Campeonato Municipal de Futebol Amador de São Paulo

O Campeonato Municipal de Futebol Amador de São Paulo, também conhecido como Campeonato Varzeano de São Paulo ou simplesmente Varzeano, é a principal competição de futebol varzeano da cidade de São Paulo. Ao longo dos anos, já esteve vinculada a distintas entidades, sobretudo a Federação Paulista de Futebol e a Secretaria Municipal de Esportes da Prefeitura de São Paulo, e tem sido realizado, de forma interruptiva, desde o final da década de 1910.[carece de fontes?]

Campeonato Varzeano de São Paulo
Campeonato Varzeano de São Paulo
Dados gerais
Organização FPF / SEME
Edições desconhecido
Outros nomes Varzeano
Local de disputa São Paulo São Paulo
Sistema Temporada, Misto (turno classificatório)
editar

Suas raízes remontam ao ano de 1917 quando a Liga Paulista de Foot-Ball foi incorporada à Associação Paulista de Sports Athleticos.[1] Dessa fusão, resultou a criação de três divisões no futebol paulistano, entre elas, uma para abarcar equipes de futebol oriundas das classes populares que não conseguiram vaga nas duas principais divisões da liga.[2] Disputada em 2019, a primeira edição do campeonato municipal foi vencida pelo Independência do Ipiranga, que se tornou o campeão mais antigo de um torneio oficial para clubes de várzea na capital.

Na década de 1940, a Federação Paulista de Futebol criou um departamento específico para o futebol amador.[3] Com a regulamentação, a FPF instituiu ligas classistas — disputadas exclusivamente por times formados por funcionários de empresas dos setores da indústria, comércio e serviços e também de funcionários públicos – e uma Divisão Varzeana. No caso do torneio varzano, havia subdivisões dos times por zonas Norte, Sul, Leste e Oeste da capital. Esse sistema funcionou regularmente ao longo de três décadas.[4] Ao final de cada temporada, a Federação promovia o Torneio dos Campeões Amadores da Capital, competição que reunia vencedores da Divisão Varzeana e das ligas classistas (Divisão Comerciária, Divisão Industrial, etc).[nota 1]

Por conta de constantes atritos com equipes de várzea, a FPF passou um período afastada da gestão direta do campeonato varzeano da cidade, tendo retornado apenas em meados da década de 1980 com a criação da Copa da Cidade.[nota 2] Posteriormente, a Secretaria Municipal de Esportes – órgão que já havia organizado competições durante à época de afastamento da federação[7][8][9] — assumiu a organização do varzeano de São Paulo que, por motivos de patrocínio, chamou-se Copa Kaiser/SEME de Futebol Amador.[10] Desde o fim da parceria com a cervejaria Kaiser,[11] o torneio varzeano da SEME está vinculado aos Jogos da Cidade.[12]

HistóriaEditar

OrigensEditar

 
Equipe do SPAC com Charles William Miller ao centro (ca. 1905)
 
Equipe do Corinthians de 1914, primeiro clube de origem popular a conquistar o Campeonato Paulista.

Nos primórdios do futebol de São Paulo, o amadorismo predominava na modalidade. Desde sua introdução por Charles Miller, a prática do futebol na cidade era realizada de maneira improvisada em algumas chácaras do Bom Retiro[13] – como a Chácara Dulley, local originalmente usado como campo de críquete para sócios do São Paulo Athletic Club, mas que também passou a ser usado para o futebol não apenas por membros desse clube, como também por estudantes da Associação Atlética Mackenzie College e membros do Sport Club Internacional e Sport Club Germânia.[14] – e também em um campo várzea do Carmo, no vale do Rio Tamanduateí.[15]

Enquanto os jovens de origem burguesa preferiam praticar futebol na Chácara Dulley, o esburacado campo da várzea do Carmo começou a ser ocupado por praticantes vindos das camadas populares – principalmente formados por trabalhadores de bairros operários.[16] Mesmo em condições precárias, a várzea do Carmo tornou-se reduto de partidas de futebol, o que originaria a expressão futebol varzeano ou futebol de várzea,[15] termo que mais tarde ficou associado a todo e qualquer futebol amador praticado nos bairros da cidade.[nota 3][17] De acordo com o jornalista Thomaz Mazzoni, o primeiro time de várzea paulistano foi o Éden Liberdade Football Club, fundado em 1897.[15]

Na virada para o século XX, os clubes de elite praticantes de futebol na Chácara Dulley reuniram-se para a fundação da Liga Paulista de Foot-Ball, a primeira associação de clubes de futebol do Brasil.[18][19][20] Pouco depois, a LPF deu início ao Campeonato da Liga Paulista, a primeira competição oficial em solo brasileiro,[18][19] disputada no Velódromo Paulistano, um campo de futebol usado exclusivamente pelos times da liga.[15]

Com a prática do futebol na cidade tenha sido regulamentada por lei pelo prefeito Antônio da Silva Prado,[21] o futebol praticado pelos times de origem popular crescia à margem da LPF e da opinião pública, em especial dos jornais paulistanos, que só destacavam o futebol reconhecido como "oficial" das agremiações da classes mais altas.[22] Entre 1903 e 1904, estima-se que já existissem cerca de 100 equipes de várzea na cidade de São Paulo.[15] Mesmo com o crescimento do futebol na cidade, a LPF mantinha-se como uma entidade elitista que não permitia a filiação de times das camadas populares, bem como seus filiados se recusavam a disputar jogos contra os selecionados varzeanos, mesmo que estes também praticassem o esporte de maneira amadora.[16] Poucos foram os times de origem popular – como o Clube Atlético Ypiranga, o Sport Club Corinthians Paulista e o Palestra Itália – que tiveram a oportunidade de competir nas ligas da elite paulista.[15][23]

Primeiros campeonatos oficiais de várzeaEditar

Na segunda metade da década de 1910, a Associação Paulista de Sports Athleticos havia tornado-se a poderosa associação de futebol do estado de São Paulo, suplantando a velha Liga Paulista de Foot-Ball.[1] Após discussões entre as duas entidades rivais, houve um acordo para uma fusão em 1917.[24] Dentre os compromissos resultantes desse acordo, a APSA comprometeu-se a criar duas novas divisões integrar os clubes filiados à extinta LPF que não participariam do campeonato principal da liga.[1]

Surgiu assim a Terceira Divisão da APSA, posteriormente chamada de Divisão Municipal da APSA, a primeira competição de caráter oficial da várzea de São Paulo.[2] Com a participação de 34 times e disputado em sistema eliminatório, a primeira edição do campeonato foi realizada entre 15 de novembro de 1919 e 4 de janeiro de 2020.[25] Na final, o Independência do Ipiranga venceu o Audax por 1 a 0, sagrando-se oficialmente o primeiro campeão varzano da cidade.[25] Os quatro campeonatos seguintes teriam como campeões, respectivamente, o Estrela de Ouro do Belenzinho,[26] o Spartanos FC da Penha,[27] o São Geraldo da Barra Funda[28] e o Flor do Belenzinho.[29]

A partir da temporada de 1924, o torneio passou a ser disputado em duas fases. Na primeira, avançavam os primeiros colocados de cada um dos quatro grupos avançavam para uma fase final, onde se enfrentavam. O primeiro campeão sob esse novo formato foi o República da Aclimação.[30] A fase final do torneio seguinte terminou com um empate na primeira colocação, tendo sido necessário um jogo extra para decidir o campeão. Na decisão, o Estrela de Ouro do Belenzinho venceu o Progresso de Santo Amaro por 4 a 0.[31]

Em 1926, houve uma nova cisão no futebol paulista e a criação da dissidente Liga dos Amadores de Futebol. Com isso, a então Divisão Municipal da APEA naquele ano chamou-se Divisão Extra e, com dez participantes, teve como campeão o Scarpa do Belenzinho.[32] Já na Divisão Municipal da LAF, que contou com cinco particantes, teve o Touring como vencedor.[33]

Depois de uma temporada sem disputa em ambas as ligas, a Divisão Municipal retornou em 1928 apenas como campeonato da APEA. Na fase final, o Ordem e Progresso do Canindé fez a melhor campanha e se tornou campeão daquele ano.[34] A temporada seguinte contou com uma novidade importante. Pela primeira vez, foi introduzido o sistema de acesso e descenso para a Divisão Municipal. Com as melhores campanhas em seus respectivos grupos, Lusitano do Brás e Republicano Paulista fizeram quatro partidas para decidir o campeão, que acabou sendo o time dos imigrantes portugueses.[35]

Em 1930, houve dois campeonatos de ligas distintas. No torneio da APEA, o São Geraldo da Barra Funda sagrou-se campeão ao vencer, em jogo-desempate, o Parque da Mooca.[36] Já na Liga Athlética Varzeana de Esportes, o Destemido foi vencedor e o Clube Atlético Brasil ficou com o segundo lugar.[carece de fontes?] No ano seguinte, a APEA não organizou a Divisão Municipal por conta de atrasos em seu início. Originalmente, o campeonato de 1931 foi disputado entre 3 de abril e 19 de junho de 1932.[37] Na decisão do título, o União Vasco da Gama da Mooca venceu o Castellões em duas partidas e se sagrou campeão da edição final da Divisão Municipal da APEA.[37]

Divisão entre profissionais, amadores classistas e varzeanosEditar

Tensões em torno do amadorismo e do profissionalismo levaram a constantes disputas entre diferentes entidades pelo poder do futebol paulista ao longo da década de 1930 até o início da década de 1940, quando um decreto do governo Vargas permitiu a fundação da Federação Paulista de Futebol, que se tornou a única organização reconhecida a gerir o futebol de São Paulo.[3] Dessa forma, a nova entidade criou um departamento específico para o futebol amador, que congregava as chamdas ligas classistas — compostas apenas por times formados por funcionários de empresas dos setores da indústria, comércio e serviços e também de funcionários públicos –, como a Liga Comerciária, Liga Industrial, Liga Bancária, Liga do Funcionalismo Público, entre outras,[38] e também instituiu a chamada Divisão Varzeana da Federação Paulista de Futebol – que estava subdividida em grupos das zonas Norte, Sul, Leste e Oeste da capital,[nota 4] de onde seus vencedores qualificavam-se para uma fase final.

Embora todas competissem de forma amadora, a Divisão Varzeana e as ligas classistas tinham estatutos, regulamentos e departamentos separados dentro da federação.[39] Para definir o "campeão amador" (e não varzeano) da cidade, a FPF criou o Torneio dos Campeões Amadores da Capital,[5] disputado pelo campeão varzeano, pelos campeões das ligas classistas, e ainda pelo campeão da Divisão Principal do Campeonato Paulista de Futebol, que contava com principais clubes do futebol paulista. A Sociedade Esportiva Palmeiras chegou a vencer três edições do Torneio dos Campeões Amadores da Capital (1944, 1945 e 1947), além de dois vices (1943 e 1948);[40] já o Sport Club Corinthians Paulista foi vice por duas vezes (1949 e 1950).[5] Embora os clubes de elite tenham deixado de competir nesse torneio no decorrer dos anos, esse sistema amador da FPF funcionou até o final da década de 1960.[41][4]

Hiato da FPF e retomada com a Copa da CidadeEditar

Durante a década de 1970, a Federação Paulista de Futebol desistiu de organizar o Campeonato Varzeano da capital. Neste período, a Secretaria Municipal de Esportes da Prefeitura de São Paulo organizou a competição municipal oficial para os clubes de várzea, chamada de Campeonato Varzeano da SEME.[9] Também nessa época, a TV Record organizava o Desafio ao Galo, competição bastante valorizada pelas equipes de várzea da cidade.[carece de fontes?]

Após 13 anos, a FPF restabeleceu seu próprio torneio de várzea em 1985,[42] rebatizado como Copa da Cidade – e também conhecido como Campeonato Varzeano da FPF.[43]

Era Kaiser e os Jogos da CidadeEditar

Em 1993, Federação Paulista de Futebol decidiu não realizar a Copa da Cidade daquele ano. A Secretaria Municipal de Esportes tampouco demonstrou interesse em bancar o maior torneio varzeano da cidade. Foi então que duas empresas privadas, a cervejaria Kaiser e o jornal A Gazeta Esportiva, organizaram a Copa A Gazeta Esportiva / Copa Kaiser. Embora não tenha sido reconhecida oficialmente, essa competição tornou-se o embrião para um novo campeonato varzeano de São Paulo. Com o apoio estrutural da FPF e da SEME e sob o patrocínio da cervejaria, surgiu a Copa Kaiser/SEME de Futebol Amador, cuja primeira edição foi disputada em 1995.[10] A competição tornou-se um sucesso e cresceu a ponto de ser instituída duas divisões, com acesso e descenso.[10]

Empresa rival da Kaiser, a Antarctica assumiu os direitos de patrocínio sob o Varzeano de 1999, chamado naquele ano de Copa Antarctica/Copa da Cidade.[44] No ano seguinte, a Kaiser retomou os naming rights da competição, que voltou a se chamar Copa Kaiser/SEME.[45] A Copa Kaiser/SEME foi interrompida logo após sua edição de 2004, surgindo em seu lugar a Copa Metropolitana, competição idealizada pela então Secretaria da Juventude, Esporte e Lazer do governo estadual paulista[46] que contava com clubes paulistanos e da Grande São Paulo.[46]

O fim da Copa Metropolitana após apenas três edições disputadas trouxe de volta, em 2007, a Copa Kaiser/SEME como a principal campeonato amador da cidade. Mas em 2014, a cervejaria anunciou o término do seu patrocínio.[11][47] A FPF chegou a anunciar a cervejaria Itaipava como a nova detentora dos naming rights do varzeano da cidade, que seria chamado de Copa São Paulo Itaipava de Futebol Amador.[48][49] No entanto, a competição foi cancelada poucas semanas antes do seu início previsto para 26 de julho de 2015.[49][50]

Sem patrocínio privado, desde então, o único torneio amador municipal em São Paulo está ligado aos Jogos da Cidade da SEME.[12]

CampeõesEditar

Ano Campeão Vice campeão Nome da competição Organizador Ref
1919 CA Independência (Ipiranga) CA Audax Divisão Municipal APEA [25][51]
1920 AA Estrela de Ouro (Belenzinho) CA Audax Divisão Municipal APEA [26][52]
1921 Spartanos FC (Penha) Oriente FC (Vila Prudente) Divisão Municipal APEA [27][53]
1922 AA São Geraldo (Barra Funda) Flor de Belém FC (Belenzinho) Divisão Municipal APEA [28][54][55]
1923 Flor de Belém FC (Belenzinho) AA Guanabara (Paraíso) Divisão Municipal APEA [29][56]
1924 AA República (Aclimação) Santo Amaro FC (Santo Amaro) e Juta Belém FC (Belenzinho)[nota 5] Divisão Municipal APEA [30][57]
1925 AA Estrela de Ouro (Belenzinho) EC Progresso (Santo Amaro) Divisão Municipal APEA [31][58][59]
1926 AA Scarpa (Belenzinho)
Touring FC
AA Colombo
CA Tiradentes
Divisão Extra
Divisão Municipal
APEA
LAF
[32][33]
1927 Não foi realizado
1928 AA Ordem e Progresso (Canindé) Oriente FC (Vila Prudente) Divisão Municipal APEA [34]
1929 Luzitano FC (Brás) EC Republicano Paulista Divisão Municipal APEA [35][60][61]
1930 AA São Geraldo (Barra Funda)
Destemido FC
CA Parque da Mooca (Mooca)
CA Brasil
Divisão Municipal
Campeonato Amador
APEA
LAVE
[36][62]
1931 União Vasco da Gama FC (Mooca)
Castellões FC (Brás) Divisão Municipal APEA [37][63]
1932 a 1941 Não foi realizado
1942 AA Guarani CE Juventus da Penha (Penha) Divisão Varzeana FPF [64]
1943 Portuguesa Paulista FC (Brooklin) desconhecido Divisão Varzeana FPF [carece de fontes?]
1944 Portuguesa Paulista FC (Brooklin) desconhecido Divisão Varzeana FPF [carece de fontes?]
1945 R União Vila Esperança FC (Vila Esperança) desconhecido Divisão Varzeana FPF [65]
1946 Portuguesa Paulista FC (Brooklin) desconhecido Divisão Varzeana FPF [carece de fontes?]
1947 AA Deodoro desconhecido Divisão Varzeana FPF [carece de fontes?]
1948 Desconhecido ou não realizado
1949 Estrela da Saúde FC (Saúde) desconhecido Divisão Varzeana FPF [66]
1950 Lausanne Paulista FC (Lauzane Paulista) desconhecido Divisão Varzeana FPF [67]
1951 Jardim Europa FC (Jardim Europa) EC Ordem e Progresso (Bom Retiro) Divisão Varzeana FPF [carece de fontes?]
1952 7 de Setembro FC (Pinheiros) desconhecido Divisão Varzeana FPF [carece de fontes?]
1953 7 de Setembro FC (Pinheiros) São Cristóvão FC (Itaim Bibi) Divisão Varzeana FPF [carece de fontes?]
1954 EC Sampaio Moreira (Tatuapé) GDR Carlos Gomes Divisão Varzeana FPF [68][69]
1955 SER Sete de Setembro FC (Freguesia do Ó) desconhecido Divisão Varzeana FPF [70]
1956 EC Sampaio Moreira (Tatuapé) Grêmio Maranhense (Tatuapé) Divisão Varzeana FPF [71][69]
1957 EC Sampaio Moreira (Tatuapé) AAR Nacional (Bom Retiro) Divisão Varzeana FPF [72][73]
1958 Lestinho FC (Água Rasa) SER Sete de Setembro FC (Freguesia do Ó) Divisão Varzeana FPF [74]
1959 Democráticos FC (Ipiranga) desconhecido Divisão Varzeana FPF [75]
1960 EC Estrela do Ipiranga (Ipiranga) desconhecido Divisão Varzeana FPF [carece de fontes?]
1961 AA Caramuru (Indianópolis) desconhecido Divisão Varzeana FPF [carece de fontes?]
1962 AA Caramuru (Indianópolis) SER Sete de Setembro FC (Freguesia do Ó) Divisão Varzeana FPF [carece de fontes?]
1963 Vasco da Gama (Vila Matilde) EC Sampaio Moreira (Tatuapé) Divisão Varzeana FPF [76]
1964 Saib (Chora Menino) desconhecido Divisão Varzeana FPF [41]
1965 a 1967 Desconhecido ou não realizado
1968 CA Parque da Mooca (Mooca) desconhecido Divisão Varzeana FPF [carece de fontes?]
1969 CA Parque da Mooca (Mooca) SER Sete de Setembro FC (Freguesia do Ó) Divisão Varzeana FPF [carece de fontes?]
1970 a 1984 Desconhecido ou não realizado
1985 Ressaca Clube (Tatuapé) Comercial FC (Pirituba) Copa da Cidade FPF [42][43][77]
1986 XI Primos FC (Vila Carioca) GR Botafogo FC (Guaianases) Copa da Cidade FPF [43][78]
1987 CA Paulistano (Jardim Coimbra) Corinthians (Jardim Aricanduva) Copa da Cidade FPF [43]
1988 Não foi realizado[79]
1989 GR Botafogo FC (Guaianases) GE Michelle (Vila Sabrina) Copa da Cidade FPF [79]
1990 GR Botafogo FC (Guaianases) CA Paulistano (Jardim Coimbra) Copa da Cidade FPF [79]
1991 GE Michelle (Vila Sabrina) GR Botafogo FC (Guaianases) Copa da Cidade FPF [80]
1992 Ajax FC (Vila Rica) AA Pery Novo (Vila Nova Cachoeirinha) Copa da Cidade FPF [80]
1993 a 1994 Não foi realizado[nota 6]
1995 CA Paulistano (Jardim Coimbra) Confiança FC (Sapopemba) Copa Kaiser SEME [81][82]
1996 AA Boa Esperança (São Mateus) GE Michelle (Vila Sabrina) Copa Kaiser SEME [81][83]
1997 GR Botafogo FC (Guaianases) Maior Alegria da Cohab FC (Cidade Tiradentes) Copa Kaiser SEME [81][84]
1998 AA Cruz Credo (Vila Formosa) AA Boa Esperança (São Mateus) Copa Kaiser SEME [81][85]
1999 Lausanne Paulista FC (Lauzane Paulista) Botafogo FS (Jaçanã) Copa da Cidade / Copa Antarctica SEME [44]
2000 AA Boa Esperança (São Mateus) 100 Mizéria FS (Parque Guarani) Copa Kaiser SEME [81][86]
2001 SC XI Garotos (Ermelino Matarazzo) Mella Pé FS (Vila Mazzei) Copa Kaiser SEME [81][45]
2002 EC Napoli (Vila Industrial) EC Riachuelo (Jardim Brasil) Copa Kaiser SEME [81][87]
2003 EC Riachuelo (Jardim Brasil) AG Madeiras (Brás) Copa Kaiser SEME [81][88]
2004 Água Santa (Diadema)
AG Madeiras (Brás)
GR Botafogo FC (Guaianases)
AA Boa Esperança (São Mateus)
Copa Metropolitana[nota 7]
Copa Kaiser
SELJ
SEME
[89][81][90]
2005 Leões da Geolândia (Vila Medeiros)[91] Pânico FR (Cajamar) Copa Metropolitana SELJ [carece de fontes?]
2006 GR Botafogo FC (Guaianases) Hooligans D-2 (Ferraz de Vasconcelos) Copa Metropolitana SELJ [92]
2007 GDR Danúbio (Freguesia do Ó) EC Napoli (Vila Industrial) Copa Kaiser SEME [81][93]
2008 AE Nós Travamos (Jardim Tupi)
Boy EC (Mooca)
EC Vida Loka (Vila Brasilândia)
Tradição FC (Perus)
Copa Kaiser
Jogos da Cidade
SEME
SEME
[81][94]
2009 EC Vida Loka (Vila Brasilândia)
Nove de Julho FC (Casa Verde)
Ajax FC (Vila Rica)
Vila Nova FC (Parque Fernanda)
Copa Kaiser
Jogos da Cidade
SEME
SEME
[81][95]
2010 EC Pioneer (Vila Guacuri)
CDM Veneza Independente (Vila Califórnia)
AE Sedex (Cidade Tiradentes)
EC Eledy (Campo Limpo)
Copa Kaiser
Jogos da Cidade
SEME
SEME
[81][96][97]
2011 EC Classe A (Barra Funda)
GE Vila Prudente (Vila Prudente)
GR Turma do Baffô (Jardim Clímax)
Esquina do Samba FC (Vila Guarani)
Copa Kaiser
Jogos da Cidade
SEME
SEME
[81][98]
2012 Ajax FC (Vila Rica)
XI Garotos do Parque (Parque da Lapa)
GR Turma do Baffô (Jardim Clímax)
Mistura Fina FC (Parque Ipê)
Copa Kaiser
Jogos da Cidade
SEME
SEME
[99]}[100]
2013 Leões da Geolândia (Vila Medeiros)
UNIP (Vila Mariana)
AA Família 100 Valor (Jaraguá)
Associação Acezos (Jardim Ana Lucia)
Copa Kaiser
Jogos da Cidade
SEME
SEME
[101][102][103]
2014 Nove de Julho FC (Casa Verde Alta)
Unidos Divisa FC (Vila Rica)
Leões da Geolândia (Vila Medeiros)
AEC Favela FC (Jardim Miragaia)
Copa Kaiser
Jogos da Cidade
SEME
SEME
[104][47][105][106]
2015 Mistura Fina FC (Parque Ipê) EC Galo do Parque (Parque Vila Maria) Jogos da Cidade SEME [107]
2016 GR Botafogo FC (Guaianases) EC Xarada (Casa Verde) Jogos da Cidade SEME [108]
2017 EC Eledy (Campo Limpo) Atlético Mangalot (Vila Mangalot) Jogos da Cidade SEME [carece de fontes?]
2018 UNIP (Vila Mariana) AA Paredão da Esquina (Jardim Marieta) Jogos da Cidade SEME [109]
2019 AA Garotos FA (São Miguel Paulista) AD Arsenal do Centro (Liberdade) Jogos da Cidade SEME [carece de fontes?]
2020 Não foi realizado

Ver tambémEditar

Notas

  1. Em suas edições pioneiras, contou também com o campeão da Divisão Principal do Campeonato Paulista de Futebol – a tradicional Sociedade Esportiva Palmeiras, por exemplo, sagrou-se campeã desse torneio em 1944, 1945 e 1947.[5]
  2. Já em relação às competições amadoras classistas, a FPF continuou a dar suporte, fornecendo o trio de arbitragem e as bolas para os certames.[6]
  3. Originalmente, a prática do futebol popular praticado pelos pobres e os clubes que dele tomavam parte dava-se nas margens dos rios e áreas adjacentes que estavam longe de serem ocupadas para empreendimentos habitacionais ou unidades industriais, já que eram superfícies inundáveis, mas pouco a pouco, a noção sobre várzea ganhou ainda mais abrangência, graças a ocupação populacional de outras partes da cidade que mesmo sem rios foram tratadas pela população como várzeas – como nas áreas de trilhos da linha de trem entre a Lapa e a Barra Funda, ou na avenida Celso Garcia. As próprias populações pobres que ocupavam essas áreas eram conhecidas como "varzeanas".
  4. Em alguns anos, a competição foi dividida em quatro sub-ligas: "Ruy Barbosa", "Castro Alves", "Marechal Deodoro" e "Princesa Isabel"; os 4 campeões destas subligas disputavam as semifinais da Divisão Varzeana da Federação Paulista de Futebol.[carece de fontes?]
  5. Como não havia critério de desempate, os dois são considerados vice-campeões.
  6. Em 1993, foi realizada em caráter não-oficial "Copa A Gazeta Esportiva / Copa Kaiser", que teve como campeão o GR Botafogo FC e vice-campeão o EC Moleque Travesso.[80]
  7. A Copa Metropolitana reuniu equipes amadoras das cidades de São Paulo, Osasco e do Grande ABC. Foi organizada pela Secretaria de Esporte, Lazer e Juventude do Governo do Estado de São Paulo.

Referências

  1. a b c Correio Paulistano 1917, p. 5.
  2. a b Kussarev & Itri 2021, p. 44.
  3. a b Kussarev & Itri 2021, p. 115.
  4. a b FSP 1965b, p. 16.
  5. a b c Folha da Manhã 1958, p. 4.
  6. Assumpção 1986a, p. 20.
  7. FSP 1976a, p. 12.
  8. FSP 1976b, p. 37.
  9. a b FSP 1978, p. 36.
  10. a b c Cervejaria Kaiser 2013a.
  11. a b Doro 2013a.
  12. a b Prefeitura de SP 2019.
  13. Streapco 2011, p. 13.
  14. Streapco 2011, p. 14.
  15. a b c d e f Diaferia 1969, p. 18.
  16. a b Carravetta 2006, pp. 24-25.
  17. Streapco 2011, pp. 15, 37-38.
  18. a b Correio de SP 1933, p. 9.
  19. a b Correio Paulistano 1940, p. 16.
  20. Gambeta 2013, pp. 164-165.
  21. Streapco 2011, p. 16.
  22. Streapco 2011, pp. 37-38.
  23. Salun 2007, pp. 57-61.
  24. Correio da Manhã 1916, p. 5.
  25. a b c Kussarev & Itri 2021, p. 45.
  26. a b Kussarev & Itri 2021, p. 48.
  27. a b Kussarev & Itri 2021, p. 51.
  28. a b Kussarev & Itri 2021, p. 54.
  29. a b Kussarev & Itri 2021, p. 57.
  30. a b Kussarev & Itri 2021, p. 59.
  31. a b Kussarev & Itri 2021, p. 63.
  32. a b Kussarev & Itri 2021, p. 67.
  33. a b Kussarev & Itri 2021, p. 69.
  34. a b Kussarev & Itri 2021, p. 79.
  35. a b Kussarev & Itri 2021, p. 84.
  36. a b Kussarev & Itri 2021, p. 89.
  37. a b c Kussarev & Itri 2021, p. 92.
  38. Serra 2018.
  39. FSP 1967, p. 7.
  40. SEP 2020.
  41. a b FSP 1965a, p. 10.
  42. a b Assumpção 1986b, p. 20.
  43. a b c d SIMMM 2013cca.
  44. a b SIMMM 2013caa.
  45. a b SIMMM 2013ckf.
  46. a b SIMMM 2013cmm.
  47. a b Doro 2014.
  48. Doro 2015a.
  49. a b Munhos 2015.
  50. Doro 2015b.
  51. HdF 2016.
  52. HdF 2013a.
  53. AdF 2020.
  54. Voz da Raça 1934, p. 4.
  55. Mundo Esportivo 1948, p. 11.
  56. HdF 2013b.
  57. HdF 2013c.
  58. HdF 2012a.
  59. Folha da Manhã 1926, p. 11.
  60. HdF 2013d.
  61. Correio Paulistano 1930, p. 8.
  62. EcclissiApolinário 2019.
  63. HdF 2012b.
  64. HdF 2017.
  65. Correio Paulistano 1945, p. 10.
  66. SIMMM 2007es.
  67. SIMMM 2008lp.
  68. Prefeitura de SP 2020.
  69. a b Sampaio Moreira 2020.
  70. A Gazeta Esportiva 1955, p. 21.
  71. Gazeta da ZL 2014.
  72. A Gazeta Esportiva 1958a, p. 27.
  73. A Gazeta Esportiva 1958b, p. 12.
  74. Gazeta da ZL 2012a.
  75. Ipiranga News 2019.
  76. ChiorinoSilva 1963, p. 12.
  77. Gazeta de ZL 2012b.
  78. SIMMM 2013bg.
  79. a b c SIMMM 2013ccb.
  80. a b c SIMMM 2013ccc.
  81. a b c d e f g h i j k l m n Cervejaria Kaiser 2013b.
  82. SIMMM 2013cka.
  83. SIMMM 2013ckb.
  84. SIMMM 2013ckc.
  85. SIMMM 2013ckd.
  86. SIMMM 2013cke.
  87. SIMMM 2013ckg.
  88. SIMMM 2013ckh.
  89. SIMMM 2013cma.
  90. SIMMM 2013cki.
  91. SIMMM 2013cmb.
  92. SIMMM 2013cmc.
  93. SIMMM 2013ckj.
  94. SIMMM 2013ckk.
  95. SIMMM 2013ckl.
  96. SIMMM 2013ckm.
  97. Folha da VP 2010.
  98. SIMMM 2013ckn.
  99. SIMMM 2013cko.
  100. Doro 2012.
  101. SIMMM 2013ckp.
  102. Doro 2013b.
  103. Fugulin 2014.
  104. SIMMM 2013ckq.
  105. Folha da VP 2014.
  106. Sacheto 2018.
  107. Viterbo 2015.
  108. Viterbo 2016.
  109. Vecchioli 2018.

Bibliografia consultadaEditar

Ligações externasEditar