Abrir menu principal

Eleições presidenciais portuguesas de 1980

As segundas eleições presidenciais portuguesas após o 25 de Abril de 1974 tiveram lugar em 7 de Dezembro de 1980.

Eleições presidenciais de Portugal de 1980
  1976 ← Flag of Portugal.svg → 1986
7 de dezembro de 1980
Antonio dos Santos1.jpg Replace this image male.svg
Candidato António Ramalho Eanes António Soares Carneiro
Partido Independente AD
Votos 3 262 520 2 325 481
Porcentagem 56,44% 40,23%


Coat of arms of Portugal.svg
Presidente de Portugal

O presidente em exercício de funções, António Ramalho Eanes, contava com o apoio da maior parte dos socialistas (apesar da objecção do seu secretário-geral, Mário Soares), bem como dos comunistas, cujo candidato desistiu da corrida na véspera das eleições em seu favor. Também o PCTP/MRPP deu o seu apoio incondicional ao General Eanes.

O seu principal oponente era o General Soares Carneiro, que contava com o apoio da Aliança Democrática (formada pelo Partido Social-Democrata, Centro Democrático Social e Partido Popular Monárquico, e liderada pelo então primeiro-ministro Francisco Sá Carneiro). Três dias antes das eleições, a 4 de Dezembro, quando se deslocava para um comício no Porto, o avião no qual seguia Sá Carneiro e o seu ministro da Defesa Amaro da Costa despenhou-se em Camarate, poucos segundos após descolar do Aeroporto da Portela, tendo falecido todos os seus ocupantes.

Apesar das manifestações de dor de parte significativa da Nação, a data das eleições presidenciais manteve-se inalterada; embora muitos analistas políticos tivessem julgado que a morte de Sá Carneiro conseguisse inverter a tendência para a vitória retumbante de Eanes e levasse, pelo menos, à realização de uma segunda volta, tal não viria a suceder, tendo o presidente em exercício sido reeleito para um segundo mandato, com mais 16 pontos percentuais que o seu principal oponente.

Ao contrário das primeiras eleições presidenciais, revela-se uma cisão clara do país: Eanes teve mais votos nos distritos do Sul do País, ao passo que Soares Carneiro obteve a maior parte dos seus nos distritos do Interior Norte e ainda nos de Leiria, Aveiro e Viana.

Índice

CandidatosEditar

IndependentesEditar

António Ramalho EanesEditar

 Ver artigo principal: António Ramalho Eanes
Independente,
apoiado pelo PS, PCP e PCTP
António Ramalho Eanes
16º Presidente da República Portuguesa
(1976-1986)

Carlos Galvão de MeloEditar

 Ver artigo principal: Carlos Galvão de Melo
Independente
Carlos Galvão de Melo
Membro da Junta de Salvação Nacional
(1974)

Pires VelosoEditar

 Ver artigo principal: Pires Veloso
Independente
Pires Veloso
Membro do Conselho da Revolução
(1975-1977)

Aliança DemocráticaEditar

Aliança Democrática
António Soares Carneiro
Secretário-Geral do Governo-Geral de Angola
(1974)

Força de Unidade PopularEditar

 Ver artigo principal: Força de Unidade Popular
Força de Unidade Popular
Otelo Saraiva de Carvalho
Estratega da Revolução dos Cravos

Partido Operário de Unidade SocialistaEditar

Partido Operário de Unidade Socialista}
Aires Rodrigues
Deputado do Partido Socialista
(1975-1977)

DesistênciasEditar

Partido Comunista PortuguêsEditar

 Ver artigo principal: Partido Comunista Português
Partido Comunista Português
Carlos Brito
Deputado e Presidente do Grupo Parlamentar do PCP
(1976-1991)

Tabela de resultados oficiaisEditar

Candidato Partidos apoiantes 1ª Volta
Votos %
António Ramalho Eanes PS, PCP, PCTP/MRPP 3 262 520
56,44 / 100,00
António Soares Carneiro PPD/PSD, CDS, PPM 2 325 481
40,23 / 100,00
Otelo Saraiva de Carvalho FUP 85 896
1,49 / 100,00
Carlos Galvão de Melo Independente 48 468
0,84 / 100,00
Pires Veloso Independente 45 132
0,78 / 100,00
Aires Rodrigues POUS 12 745
0,22 / 100,00
Carlos Brito* PCP Desistiu
Votos Inválidos 60 090
1,03 / 100,00
Total 5 840 332
100,00 / 100,00
Eleitorado/Participação 6 920 869
84,39 / 100,00
Fonte [1]

*desistiu a favor de António Ramalho Eanes

Candidatos mais votados por Capital de distrito/RegiãoEditar

Resultados por círculos eleitoraisEditar

% % % % % %
Círculo eleitoral ARE SC OSC CGM PV AR
Açores 57,2 40,3 0,6 1,9
Aveiro 46,1 50,6 0,8 2,5
Beja 74,5 20,9 2,7 2,1
Braga 52,1 45,2 0,9 1,8
Bragança 36,2 60,7 0,7 2,4
Castelo Branco 55,1 41,9 1,0 2,0
Coimbra 57,0 39,8 1,2 1,9
Évora 70,5 25,7 2,4 1,6
Faro 64,9 30,9 1,8 2,3
Guarda 40,4 56,7 0,7 2,2
Leiria 45,3 51,3 1,3 2,1
Lisboa 60,3 35,9 1,9 1,5
Madeira 44,3 51,1 2,1 2,5
Portalegre 68,8 28,8 1,0 1,7
Porto 57,9 39,3 1,1 1,7
Santarém 61,4 35,3 1,4 1,9
Setúbal 74,8 20,5 3,4 1,3
Viana do Castelo 44,8 52,5 0,8 1,9
Vila Real 39,1 58,3 0,7 1,9
Viseu 36,0 60,6 0,8 2,5
Portugal 56,4 40,2 1,5 0,8 0,8 0,2

Ligações ExternasEditar

  1. «CNE Resultados Eleitorais». eleicoes.cne.pt. Consultado em 20 de janeiro de 2016