Reginaldo Leme

Jornalista e comentarista do automobilismo brasileiro

Reginaldo Poliseli Leme (Campo Grande, 3 de janeiro de 1945) é um experiente jornalista de automobilismo do Brasil, atuando há mais de cinquenta anos e sendo o primeiro jornalista brasileiro a cobrir, in loco, as corridas da Fórmula 1 para a imprensa brasileira a partir da década de 1970.[1]

Reginaldo Leme
Nome completo Reginaldo Poliseli Leme
Nascimento 3 de janeiro de 1945 (76 anos)
Campo Grande, Mato Grosso (hoje Mato Grosso do Sul)
Formação Jornalismo
Ocupação comentarista esportivo
Alma mater Faculdade Cásper Líbero
Cônjuge(s) Carmen Sylvia Leme
Filho(s) 3 (Daniela, Carolina e Camila)
Parente(s) Irmão: Dinho Leme
Nacionalidade brasileiro
Atividade 1968 - presente
Trabalhos notáveis Band
Rede Globo

Atualmente, atua nos canais do grupo Bandeirantes, BandSports e BandTV.

Reginaldo Leme trabalhou em coberturas de Fórmula 1 durante 40 anos. Esteve presente nas oito conquistas de títulos mundiais de pilotos brasileiros e, segundo contagem recente feita por organizadores da Fórmula 1, soma mais de 500 grandes prêmios in loco.

BiografiaEditar

Leme nasceu em Campo Grande, mas foi criado na cidade de Araçatuba, em São Paulo. Mudou-se para Rancharia (SP) durante a adolescência, mas logo se instalou na capital paulista, onde se formou em Jornalismo pela Faculdade Cásper Líbero, em 1967.

Sua carreira começou no jornal O Estado de S. Paulo em 1968, na época, trabalhando como setorista do Palmeiras. Passou a cobrir as corridas de Fórmula 1 ainda no mesmo jornal, graças à vitoriosa carreira do bicampeão Emerson Fittipaldi.[2]

Chegou em 1977 à TV Globo,[1] participando das transmissões ao vivo durante os fins de semana. Além do automobilismo, participou de três Copas do Mundo e duas Olimpíadas. Na Fórmula 1, fez dupla com Luciano do Valle, algumas vezes, também com Oliveira Andrade, Luís Alfredo, Cléber Machado, Sérgio Maurício e Luís Roberto. Seu parceiro notório nas transmissões foi Galvão Bueno. Comentou também as transmissões da Stock Car Brasil ao lado de Sérgio Maurício.

O jornalista criou o programa "Sinal Verde" que, em 1983, nasceu como um especial e acabou incorporado à grade da emissora Rede Globo até 2002,[3] sendo retomado em 2016.[4] Leme foi também apresentador do Linha de Chegada, programa que comanda no SporTV, canal de esporte por assinatura da Globo.[5]

Em 2013, ao lado de Galvão, foi agraciado pela Federação Internacional de Automobilismo no "Clube dos 500", por por estar no seleto grupo de jornalistas que conseguiu a marca de cobrir mais de 500 GP's em sua carreira.[6]

Até 2015, foi colunista do jornal O Estado de S. Paulo,[7] de publicações do exterior e criador do anuário AutoMotor, em circulação desde 1992[5] e, atualmente, tem se mantido ativo nas redes sociais, mantendo um canal no YouTube.[8]

Em 9 de março de 2018 recebeu o Título de Cidadão Paulistano em Interlagos, das mãos do vereador Mário Covas Neto.[9]

Em 27 de novembro de 2019, rescindiu contrato com a Rede Globo, discordando das mudanças contratuais da emissora.[10] Suas últimas transmissões foram o Grande Prêmio do Brasil de 2019 e a etapa de Goiânia da Stock Car Brasil.[11][12]

Em dezembro de 2020, Reginaldo fechou com a Rede Bandeirantes, onde começou como comentarista das transmissões da Stock Car Brasil.[13] A estreia ocorreu na última etapa da edição 2020 da competição.[14] Em março de 2021, voltou a comentar a Fórmula 1.

"Crashgate"Editar

Leme foi responsável por reportar em primeira mão, talvez maior o escândalo da história da Fórmula 1. A informação foi recebida através de Nelson Piquet no padoque do Grande Prêmio da Hungria de 2009. Porém a informação teria que ser guardada e publicada apenas no momento certo. Durante a transmissão Grande Prêmio da Bélgica do mesmo ano, Leme anunciou o que na época ainda era uma especulação. A suposta batida proposital de Nelson Piquet Jr. no Grande Prêmio de Singapura do ano anterior, para favorecer seu então companheiro de equipe Fernando Alonso, numa estratégia que o colocaria como líder da prova após a recolhida do carro de segurança. As especulações se confirmaram antes do fim daquele ano. Os desdobramentos condenaram Pat Symonds e Flavio Briatore,[15] sendo o dirigente italiano definitivamente banido de qualquer associação que pudesse vir a ter com a Fórmula 1.[16]

PrêmiosEditar

Ano Prêmio Categoria Resultado Ref.
2008 Troféu Ford Aceesp Comentarista de TV do Ano Venceu [17]
2016 Troféu Aceesp Comentarista de TV do Ano Venceu [18]

Vida PessoalEditar

Filho do Sr. Joinville e de Dona Rosa, Reginaldo Leme é casado com Carmen Sylvia. O casal tem três filhas: Daniela, Carolina e Camila.[19]

Seu irmão mais novo, Dinho Leme, foi o baterista da banda de rock Os Mutantes em sua formação original com Rita Lee e os irmãos Baptista, voltando a participar da banda nos últimos tempos, depois de anos afastado.[20]

Referências

  1. a b «Reginaldo Leme – Memória». Consultado em 8 de setembro de 2020 
  2. «Perfil Completo – Reginaldo Leme – Memória». Consultado em 8 de setembro de 2020 
  3. «Sinal Verde – Memória». Consultado em 8 de setembro de 2020 
  4. «Reginaldo Leme completa 40 anos como comentarista de F1 na Globo». Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes. 7 de maio de 2018. Consultado em 8 de setembro de 2020 
  5. a b Reginaldo Leme: 42 anos de jornalismo e credibilidade
  6. Monza, Por Alfredo Bokel e Felipe Siqueira; Itália. «Galvão entra para 'Clube dos 500' na F-1 e é homenageado por Ecclestone». globoesporte.com. Consultado em 9 de dezembro de 2020 
  7. «Tchau! - Esportes». Estadão. Consultado em 21 de julho de 2021 
  8. «Leme divulga planos para '20 e fala de Senna, Piquet e Villeneuve». motorsport.uol.com.br. Consultado em 8 de setembro de 2020 
  9. «Reginaldo Leme recebe Título de Cidadão Paulistano em Interlagos - Notícias». Terceiro Tempo. Consultado em 21 de julho de 2021 
  10. Principal comentarista de automobilismo no Brasil, jornalista ainda tinha um ano de contrato, apurou o Motorsport.com Portal Motor Sport - acessado em 27 de novembro de 2019
  11. CURTY, VICTOR MARTINS, VITOR FAZIO, GABRIEL. «Reginaldo Leme deixa Globo após 41 anos e não comenta GP de Abu Dhabi». Grande Prêmio. Consultado em 29 de novembro de 2019 
  12. «Por que saída de Reginaldo Leme da Globo é marco para o esporte». motorsport.uol.com.br. Consultado em 29 de novembro de 2019 
  13. «Reginaldo Leme acerta com a Band e voltará à TV aberta na Stock Car». www.uol.com.br. Consultado em 9 de dezembro de 2020 
  14. «Reginaldo Leme assina com Band e volta a ser comentarista da Stock Car». Grande Prêmio. 7 de dezembro de 2020. Consultado em 9 de dezembro de 2020 
  15. «Flavio Briatore é banido da Fórmula 1». VEJA (em inglês). Consultado em 26 de junho de 2020 
  16. «Briatore opina que foi banido em 2009 por ser "muito poderoso" e desdenha da F1: "Não tenho saudades" - Fórmula 1». Grande Prêmio. 8 de fevereiro de 2016. Consultado em 8 de setembro de 2020 
  17. «Ganhadores do Troféu Ford ACEESP». www.aceesp.org.br. Consultado em 21 de julho de 2021 
  18. «GANHADORES DO XXXIII TROFÉU ACEESP – ACEESP». Consultado em 21 de julho de 2021 
  19. «Reginaldo Leme - Que fim levou?». Terceiro Tempo. Consultado em 21 de julho de 2021 
  20. «Outras figuras». Consultado em 26 de agosto de 2013. Arquivado do original em 3 de outubro de 2013 

Ligações externasEditar