Superliga Brasileira de Voleibol Feminino - Série A

A Superliga Brasileira de Voleibol Feminino - Série A é o "nome-fantasia" da principal divisão do Campeonato Brasileiro de Voleibol. A denominação "Série A" passou a ser utilizada a partir da temporada 2013/2014, na qual foi criada a Série B. Todos os campeões anteriores da Superliga são reconhecidos como campeões brasileiros de voleibol, assim como todos os campeões da Série A desta temporada em diante.

Superliga Série A
Voleibol
Superliga Brasileira de Voleibol Feminino - Série A
País  Brasil
Confederação CSV
Organizador CBV
Informações gerais
Número de equipes 12
Divisão Primeira divisão
Rebaixamento Série B
Copa nacional Copa Brasil
Torneios internacionais Sul-Americano de Clubes
Temporadas
Primeira temporada 1976
Temporada atual SL A 2023-24
Última temporada SL A 2022-23
Primeiro campeão Rio de Janeiro Fluminense FC
Atual campeão Minas GeraisMinas TC (5° título)
Maior campeão Rio de Janeiro Rio de Janeiro VC
(12 títulos)
Página oficial da competição

O torneio é organizado anualmente pela Confederação Brasileira de Voleibol (CBV) e dá acesso ao seu campeão ao Campeonato Sul-Americano de Clubes. Os dois últimos colocados são rebaixados à Série B na temporada seguinte.

Os direitos de transmissão da Superliga no Brasil pertencem a Rede Globo em parceria com a TV Cultura em TV aberta e ao SporTV em TV fechada.[1][2]

Edição atual

editar

Doze equipes participam da Superliga Feminina de 2023/24. São elas:

Equipe Cidade Pos. temporada 2022/23 Ginásio Capacidade Títulos
Barueri   Barueri 7º (Superliga A) José Corrêa 5 000 0
Brasília Vôlei   Brasília 9º (Superliga A) Sesi Taguatinga 11 000 0
Bluvôlei/Furb/SME   Blumenau 1º (Superliga B) Ginásio Galegão 3 000 0
Fluminense   Rio de Janeiro 6º (Superliga A) Ginásio da Hebraica 1 000 2
Unilife Maringá   Maringá 10º (Superliga A) Ginásio Chico Neto 4 800 0
Gerdau/Minas[nota 1]   Belo Horizonte 1º (Superliga A) Arena UniBH 3 650 5
Osasco São Cristóvão Saúde   Osasco 5º (Superliga A) José Liberatti 4 500 5
Pinheiros   São Paulo 8º (Superliga A) Henrique Villaboim 1 100 0
Dentil Praia Clube   Uberlândia 2º (Superliga A) Arena Praia 3 000 2
Sesc RJ/Flamengo   Rio de Janeiro 4º (Superliga A) Ginásio Hélio Maurício 1.000 12
Sesi/Vôlei Bauru   Bauru 3º (Superliga A) Panela de Pressão 2 000 0
São Caetano   São Caetano do Sul 1º (Superliga B) Vereador Pedro Ezequiel da Silva 3 500 0

Resultados

editar
CAMPEONATO BRASILEIRO DE CLUBES DE VOLEIBOL FEMININO
Ano Campeão Vice-campeão Terceiro lugar Quarto lugar
1976
Detalhes
 
Fluminense FC
 
CRB
 
Mackenzie EC[3]
1978
Detalhes
 
CR Flamengo
 
Mackenzie EC [3]
 
Guarani FC
1980
Detalhes
 
CR Flamengo
 
Fluminense FC
 
ADC Pirelli
1981
Detalhes
 
Fluminense FC
 
Minas TC
1982
Detalhes
 
CA Paulistano
 
ADC Pirelli
1983
Detalhes
 
AA Supergasbrás
 
Fluminense FC
1984
Detalhes
 
ADC Bradesco Atlântica
 
AA Supergasbrás
1985
Detalhes
 
AA Supergasbrás[nota 2]
 
CA Paulistano
1986
Detalhes
 
AA Supergasbrás
 
ADC Bradesco Atlântica
 
EC Pinheiros
1987
Detalhes
 
Lufkin EC[8][9]
 
AA Supergasbrás
LIGA NACIONAL DE VOLEIBOL FEMININO
Ano Campeão Vice-campeão Terceiro lugar Quarto lugar
1988–89
Detalhes
 
Sadia EC
 
Lufkin EC
1989–90
Detalhes
 
Sadia EC
 
AA Supergasbrás
1990–91
Detalhes
 
Sadia EC
 
São Caetano Voleibol
1991–92
Detalhes
 
São Caetano Voleibol
 
Minas TC
1992–93
Detalhes
 
Minas TC
 
São Caetano Voleibol
1993–94
Detalhes
 
Nossa Caixa/Recra
 
BCN Guarujá
SUPERLIGA BRASILEIRA DE VOLEIBOL FEMININO
Ano Campeão Vice-campeão Terceiro lugar Quarto lugar
1994–95
Detalhes
 
Sorocaba
 
BCN Guarujá
 
Minas TC
 
SER Ribeirão Preto[10]
1995–96
Detalhes
 
Sorocaba
 
BCN Guarujá
 
Tietê VC
1996–97
Detalhes
 
Jundiaí
 
São Caetano Voleibol
 
BCN Osasco
1997–98
Detalhes
 
Paraná VC
 
Jundiaí
 
Minas TC
 
EC Pinheiros[11]
1998–99
Detalhes
 
AAA Uniban
 
Paraná VC
 
Jundiaí
1999–00
Detalhes
 
Paraná VC
 
Minas TC
 
BCN Osasco
2000–01
Detalhes
 
CR Flamengo
 
CR Vasco da Gama
 
Minas TC
2001–02
Detalhes
 
Minas TC
 
BCN Osasco
 
Paraná VC
2002–03
Detalhes
 
BCN Osasco
 
Minas TC
 
Paraná VC
2003–04
Detalhes
 
ADCF Osasco
 
Minas TC
 
Paraná VC
2004–05
Detalhes
 
ADCF Osasco
 
Rio de Janeiro VC
 
ACF Campos
2005–06
Detalhes
 
Rio de Janeiro VC
 
ADCF Osasco
 
CD Macaé Sports
2006–07
Detalhes
 
Rio de Janeiro VC
 
ADCF Osasco
 
Minas TC
2007–08
Detalhes
 
Rio de Janeiro VC
 
ADCF Osasco
 
EC Pinheiros
2008–09
Detalhes
 
Rio de Janeiro VC
 
ADCF Osasco
 
São Caetano Voleibol
2009–10
Detalhes
 
Osasco VC
 
Rio de Janeiro VC
 
São Caetano Voleibol
2010–11
Detalhes
 
Rio de Janeiro VC
 
Osasco VC
 
Vôlei Futuro
2011–12
Detalhes
 
Osasco VC
 
Rio de Janeiro VC
 
Vôlei Futuro
SUPERLIGA BRASILEIRA DE VOLEIBOL FEMININO - SÉRIE A
Ano Campeão Vice-campeão Terceiro lugar Quarto lugar
2012–13
Detalhes
 
Rio de Janeiro VC
 
Osasco VC
 
Campinas VC
2013–14
Detalhes
 
Rio de Janeiro VC
 
Sesi-SP
 
Osasco VC
2014–15
Detalhes
 
Rio de Janeiro VC
 
Osasco VC
 
Sesi-SP
2015–16[12]
Detalhes
 
Rio de Janeiro VC
 
Praia Clube
 
Minas TC
2016–17[13][14]
Detalhes
 
Rio de Janeiro VC
 
Osasco VC
 
Praia Clube
2017–18
Detalhes
 
Praia Clube
 
Rio de Janeiro VC
 
Minas TC
2018–19
Detalhes
 
Minas TC
 
Praia Clube
 
Osasco VC
2019–20
Detalhes
Temporada cancelada devido à pandemia de COVID-19.[15][16]
2020–21
Detalhes
 
Minas TC
 
Praia Clube
 
Osasco VC
 
Sesi/Vôlei Bauru
2021–22
Detalhes
 
Minas TC
 
Praia Clube
 
Sesi/Vôlei Bauru
 
SESC/Flamengo
2022–23
Detalhes
 
Praia Clube
 
Minas TC
 
Osasco VC
 
SESC/Flamengo
2023–24
Detalhes
 
Minas TC
 
Praia Clube
 
SESC/Flamengo
 
Osasco VC

Títulos por clube

editar
Equipe      
  Rio de Janeiro VC 12 5 4
  Minas TC 6 6 6
  Osasco VC 5 12 6
  AA Supergasbrás 3 3 0
  Leites Jundiaí/Sorocaba 3 1 1
  CR Flamengo 3 0 1
  Sadia EC 3 0 0
  Praia Clube 2 5 1
  Fluminense FC 2 2 0
  São Caetano Voleibol 1 3 2
  CA Paulistano 1 1 0
  ADC Bradesco Atlântica 1 1 0
  Lufkin EC 1 1 0
  SER Ribeirão Preto 1 0 0
  AAA Uniban 1 0 0
  Mackenzie EC 0 1 1
  Sesi-SP 0 1 2
  CRB 0 1 0
  CR Vasco da Gama 0 1 0
  ADC Pirelli 0 1 0
  Vôlei Futuro 0 0 2
  EC Pinheiros 0 0 2
  Tietê VC 0 0 1
  ACF Campos 0 0 1
  CD Macaé Sports 0 0 1
  Campinas VC 0 0 1
  Vôlei Bauru 0 0 1
  • (1) O Rio de Janeiro anteriormente jogou como Paraná.
  • (2) O Osasco anteriormente jogou como Guarujá.
  • (3) A equipe Leites Jundiaí jogou anteriormente como Leite Moça Sorocaba.
  • (4) A Liga Nacional disputada entre 1988/1989 e 1993/1994 difere da Liga Nacional de Voleibol Feminino, torneio realizado entre 2002 e 2013 destinado à equipes menores como um torneio à parte.
  • (5) Desde a temporada 2018-19, Vôlei Bauru e SESI-SP possuem uma parceria, disputando os campeonatos em conjunto.

Títulos por Estado

editar
Estado      
  Rio de Janeiro 20 12 3
  São Paulo 15 19 16
  Minas Gerais 8 12 8
  Paraná 2 1 3
  Alagoas 0 1 0

MVPs por edição

editar

Ver também

editar

Notas e referências

Notas

  1. Devido a inversão de patrocínio máster com a equipe masculina, o time passa a se chamar Gerdau/Minas.
  2. Apesar do sítio da Superliga indicar o Flamengo como campeão em 1985,[4] uma fonte anterior da CBV aponta o Supergasbrás como vencedor daquela temporada,[5] bem como outras fontes,[6][7] demonstrando que ocorreu um erro na atualização do site.

Referências

  1. «TV Cultura exibirá jogos da Superliga». Amo Voleibol. Consultado em 2 de novembro de 2019 
  2. «Rede TV! faz acordo com a Globo e Superliga de Vôlei volta à TV aberta». UOL. 8 de abril de 2015. Consultado em 8 de dezembro de 2016. Cópia arquivada em 8 de dezembro de 2016 
  3. a b Drummond, Ivan (26 de setembro de 2008). «Três décadas de expectativa». Super Esportes. Consultado em 1 de fevereiro de 2014 
  4. «Todos os Campeões». CBV. Consultado em 26 de abril de 2015 
  5. «Todos os Campeões Brasileiros». CBV. Consultado em 26 de abril de 2015. Arquivado do original em 6 de julho de 2015 
  6. «Campeões nacionais feminino de vôlei». Folha de S.Paulo. Consultado em 26 de abril de 2015 
  7. Bezerra, Jonas (5 de abril de 2015). «Fernanda Emerick, o grande nome do vôlei nacional». Esporte e Lazer. Consultado em 26 de abril de 2015 
  8. «Lufkin de vôlei novo». Placar (875): 52. 9 de março de 1987. Consultado em 8 de dezembro de 2016 
  9. «VÔLEI- Leila, Virna, Tatiana e Isabel vão comandar a equipe feminina do Flamengo na próxima Superliga-Estrelas tiram cariocas do ostracismo». Folha UOL. 15 de setembro de 1999. Consultado em 19 de novembro de 2022 
  10. «Colocação na Superliga 94/95». PROP Agit Editora. Revista Superliga. 01 (01): 31. Janeiro de 1996 
  11. «"Zebras" marcaram a Super Liga Nacional». PROMOPLAN Editora e Eventos S/C Ltda. Anuário de Voleibol 97/98. 01 (01): 23 Dezembro 1998 
  12. Gabriel Rodrigues, João; Lucas Papel (3 de abril de 2016). «Rio freia o sonho do Praia, controla os ânimos e leva 11º título da Superliga». globoesporte.com. Grupo Globo. Consultado em 8 de abril de 2016. Cópia arquivada em 8 de abril de 2016 
  13. «Classificação final da Superliga Feminina de 2016/17». Pablo Sánchez. Ganhador.com. 24 de abril de 2017. Consultado em 29 de outubro de 2021 
  14. Gabriel Rodrigues, João (23 de abril de 2017). «Supremacia carioca: Rio bate Osasco em final histórica e é campeão da Superliga pela 12ª vez». Globoesporte.com. Grupo Globo. Consultado em 24 de abril de 2017. Cópia arquivada em 24 de abril de 2017 
  15. «CBV e clubes votam e competição está finalizada». Confederação Brasileira de Voleibol. 19 de março de 2019. Consultado em 19 de março de 2019 
  16. Rodrigues, João Gabriel (19 de março de 2019). «Coronavírus: CBV cancela Superliga Feminina de Vôlei; masculina segue paralisada». Confederação Brasileira de Voleibol. Consultado em 19 de março de 2019 
  17. a b c d e f g h i j «Superliga de Vôlei: histórico das competições desde 1994-Após 13 temporadas, oito times levaram o título em cada modalidade». Grupo RBS. 28 de novembro de 2007. Consultado em 3 de novembro de 2021 

Ligações externas

editar