Rubens de Falco

ator brasileiro

Rubens de Falco Costa (São Paulo, 19 de outubro de 1931 — São Paulo, 22 de fevereiro de 2008) foi um ator brasileiro.[1] Tornou-se internacionalmente conhecido por sua atuação na novela Escrava Isaura de 1976.[2]

Rubens de Falco
Rubens de Falco, 2004
Nome completo Rubens de Falco Costa
Nascimento 19 de outubro de 1931
São Paulo, SP
Nacionalidade brasileiro
Morte 22 de fevereiro de 2008 (76 anos)
São Paulo, SP
Ocupação ator

BiografiaEditar

CarreiraEditar

No início da carreira, em 1955, participou das atividades dos jograis em São Paulo, ao lado de nomes como Armando Bogus, Rui Afonso, Ítalo Rossi e Felipe Wagner.

De marcantes atuações no teatro (tendo participado, dentre outras peças, da montagem original de Os Ossos do Barão, de Jorge Andrade, em 1963 no Teatro Brasileiro de Comédia), Rubens foi ter o reconhecimento de crítica e público ao começar a atuar na televisão, sendo frequentemente escalado para papéis em telenovelas.

Fez parte do elenco das últimas novelas levadas ao ar pelas TVs Tupi e Manchete: Drácula e Brida, respectivamente.

Em 1976 interpreta Leôncio Almeida, o senhor algoz da personagem-título de Escrava Isaura, um dos maiores vilões da teledramaturgia brasileira, é considerado o maior papel de Rubens na TV.[3] O sucesso da novela lhe deu fama internacional, tendo viajado o mundo inteiro ao lado de Lucélia Santos. Um exemplo do sucesso foi a recepção calorosa que ambos receberam na Polônia para o lançamento da novela.[4]

Nesse mesmo veículo, Rubens protagonizou por duas vezes o papel de imperador - Maximiliano em A Rainha Louca (1967), e Francisco José em A Última Valsa (1969) -, além de outras personagens de sucesso como o misterioso Agenor em O Grito (1975); Samir Hayala em O Astro (1977); Roberto Steen,[5] o protagonista masculino de A Sucessora (1978) ou o poderoso Daniel em Gaivotas (1979).

Foi também o Barão de Araruna na primeira versão da novela Sinhá Moça (1986).

Em 2004 participou da regravação de A Escrava Isaura na Rede Record,[6] desta vez no papel de Comendador Almeida, pai de Leôncio.

Vida pessoal e morteEditar

Nasceu na rua Rego Freitas no distrito da República, centro de São Paulo, filho de Renato Breno da Costa e Anna De Falco[7]. Seu pai era tesoureiro nos Diários Associados e na Rádio Tupi, o que garantia uma vida confortável para família. Rubens tinha doze anos quando seu pai morreu ainda jovem, devido a problemas cardíacos. A partir de então, a família começou a passar por dificuldades financeiras, precisando se mudar para uma casa simples no bairro do Itaim.[4]

Foi casado com a atriz Susana Vieira, relação que se iniciou durante as gravações da novela A Sucessora e ambos chegaram a morar juntos por um ano em Portugal.[8]

Em entrevista a Nydia Licia em 2005, para o livro Rubens de Falco - Um Internacional Ator Brasileiro, declarou ter ojeriza à palavra "casamento", citando o dramaturgo inglês Tom Stoppard:

O que me desanima no casamento é a vida em comum, a invasão da individualidade. Acho que, no casamento, a norma deveria ser: cada um na sua casa. Nada de um interferir na privacidade do outro. E é melhor não tocar mais no assunto.
Rubens de Falco - Um Internacional Ator Brasileiro - Coleção Aplauso, 2005[9]

Em outubro de 2006, sofreu um acidente vascular cerebral.[10] Em virtude de problemas decorrentes deste AVC, o ator esteve internado de outubro de 2006 a 22 de fevereiro de 2008, no Centro Integrado de Atendimento ao Idoso (CIAI), em São Paulo, quando faleceu vítima de um ataque cardíaco, decorrente de uma embolia, aos 76 anos.[11]

TrabalhosEditar

Na televisãoEditar

Ano Emissora Título Papel
2004 Record TV A Escrava Isaura Comendador Leopoldo Almeida
1998 Rede Manchete Brida Vargas
1997 SBT Os Ossos do Barão Cândido Caldas Penteado
1995 Sangue do Meu Sangue Mário Albuquerque Soares
1994 TV Cultura Confissões de Adolescente Dr. Rogério (Episódio: "Essa Tal de Virgindade")
TV Globo Memorial de Maria Moura Coronel Tibúrcio do Garrote
1991 Salomé McGregor
1990 SBT Brasileiras e Brasileiros Ramiro
1989 TV Globo Pacto de Sangue Abílio Mendonça
1987 Bambolê Nestor Barreto
1986 Sinhá Moça Coronel Ferreira (Barão de Araruna)
1985 Grande Sertão Veredas Joca Ramiro
1984 Rede Manchete Viver a Vida Rodolfo
TV Globo Padre Cícero Floro Bartolomeu
1983 Rede Bandeirantes Maçã do Amor Daniel e Paulo Cardoso
1982 Campeão Jorge Salém
1981 Os Imigrantes Antonio di Salvio
1980 Um Homem Muito Especial Conde Vladimir (Drácula)
1980 Rede Tupi Drácula, uma História de Amor Drácula
1979 RTP Os Maias
Rede Tupi Gaivotas Daniel
1978 TV Globo A Sucessora Roberto Steen
1977 O Astro Samir Hayala
Dona Xepa Heitor Camargo
1976 Escrava Isaura Leôncio Almeida
1975 Escalada Comendador
O Grito Agenor
Gabriela Pimentel
1974 Supermanoela Diógenes
1973 Rede Tupi Tempo de Viver Maurício
1969 TV Globo A Última Valsa Imperador Francisco José
1968 Passo dos Ventos René Antoine
Demian, o Justiceiro Anderson
1967 A Rainha Louca Imperador Maximiliano
1966 O Rei dos Ciganos Claude Ludenwerg
1961 TV Cultura Maria Antonieta

No cinemaEditar

Ano Título Papel
2008 Fim da Linha Congressman Ernesto
2001 Sonhos Tropicais
1995 O Monge e a Filha do Carrasco
1985 Un hombre de éxito Iriarte
Na Hora Texaco
1984 Macho y hembra Vicente
1981 Pixote, a Lei do Mais Fraco Juiz
1979 Os Foragidos da Violência
1978 A Dama de Branco
Coronel Delmiro Gouveia Coronel Delmiro Gouveia[12]
1977 Este Rio Muito Louco
1975 O Sósia da Morte Narciso
Nós, Os Canalhas
O Homem da Cabeça de Ouro
Deixa Amorzinho... deixa
1974 O Mau Caráter
1973 Café na Cama Flávio
1972 Missão Matar John Dorcas
A Difícil Vida Fácil Ricardo
1971 Uma Pantera em Minha Cama
1970 Anjos e Demônios
1969 Tempo de Violência
O Impossível Acontece
1968 O Homem que Comprou o Mundo
1966 Engraçadinha — Depois dos Trinta
Essa Gatinha É Minha
1958 O Pão Que o Diabo Amassou
1957 O Capanga
1954 Florada na Serra
1953 Esquina da Ilusão
1952 Apassionata

NarraçãoEditar

Ano Título Papel
1959 Moral em Concordata documentário

Referências

  1. «Rubens de Falco foi imortalizado em livro da Coleção Aplauso». Um Internacional Ator Brasileiro, de Nydia Lícia - 208 páginas ISBN 9788570603456 
  2. Costa, Fábio (2 de março de 2018). «Rubens de Falco: 10 anos sem o charme do eterno vilão». Observatório da TV. Consultado em 6 de agosto de 2022 
  3. «Novela A escrava Isaura original é lançada em DVD». F5. 14 de abril de 2012. Consultado em 15 de dezembro de 2015 
  4. a b Licia, Nydia (2005). Rubens de Falco: Um internacional ator brasileiro (PDF). São Paulo: Imprensa Oficial : Cultura - Fundação Padre Anchieta. 207 páginas 
  5. «A Sucessora». Memória Globo. Consultado em 11 de novembro de 2019 
  6. Knoploch, Carol (1 de julho de 2004). «'Escrava Isaura': Elenco». O Estado de S. Paulo. Consultado em 27 de dezembro de 2013. Arquivado do original em 7 de janeiro de 2014 
  7. Ofício de registro civil da Consolação SP (31 de outubro de 1931). «Talão do assento de nascimento de Rubens De Falco». Consultado em 17 de abril de 2022 
  8. «Susana Vieira revela que viveu romance com Rubens de Falco: 'A única vez que me apaixonei por um ator'». Extra. 11 de março de 2021. Consultado em 1 de outubro de 2022 
  9. Nydia Licia. Rubens de Falco - Um Internacional Ator Brasileiro (PDF). Coleção Aplauso. [S.l.]: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo. p. 177. ISBN 85-7060-233-2 
  10. «Rubens de Falco é internado após sofrer AVC». Terra. 11 de outubro de 2006. Consultado em 15 de outubro de 2017. Arquivado do original em 16 de outubro de 2017 
  11. «Morre aos 76 anos o ator Rubens de Falco». G1. 22 de fevereiro de 2008. Consultado em 15 de outubro de 2017 
  12. Cinemateca Brasileira Coronel Delmiro Gouveia [em linha]

Ligações externasEditar

 
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Rubens de Falco
  Este artigo sobre um ator é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.