Abrir menu principal
John Gurdon Medalha Nobel
Nascimento 2 de outubro de 1933 (85 anos)
Nacionalidade britânico
Cidadania Reino Unido
Alma mater Christ Church
Ocupação biólogo, médico, professor universitário
Prêmios Prémio Albert Brachet (1967), Prêmio Paul Ehrlich e Ludwig Darmstaedter (1977), Prêmio Charles-Leopold Mayer (1984), Medalha Real (1985), International Prize for Biology (1987), Prêmio Wolf de Medicina (1989), Medalha Edwin Grant Conklin (2001), Medalha Copley (2003), Prêmio Albert Lasker de Pesquisa Médica Básica (2009), Nobel prize medal.svg Nobel de Fisiologia ou Medicina (2012)
Empregador Universidade de Oxford
Página oficial
https://www.gurdon.cam.ac.uk/research/gurdon
Orientador(es) Michael Fischberg
Instituições Universidade de Oxford, Universidade de Cambridge
Campo(s) Biologia e Biologia do desenvolvimento
Tese 1961: Studies on nucleocytoplasmic relationships during differentiation in vertebrates

John Bertrand Gurdon FRS (Dippenhall, Hampshire, 2 de outubro de 1933) é um biólogo desenvolvimentista britânico.

Reconhecido por pesquisas pioneiras em transplante nuclear e clonagem.

Foi laureado com o Nobel de Fisiologia ou Medicina de 2012, juntamente com Shinya Yamanaka, "pela descoberta de que células maduras podem ser reprogramadas de modo a tornarem-se pluripotentes".[1]

Referências

Ligações externasEditar