Abrir menu principal
Juciely Silva
campeã do grand prix
Juciely durante o Grand Prix de 2012.
Voleibol
Nome completo Juciely Cristina da Silva
Apelido Jucy
Modalidade Voleibol indoor
Nascimento 18 de dezembro de 1980 (38 anos)
João Monlevade, MG
Nacionalidade brasileira
Compleição Peso: 71 kg Altura: 1,84 m
Clube Brasil Rio de Janeiro
Medalhas
Competidora do Bandeira do Brasil Brasil
Grand Prix
Ouro Sapporo 2013 Equipe
Ouro Bangkok 2016 Equipe
Prata Macau 2011 Equipe
Prata Ningbo 2012 Equipe
Bronze Omaha 2015 Equipe
Jogos Pan-Americanos
Ouro Guadalajara 2011 Equipe
Campeonato Sul-Americano
Ouro Lima 2011 Equipe
Ouro Ica 2013 Equipe
Ouro Cartagena 2015 Equipe
Jogos Mundiais Militares
Ouro Rio de Janeiro 2011 Equipe
Competidora do Rio de Janeiro
Campeonatos Mundiais
Prata Zurique 2013 Equipe
Prata Kōbe 2017 Equipe
Torneio Top Volley
Bronze Basileia 2011 Equipe
Campeonato Sul-Americano
Ouro Lima 2013 Equipe
Ouro Osasco 2015 Equipe
Ouro La Plata 2016 Equipe
Ouro Uberlândia 2017 Equipe
Prata Belo Horizonte 2018 Equipe

Juciely Cristina da Silva (João Monlevade, 18 de dezembro de 1980)[1] é uma jogadora brasileira de voleibol. Tem 1,84 m de altura e desempenha a posição de central, faz parte do grupo campeão olímpico com a seleção brasileira em Londres 2012. Ganhou medalha de ouro nos Jogos Panamericanos de 2011. Juciely foi eleita a melhor bloqueadora no Grand Prix de 2015.

CarreiraEditar

Em 2015 foi convocada para Seleção Brasileira e conquistou a medalha de ouro na edição do Campeonato Sul-Americano disputado em Cartagena e foi premiada como a melhor central da competição[2] e na edição do Grand Prix no mesmo ano realizado em Omaha conquistou a medalha de bronze e também foi a melhor central da competição[3].

Ainda em 2015 atuou pelo “Rexona-Ades/RJ” na conquistao título do Campeonato Sul-Americano de Clubes, sediado em Osasco, no Brasil[4] e disputou o Campeonato Mundial de Clubes referente a este ano, vestia a camisa 17[5], a equipe encerrou na quarta posição[6].Ainda em 2015 sagrou-se também campeã da primeira edição da Supercopa Brasileira em 2015, sediada em Itapetininga[7].Atuou novamente pelo “Rexona-Ades/RJ” nas competições do período esportivo de 2015-16 e conquistou o título do Campeão Carioca de 2015[7], da mesma forma que obteve o titulo da Supercopa Brasileira[8]

No ano de 2016 representou o “Rexona-Ades/RJ” na edição do Campeonato Sul-Americano de Clubes em La Plata, Argentina[9][10] e disputou o Campeonato Mundial de Clubes de 2016 em Manila, Filipinas, edição que finalizou na quinta posição[11].Ainda em 2016 representou nesse mesmo clube na conquista do vice-campeonato no Campeonato Carioca[12]conquistou o bicampeonato da Supercopa do Brasil em Uberlândia[13].

Pela Seleção Brasileira disputou pela primeira vez a edição dos Jogos Olímpicos de Verão em 2016 no Rio de Janeiro, ocasião que avançaram a fase de quartas de final, e nesta ocorreu a eliminação diante da Seleção Chinesa e finalizando assim na quinta colocação[14].

Após fazer uma fase final impressionante da Superliga 2016-17 pelo Rexona-Sesc/RJ[15], a atleta foi convocada para a Seleção Brasileira principal pela primeira vez em 2017. Neste ano conquistou o título do Montreux Volley Masters[16][17]. Conquistou mais um título da Copa Brasil em 2017, sediada em Campinas[18]o tetracampeonato de sua carreira do Campeonato Sul-Americano de Clubes de 2017, em Uberlândia, Brasil[19][20] e o vice-campeonato na edição do Campeonato Mundial de Clubes em Kobe, Japãɔ[21].

Renovou com o Rexona-Sesc/RJ para a jornada esportiva de 2017-18 e sagrou-se campeã da Supercopa Brasil de 2017[22] e também do Campeonato Carioca de 2017[23]e vice-campeã da edição do Campeonato Sul-Americano de Clubes de 2018 sendo premiada como a primeira melhor central do campeonato[24].

ClubesEditar

Clube País Temporadas
Usipa/Ipatinga   Brasil 1999-2000
Macaé Sports   Brasil 2000-2001
Minas TC   Brasil 2001-2003
Finasa/Osasco   Brasil 2003-2004
Brasil Telecom/Brusque   Brasil 2004–2007
Minas TC   Brasil 2007-2008
São Caetano EC   Brasil 2009–2010
Rio de Janeiro VC   Brasil 2010–atual

Títulos e resultadosEditar

Premiações individuaisEditar

Ligações externasEditar

Referências

  1. R7 Notícias. «Atletas brasileiros». Rede Record. Consultado em 20 de agosto de 2013 
  2. a b «VOLLEYBALL NEWS-Brazilian women capture 19th gold in South American Championship». FIVB (em ingles). Consultado em 26 de fevereiro de 2018 
  3. a b «Grand Prix mondial : l'Américaine Karsta Lowe a été désignée meilleure joueuse». L'Equipe.fr (em ingles). 27 de julho de 2015. Consultado em 26 de fevereiro de 2018 
  4. CSV. «SUDAMERICANO DE CLUBES: Rexona Ades es campeón» (em espanhol). 8 de fevereiro de 2015. Consultado em 26 de fevereiro de 2018 
  5. FIVB. «Women´s Club World Championship 2015-Teams-Rexona Ades Rio de Janeiro» (em ingles). Consultado em 26 de fevereiro de 2018 
  6. a b FIVB. «Women´s Club World Championship 2015- Final Standing» (em ingles). Consultado em 26 de fevereiro de 2018 
  7. a b c d Clic RBS.com. «Rexona-AdeS vence o Pinheiros e é campeão da Supercopa Brasil feminina de Vôlei» (em portugues). 7 de novembro de 2015. Consultado em 26 de fevereiro de 2018 
  8. a b Gaz.com. «Na final feminina da Supercopa, Rexona-Ades vence o Pinheiros e fica com título» (em portugues). 7 de novembro de 2015. Consultado em 26 de fevereiro de 2018 
  9. CSV. «SUDAMERICANO DE CLUBES: REXONA ADES DE BRASIL SE QUEDÓ CON EL TÍTULO Y LA PLAZA AL MUNDIAL» (em espanhol). 28 de fevereiro de 2015. Consultado em 26 de fevereiro de 2018 
  10. «Rio de Janeiro conquista título do Sul-Americano sem perder um set». GloboEsporte.com. 28 de fevereiro de 2016. Consultado em 26 de fevereiro de 2018 
  11. «Eczacibasi write history as curtain falls on Club Worlds» (em inglês). FIVB. 23 de outubro de 2016. Consultado em 26 de fevereiro de 2018 
  12. a b «Fluminense surpreende o Rexona e vence o Estadual de vôlei». GloboEsporte.com. Grupo Globo. 29 de setembro de 2016. Consultado em 26 de fevereiro de 2018 
  13. a b «Rio se recupera da derrota no Carioca, bate Praia Clube e leva Supercopa». GloboEsporte.com. Grupo Globo. 7 de outubro de 2016. Consultado em 26 de fevereiro de 2018 
  14. «VÔLEI FEMININO DO BRASIL PERDE DA CHINA E TERMINA EM 5º LUGAR NA RIO 2016». Clique ABC. 17 de agosto de 2016. Consultado em 26 de fevereiro de 2017. Cópia arquivada em 26 de fevereiro de 2018 
  15. a b UOL Esporte. «Rexona vence Vôlei Nestlé e conquista quinta Superliga consecutiva». 23 de abril de 2017. 1 páginas. Consultado em 26 de fevereiro de 2018 
  16. FIVB. «BRAZIL SET ALL-TIME RECORD IN WORLD GRAND PRIX WINS» (em inglês). 6 de agosto de 2017. Consultado em 6 de agosto de 2017 
  17. Volleymasters.ch. «Brazil crowned Montreux Masters champions with win over Germany» (em inglês). 11 de junho de 2017. Consultado em 11 de junho de 2017 
  18. «Rio de Janeiro derrota o Minas por 3 sets a 0 e é tricampeão da Copa Brasil». Globoesporte.com. Grupo Globo. 28 de janeiro de 2017. Consultado em 26 de fevereiro de 2018 
  19. Terra Esportes. «Rio de Janeiro bate Praia, é tetra do Sul-Americano e vai ao Mundial» (em portugues). 18 de fevereiro de 2017. Consultado em 26 de fevereiro de 2018 
  20. CSV. «REXONA ES TETRACAMPEÓN DEL SUDAMERICANO DE CLUBES FEMENINO» (em espanhol). 18 de fevereiro de 2017. Consultado em 26 de fevereiro de 2018 
  21. FIVB (14 de maio de 2017). «VakifBank win Women's Club World Championship title for second time» (em ingles). Consultado em 26 de fevereiro de 2018 
  22. a b Crisneive Silveira; Juscelino Filho (14 de outubro de 2017). «No tie-break, Rio supera Minas e fatura o tri da Supercopa de vôlei». Globoesporte.com. Grupo Globo. Consultado em 26 de fevereiro de 2018 
  23. a b «Sesc dá troco no Fluminense e fatura taça do Carioca de vôlei pela 13ª vez». Portal Terra. 24 de fevereiro de 2018. Consultado em 26 de fevereiro de 2017. Cópia arquivada em 26 de fevereiro de 2018 
  24. a b «Minas vence Rio e leva Sul-americano de clubes após 18 anos». O Globo. 24 de fevereiro de 2018. Consultado em 24 de fevereiro de 2017. Cópia arquivada em 24 de fevereiro de 2018