Vitaly Ginzburg

Físico russo, laureado com o Nobel
Vitaly Ginzburg Medalha Nobel
Nascimento 4 de outubro de 1916
Moscou
Morte 8 de novembro de 2009 (93 anos)
Moscou
Residência União Soviética
Sepultamento Cemitério Novodevichy
Nacionalidade russo
Cidadania Império Russo, Rússia bolchevique, União Soviética, Rússia
Etnia Judeu
Alma mater Universidade Estatal de Moscou
Ocupação físico, astrofísico, inventor, professor universitário, cientista, físico teórico
Prêmios Prêmio Lenin (1966), Medalha de Ouro da RAS (1991), Prêmio Wolf de Física (1994/5), Medalha de Ouro Lomonossov (1995), Nobel prize medal.svg Nobel de Física (2003)
Empregador Instituto de Física Lebedev
Religião ateísmo
Causa da morte Insuficiência cardíaca
Orientador(es) Igor Tamm
Orientado(s) Viatcheslav Mukhanov
Campo(s) física

Vitaly Lazarevich Ginzburg (em russo: Вита́лий Ла́заревич Ги́нзбург; Moscou, 4 de outubro de 1916 — Moscou, 8 de novembro de 2009) foi um físico russo.

Recebeu o Nobel de Física de 2003, por contribuições fundamentais à teoria dos supercondutores e superfluidos.

Ginzburg foi sepultado em 11 de novembro de 2009 no Cemitério Novodevichy em Moscou.[1]

CondecoraçõesEditar

Referências

Ligações externasEditar


Precedido por
James Dungey e Bernard Pagel
Medalha de Ouro da Royal Astronomical Society
1991
com Gerald Joseph Wasserburg
Sucedido por
Dan Peter McKenzie e Eugene Parker
Precedido por
Benoît Mandelbrot
Prêmio Wolf de Física
1994/1995
com Yoichiro Nambu
Sucedido por
John Archibald Wheeler
Precedido por
Raymond Davis Jr., Masatoshi Koshiba e Riccardo Giacconi
Nobel de Física
2003
com Alexei Alexeevich Abrikosov e Anthony Leggett
Sucedido por
David Gross, Hugh David Politzer e Frank Wilczek


  Este artigo sobre um(a) físico(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.