e Santo Antonio da Platina[122]. É a 55ª maior rede de supermercado do Brasil e a 18º maior do estado com faturamento na casa de R$ 600 milhões e 1660 funcionários em suas 20 unidades. [123] Porém em 2016, devido a questões internas, optou-se por mudar de Assis para Cândido Mota o Centro de Distribuição e a sede administrativa da rede, com investimento aproximado de R$ 10 milhões.[124]

Contudo, após a inauguração da rede de Lins, o Supermercados Amigão[125] em 30 de Abril de 2007, a cidade começou a oferecer inúmeras opções no ramo supermercadista, em pouco tempo, o Supermercados Avenida restaurou, ampliou e reformou várias de suas lojas e inaugurou o Avenida Max (na Avenida Dom Antonio, perto do campus da Unesp) em 20 de Dezembro de 2007[126], o São Judas Tadeu Supermercados em 05 de Novembro de 2011[127], o Assis Plaza Shopping foi reestruturado (em 2012) após a aquisição pela Rede Torra Torra em 12 de Junho de 2012[128] com 60 locações, em 2013 a cidade recebeu uma unidade do Walmart em 06 de Junho de 2013[129], do McDonald's em 22 de Dezembro de 2013[130], do Burger King em 2014[131] e havia a previsão de instalação do Habib's em 2014, o que acabou não ocorrendo[132]. Desde Fevereiro de 2020, a unidade do Walmart foi transformada em BIG, estando alinhada com o resto de lojas da antiga operação do Walmart no Brasil.[133]

No segmento automotivo, conta com diversas concessionárias de veículos de passeio, sendo elas concessionárias da Fiat (A-Tração)[134], Chevrolet (Suprema)[135], Toyota (Mirai)[51], Volkswagen (Comasa)[136], Jeep (Way)[52] e Ford (Renova)[137], além de outras de caminhões e veículos agrícolas, além diversas oficinas, autorizadas, lojas de acessórios, funilaria e outros pertencentes ao segmento automotivah.

Também há empresas de serviços em outros setores como a Karony (outdoors)[138] e o Grupo TCM (tercerização e serviços em diversas áreas)[139] são as mais relevantes e com projeção nacional.

Setor quaternárioEditar

Tecnologia da InformaçãoEditar

Em meados dos anos 2010, a cidade passou a contar com um número respeitável de empresas de Tecnologia da Informação (segundo o site Skyscrappercity, o número é na ordem de 65 empresas de Tecnologia) [140] como a antiga PRX, hoje parte da TOTVS - uma das maiores empresas no ramo de serviços e soluções para o agronegócio[141]. Apesar da aquisição da PRX, existem inúmeras empresas de desenvolvimento de software na cidade, com ênfase em diversos segmentos da economia como Sistemas de Informações Geográficas (como a empresa Comunicar TI e a Engemap[142]) até segmentos de gestão de farmácia (como a VSM).[143]

Assis é a maior concentradora das maiores empresas de TI da região do Vale do Paranapanema, tendo sedes ou unidades também na cidade, além das empresas citadas, segundo o AssisCity [144] há também a Web Managers (desenvolvimento web e sistemas de gerenciamento), a Engemap (Sistemas de Cartografia) e outras de menor porte. O principal fator dessas empresas crescerem na região é a mão de obra qualificada e formada pela FEMA (e principalmente por ter sido a primeira com cursos de TI em toda a região) com os cursos de Análise de Sistemas (1988) e Ciência da Computação (1998) além de outras instituições de ensino (ver em Infraestrutura>Ensino Superior) incluindo instituições de Ourinhos e Cornélio Procópio, em que a interação regional é maior, além da economia favorável da região para a criação de fábricas de software naquela região, também a baixa regulamentação do setor - principalmente por ser uma área que ainda não sofreu nenhum tipo grave de regulamentação nas esferas federais, estaduais e principalmente das municipais, além das melhorias em redes de comunicação no final da segunda metade dos anos 2010 (ver tópico Telecomunicações). Todavia, a cidade sofre inúmeras ameaças de criações de APL (Arranjo Produtivo Local) sob o argumento que, a criação das mesmas, serviria para unir as empresas da área-fim para torna-las mais desenvolvidas e competitivas, bem como integração com universidades.

Todavia, não podemos deixar de considerar que há interessados em criar regulações em nível local apenas para limitar o crescimento do setor na cidade, sendo uma medida de restrição mercadológica, sendo conduzido principalmente por políticos ou por professores das universidades associadas a tais movimentos de criação de APL, que possuem empresas ligadas a tecnologia da informação em uma tentativa de regulação do mercado local já restrito, o que reduziria sua competição, tendo como consequência o aumento dos preços destes produtos e a redução de competitividade[145]. Assis como outras cidades brasileiras não possui uma economia de mercado sofrendo inúmeras regulações e impostos, a maioria deles gera monopólios, baixa competitividade e outros problemas quanto a liberdade econômica e o problema do cálculo econômico.

E-commerceEditar

Devido as particularidades locais onde o comércio prevalece, nos anos 2010 iniciou uma onda de e-commerces em Assis, onde a maior de todas é a Leveros, do segmento de ar condicionado que foi fundada em 1978 ainda como Gelosom e iniciou seu e-commerce em 2007 ainda sob a marca Multi-Ar. Em 2016 o Bradesco fez uma compra de 30% da empresa [146]e desde 12 de Setembro de 2017 a empresa transformou-se em Leveros tendo como meta o faturamento de R$ 1 bi até 2020[147], sendo que em 2015 o faturamento da mesma era na ordem de R$ 300 mi[148]. Outros e-commerces locais são a Moove Nutrition (segmento de suplementos) [149], a VSM Shop (automação comercial, informática e naútica)[150], a Útil & Lazer (utilidades domésticas)[151] e a Autotudo (segmento automotivo)[152]

TelecomunicaçõesEditar

Há empresas como a OAI[153], Olá Telecom[154], Cabonnet[155], iFastnet[156], Webby Telecom, Vivo e a InfoAssis [157] que trabalham em serviços de internet banda-larga sem fio (via rádio), ADSL, conexão coaxial e em determinadas regiões opera com fibra óptica, em que na atualidade boa estrutura delas em fibra óptica com preços competitivos e velocidades superiores a 100 Mbps em média em boa parte da cidade. Há também diversas empresas que atuam na venda de equipamentos de tecnologia e lojas de serviço de várias operadoras de nível nacional como a Vivo, TIM, Oi e Claro, sendo que apenas a Oi não opera em 4G na cidade.

A internet chegou na cidade em meados dos anos 1990 pela FEMANET (provedor local, discado, mantido pela Fundação Educacional do Município de Assis que visava colocar a região na Internet e ainda melhorar a capacitação de seus alunos) e também uma rede rudimentar de intranet da UnespNET restrita ao meio acadêmico. Outros provedores também fizeram parte daquele momento importante, como a iTOPnet (que não está mais atuante) e a Cabonnet (que se manteve até 2017 com esta marca).

Assis é coberta pela rede da estatal Eletronet onde mantem em Assis um backbone, embora não haja venda direta ao consumidor e tenha uma operação desconhecida ao público geral mas, a cidade é referenciada no site da rede de transmissão da mesma. [158]

Infraestrutura UrbanaEditar

EducaçãoEditar

 
Escola Estadual Carlos Alberto de Oliveira criada nos anos 50 foi a primeira Escola Normal estatal de Assis

A educação oficial no município iniciou-se em 1917 com a criação da chamada Escola Isolada de Assis, por meio de transferência de uma escola de Campos Novos do Paranapanema, essa daria origem futuramente ao Grupo Escolar "João Mendes Júnior". Em 22 de Maio de 1950 é instalada a Escola Normal Oficial de Assis, destinada a formação de professores que seria transformada em Instituto Estadual de Educação (em 1957) e na década de 70, com a extinção dos Institutos de Educação no Estado de São Paulo, assumiu a denominação de EEPSG "Dr. Clybas Pinto Ferraz", atual EE "Dr. Clybas Pinto Ferraz", sediada na Vila Santa Cecília .[159] O prédio original da Escola Normal Oficial de Assis passou por diversas denominações, porém hoje abriga a EE Carlos Alberto de Oliveira com os cursos de Ensino Fundamental, Médio e o Centro de Estudos de Línguas (CEL)[160]

A cidade é uma das sete que possuem o Centro para Desenvolvimento do Potencial e Talento (CEDET), que atende crianças e adolescentes talentosas.[161]

Destaca-se atualmente entre as escolas de Ensino Médio estatais, a instituição mantida pelo Centro Paula Souza a Etec Pedro D'Arcádia Neto, que oferece cursos de ensino técnico como Enfermagem, Administração, Contabilidade, Açúcar e Álcool, Química, Desenvolvimento de Sistemas, Informática, Comércio (EAD), Turismo (EAD), Secretariado (EAD), Mecânica e o Ensino Médio.[162] Existiu na segunda metade dos anos 2010 uma unidade do IFSP no campus do IMESA com os Cursos Técnicos de Administração e Manutenção e Suporte em Informática[163] porém devido a ausência de um campi universitário, pois a instituição utilizava a estrutura do IMESA para operar e nem uma regularização do mesmo, a unidade acabou por ser fechada.

Institutos SuperioresEditar

 
A UNESP incorporou a Faculdade de Filosofia de Assis em 1976, sendo uma das primeiras Faculdades de Filosofia do Oeste Paulista

O município é considerado um importante centro educacional e tecnológico. Nos anos 50 foi criada a Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Assis (FAFIA) na condição de Instituto Isolado de Ensino Superior [164]. A FAFIA foi a primeira instituição de ensino estatal superior de todo o Oeste Paulista (a mais próxima, naquele tempo, era a Faculdade de Filosofia de Londrina) e seu modelo, indiretamente inspirou as demais faculdades que seriam criadas posteriormente em um raio de 100 km de Assis. A Faculdade de Filosofia de Assis, entretanto, é apontada em diversas literaturas como uma faculdade de inspiração no modelo clássico da USP, com uma Faculdade de Filosofia para ser usada futuramente como núcleo de uma universidade e produção acadêmica voltada para pesquisas de alto nível. O corpo docente do curso de Letras foi um dos mais expressivos de seu tempo. Nessa época a cidade teve sua onda de modernidade e vislumbrava um futuro através da educação. Outras tentativas de criação, da Faculdade de Agronomia, Faculdade de Ciências Econômicas e Faculdade de Odontologia e Farmácia fracassaram, nas palavras de José Santilli Sobrinho devido "a falta de tempo", embora outros considerem a falta de interesse político para tal. Em um vídeo em seu site, Santilli diz que se tais instalações tivessem ocorrido, era provável que os Institutos Isolados tivessem sido transformados na hipotética Universidade Estadual de Assis.[165] Após a FAFIA, demorariam mais de 50 anos para ser instalada uma nova instituição estatais de ensino superior, com a chegada da Faculdade de Tecnologia de Assis.

Nos anos 70, criada com vínculo ao Pontifício Instituto das Missões Exteriores a Escola de Educação Física de Assis, a atual Faculdade de Educação Física do IEDA, desde janeiro de 2014 a instituição pertence a UNIESP[166]. No final dos anos 80 é instalado o Instituto Municipal de Ensino Superior de Assis (IMESA), mantido pela Fundação Educacional do Município de Assis (FEMA)[167] como parte do sistema estatal municipal de ensino ministrando cursos superiores, naquele tempo com Matemática e Tecnologia em Processamento de Dados, tornando-se referência regional em educação superior.

Além das faculdades e universidades referidas, a cidade de Assis possui um polo de Pós Graduação da USP - ESALQ[168], recebe o curso de Pedagogia pela parceria da Unesp/Univesp e foi anunciado recentemente a parceria entre a Prefeitura Muncipal e o CEETEPS para a implantação de uma unidade da Fatec na cidade, após a perda da Classe Descentralizada da Fatec Ourinhos nos anos 2000.[169]. No dia 17 de Março de 2014, foi anunciada a instalação da Faculdade de Tecnologia de Assis, publicada no Diário Oficial, com previsão de início das atividades no 2º semestre de 2014 com o curso de Tecnologia em Gestão Comercial.[170] A Fatec foi instalada inicialmente dentro da Etec Pedro D'Arcádia Neto e posteriormente mudou-se para o campos da Unesp Assis em 2018[171]

Segurança Estatal e CriminalidadeEditar

 
Brasão da PMSP.
Roubos/Furtos por 100 mil habitantes[172]
Ano Roubo Furto
1999 287,89 2.789,11
2000 288,41 2.376,22
2001 216,96 2.829,52
2002 191,33 2.591,92
2003 197,40 2.328,62
2004 205,62 2.192,23
2005 208,84 3.019,49
2006 178,76 2.129,76
2007 182,34 1.252,62
2008 215,10 1.336,63
2009 310,93 1.520,68
2010 245,07 1.561,93
2011 250,69 1.450,90
2012 261,42 1.340,29
2013 276,10 1.280,59

Como na maioria dos municípios médios e grandes brasileiros, a criminalidade ainda é um problema em Assis. Apesar de a taxa de homicídios ter abaixados nos últimos anos, os roubos se mantiveram estáveis e ainda é o principal problema de criminalidade na cidade[173]. Em 2008, a taxa de homicídios no município foi de 14 para cada 100 mil habitantes, ficando na 97ª posição a nível estadual e no 1293° lugar a nível nacional[174]. Em 2013, foi de 8,24 assassinatos para cada 100 mil habitantes[175]. O índice de suicídios naquele ano para cada 100 mil habitantes também foi de 6,8, sendo o 66ª a nível estadual e o 735° a nível nacional.[176] Já em relação à taxa de óbitos por acidentes de transito, o índice foi de 28 para cada 100 mil habitantes, ficando na 63ª posição a nível estadual e no 563° lugar a nível nacional.[177]

É sede do 32º Batalhão de Polícia Militar do Interior (32º BPM/I), criado pelo decreto estadual 24.572, de 27 de dezembro de 1985 e atua em 13 municípios da região (Assis, Paraguaçu Paulista, Cândido Mota, Palmital, Tarumã, Maracaí, Cruzália, Lutécia, Pedrinhas Paulista, Florínea, Ibirarema, Platina e Campos Novos).

Está instalado um Conselhos Comunitários de Segurança(CONSEG) em Assis pertencente a região do Deinter 4 [178].

Serviços e transportesEditar

 
Antiga sede da Vale Paranapanema, que atualmente é parte da Energisa antes da incorporação

O serviço de abastecimento de água de toda o município, em caráter de monopólio, é feito pela SABESP.[179] Já o abastecimento de energia elétrica, também feito em sistema de monopólio, é feito pela Empresa de Eletricidade Vale Paranapanema (VALE), hoje parte da Energisa[180], que atende ainda a alguns municípios do Médio Paranapanema.[181] Ainda há serviços de internet discada, banda larga (ADSL) e Fiber-to-the-Home por diversas operadoras locais e nacionais. O serviço telefônico móvel, por telefone celular, é oferecido por diversas operadoras com a maioria tendo sinal estável de 4G pela cidade, sendo a cobertura da Vivo a maior de todas e a da Oi a única ainda em 3G. O código de área (DDD) de Assis é 018[182] O único Código de Endereçamento Postal (CEP) do município é 19800-000.[183] No dia 8 de janeiro de 2009 o município passou a ser servido pela portabilidade, juntamente com outras cidades de DDDs 018 e estados do Rio Grande do Sul (DDDs 51 e 55), Tocantins (63), Mato Grosso (65) e Amazonas (92 e 97).[184]



SaúdeEditar

A cidade conta com vários hospitais em vários pontos da cidade. Destaque para o Hospital Regional de Assis (HRA), o antigo Hospital Distrital de Assis, inaugurado na década de 90, atende toda a região de Assis e de outros lugares de São Paulo.

 
Imagem do Hospital Regional de Assis (HRA)

Números relevantes a saúdeEditar

Os dados abaixo usam como fonte o IBGE [185]:

  • Mortalidade infantil até 1 ano (por mil): 11,75
  • IDH-M Longevidade: 0,810
  • Expectativa de vida (anos): 75,23
  • Hospitais Estaduais: 2
    • Hospital Regional de Assis
    • Ambulatório Médico de Especialidades (AME) de Assis [186]
    • Unidade Pronto Atendimento (UPA)
  • Hospitais Municipais: 22
  • Hospitais Particulares: 29

Abaixo, unidades controladas pela Secretaria Municipal da Saúde:[187]

Unidade Básica de Saúde


  • UBS Bonfim
  • UBS Central
  • UBS Fiuza
  • UBS Jardim Paraná
  • UBS Maria Isabel
  • UBS Vila Operária
  • UBS Vila Ribeiro

Média Complexidade


  • Centro de Diagnósticos
  • Centro de Especialidades
  • Centro de Reabilitação
  • CIAPS
  • GIPA
  • UPA
  • Unidade Referêncial Sudoeste
  • AME
  • SAMU Assis

Unidade Saúde da Família


  • USF Bonfim
  • USF COHAB IV
  • USF Jardim Eldorado
  • USF Jardim III Américas
  • USF Parque Universitário
  • USF Rural
  • USF Vila Cláudia
  • USF Glória
  • USF Vila Progresso
  • USF Vila Prudênciana
  • USF Vitória

TransporteEditar

Assis possui uma mescla de serviços estatais, concedidos e privados de transportes. O transporte urbano é provido atualmente pela Prefeitura de Assis, tendo sido muncipalizado em 2018[188] após diversas tentativas de empresas após a AVOA ter perdido a concessão de operação e liga diversos pontos da cidade, fazendo uso do Terminal Rodoviario (Zona Norte) e do Terminal Urbano (Central). Além disso, também há linhas regulares com amplas opções de horários para as principais cidades da região e para o Norte do Paraná sendo que a maioria delas possui apenas um operador, tal qual em muitas cidades brasileiras, transporte urbano e interurbano em Assis é regido em carater de monopólio estatal. Além disso, possui uma linha férrea que cruza o município de sul a norte passando por diversos bairros operada pela Rumo. Contudo, em tempos atuais não possui linha regular de passageiros e nem mesmo para carga desde 1999.

 
A Otto Ribeiro (imagem) é uma das avenidas que compõem o chamado de "sistema perimetral" de Assis cruzando as zonas norte, oeste e sul da cidade

Em termos urbanisticos, Assis não é uma cidade planejada embora possua um sistema de avenidas que cortam a cidade. Contudo, algumas vias que fazem ligações norte-sul e leste-oeste são estreitas e assim como boa parte dos municípios médios e grandes brasileiros, possui congestionamentos. As vias de maior relevância, além da Avenida Rui Barbosa (principal arteria da cidade) e avenidas adjacentes no centro, parte do sistema viario urbano é por meio da chamada Avenida Perimetral. Embora seu escopo original pouco assemelha a avenida implementada, a Avenida Perimetral é a junção da Av Otto Ribeiro com outras vias arteriais circulando entre 2 até 4 faixas de rolamento. Seu início é no cruzamento da Av Otto Ribeiro e a Rua José Vicente Figueiredo (Zona Sul) e se prolonga até o fim da Av Sebastião Mendes de Brito no cruzamento com a Avenida Abílio Duarte de Sousa. Porém, devido a alta concentração comercial no centro, a maior parte dos congestionamentos se concentra na Avenida Rui Barbosa e adjacências. Boa parte do sistema viario de Assis foi planejado entre os anos de 1910 (Avenida Rui Barbosa) e 1980 (Avenida Otto Ribeiros e vias auxiliares), não tendo em vista, portanto o crescimento populacional e de veículos da cidade.

Assis possui um aeroporto asfaltado e com equipamentos para voo, porém não é usado para fins de embarque e desembarque por companhias aereas[189] apesar disto, conta com diversos aprimoramentos nos anos 2010 pelo governo estadual, porém é usado por companhias privadas locais, principalmente por companhias agrícolas regionais como a Vale Paranapanema[190]. É usado pelo clube de aviação local e por empresas da cidade e da região. Criado nos Anos 60, sendo o segundo aeroporto da cidade (o primeiro era dos Anos 40, ainda de terra feito no atual Jardim Aeroporto) construído em uma marginal da Rodovia Raposo Tavares. Em 10 de outubro de 2019, em matéria publicada pelo AssisCity, o aeroporto foi anunciado no pacote de concessão do Governo do Estado de São Paulo.[191]

FrotaEditar

O Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) divulgou informações que apontam um crescimento da frota de veículos em circulação no município. Em Setembro de 2020 havia 82.281 veículos emplacados no município naquele período, sendo 42323 carros, 19220 motos, 6610 caminhonetes, 4362 motonetas, 2255 caminhonetas, 2033 caminhões, 597 ciclomotores, 409 ônibus e 214 micro-ônibus.[192] Em Julho de 2014 era a segunda colocada com o maior número de emplacamentos no Estado de São Paulo, sendo que 40 eram carros usados, 18 novos e próximo de 4 motocicletas por dia.[193][194]

RodoviasEditar

 
A cidade de Assis é sede do DR7

Assis é sede do Departamento de Estradas e Rodagens, sendo a 7ª Divisão Regional.[195]É responsável por gerir estradas do Médio Paranapanema e de parte das Regiões de Marília e Ourinhos. A seguir, a lista das rodovias que cortam Assis e ligam o município as principais cidades da região.


ComunicaçõesEditar

Telefonia FixaEditar

A cidade foi atendida pela Empresa Telefônica Paulista[196][197] até 1973, quando passou a ser atendida pela Telecomunicações de São Paulo (TELESP)[198], que construiu a central telefônica utilizada até os dias atuais. Em 1998 esta empresa foi privatizada e vendida para a Telefônica[199], sendo que em 2012 a empresa adotou a marca Vivo[200] para suas operações de telefonia fixa.

JornaisEditar

  • Voz da Terra
  • Jornal de Assis
  • Jornal da Segunda
  • Diário de Assis
  • AssisNews (online)
  • AssisCity (online)
  • Assis Notícias (online)

RádiosEditar

  • Rádio Interativa (FM 100,1 MHz)
  • Rádio Antena Jovem (FM 94,9 MHz)
  • Rádio Cidade (FM 107,9 MHz - Rádio Comunitária)
  • Rádio Difusora (AM 1140 kHz)
  • Rádio FEMA FM (FM 105,9 MHz - Rádio Educativa)
  • Rádio Cultura AM (AM 1020 kHz)
  • Rádio Escuta (FM 92,1 - Católica)
  • Rádio Matrix FM (Online)

Canais de TVEditar

Além das tradicionais redes nacionais como Globo (digital), SBT (digital), Band (digital), Rede Vida (digital), Rede Record (digital), Mix TV (digital), TV Canção Nova (digital), TV Câmara (digital) e TV ALESP (digital) [201] há as seguintes opções locais:

  • TV FEMA/TV Unesp (pela Cabonnet)
  • TV COM - Canal 22 (pela Cabonnet)
  • UpTV - Canal 23 (pela Cabonnet)
  • TV Viena (pela Cabonnet e online)
  • TV Câmara Municipal de Assis (pela Cabonnet e pelo Sinal de TV Digital)

Desde 29 de Novembro de 2018 o sinal aberto de televisão é feito apenas digitalmente, tendo sido o sinal analógico desativado desde então [202]

TurismoEditar

O Wikivoyage possui o guia Assis

Em Assis há algumas alternativas de turismo como os locais a seguir:

 
Museu Rezende Barbosa é parte das possibilidades turísticas da cidade
  • Turismo Rural - Água da Fortuna
  • Ecolago Horto Florestal
  • Estação Experimental de Assis
  • Parque Buracão "João Domingos Coelho"
  • Diocese de Assis
  • Cinema Municipal "Piracaia"
  • Assis Plaza Shopping
  • Shopping Pertutti
  • Teatro Municipal "Pe Enzo Ticinelli"
  • Museu e Arquivo Histórico de Assis (MAHA) Casa de Taipa
  • Museu de Arte Primitiva "José Nazareno Mimessi" (MAPA)
  • Memorial Rezende Barbosa
  • Paróquia Sagrado Coração de Jesus - Catedral
  • Centro Cultural "Dona Pimpa"
  • Ecoparque Centro Social Urbano
  • Centro de Documentação e Apoio a Pesquisa
  • Biblioteca Comunitária "Angelina Iarede"
  • Biblioteca Municipal "Nina Silva"
  • Estação de Assis
  • Concha Acústica "Cornélio Fortuna - O Maestro"
  • Associação dos Artesões de Assis
  • Ponto de Cultura Galpão Cultural

Filhos ilustresEditar

PolíticaEditar

Paço Municipal
Câmara Municipal

De acordo com a Constituição de 1988, Assis está localizada em uma República federativa presidencialista. Foi inspirada no modelo estadunidense, no entanto, o sistema legal brasileiro segue a tradição romano-germânica do Direito Positivo. A administração municipal se dá pelo poder executivo e pelo poder legislativo.

Antes de 1930 os municípios eram dirigidos pelos presidentes das câmaras municipais, também chamados de agentes executivos ou intendentes. Somente após a Revolução de 1930 é que foram separados os poderes municipais em executivo e legislativo. Nas Eleições de 2020 o candidato re-eleito foi José Fernandes do Partido Democrático Trabalhista (PDT), ele obteve 56,81% dos votos válidos, o que corresponde a 25.811 dos 71.685 eleitores. [203][204]

Assis é município sede da Região de Governo, da sua Região Imediata e do Consórcio Intermunicipal Vale do Paranapanema (CIVAP) que congrega 21 municípios, somando aproximadamente 400 mil habitantes. Até meados de 2020, o CIVAP era composto por 37 cidades, algumas dentro e outras foras do limite da Região de Assis. Até a data, as cidades signatárias do Consórcio eram Agudos, Assis, Borá, Cândido Mota, Campos Novos Paulista, Cruzália, Duartina, Echaporã, Espirito Santo do Turvo, Fernão, Florínea, Ibirarema, Iepê, João Ramalho, Lutécia, Lupércio, Manduri, Maracaí, Nantes, Narandiba, Ocauçu, Oscar Bressane, Ourinhos, Palmital, Paulistânia, Paraguaçu Paulista, Pedrinhas Paulista, Platina, Quatá, Rancharia, Sandovalina, Santa Cruz do Rio Pardo, Taciba e Tarumã. [205]

AdministraçãoEditar

[207]

FeriadosEditar

Em Assis há três feriados municipais, oito feriados nacionais e três pontos facultativos. Os feriados municipais são: Sexta-feira Santa, Corpus Christi, Aniversário de Assis (comemorado no dia 1º de julho) e Finados[208] [209] Além desses feriados, foi criado, por meio da Lei Municipal 5.629 de 2012 o Dia Municipal do Ferroviário como homenagem a classe que trouxe o desenvolvimento para a cidade.[210] De acordo com a lei federal nº 9.093 de 12 de setembro de 1995, os municípios podem ter no máximo quatro feriados municipais, já incluída a Sexta-Feira Santa.[211][212]

Ver tambémEditar


Referências

  1. «Projeto idealiza Assis como cidade do software». Assis Notícias 
  2. a b Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2017). «Base de dados por municípios das Regiões Geográficas Imediatas e Intermediárias do Brasil». Consultado em 10 de fevereiro de 2018 
  3. http://mapas.ibge.gov.br/divisao/viewer.htm
  4. a b «Distâncias entre a cidade de São Paulo e todas as cidades do interior paulista». Consultado em 26 de janeiro de 2011 
  5. IBGE (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  6. a b c Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (13 de julho de 2020). «Estimativas da população residente no Brasil e unidades da federação com data de referência em 1º de julho de 2020» (PDF). Consultado em 27 de Agosto de 2020 
  7. «Mapa da Pobreza e Desigualdade». 2003. Consultado em 16 de Fevereiro de 2014 
  8. «Atlas do Desenvolvimento Humano». Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 19 de setembro de 2013 
  9. a b «SEADE 2017». SEADE. Consultado em 13 de Julho de 2020 
  10. «IDH brasileiro e posições por cidade» 
  11. «O ranking definitivo das cidades mais desenvolvidas do país». Exame. 9 de junho de 2014. Consultado em 14 de julho de 2020 
  12. «IPC Marketing BR as 500 maiores cidades do país em consumo» (PDF). web.archive.org. 8 de maio de 2014. Consultado em 17 de agosto de 2020 
  13. «Assis: uma das melhores cidades de SP para se viver. E que continue assim - Assiscity - Notícias de Assis SP e região hoje». www.assiscity.com. Consultado em 20 de novembro de 2020 
  14. «Assis entra no ranking das melhores cidades para investir - AssisNews». www.assisnews.com.br. Consultado em 20 de novembro de 2020 
  15. «Melhores cidades para fazer negócios». Urban Systems. Consultado em 20 de novembro de 2020 
  16. a b «História da Cidade». Câmara Municipal de Assis. Consultado em 14 de julho de 2020 
  17. «Assis-SP - Região 04». www.nossosaopaulo.com.br. Consultado em 14 de julho de 2020 
  18. a b c De Maio, Maria das Graças (2003). Assis: cidade fraternal. São Paulo: Noovha América. pp. 58–59 
  19. Barrero, Marcos, 1953- (2008). Assis de A a Z : a enciclopédia do século, 1905-2005. São Paulo: L2M. p. 355. OCLC 437034258 
  20. a b Barrero, Marcos, 1953- (2008). Assis de A a Z : a enciclopédia do século, 1905-2005. São Paulo: L2M. p. 378. OCLC 437034258 
  21. a b Barrero, Marcos, 1953- (2008). Assis de A a Z : a enciclopédia do século, 1905-2005. São Paulo: L2M. p. 379. OCLC 437034258 
  22. DANTAS, Antonio de Arruda. Memória do patrimônio de Assis: história
  23. a b «Malta». www.malta.com.br. Consultado em 14 de julho de 2020 
  24. Menarin, ‪Carlos Alberto (2010). «Leituras do Espaço e da Política: Elementos para uma História Ambiental Urbana». II Colóquio da Pós-Graduação em Letras - UNESP: 267-282 
  25. Neto, Carlos de Castro Neves. «A REVOLUÇÃO VERDE EM ASSIS/SP» (PDF). UNESP. Consultado em 22 de Setembro de 2020 
  26. FRANCISCO, Alyson Bueno (2019). «OS PARQUES ECOLÓGICOS FORMADOS NAS ANTIGAS ÁREAS DEGRADADAS POR EROSÕES URBANAS EM ASSIS E RANCHARIA-SP». Toledo Centro Universitário. Consultado em 22 de setembro de 2020 
  27. Messias, Cláudio (26 de fevereiro de 2013). «Blog do Messias: Parque Buracão: belezas únicas, largado». Blog do Messias. Consultado em 23 de setembro de 2020 
  28. Kick, Juliana (22 de fevereiro de 2010). «Oásis no meio do deserto». Descobrindo Assis. Consultado em 23 de setembro de 2020 
  29. «Repressão militar em Assis-SP-Brasil». www.egydioimprensa.com.br. Consultado em 21 de julho de 2020 
  30. Brasil, CPDOC-Centro de Pesquisa e Documentação História Contemporânea do. «SANTILLI SOBRINHO, JOSE». CPDOC - Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil. Consultado em 21 de julho de 2020 
  31. Barrero, Marcos, 1953- (2008). Assis de A a Z : a enciclopédia do século, 1905-2005. São Paulo: L2M. pp. 400–401. OCLC 437034258 
  32. Gorni, Antonio Augusto (26 de janeiro de 2003). «A Eletrificação da Estrada de Ferro Sorocabana». www.tsfr.org. Consultado em 22 de outubro de 2020 
  33. Barrero, Marcos, 1953- (2008). Assis de A a Z : a enciclopédia do século, 1905-2005. São Paulo: L2M. p. 356. OCLC 437034258 
  34. Barrero, Marcos, 1953- (2008). Assis de A a Z : a enciclopédia do século, 1905-2005. São Paulo: L2M. p. 357. OCLC 437034258 
  35. «Mapa da Evoluição Urbana» (PDF). Prefeitura Municipal de Assis. Consultado em 23 de setembro de 2020 
  36. Terra, Jornal Voz da (16 de julho de 2014). «"SOS Corredor da Morte" ganha força em VT». Jornal Voz da Terra. Consultado em 14 de julho de 2020 
  37. «"Pavão" pede concordata em Ourinhos». Jornal Debate. 2 de março de 2002. Consultado em 14 de julho de 2020 
  38. «NOVA MCP COMUNICAÇÃO > 18 3324 4471». www.novamcp.com.br. Consultado em 14 de julho de 2020 
  39. «Agência Quest Comunicação 360º». Quest. Consultado em 14 de julho de 2020 
  40. «NovaMCP recebe 'Prêmio APP 35 anos'». O Diário do Vale. 10 de abril de 2019. Consultado em 23 de setembro de 2020 
  41. «Meio & Mensagem». portfoliodeagencias.meioemensagem.com.br. Consultado em 23 de setembro de 2020 
  42. «Publicidade e Propaganda da FEMA ganha destaque no mercado nacional - Assiscity - Notícias de Assis SP e região hoje». www.assiscity.com. Consultado em 23 de setembro de 2020 
  43. «Três agências de Sorocaba conquistam 7 troféus no 14º Prêmio Recall». jeonline.com.br. Consultado em 23 de setembro de 2020 
  44. «Supermercado Avenida Max é reinaugurada em Assis - AssisNews». www.assisnews.com.br. Consultado em 14 de julho de 2020 
  45. «Home». Amigão Supermercados. Consultado em 14 de julho de 2020 
  46. «São Judas Tadeu Supermercados». www.saojudastadeusupermercados.com.br. Consultado em 14 de julho de 2020 
  47. «São Judas Tadeu: População maciça comparece na inauguração - Assiscity - Notícias de Assis SP e região hoje». www.assiscity.com. Consultado em 14 de julho de 2020 
  48. «Hipermercado Walmart é inaugurado com sucesso em Assis; veja as fotos - Assiscity - Notícias de Assis SP e região hoje». www.assiscity.com. Consultado em 14 de julho de 2020 
  49. «Poupatempo Assis comemora 2 anos». Governo do Estado de São Paulo. 26 de setembro de 2016. Consultado em 14 de julho de 2020 
  50. «Prefeitura inaugura prédio do IML no aniversário de Assis, mas até agora não está em funcionamento - Assiscity - Notícias de Assis SP e região hoje». www.assiscity.com. Consultado em 14 de julho de 2020 
  51. a b Terra, Jornal Voz da (10 de fevereiro de 2015). «Mirai Motos entra na grande área». Jornal Voz da Terra. Consultado em 14 de julho de 2020 
  52. a b «Way Assis completa um ano em novo endereço com aumento de 80% nas vendas». Revista Estilo Livre. 16 de agosto de 2019. Consultado em 14 de julho de 2020 
  53. a b c «História, Economia e Geografia de Assis». Consultado em 25 de Fevereiro de 2014 
  54. «Climatologia de Assis». Consultado em 25 de Fevereiro de 2014 
  55. «Clima dos Municípios Paulistas - Assis». Centro de Pesquisas Meteorológicas e Climáticas Aplicadas à Agricultura (CEPAGRI). Consultado em 26 de maio de 2014 
  56. VAIDERGORN, José. As Seis Irmãs: As Faculdades de Filosofia, Ciências e Letras - Institutos Isolados de Ensino Superior do Estado de São Paulo - 1957 até 1964. [S.l.: s.n.] 
  57. «Tese de Mestrado da USP sobre a fragmentação do Cerrado de Assis» 
  58. Barrero, Marcos, 1953- (2008). Assis de A a Z : a enciclopédia do século, 1905-2005. São Paulo: L2M. p. 357. OCLC 437034258 
  59. «Assis, SP | Buildings | Gallery». pt.phorio.com. Consultado em 14 de julho de 2020 
  60. Corporation, Phorio Systems. «Edifício Barão in Assis | high-rise building». Phorio (em inglês). Consultado em 29 de outubro de 2020 
  61. «Construtora Duaço - Barão Residencial». Consultado em 29 de outubro de 2020 
  62. «Casa de Taipa está aberta para receber visitantes e excursões escolares, em Assis - Assiscity - Notícias de Assis SP e região hoje». www.assiscity.com. Consultado em 21 de setembro de 2020 
  63. «ASSISCULTURAL: MUSEUS». ASSISCULTURAL. Consultado em 21 de setembro de 2020 
  64. «clube recreativo de assis». Arquivo Arq. Consultado em 21 de setembro de 2020 
  65. «ACI - Assessoria de Comunicação e Imprensa». www.unesp.br. Consultado em 21 de setembro de 2020 
  66. «Mercado Modelo Municipal de Assis recebe nova pintura para revitalização - Assiscity - Notícias de Assis SP e região hoje». www.assiscity.com. Consultado em 21 de setembro de 2020 
  67. «Estimativa populacional de Assis para 2019» (PDF) 
  68. Cf. BRASIL. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Enciclopédia dos Município brasileiros. cit., vol XXVIII, 1956, págs. 87-88.
  69. «População por Município 1920-2010 (IPEAData)». Consultado em 25 de Fevereiro de 2014 
  70. BRASIL. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Enciclopédia do municípios brasileiros. Rio de Janeiro, volume XXVIII, 1956, págs 88-89
  71. «Histórico da População Assisense». IBGE. Consultado em 16 de Fevereiro de 2014 
  72. «Síntese das Informações do IBGE sobre Assis». 2010. Consultado em 16 de Fevereiro de 2014 
  73. «Tabela 136 - População residente por cor ou raça». IBGE. 2000 
  74. «Tabela 137 - População residente por religião». IBGE. 2000 
  75. «Plano Diretor de Assis». Prefeitura Municipal de Assis. Consultado em 10 de novembro de 2020 
  76. «Assis - Village I». Damha. Consultado em 20 de novembro de 2020 
  77. Unicod_Theme. «Construtora Duaço - Residencial Provence». Consultado em 20 de novembro de 2020 
  78. Unicod_Theme. «Construtora Duaço - Condomínio Renascence». Consultado em 20 de novembro de 2020 
  79. «Em busca do Estádio perdido em Assis e Salto Grande». As Mil Camisas. Consultado em 17 de julho de 2020 
  80. «Em seu retorno ao futebol profissional, VOCEM estréia na Segundona com triunfo sobre o PPFC». i7 Notícias. Consultado em 14 de julho de 2020 
  81. «Conti Cola Assis Basket retoma atividades para a temporada 2020». AssisCity. Redação do AssisCity. 12 de fevereiro de 2020. Consultado em 17 de julho de 2020 
  82. «Tonicão e Jairão são reformados para comodidade do público». AssisCity. Redação AssisCity. Consultado em 16 de julho de 2020 
  83. «Exportações de Assis (2012)». Plataforma DataViva. Consultado em 27 de janeiro de 2014 
  84. «Atividades econômicas de Assis (2012)». Plataforma DataViva. Consultado em 17 de agosto de 2020 
  85. «ASSIS - Vocação para a inércia». web.archive.org. 6 de março de 2014. Consultado em 14 de julho de 2020 
  86. «Perfil do Município de Assis» 
  87. «Prefeitura de Assis - Ecoparque será inaugurado neste sábado, 14». www.assis.sp.gov.br. Consultado em 14 de julho de 2020 
  88. «Prefeitura de Assis - Espaços de Lazer e Cultura». www.assis.sp.gov.br. Consultado em 14 de julho de 2020 
  89. «Sargento Valmir questiona prefeito sobre Projeto Incubadora de Empresas.». Câmara Municipal de Assis. Consultado em 14 de julho de 2020 
  90. «Incubadora de Assis completa cinco anos e está sob nova direção». Vigor Econômico. Outubro de 2009 
  91. «PreInova - Programa de Pré-Incubação» 
  92. «Unesp/Assis terá incubadora de Cooperativas Populares» 
  93. «Perfil Municipal, Emprego e Rendimento - SEADE». 2018. Consultado em 14 de julho de 2020 
  94. «O Distrito Industrial de Assis deve receber melhorias em 30 dias - Assiscity - Notícias de Assis SP e região hoje». www.assiscity.com. Consultado em 14 de julho de 2020 
  95. «ACIA questiona prefeito sobre a saída de empresas de Assis - Assiscity - Notícias de Assis SP e região hoje». www.assiscity.com. Consultado em 14 de julho de 2020 
  96. WebFormas. «Fabricante de Concentrado de Frutas em São Paulo». Inter Brasil Alimentos. Consultado em 14 de julho de 2020 
  97. «Grupo Brasinter – Além da Química». Consultado em 14 de julho de 2020 
  98. «Altolim». www.altolim.com.br. Consultado em 14 de julho de 2020 
  99. «Ramertec - Soluções Industriais - Assis - SP». www.ramertec.com.br. Consultado em 14 de julho de 2020 
  100. «História – Sollus Agrícola». Consultado em 14 de julho de 2020 
  101. «AFGBrasil | Os melhores grãos do Brasil para o mundo todo». www.afgbrasil.com.br. Consultado em 14 de julho de 2020 
  102. «História». Regional Telhas. Consultado em 14 de julho de 2020 
  103. «Site da Duaço» 
  104. «Site das Taiga Indústria» 
  105. «Frango Santa Amélia». pt-br.facebook.com. Consultado em 14 de julho de 2020 
  106. «Grupo Siqueira – Pedreira». Consultado em 14 de julho de 2020 
  107. «Hengel Transporte». Hengel Transporte. Consultado em 14 de julho de 2020 
  108. Tecnologia, Tray. «Sudract Nutrition». 609589.commercesuite.com.br. Consultado em 14 de julho de 2020 
  109. «Moinho Nacional | Empresa». www.moinhonacional.com.br. Consultado em 14 de julho de 2020 
  110. «Gelcrem Brasil - Produtos de Quallidade». www.gelcrembrasil.com.br. Consultado em 14 de julho de 2020 
  111. «Glutadela». Consultado em 14 de julho de 2020 
  112. «Pannetto | Melhoradores de Farinha para Panificação». Consultado em 14 de julho de 2020 
  113. «Soluções de Armazenagem». Consultado em 14 de julho de 2020 
  114. «Carvão Ipê». carvaoipe.com.br. Consultado em 14 de julho de 2020 
  115. «Bencoaco». www.bencoaco.com.br. Consultado em 14 de julho de 2020 
  116. «Conosco Indústria Gráfica - Folhetos promocionais Assis/S». Gráfica Conosco. Consultado em 14 de julho de 2020 
  117. «Concreforty – Forte em Concreto». Consultado em 14 de julho de 2020 
  118. «Áudio vintage: EMC». web.archive.org. 21 de fevereiro de 2014. Consultado em 14 de julho de 2020 
  119. «AUDIORAMA - Equipamentos de Audio & Video - EMC / Mecapel». www.audiorama.com.br. Consultado em 14 de julho de 2020 
  120. Barrero, Marcos, 1953- (2008). Assis de A a Z : a enciclopédia do século, 1905-2005. São Paulo: L2M. p. 361. OCLC 437034258 
  121. «Site dos Supermercados Avenida». Supermercados Avenida. 16 de Julho de 2020 
  122. «NPdiário | Grupo Molinis compra supermercados Avenida de Santo Antônio e Bandeirantes». npdiario.com. Consultado em 14 de julho de 2020 
  123. «Ranking com o desempenho do setor | Maiores Varejistas». SA Varejo. Consultado em 16 de julho de 2020 
  124. «Centro de Distribuição da Rede Avenida irá pra Cândido Mota - AssisNews». www.assisnews.com.br. Consultado em 14 de agosto de 2020 
  125. «Amigão é inaugurado com visita de uma multidão». Assis Notícias. 30 de abril de 2007. Consultado em 16 de julho de 2020 
  126. «Complexo Comercial Avenida Max será inaugurado quinta-feira». Assis Notícias. 19 de dezembro de 2007. Consultado em 16 de julho de 2020 
  127. «São Judas Tadeu: População maciça comparece na inauguração». AssisCity. Redação AssisCity. 6 de novembro de 2011. Consultado em 16 de julho de 2020 
  128. «Assis Plaza Shopping é inaugurado e contará com cinema». Paraguacity. Paraguacity. 12 de junho de 2012. Consultado em 16 de julho de 2020 
  129. «Hipermercado Walmart é inaugurado com sucesso em Assis; veja as fotos». AssisCity. AssisCity. 6 de junho de 2007. Consultado em 16 de julho de 2020 
  130. «Inauguração do McDonald's de Assis é adiada para domingo». AssisCity. AssisCity. 22 de dezembro de 2013. Consultado em 16 de julho de 2020 
  131. «Rede de fast-food Burger King será inaugurada no Assis Plaza Shopping». AssisCity. AssisCity. 9 de junho de 2014. Consultado em 16 de julho de 2020 
  132. «Franquia Habib's será instalada em Assis até o final do ano». AssisCity. Redação AssisCity. 29 de junho de 2014. Consultado em 16 de julho de 2020 
  133. «Walmart passa a chamar BIG em Assis - Assiscity - Notícias de Assis SP e região hoje». www.assiscity.com. Consultado em 14 de julho de 2020 
  134. «A-Tração FIAT - Home». www.atracaofiat.com.br. Consultado em 16 de julho de 2020 
  135. «Concessionária Suprema». www.supremachevrolet.com.br. Consultado em 16 de julho de 2020 
  136. «Comasa Volkswagen - Orgulho Volkswagen». Comasa. Consultado em 16 de julho de 2020 
  137. «Concessionária Ford Renova abre suas portas em Assis». AssisCity. Redação AssisCity. 24 de abril de 2019. Consultado em 16 de julho de 2020 
  138. Karony. «Comunicação Externa». karony - Comunicação Externa. Consultado em 16 de julho de 2020 
  139. «Grupo TCM». www.grupotcm.com.br. Consultado em 16 de julho de 2020 
  140. Alvim, Ricardo. «Como anda o setor de Tecnologia da Informação em Assis?». Forum do Skyscrappercity - www.skyscrapercity.com/showpost.php?p=122813654&postcount=2644 
  141. «Totvs faz terceira aquisição do ano e leva a PRX». Computerworld. 19 de abril de 2013. Consultado em 14 de julho de 2020 
  142. «Engemap – Excelência em geoinformação». Consultado em 14 de julho de 2020 
  143. «VSM Informática — Sistema completo para Farmácias e Drogarias em um único sistema.». VSM Informática. Consultado em 14 de julho de 2020 
  144. POLLETO, Alex Sandro Romeo de Souza. «Vale é referência em Tecnologia da Informação». AssisCity 
  145. «Vereador Romagnoli cobra ações para o desenvolvimento econômico de Assis». Câmara Municipal de Assis. 3 de junho de 2015. Consultado em 24 de setembro de 2020 
  146. «Gestora do Bradesco compra 30% de empresa de ar-condicionado». Exame. 7 de outubro de 2016. Consultado em 14 de julho de 2020 
  147. «Multi-Ar agora é Leveros». Revista do Frio. 6 de setembro de 2017. Consultado em 14 de julho de 2020 
  148. «CorpFlex | A Cloud do seu Negócio em Boas Mãos». corpflex.com.br. Consultado em 14 de julho de 2020 
  149. «Sobre a Moove Nutrition» 
  150. «VSM Shop». www.vsmshop.com.br. Consultado em 14 de julho de 2020 
  151. «Útil & Lazer - Utilidades e Presentes». www.utilelazer.com.br. Consultado em 14 de julho de 2020 
  152. «AutoTudo Produtos Automotivos». AutoTudo Produtos Automotivos (em inglês). Consultado em 14 de julho de 2020 
  153. «Site da OAI» 
  154. «OláTelecom». www.olanet.com.br. Consultado em 14 de julho de 2020 
  155. «Cabonnet». www.cabonnet.com.br. Consultado em 14 de julho de 2020 
  156. «Ifastnet - Provedor de Assis». www.facebook.com. Consultado em 14 de julho de 2020 
  157. «INFOASSISNET TELECOMUNICAÇÕES LTDA ME». www.infoassisnet.com.br. Consultado em 14 de julho de 2020 
  158. «Mapa da Rede de Transporte de Dados». Eletronet. 14 de março de 2017. Consultado em 14 de julho de 2020 
  159. GUSMÃO, Emery Marques. ARQUIVOS ESCOLARES, MEMÓRIA E CULTURA. UNESP – FCLAs – CEDAP, V.1, n.1, p. 56-65, 2005.
  160. «Carlos Alberto de Oliveira Prof. EE – Diretoria de Ensino – Região de Assis». deassis.educacao.sp.gov.br. Consultado em 22 de setembro de 2020 
  161. «Informações da implementação do CEDET de Assis» 
  162. «Site da Etec Pedro D'Arcádia Neto» 
  163. «Site do IFSP - Núcleo Avançado de Assis» 
  164. «Unesp». www.assis.unesp.br (em inglês). Consultado em 14 de julho de 2020 
  165. «Site de José Santilli Sobrinho». Consultado em 26 de Março de 2014 
  166. «IEDA». uniesp.edu.br. Consultado em 22 de setembro de 2020 
  167. «Histórico da FEMA» (PDF) 
  168. Redação Assiscity.com. «Reformas no polo da USP». AssisCity 
  169. «Anúncio da Fatec Assis pela FEMA» 
  170. Redação do AssisNews. «Fatec de Assis começará com curso de Gestão Comercial». Consultado em 17 de Março de 2014 
  171. «RELATÓRIO CPA 2018 FATEC ASSIS» (PDF). Faculdade de Tecnologia de Assis 
  172. http://www.ssp.sp.gov.br/novaestatistica/Pesquisa.aspx
  173. «Números revelam recorde de agressões físicas e aumento de roubos em Assis no mês de novembro - Assiscity - Notícias de Assis SP e região hoje». www.assiscity.com. Consultado em 14 de julho de 2020 
  174. Sangari (2011). «Número e taxas (em 100 mil) de homicídio nos municípios com 10.000 habitantes ou mais» (xls). Consultado em 30 de abril de 2011 
  175. SSP-SP (2014). «Dados estatísticos do Estado de São Paulo». Consultado em 12 de agosto de 2014 
  176. Sangari (2011). «Número e taxas (em 100 mil) de suicídio nos municípios com 10.000 habitantes ou mais» (xls). Consultado em 30 de abril de 2011 
  177. Sangari (2011). «Número e taxas (em 100 mil) de Óbitos Ac.Transporte nos municípios com 10.000 habitantes ou mais» (xls). Consultado em 30 de abril de 2011 
  178. Assessoria camâra municipal de Assis (1 de abril de 2013). «Vereador Valmir Dionizio participa de reunião do CONSEG». Consultado em 12 de agosto de 2014 
  179. «SABESP». Consultado em 13 de Abril de 2014 
  180. «Energisa assume o Grupo Rede» (PDF) 
  181. «Municípios por concessionária» (PDF). Consultado em 30 de abril de 2011. Cópia arquivada em 11 de janeiro de 2012 
  182. «Estado: São Paulo (SP)». Web Busca. Consultado em 30 de abril de 2011. Cópia arquivada em 11 de janeiro de 2012 
  183. City Brazil. «Sobre Assis». Consultado em 13 de Abril de 2014 
  184. Lorenna Rodrigues (8 de janeiro de 2009). «Portabilidade chega hoje ao oeste paulista, Porto Alegre e Manaus». Folha Online. Consultado em 30 de abril de 2011. Cópia arquivada em 11 de janeiro de 2012 
  185. «Dados Saúde do IBGE». Consultado em 2 de Maio de 2014 
  186. «Alckmin inaugura AME de Assis» 
  187. «Secretaria Municipal da Saúde». Consultado em 2 de Maio de 2014 
  188. «Prefeitura de Assis - Prefeitura assumirá controle do transporte coletivo». www.assis.sp.gov.br. Consultado em 14 de julho de 2020 
  189. «Aeroporto Estadual de Assis – Marcelo Pires Halzhausen – São Paulo Aeroportos | GovESP». www.daesp.sp.gov.br. Consultado em 23 de novembro de 2020 
  190. «Vale Paranapanema - Aviação Agrícola». www.valeaviacao.com.br. Consultado em 23 de novembro de 2020 
  191. «Aeroporto de Assis é incluído no programa de privatização, segundo João Doria - Assiscity - Notícias de Assis SP e região hoje». www.assiscity.com. Consultado em 23 de novembro de 2020 
  192. «Frota nacional por município em Setembro de 2020». Denatran. Consultado em 16 de outubro de 2020 
  193. «Frota Nacional - Denatran de 2016» 
  194. «Assis é a segunda cidade do Estado de São Paulo em emplacamento de veículos - Assiscity - Notícias de Assis SP e região hoje». www.assiscity.com. Consultado em 14 de julho de 2020 
  195. «DER/SP: Divisões Regionais». www.der.sp.gov.br. Consultado em 14 de julho de 2020 
  196. «Relação do patrimônio da Empresa Telefônica Paulista incorporado pela Telesp» (PDF). Diário Oficial do Estado de São Paulo 
  197. «Telesp assume controle da Cia. Telefônica Rio Preto e da Empresa Telefônica Paulista». Acervo O Estado de São Paulo 
  198. «Área de atuação da Telesp em São Paulo». Página Oficial da Telesp (arquivada) 
  199. «Nossa História». Telefônica / VIVO 
  200. GASPARIN, Gabriela (12 de abril de 2012). «Telefônica conclui troca da marca por Vivo». G1 
  201. «Canais de TV em Assis» 
  202. «Sinal analógico será desligado dia 29 de novembro em Assis e região» 
  203. «Resultados da votação em Assis (SP) - Gazeta do Povo». Eleições 2020. Consultado em 19 de novembro de 2020 
  204. «Resultados – TSE». resultados.tse.jus.br. Consultado em 19 de novembro de 2020 
  205. «Municípios consorciados do CIVAP». CIVAP. Consultado em 21 de setembro de 2020 
  206. http://www.assis.sp.leg.br/institucional/mesa-diretora
  207. Redação Assiscity.com. «Prefeito José Fernandes é empossado». AssisCity. Consultado em 2 de janeiro de 2017 
  208. «Feriados municipais 2020 - Assis-SP | Relação dos feriados municipais em Assis, São Paulo». Feriados Municipais. Consultado em 14 de julho de 2020 
  209. «DISPÕE SOBRE FERIADO MUNICIPAL E NACIONAL. PROÍBE O TRABALHO NOS ESTABELECIMENTOS COMERCIAIS, INDUSTRIAIS E SIMILARES, NOS DIAS FERIADOS E DE FESTAS NO MUNICÍPIO DE ASSIS E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS» (PDF) 
  210. Cachorrão, Alexandre. «Assis, a Estrada de Ferro e o Desenvolvimento». www.assisnews.com.br. AssisNews. Consultado em 14 de julho de 2020 
  211. Sérgio Ferreira Pantaleão. «Carnaval - é ou não feriado? folga automática pode gerar alteração contratual». Guia Trabalhista. Consultado em 25 de novembro de 2010 
  212. Presidência da República. «Lei Nº 9.093, de 12 de setembro de 1995». Consultado em 25 de novembro de 2010 

Ligações externasEditar

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
  Definições no Wikcionário
  Textos originais no Wikisource
  Imagens e media no Commons
  Categoria no Commons