Abrir menu principal

Economia do Reino Unido

Economia do Reino Unido
Moeda (£) = Libra Esterlina
dividida em 100 pence (p)
Ano fiscal 6 de abril - 5 de abril
Blocos comerciais UE, Commonwealth, OMC e OCDE
Banco Central Banco da Inglaterra
Estatísticas
Bolsa de valores Bolsa de Valores de Londres
PIB US$ 3,038 trilhões (PPC, 2018)[1]
Variação do PIB Aumento 1,4% (2018)[1]
PIB per capita $45,741 (2018)[1]
PIB por setor agricultura 0,7%, indústria 21,1%, comércio e serviços 78,2% (2012)
Inflação (IPC) AumentoNegativo 1,8% (2019)
População
abaixo da linha de pobreza
7% (2016)
Coeficiente de Gini BaixaPositiva 0,32 (2016)
Força de trabalho total 32,70 milhões (2019)
Força de trabalho
por ocupação
agricultura 1,4%, indústria 18,2%, comércio e serviços 80,4% (2006)
Desemprego BaixaPositiva 3,8% (2019)
Principais indústrias Máquina-ferramenta, equipamentos industriais, equipamentos científicos, engenharia naval e oceânica, engenharia aérea, veículos motorizados e peças, eletrônicos, computadores, metais processados, produtos químicos, mineração de carvão, petróleo, papel, alimentos processados, indústria têxtil e outros bens de consumo
Exterior
Exportações $ 796 bilhões (2019)[2]
Produtos exportados manufaturados, combustíveis, produtos químicos, alimentos, bebidas, tabaco
Principais parceiros de exportação Alemanha 10,9%, Estados Unidos 9,9%, Países Baixos 7,9%, França 7,4%, Suíça 7,1%, República da Irlanda 6%, Bélgica 5,3% (2011)
Importações $ 581,6 bilhões (2016)[3]
Produtos importados manufaturados, máquinas, combustíveis, alimentos
Principais parceiros de importação Alemanha 12,5%, China 8,2%, Países Baixos 7,1%, Estados Unidos 7%, França 5,7%, Bélgica 4,8%, Noruega 4,7% (2011)
Dívida externa bruta AumentoNegativo $ 7,499 trilhões (2017)
Finanças públicas
Dívida pública AumentoNegativo 85,8% do PIB (2018)[4]
Receitas £ 1,04 trilhões (2019–2020)
Despesas £ 842 bilhões (2019–2020)
Fonte principal: [[5] The World Factbook]
Salvo indicação contrária, os valores estão em US$

O Reino Unido mantém o sétimo maior Produto Interno bruto do mundo em matéria de mercado de taxas de câmbio e a décima maior paridade do poder de compra (PPC). Dentro do espaço Europeu, possui a segunda maior economia, ficando atrás apenas da Alemanha. É membro da União Europeia, estando em processo de saída da mesma, faz parte do G8, aderindo à primeira em 1973 e atuando como fundador no segundo. Sua capital e maior cidade, Londres, é considerada (ao lado da cidade de Nova York e de Tóquio) o maior e mais importantes centro financeiro do mundo. Sua economia também pode ser eventualmente rotulada como Economia Anglo-Saxônica.

É constituída (em ordem decrescente de contribuição) pelas economias da Inglaterra,Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte. Uma série de privatizações pode ser notada nos anos 80, sob o governo da primeira-ministra Margaret Thatcher, em que diversas empresas dos setores industriais e de serviços, muitas das quais nacionalizadas nos anos 40, foram vendidas à iniciativa privada. Atualmente o governo britânico mantém escassas indústrias e prestadoras de serviço sob sua coordenação, uma das quais é o seu serviço postal. A economia britânica vem experimentando crescimento contínuo há mais de 150 anos. É considerada estável por manter os níveis de inflação, especulação e desemprego relativamente baixos no cenário europeu. No entanto, detém níveis de desigualdade social mais elevados que alguns dos outros países de forte economia na Europa.

Muito embora a taxa de produtividade por pessoa empregada venha progredindo nas últimas duas décadas, ultrapassando a Alemã, ainda é 20% inferior à taxa francesa, onde os trabalhadores exercem 35 horas de trabalho semanais. A produtividade por hora trabalhada é, atualmente, semelhante à média da antiga União Europeia, quando esta ainda era constituída por 15 países, em 1995. Quanto ao Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), o Reino Unido assume a décima oitava colocação mundial e a décima terceira entre os países europeus, o que evidencia também, a predominância destes nas primeiras colocações do índice.

O PIB britânico cresceu 2,7% em 2006 e sua expectativa de crescimento em 2007 é de 2,9%. As expectativas mais recentes porém, indicam crescimento de 3,0%. É uma economia de mercado, mantendo fortes relações econômicas com os outros países da União Europeia, com os Estados Unidos, e com os países da Commonwealth. Exporta, principalmente: maquinário, produtos químicos, veículos, alimentos, ferro, aço, metais e uísque. O país é o décimo no ranking de competitividade do Fórum Econômico Mundial.[6]

Setores ProdutivosEditar

Agricultura, Caça, Extrativismo e PescariaEditar

Sua agricultura é intensiva e altamente mecanizada, com alta eficiência diante dos padrões europeus, produzindo cerca de 60% do alimento consumido internamente com menos de 6% da força de trabalho. Contribui com aproximadamente 6% do PIB.

Cerca de dois terços da sua produção é dedicada ao gado, cabendo o restante à agricultura. Desta, os principais itens produzidos são trigo, cevada, aveia, batatas e beterraba. Na pecuária, destaca para os gados bovino e ovino, além da expressiva avicultura, cuja produção é a segunda maior na Europa, sendo a França a primeira colocada.

Vale ressaltar que a agricultura britânica é subsidiada pela Política Agrícola Comum (PAC) da União Europeia.

O Reino Unido mantém uma significante indústria pesqueira. Sua frota trazem principalmente sardinhas e solhas. Entre suas cidades costeiras que possuem atividade pesqueira destacam-se: Kingston upon Hull, Grimsby, Fleetwood, Great Yarmouth, Peterhead, Fraserburgh e Lowestoft.

De acordo com o The Blue Book, que reúne dados acerca da economia britânica, estes setores adicionaram em 2006, em valores brutos, £10,323 milhões à economia do Reino Unido.

MineraçãoEditar

O The Blue Book indica que o setor adicionou o valor bruto de £21,876 milhões à economia britânica.

ManufaturaEditar

Em 2003, a indústria manufatureira britânica foi responsável por 16% do produto nacional bruto e por 13% dos empregos, de acordo com o Office for National Statistiscs, órgão responsável pela coleta de estatísticas sócio-econômicas no Reino Unido. Esses números porém, demonstram apenas um declínio gradativo da importância do setor para a economia. O declínio vem ocorrendo desde os anos 60, muito embora o setor ainda seja bastante expressivo, especialmente no tocante às exportações, já representou 83% destas em 2003. As regiões com a maior proporção de empregados no setor de manufatura são a Midlands Oriental e a Midlands Ocidental, com 19% e 18% respectivamente.

As indústrias compreendem o maior ramo deste setor, contribuindo com 30,8% do valor total bruto adicionado à manufatura em 2003. Dentro deste ramo, equipamentos de transporte foram o maior contruibuidor, com oito montadoras de nível global presentes no Reino Unido. São elas - BMW (MINI, Rolls Royce), Ford (Premier Automotive Group), General Motors (Vauxhall Motors), Honda, Nissan, Toyota e Volkswagen (Bentley) além de um significativo número de pequenas, porém especializadas, montadoras (Lotus e Morgan). Há ainda, uma gama de companhias como a Brush Traction Manufacture, cuja linha de produção é dedicada à locomotivas e outros componentes relacionados. Associados a esse setor ainda contamos com indústria aeroespacial e de defesa.

Outro importante componente do ramo industrial são os equipamentos eletrônicos, cujas firmas domésticas mais expressivas podem ser exemplificadas por Amstrad, Alba, ARM, Dyson, Glen Dimplex, Invensys, Wolfson, Linn, Nallatech e Axeon, juntamente com um número de firmas estrangeiras que produzem TVs, rádios e outros aparelhos de comunicação, instrumentos ópticos e científicos, além de computadores.

Indústrias de produtos químicos em geral também são outras importantes contribuidoras para a base manufatureira do Reino Unido. Dentro deste setor, a indústria farmacêutica é particularmente bem-sucedida, com a segunda e a terceira maiores firmas mundiais (Glaxo Smith Kline e Astra Zeneca respectivamente) sendo ambas baseadas no Reino Unido e tendo a maior parte da pesquisa e de infra-estrutura produtiva neste.

Outros setores importantes da indústria manufatureira incluem a produção de alimentos, bebidas, cigarros, impressão e publicação e têxteis. O Reino Unido também possui três das maiores companhias produtoras de bebidas alcoólicas, sendo estas a Diageo, Sabmiller e a Scottish and Newcastle.

O setor ainda inclui outras grandes companhias como a Unilever, Cadbury Schweppes, Tate & Lyle, British American Tobacco, Imperial Tobacco, EMAP, HarperCollins, Reed Elsevier, Ben Sherman, Burberry, French Connection, Reebok, Pentland Group e Umbro.

O Blue Book de 2006 indica que este setor adicionou o valor bruto de £147,469 milhões à economia britânica.

Eletricidade, gás e abastecimento de águaEditar

O Blue Book de 2006 indica que este setor adicionou o valor bruto de £17,103 milhões à economia britânica. E ainda continua ate hoje

Construção CivilEditar

O Blue Book de 2006 indica que este setor adicionou o valor bruto de £64,747 milhões à economia britânica.

ServiçosEditar

É o setor dominante da economia do Reino Unido, característica normalmente associada ao grau de desenvolvimento do país. O número de empregados no setor terciário, como na vasta maioria dos países desenvolvidos, supera o do setor primário e secundário.

Atacado e VarejoEditar

O Blue Book de 2004 indica que este setor adicionou o valor bruto de £127,520 milhões à economia britânica.

Hotéis e RestaurantesEditar

O Blue Book de 2006 indica que este setor adicionou o valor bruto de £33,074 à economia britânica.

Transporte e ComunicaçãoEditar

O Blue Book de 2006 indica que o setor de transporte e estocagem adicionou um valor bruto de £49,721 milhões à economia britânica, enquanto que o setor de comunicações adicionou £29,762 milhões

Setor FinanceiroEditar

Londres é considerada o maior centro financeiro mundial, com serviços baseados em dois distritos em: The City, correspondendo à própria cidade e as Docklands, ou a região dos estaleiros em uma tradução literal. The City abriga instituições tais como a London Stock Exchange (ações), Lloyds of London (seguros), e o Banco da Inglaterra. The Docklands começou seu desenvolvimento na década de 1980 e atualmente é o lar do Financial Services Authority, assim como diversas outras instituições financeiras como o Banco de Barclays, o Citigroup e o HSBC. Existem até 500 bancos com escritórios em The City a em Docklands, com a maioria dos negócios sendo conduzidos em âmbito internacional.

Referências

  1. a b c «World Economic Outlook Database, October 2019». IMF.org. International Monetary Fund. Consultado em 15 de outubro de 2019 
  2. «UK exports at record high». Consultado em 12 de novembro de 2019 
  3. «Country Comparison to the World: Imports». The World Factbook. CIA. Consultado em 10 de julho de 2016 
  4. Office for National Statistics. «Public sector finances: Jan 2017». Office for National Statistics. Consultado em 23 de fevereiro de 2017 
  5. CIA. «The World Factbook». Consultado em 21 de abril de 2013 
  6. The Global Competitiveness Index 2011-2012 rankings


  Reino Unido
História • Política • Forças Armadas • Países • Subdivisões • Geografia • Economia • Demografia • Educação • Cultura • Turismo • Portal • Imagens
  Este artigo sobre economia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.