Abrir menu principal

Estádio Monumental de Núñez

Monumental de Núñez
Estádio Monumental Antonio Vespucio Liberti
RiverPlateStadium.jpg

Nomes
Nome Estádio Monumental Antonio Vespucio Liberti
Antigos nomes Estádio Monumental
Características
Local Buenos Aires, bairro de Belgrano
Gramado Grama natural (105 x 68 m)
Capacidade 70.074 espectadores[1]
Construção
Data 1936 a 1938
Custo 4.000.000 (aprox. USD 1.000.000, 1938)
Inauguração
Data 25 de maio de 1938 (81 anos)
Partida inaugural River Plate 3 x 1 Peñarol
Recordes
Público recorde 71.712 pessoas
Data recorde 10 de junho de 1978
Partida com mais público Argentina 0 X 1 Itália
Outras informações
Remodelado 1978
Proprietário River Plate
Administrador River Plate
Arquiteto José Aslan e Héctor Ezcurra
Mandante River Plate

O Estádio Monumental Antonio Vespucio Liberti, mais conhecido como Monumental de Núñez fica localizado em Buenos Aires, Argentina, próximo ao Rio da Prata. É a casa do River Plate e de jogos da Seleção Argentina de Futebol e com 70.074 lugares[1], é o maior Estádio da Argentina.

O nome do estádio é uma homenagem ao presidente do clube na época da construção, Antonio Vespucio Liberti. Apesar do apelido, o Monumental não fica no bairro de Núñez, e sim em Belgrano, bairro vizinho e também nobre como Núñez.

HistóriaEditar

No começo da década de 1930, o River Plate estava cansado de ser nômade. Desde sua fundação em 1901, no bairro de La Boca, o clube já havia perambulado pela Dársena Sud, Sarandí, alugado o campo do Ferrocarril Oeste, e construído o famoso estádio Alvear y Tagle, na Recoleta.[2] Em 1933, o então presidente Antonio Vespucio Liberti (no primeiro mandato a frente do clube) deixou bem clara a intenção de mudar novamente a sede do clube, dessa vez em definitivo. Crescendo a cada ano e com boa saúde financeira, o River precisava de um estádio que refletisse sua popularidade e também abrigasse sua fanática torcida, que sempre se espremia no Alvear y Tagle e clamava por mais espaço. Liberti queria construir o maior estádio da Argentina em algum lugar muito bem localizado e perto da elite portenha, ao norte da cidade.[1][2]

Em 1934, o River Plate tinha 31 anos de criação. Tinha 1 título amador e 1 título profissional no futebol. Era conhecido como Los Millonarios (em português: Os Milionários) devido as contratações caras. Assim, em 31 de outubro de 1934, 83.950 metros quadrados na região de Belgrano com Núñez, a apenas 9km de distância do Alvear y Tagle, ao custo de 569.403 pesos, são adquiridos pelo clube para a construção do estádio.[1]

Em 25 de maio de 1935, além de mais um aniversário do clube, foi colocada a pedra fundamental do futuro estádio. No dia 1 de dezembro, foi apresentado os planos da construção e apenas em 27 de setembro de 1936 se iniciou a construção, sob a supervisão dos arquitetos José Aslan e Hector Ezcurra.[1][2]

Após dois anos de construção, tínhamos três grandes arquibancadas concluídas — Oficial (atual San Martín), destinada a autoridades, convidados e sócios), Centenario (em alusão à avenida homônima da época, hoje conhecida como Figueroa Alcorta) e Río de La Plata (atual Belgrano), e o campo envolto a uma pista de atletismo.[1][2]. No dia 25 de maio de 1938, cerca de 8.000 pessoas presenciaram a entrega de uma bandeira argentina e outra do clube, cercadas pelos sócios, que entoaram o hino argentino e do River Plate.[carece de fontes?] No dia seguinte, uma festa com cerca de 70.000 espectadores e, após diversas atividades, a primeira partida do estádio, um jogo amistoso contra o Peñarol, do Uruguai. Vitória do River, por 3 a 1.[1] Carlos Peucelle, justamente o jogador que inspirou o apelido de Millonario do clube portenho, após sua contratação junto ao Sportivo Buenos Aires, em 1931, ter sido a então mais cara da história do futebol argentino (10 mil pesos) foi o responsável pelo primeiro gol do novo palco.[2]

Nos anos 50, o Monumental passou por momentos importantes. Foi o estádio que recebeu as cerimônias de abertura e encerramento, além da final do futebol e das competições de atletismo nos Jogos Pan-Americanos de 1951 sediados em Buenos Aires.[2]

Em 1958, sob a presidência de Enrique Pardo, graças à venda de Enrique Omar Sivori para a Juventus da Itália por 10 milhões de pesos, valor astronômico na época, as arquibancadas em forma de ferradura do estádio foram fechadas, formando o oval.[1][2] O estádio poderia suporta cerca de 100.000 torcedores naquela época.[3] Com a Copa do Mundo de 1978, o estádio passou por reformas e teve sua capacidade reduzida para 76.600 espectadores[3], sendo um dos melhores estádios do mundo na época. Foram disputadas 9 jogos no Monumental de Núñez, incluindo a abertura (1 de junho, Alemanha Ocidental e Polônia, 0 a 0) e a Grande Final entre Argentina e Holanda, com vitória argentina por 3 a 1.

O estádio foi palco dos três títulos do River Plate na Taça Libertadores da América, em 1986 e em 1996, ambos contra o América de Cali, e em 2015 contra o Tigres.

Em 29 de novembro de 1986, o estádio recebeu o nome do ex-presidente Antonio Vespucio Liberti.[1]

Foi utilizado pela banda de Hard Rock australiana AC/DC para as gravações do DVD Live at River Plate [4], e pela cantora norte-americana Madonna[5] para as gravações do DVD Sticky & Sweet Tour (álbum)[6].

Copa do Mundo FIFA de 1978Editar

Recebeu nove partidas da Copa do Mundo de 1978.

Data 1ª equipe Placar 2ª equipe Fase Público
1 de junho Alemanha Ocidental   0–0   Polónia Grupo 2 67 579
2 de junho Argentina   2–1   Hungria Grupo 1 71 615
6 de junho Argentina   2–1   França Grupo 1 71 666
10 de junho Argentina   0–1   Itália Grupo 1 71 712
14 de junho Alemanha Ocidental   0–0   Itália Grupo A 67 547
18 de junho Itália   1–0   Áustria Grupo A 66 695
21 de junho Países Baixos   2–1   Itália Grupo A 67 433
24 de junho Brasil   2–1   Itália 3º lugar 69 659
25 de junho Argentina   3–1 (pro)   Países Baixos Final 71 483

Referências

  1. a b c d e f g h i Plate, Club Atletico River. «El Monumental». caRiverPlate.com.ar (em espanhol). Consultado em 27 de agosto de 2019 
  2. a b c d e f g «Monumental - El Más Grande». Imortais do Futebol. 19 de novembro de 2018. Consultado em 29 de março de 2019 
  3. a b «El Monumental - River Plate - Buenos Aires - The Stadium Guide» (em inglês). Consultado em 29 de março de 2019 
  4. «WebCite query result». www.webcitation.org. Consultado em 11 de outubro de 2016 
  5. «Madonna». Wikipédia, a enciclopédia livre. 23 de dezembro de 2017 
  6. «Sticky & Sweet Tour (álbum)». Wikipédia, a enciclopédia livre. 30 de julho de 2017 

Ligações externasEditar