Abrir menu principal
Gaioso e Almendra
Replace this image male.png
Gaioso e Almendra
Deputado estadual pelo Piauí
Período 1934-1937
Governador do Piauí
Período 1955-1959
Antecessor Pedro Freitas
Sucessor Chagas Rodrigues
Deputado federal pelo Piauí
Período 1963-1967
Dados pessoais
Nascimento 3 de outubro de 1899
Teresina, PI
Morte 10 de maio de 1976 (76 anos)
Teresina, PI
Alma mater Escola Militar do Realengo
Cônjuge Ana Castelo Branco Gayoso de Aumendra
Partido PSD, PTB, ARENA
Profissão militar

Jacob Manoel Gaioso e Almendra (Teresina, 3 de outubro de 1899Teresina, 10 de maio de 1976) foi um militar e político, brasileiro que foi eleito governador do Piauí em 1954.

Dados biográficosEditar

Filho de João Henrique de Souza Gaioso e Almendra e Josefina Gaioso e Almendra, sendo essa bisneta de Dom Pedro II do Brasil, (Conde e Condessa de Buriti dos Montes, respectivamente). Sentou praça na Escola Militar do Realengo em 1918 percorrendo a escala de promoção até chegar ao posto de primeiro-tenente em 1922. Secretário de Segurança Pública (1924 a 1926) no governo Matias Olímpio, deixou o cargo e a seguir foi alçado à patente de capitão. Chefe do estado-maior da 3ª Divisão de Cavalaria em Bagé, trabalhou na 10ª Região Militar em Fortaleza e comandou a 2ª Divisão de Cavalaria em Uruguaiana. Ao longo de sua carreira militar frequentou também a Escola de Aperfeiçoamento de Oficiais e a Escola de Estado-Maior do Exército.

Membro do Jockey Clube do Piauí, do Clube dos Diários, da Associação Comercial do Piauí e da Associação Industrial do Piauí, integrou a Academia Piauiense de Letras e a Academia Brasileira de Letras, além de ter presidido o Instituto Histórico e Geográfico do Piauí. Fundou a Associação dos Criadores Piauienses e da Associação dos Criadores do Brasil. Gaioso de Almendra também foi agraciado com algumas ordens honoríficas, como a Imperial Ordem de Avis (dada em 1955 por Luíz Gastão de Orléans e Bragança, chefe da casa real brasileira no período), Cruz de Combate (oferecida pelo Presidente Juscelino Kubitschek em 1958), Ordem Nacional do Cruzeiro do Sul (dada em 1969 pelo então Presidente Emílio Garrastazu Médici), e a Ordem Nacional do Mérito (Brasil) (recebida por Gaioso de Aumendra em 1973), e por fim a Medalha do Pacificador, recebida pelo governador em 1974 dada pelo presidente Ernesto Geisel.

Secretário de Segurança do Piauí (1932 a 1934) durante o governo de Landri Sales (1931-1935) na condição de Major do Exército, em 1932 liderou um pelotão enviado para debelar a Revolução Constitucionalista. Imerso na vida política, foi eleito deputado estadual em 1934 até encerrar suas atividades em razão do Estado Novo em 1937. Retornou à vida partidária através do PSD e foi candidato a governador do Piauí em 1947 sendo derrotado por Rocha Furtado (UDN), o qual depois admitiu publicamente a maior aptidão de Gaioso de Almendra para o cargo. Com a eleição de seu cunhado Pedro Freitas para governador em 1950, Gaioso e Almendra foi secretário-geral do estado (1951-1954) até ser eleito governador em 1954, sendo que "na sucessão de Pedro Freitas, formaram-se, no estado, as primeiras coligações partidárias posteriores à redemocratização do país" (SANTOS, 1988; p. 44). Após deixar o poder migrou para o PTB e foi eleito deputado federal em 1962. Posteriormente migrou para o ARENA novamente, o qual havia sido um dos fundadores, chegando à presidência do diretório regional (1973-1976).

Jacob Manoel também teve êxito na criação bovina, suína e equina, criando rebanhos em suas vastas fazendas pelo nordeste brasileiro. O famoso general teve um papel importante no desenvolvimento da indústria nordestina, fabricando manteiga e algodão em uma das primeiras empresas do Nordeste, fundado pelo ilustre General: a Santa Helena Produtos.

Em 2007 recebeu uma grande homenagem do governo piauense pelos serviços prestados ao governo brasileiro e ao governo piauense. Graças à sua forte marca deixada no Brasil, Gaioso de Almendra é homenageado em nomes de escolas, ruas e hospitais de norte a sul do país, sendo que seus descendentes ainda exercem forte papel político e social no estado. É considerado um dos mais ilustres senhores da história nordestina além de ter incalculável importância para a história estadual do Piauí, tendo doado o casarão que atualmente serve de Museu Estadual do Piauí.

BibliografiaEditar

  • Almanaque. Polícia Militar do Piauí, Teresina, 1986.
  • SANTOS, José Lopes dos. Política e Políticos: eleições 86. Teresina, Gráfica Mendes, 1988. v. I.

Ligações externasEditar