Abrir menu principal
Arquidiocese de Tebas
Archidiœcesis Thebæ
País Grécia
Tipo de jurisdição Arquidiocese metropolitana
Criação da arquidiocese século X
Extinção da arquidiocese 1456
Rito Romano
Sufragâneas Castória, Plateia, Tânagra, Téspia, Zaratóvio
Atualmente Recriada como Sé titular em 1440

A Arquidiocese de Tebas foi uma arquidiocese metropolita extinta na Grécia, na cidade de Tebas, que foi transformada em sé titular.

HistóriaEditar

Tebas é uma antiga diocese da Grécia, no Patriarcado de Constantinopla. Inicialmente, era sufragânea da Arquidiocese de Corinto, sendo mencionada como arquidiocese autocéfala no Notitia Episcopatuum atribuída ao imperador Leão VI, provavelmente a partir do século X.[1] No século XI Tebas é elevada à categoria de sé metropolitana.

De acordo com a tradição grega, o primeiro bispo de Tebas era Rufo, mencionado na epístola de São Paulo aos Romanos (Romanos 16:13). Outros bispos tebanos do primeiro milênio cristão são: Júlio, que assinou os atos do Concílio de Sárdica (cerca de 344); Anísio, que esteve presente no Primeiro Concílio de Éfeso, em 431; Arquítimo, que assinou uma carta dos bispos gregos ao imperador Leão (458), após o assassinato do patriarca de Alexandria Protério. A seguir já não são bispos conhecidos de Tebas, até o século IX, onde aparece o nome de Marciano, archiepiscopus Thebarum entre os participantes do Concílio de Constantinopla de 869.

Durante a Quarta Cruzada, foi formado o Ducado de Atenas, que teve Tebas como sua capital. Aqui foi estabelecida a arquidiocese de rito latino, que sobreviveu até 1456, quando o sultão Maomé II, o Conquistador finalmente conquistou o ducado.

Tebas sobrevive até hoje como a sé titular do Arcebispo, que está em sede vacante desde 1 de fevereiro de 1965.

Bispos gregosEditar

  • São Rufo † (século I)
  • Júlio † (mencionado em 344)
  • Anísio † (mencionado em 431)
  • Arquítimo † (mencionado em 458)
  • Marciano † (mencionado em 869)

Arcebispos do rito latinoEditar

  • Anônimo † (mencionado em 1208)
  • A. † (4 ottobre 1210 - ?)
  • Anônimo † (mencionado em 1241)
  • Anônimo † (mencionado em 1252)
  • Anônimo † (mencionado em 1263)
  • Nicolau † (? - 1308 nomeado patriarca de Constantinopla)
  • Isnardo Tacconi, O.P. † (1308 - 1311 nomeado patriarca de Antioquia)
  • Estêvão † (1311 - ?)
  • Isnardo Tacconi, O.P. † (1326 - ?)[2]
  • Filipe, O. Carm. † (1342 - 1351 nomeado bispo de Conza)
  • Sirello Pietro de Ancona † (1351 - ?)
  • Paulo † (1357 - 1366 nomeado patriarca de Constantinopla)
  • Simão Atomano, O.S.B.I. † (1366 - ?)
    • Tomás de Negroponte, O.F.M. † (1387 - ?) (obediência avinhonesa)
  • Estêvão †
  • Garcia † (1387 - ?)
  • Bento † (1390 - ?)
  • Bernardo † (1405 - ?)
  • Antônio † (?)
  • Nicolau de Treviso, O.F.M. † (1410 - 1410 nomeado bispo de Nona)
  • Jaime † (1411 - ?)
  • João de Pontremoli, O.F.M. † (1418 - ?)
  • Estêvão † (1429 - ?)

Arcebispos titularesEditar

Referências

  1. Heinrich Gelzer, Ungedruckte und ungenügend veröffentlichte Texte der Notitiae episcopatuum, in: Abhandlungen der philosophisch-historische classe der Bayerische Akademie der Wissenschaften, 1901, p. 551, nº 88.
  2. Mantem o patriarcado de Antioquia.
  3. Foi contextualmente bispo de Treviso.
  4. Foi contextualmente bispo de Carlisle.
  5. As fontes não são claras sobre a atribuição da Sé para os bispos Amadori Biscioni e Rota. Ambos os quais são nomeados para uma sé archiepiscopalis (cfr. ASS 8 (1874-75), p. 627 e ASS 17 (1884), p. 223). Todavia, o Anuário Pontifício de 1882, p. 296, indica a arquidiocese de Tebas no Egito como sé do bispo Amadori Biscioni, e consequentemente também de Rota, que o sucede. O bispo sucessor mencionado em Catholic Hierarchy, Antonio Sabatucci, pertence em vez da sé de Tebas no Egito como indicado desde Acta Sanctae Sedis.

FontesEditar

Ligações externasEditar