Abrir menu principal

Campeonato Catarinense de Futebol de 2015 - Série A

Campeonato Catarinense de 2015 - Série A
Catarinense Hemmer 100 anos 2015
Dados
Participantes 10
Organização FCF
Anfitrião Santa Catarina
Período 1 de fevereiro3 de maio
Gol(o)s 210
Partidas 89
Média 2,36 gol(o)s por partida
Campeão Figueirense 17º título
Vice-campeão Joinville
Rebaixado(s) Guarani de Palhoça
Marcílio Dias
Melhor marcador Vitinho (Guarani de Palhoça) – 11 gols
Melhor ataque (fase inicial) 28 gols:

Chapecoense
Figueirense

Melhor defesa (fase inicial) Chapecoense – 12 gols
Maior goleada
(diferença)
Chapecoense 5–0 Inter de Lages
Arena CondáChapecó
31 de março, 1ª jogo da 1ª Fase
Público 320 418
Média 3 600,2 pessoas por partida
Premiações
Melhor jogador
(FCF)
Marcelinho Paraíba (Inter de Lages)
Melhor treinador
(FCF)
Hemerson Maria (Joinville)
Melhor árbitro
(FCF)
Sandro Ricci
◄◄ Série A 2014 Soccerball.svg Série A 2016 ►►

O Campeonato Catarinense de Futebol de 2015 da Série A, ou Catarinense Hemmer 100 anos 2015,[1] por motivos de patrocínio, foi a 90ª edição da principal divisão do futebol catarinense. O campeonato contou com a participação de 10 clubes. Foi disputado em duas fases. Na primeira fase, todos os times se enfrentaram em turno único, sendo que os seis primeiros colocados iriam disputar o Hexagonal final e os quatro últimos o Quadrangular do rebaixamento. Na segunda fase, os dois clubes que somaram mais pontos no Hexagonal estarão classificados a final da competição. Já os dois últimos colocados do Quadrangular do rebaixamento, são rebaixados a Série B.

Joinville, Figueirense, Chapecoense e Inter de Lages, classificaram-se para a Copa do Brasil de 2016. Para a Série D de 2015, classificaram-se Inter de Lages e o Metropolitano. As equipes do Guarani de Palhoça e Marcílio Dias, tiveram as piores campanhas e foram rebaixados à Série B de 2016.

RegulamentoEditar

Na primeira fase, os dez participantes jogam todos contra todos, em turno único. Os seis melhores avançam para o hexagonal final. Os quatro restantes disputam o quadrangular do rebaixamento. No Hexagonal final, os seis participantes jogam todos contra todos, em turno e returno. Os dois melhores são os finalistas. Já no Quadrangular do rebaixamento, os quatro participantes jogam todos contra todos, em turno único. Os dois últimos colocados são rebaixados para a Série B de 2016.

Os quatro primeiros colocados disputarão a Copa do Brasil de 2016. Os dois melhores colocados que não disputam alguma divisão do Campeonato Brasileiro garantirão uma vaga na Série D de 2015. A final é disputada no sistema mata-mata em jogos de ida e volta. Em caso de igualdade nos pontos no confronto, a disputa será decidida no saldo de gols e, permanecendo o empate, a equipe de melhor campanha fica com o título.[2]

Critérios de desempateEditar

Caso haja empate de pontos entre dois clubes, os critérios de desempates serão aplicados na seguinte ordem:

  1. Número de vitórias
  2. Saldo de gols
  3. Gols marcados
  4. Confronto direto
  5. Número de cartões vermelhos
  6. Número de cartões amarelos
  7. Sorteio

Equipes participantesEditar

Primeira fase (Turno único)Editar

 Ver artigo principal: Resultados da primeira Fase
Pos Equipes Pts J V E D GP GC SG % M Classificação ou Rebaixamento
1   Chapecoense 20 9 6 2 1 17 3 +14 79,1%   Classificação para o Hexagonal Final
2   Figueirense 19 9 6 1 2 13 9 +4 70,4%  
3   Metropolitano 15 9 4 3 2 12 10 +2 55,6%  
4   Criciúma 13 9 4 1 4 12 11 +1 48,1%  
5   Inter de Lages 12 9 3 3 3 12 15 –3 44,4%  
6   Joinville 11 9 2 5 2 7 8 –1 40,7%  
7   Guarani de Palhoça 10 9 2 4 3 14 15 –1 37,0%   Classificação para o Quadrangular do Rebaixamento
8   Atlético de Ibirama 6 9 1 3 5 8 16 –8 22,2%  
9   Marcílio Dias 21 9 2 2 5 11 15 –4 29,6%  
10   Avaí 12 9 1 4 4 10 14 –4 25,9%  
Notas

1 O Marcílio Dias é punido por escalação irregular e perde seis pontos na tabela.[3]

2 O Avaí é punido pelo TJD e perde seis pontos.[3]


ConfrontosEditar

  AIB AVA CHA CRI FIG GPA ILG JOI MDI MET
Atlético de Ibirama 1–0 1–3 2–2 0–0 1–3
Avaí 0–1 0–0 1–1 1–2
Chapecoense 3–0 2–0 0–1 5–0
Criciúma 3–1 3–1 1–0 1–2
Figueirense 1–0 1–0 2–1 2–1
Guarani-SC 3–3 2–2 1–3 1–2 2–0
Internacional-SC 2–0 3–1 1–1 2–1 1–1
Joinville 2–2 0–0 1–0 1–1 1–0
Marcílio Dias 1–0 3–4 0–2 4–3 1–1
Metropolitano 1–1 0–2 1–0 1–1

Desempenho por rodadaEditar

Clubes que lideraram o campeonato ao final de cada rodada:

Rodadas
1 2 3 4 5 6 7 8 9
CHA FIG CHA

Clubes que ficaram na última posição do campeonato ao final de cada rodada:

Rodadas
1 2 3 4 5 6 7 8 9
ILG GPA ILG AVA GPA ATI AVA

Segunda fase (Hexagonal final)Editar

 Ver artigo principal: Resultados da segunda Fase

ClassificaçãoEditar

Pos Equipes Pts J V E D GP GC SG % M Classificação ou Rebaixamento
1   Figueirense 21 10 6 3 1 15 6 9 70,0%   Classificados à final
2   Joinville 193 10 7 2 1 13 5 8 63,3%  
3   Chapecoense 15 10 4 3 3 11 9 2 50,0%  
4   Inter de Lages 14 10 4 2 4 11 10 1 46,7%  
5   Metropolitano 5 10 1 2 7 5 15 –10 16,7%  
6   Criciúma 5 10 1 2 7 2 12 –10 16,7%  
Notas

3 O Joinville é punido por relacionar um jogador sem contrato profissional no último jogo do hexagonal final contra o Metropolitano e perdeu 4 pontos na tabela.[4]

ConfrontosEditar

  CHA CRI FIG ILG JOI MET
Chapecoense 1–0 1–1 2–0 0–2 1–0
Criciúma 1–1 0–1 0–2 0–2 1–0
Figueirense 2–1 0–0 2–0 2–0 1–0
Internacional-SC 2–1 2–0 1–1 0–1 1–1
Joinville 0–0 1–0 3–1 2–1 2–1
Metropolitano 1–3 2–0 0–4 0–2 0–0

Desempenho por rodadaEditar

Clubes que lideraram o campeonato ao final de cada rodada:

Rodadas
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10
JOI CHA FIG JOI FIG

Clubes que ficaram na última posição do campeonato ao final de cada rodada:

Rodadas
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10
MET ILG CRI MET CRI

Segunda fase (Quadrangular do rebaixamento)Editar

ClassificaçãoEditar

Pos Equipes Pts J V E D GP GC SG % M Classificação ou Rebaixamento
1   Avaí 10 6 3 1 2 13 7 +6 55,6%  
2   Atlético de Ibirama 10 6 3 1 2 9 8 +1 55,6%  
3   Guarani de Palhoça 9 6 3 0 3 10 11 –1 50,0%   Rebaixamento para a Série B de 2016
4   Marcílio Dias 6 6 2 0 4 5 11 –6 33,3%  


FinalEditar

Jogo de ida
26 de abril Figueirense   0 – 0   Joinville Estádio Orlando Scarpelli, Florianópolis
16:00
Súmula Público: 13 231
Renda: R$ 339.230,00
Árbitro:  SC Célio Amorim
Jogo de volta
3 de maio Joinville   0 – 0   Figueirense Arena Joinville, Joinville
16:00
Súmula Público: 17 749
Renda: R$ 341.240,00
Árbitro:  SC Sandro Ricci

PremiaçãoEditar

Campeonato Catarinense de 2015
 
Figueirense
Campeão
(17º título)

Classificação geralEditar

Pos Times Pts J V E D GP GC SG % Classificação ou Rebaixamento
1   Figueirense 42 21 12 6 3 27 15 12 66,66 Campeão e classificado para a Copa do Brasil de 2016
2   Joinville ¹ 32 21 9 9 3 20 13 7 57,14 Vice-campeão e classificado para a Copa do Brasil de 2016
3   Chapecoense 35 19 10 5 4 28 12 16 61,40 Classificados para a Copa do Brasil de 2016
4   Inter de Lages 26 19 7 5 7 23 25 –2 45,61
5   Metropolitano 20 19 5 5 9 17 24 –7 35,08
6   Criciúma 18 19 5 3 11 14 23 –9 31,57
7   Atlético de Ibirama 20 17 5 5 7 21 25 –4 39,21
8   Avaí ³ 11 17 5 6 6 27 21 –6 33,33
9   Guarani de Palhoça 22 17 6 4 7 25 30 –5 43,13 Rebaixados à Série B de 2016
10   Marcílio Dias ² 8 17 4 2 11 17 31 –14 15,68
Notas

1 O Joinville é punido por relacionar um jogador sem contrato profissional no último jogo do hexagonal final contra o Metropolitano e perdeu 4 pontos na tabela.[5]

2 O Marcílio Dias é punido por escalação irregular e perde seis pontos na tabela.[6]

3 O Avaí é punido pelo TJD perde seis pontos.[7]

EstatísticasEditar

ArtilhariaEditar

Gols Jogador Time
11   Vitinho Guarani de Palhoça
10   Roger Chapecoense
  Thiago Santana Atlético de Ibirama
8   Marcelinho Paraíba Inter de Lages
7   Ananias Chapecoense
  Clayton Figueirense
6   Schwenck Marcílio Dias
  Anderson Lopes Avaí
  Reinaldo Internacional
5   Trípodi Metropolitano

Maiores públicosEditar

Público[PP] Mandante Placar Visitante Estádio Data Rodada
1 17 749 Joinville   0–0   Figueirense Arena Joinville 3 de Maio Final (Jogo 2)
2 13 231 Figueirense   0–0   Joinville Orlando Scarpelli 25 de fevereiro Final (Jogo 1)
3 10 669 Joinville   3–1   Figueirense Arena Joinville 12 de abril Hexagonal
4 10 586 Joinville   2–2   Avaí Arena Joinville 1º de fevereiro 1ª Fase
5 9 898 Avaí   1–1   Figueirense Ressacada 1º de março 1ª Fase
6 7 646 Joinville   1–0   Marcílio Dias Arena Joinville 7 de fevereiro 1ª Fase
7 7 624 Joinville   2–1   Metropolitano Arena Joinville 7 de fevereiro Hexagonal
8 7 100 Chapecoense   2–0   Criciúma Arena Condá 8 de fevereiro Hexagonal
9 6 851 Joinville   1–0   Criciúma Arena Joinville 28 de março Hexagonal
10 6 789 Joinville   2–1   Inter de Lages Arena Joinville 5 de fevereiro Hexagonal

Médias de públicoEditar

  1. Joinville - 8.465 (84.650 em 10 jogos)
  2. Chapecoense – 5.582 (50.238 em 9 jogos)
  3. Figueirense – 5.485 (54.850 em 10 jogos)
  4. Avaí – 5.135 (46.215 em 9 jogos)
  5. Criciúma – 3.791 (34.119 em 9 jogos)
  1. Inter de Lages – 2.258 (20.322 em 9 jogos)
  2. Metropolitano – 1.194 (10.746 em 9 jogos)
  3. Marcílio Dias – 851 (7.659 em 9 jogos)
  4. Atlético de Ibirama – 815 (7.335 em 9 jogos)
  5. Guarani de Palhoça – 476 (4.284 em 9 jogos)

Seleção do CampeonatoEditar

Ver tambémEditar

Referências

  1. «FCF apresenta troféu do Catarinense Hemmer 100 Anos». FCF. 24 de abril de 2015. Consultado em 13 de janeiro de 2018 
  2. «CAMPEONATO CATARINENSE DE FUTEBOL PROFISSIONAL DA SÉRIE "A" DE 2015 - REGULAMENTO ESPECÍFICO» (PDF). Federação Catarinense de Futebol. Consultado em 17 de janeiro de 2018 
  3. a b «Avaí e Marcílio Dias são punidos pelo TJD-SC e perdem seis pontos cada». DC. 3 de março de 2015. Consultado em 22 de abril de 2017 
  4. «O Joinville é punido pelo STJD perde 4 pontos e termina em terceiro no Catarinense». Globoesporte.globo.com. 15 de julho de 2015. Consultado em 15 de julho de 2015 
  5. «O Joinville é punido pelo STJD perde 4 pontos e termina em terceiro no Catarinense». Globoesporte.globo.com. 15 de julho de 2015. Consultado em 15 de julho de 2015 
  6. «Marcílio Dias perde seis pontos e Catarinense 2015 fica ameaçado de paralisação». NDOnline. 3 de março de 2015. Consultado em 22 de abril de 2017 
  7. «Avaí perde seis pontos no TJD e vai lutar contra degola». TERRA. 3 de março de 2015. Consultado em 22 de abril de 2017 
  8. «Top da Bola premia melhores do Catarinense Hemmer». FCF. 4 de maio de 2015. Consultado em 17 de janeiro de 2018 

Ligações externasEditar