Shrek 2

filme de animação norte-americano de 2004

Shrek 2 (mesmo título em Portugal e no Brasil)[3][5] é um filme de animação norte-americano de 2004, dos gêneros aventura, comédia e fantasia, produzido pela DreamWorks Animation. É a sequência do filme Shrek (2001) e o segundo filme da franquia de mesmo nome. Mike Myers, Eddie Murphy e Cameron Diaz reprisam seus respectivos papéis de voz como Shrek, Burro e Fiona. Eles se juntaram a novos personagens dublados por Antonio Banderas, Julie Andrews, John Cleese, Rupert Everett e Jennifer Saunders. O filme tem três diretores: além de Andrew Adamson e Kelly Asbury, Conrad Vernon também assina a direção.

Shrek 2
Shrek 2
Pôster promocional
 Estados Unidos
2004 •  cor •  93 min 
Gênero aventura, comédia, fantasia
Direção Andrew Adamson
Kelly Asbury
Conrad Vernon
Produção Aron Warner
John H. Williams
David Lipman
Roteiro Andrew Adamson
Joe Stillman
J. David Stem
David N. Weiss
História Andrew Adamson
Baseado em Shrek! de
William Steig
Narração Rupert Everett
Elenco Mike Myers
Eddie Murphy
Cameron Diaz
Antonio Banderas
Julie Andrews
John Cleese
Rupert Everett
Jennifer Saunders
Música Harry Gregson-Williams
Edição Michael Andrews
Sim Evan-Jones
Companhia(s) produtora(s) DreamWorks Animation
Pacific Data Images
Distribuição DreamWorks Pictures
Lançamento
  • 15 de maio de 2004 (2004-05-15) (Cannes)[1]
  • 19 de maio de 2004 (2004-05-19) (Estados Unidos)[2]
  • 18 de junho de 2004 (2004-06-18) (Brasil)[3]
Idioma inglês
Orçamento US$ 150 milhões[4]
Receita US$ 928 760 770[4]
Cronologia
Shrek (2001)
Shrek the Third (2007)

O desenvolvimento começou em 2001 (logo após o sucesso do primeiro filme) e, após divergências com produtores, os roteiristas do filme anterior foram substituídos por Adamson. A história central foi inspirada no filme Guess Who's Coming to Dinner (1967) e novas ferramentas de animação foram utilizadas para melhorar a aparência visual de cada personagem, particularmente a do Gato de Botas. Os dubladores originais também receberam um aumento significativo no salário para US$ 10 milhões, que na época estava entre os contratos mais altos em suas respectivas carreiras.

Shrek 2 estreou no Festival de Cinema de Cannes de 2004, onde competiu pela Palma de Ouro, e foi lançado nos cinemas estadunidenses em 19 de maio de 2004. Com críticas positivas ​​como a de seu antecessor, o filme arrecadou US$ 928,7 milhões no mundo todo. Ele marcou o segundo maior fim de semana de estreia de três dias na história dos Estados Unidos e a maior abertura para um filme de animação na época de seu lançamento;[6] se tornou também o filme de maior bilheteria de 2004 em todo o mundo. Shrek 2 também é o filme de maior sucesso da DreamWorks Animation até hoje, e detinha o título de ser o filme de animação de maior bilheteria de todos os tempos em todo o mundo até ser superado por Toy Story 3 em 2010. O filme recebeu duas indicações ao Oscar de Melhor Animação e Melhor Canção Original, e sua trilha sonora associada alcançou o Top 10 na Billboard 200 dos Estados Unidos. A sequência intitulada Shrek the Third, foi lançada três anos depois, em 2007.

Enredo editar

A princesa e o ogro vivem felizes no pântano após o casamento. Retornando da lua de mel, ela recebe a carta de seus pais, que a convida para o jantar. O ogro é convencido pela princesa a visitar os pais dela junto com o burro. Quando os pais da princesa descobrem que ela não havia se casado com o Príncipe Encantado, os problemas começam, e o Gato de Botas é enviado a fim de separá-los.[3]

Elenco de voz editar

Personagem Original
Shrek Mike Myers
Burro Eddie Murphy
Princesa Fiona Cameron Diaz
Rainha Lillian Julie Andrews
Gato de Botas Antonio Banderas
Rei Harold John Cleese
Príncipe Encantado Rupert Everett
Fada Madrinha Jennifer Saunders
Pinóquio Cody Cameron
Os Três Porquinhos
Biscoito Conrad Vernon
Mongo (Biscoito-Gigante)
Padeiro
Espelho Mágico Chris Miller
Doris (Irmã Feia) Larry King
Lobo Aron Warner
Capitão da Guarda Andrew Adamson
Joan Rivers
  • A aparição de Rivers como ela mesma na cena do tapete vermelho do baile marcou a primeira vez que uma pessoa real foi representada na tela pela equipe de animação de Shrek. Sua cena (embora mantendo sua representação visual) foi redublada pela apresentadora Kate Thornton para o lançamento no Reino Unido.
  • No Brasil, o comediante Bussunda voltou a dar voz para Shrek, enquanto o apresentador Pedro Bial dublou Doris, a irmã Feia.[7]
  • Simon Cowell aparece como ele mesmo em Far Far Away Idol, uma paródia de American Idol, nos recursos especiais do DVD e pouco antes dos créditos na edição VHS dos EUA.

Produção editar

Em 2001, logo depois do sucesso do filme original, Mike Myers, Eddie Murphy e Cameron Diaz negociaram um pagamento adiantado de US$ 10 milhões cada para emprestarem suas vozes a uma sequência do filme.[8][9][10][11] Este aumento no cachê representou um acréscimo significativo do salário de US$ 350.000 que cada um dos três recebeu para o primeiro filme.[10] De acordo com Jeffrey Katzenberg, o produtor executivo de Shrek 2 e co-fundador da DreamWorks Pictures, que liderou as negociações, os pagamentos foram provavelmente os mais altos em toda a carreira dos atores.[8] Esperava-se que cada um dos atores trabalhasse entre 15 e 18 horas no total.[8] Foi estipulado que o filme teria um orçamento inicial estimado de US$ 70 milhões.[12][13]

Ted Elliott e Terry Rossio, os roteiristas do primeiro filme, insistiram que a sequência fosse um conto de fadas tradicional, mas após desentendimentos com os produtores, eles abandonaram o projeto e foram substituídos pelo diretor Andrew Adamson. Sua escrita de Shrek 2 foi inspirada no filme de comédia dramática de 1967 Guess Who's Coming to Dinner e foi concluída com a ajuda dos co-diretores do filme, Kelly Asbury e Conrad Vernon, que passaram a maior parte da duração da produção do filme no norte da Califórnia, enquanto Adamson passava a maior parte do tempo com os dubladores do filme em Glendale.[14]

A DreamWorks iniciou a produção de Shrek 2 em 2001,[15] antes mesmo da conclusão do primeiro filme.[14] O estúdio adicionou mais personagens humanos ao filme do que havia em seu antecessor e melhorou a aparência e o movimento dos personagens com o uso de vários novos sistemas de animação e renderização.[16] Em particular, o personagem Gato de Botas exigiu o desenvolvimento de um novo conjunto de ferramentas de produção de filmes para lidar com a aparência de sua pele, cinto e pluma de chapéu; a pele do gato exigia especialmente uma atualização para o shader de pele.[17] Toda a configuração do personagem foi concluída nos primeiros três anos de produção.[14]

Em uma versão inicial de Shrek 2, Shrek abdicou do trono e convocou uma eleição de conto de fadas. A campanha de Pinóquio foi uma campanha de "honestidade", enquanto a de Gingy foi uma campanha de "difamação". Adamson disse que embora esse enredo tivesse muitas ideias engraçadas, também era abertamente satírico e político e considerado "mais intelectual do que emocional".[18] Shrek 2 também parece muito mais escuro em termos de iluminação quando comparado ao filme original. Designers supostamente se inspiraram no ilustrador e gravador francês do século 19, Gustave Doré para melhorar a riqueza de detalhes e cenário do filme. De acordo com o designer de produção Guillaume Aretos "há muitas pinturas e ilustrações medievais [e] minhas próprias influências, que são pinturas clássicas dos séculos 15 e 16... O design de Shrek é sempre uma reviravolta na realidade, então tentamos [embalar] o máximo de detalhes e interesse possível nas imagens".[19]

Trilha sonora editar

  1. "Accidentally in Love" (Adam Duritz, Dan Vickrey, David Immerglück, Matthew Malley)Counting Crows
  2. "Holding Out for a Hero" (Dean Pitchford, Jim Steinman) — Frou Frou
  3. "Changes" (David Bowie)Butterfly Boucher com David Bowie
  4. "As Lovers Go (Ron Fair Remix)" (Chris Carrabba)Dashboard Confessional
  5. "Funkytown" (Steven Greenberg)Lipps, Inc.
  6. "I'm on My Way" (Clint Bierman, Rich Price) — Rich Price
  7. "I Need Some Sleep" (Mark Oliver Everett)Eels
  8. "Ever Fallen in Love" (Pete Shelley)Pete Yorn
  9. "Little Drop of Poison" (Kathleen Brennan, Tom Waits)Tom Waits
  10. "You're So True" (Joseph Arthur)Joseph Arthur
  11. "People Ain't No Good" (Nick Cave)Nick Cave & the Bad Seeds
  12. "Fairy Godmother Song" (Andrew Adamson, Aron Warner, Dave Smith, Harry Gregson-Williams, Stephen Barton, Walt Dohrn)Jennifer Saunders
  13. "Livin' la Vida Loca" (Desmond Child, Robi Rosa)Eddie Murphy & Antonio Banderas
  14. "Holding Out for a Hero" (faixa bônus) — Jennifer Saunders

Trilha sonora editar

  1. "Disco Inferno", da banda The Trammps, cantada pelo Burro.
  2. "Mr. Roboto", da banda Styx, cantada por Pinóquio.
  3. "Girls Just Want to Have Fun", da cantora Cyndi Lauper, cantada pela Doris.
  4. "Hungry Like the Wolf", da banda Duran Duran, cantada pelo Lobo Mau. (participacao especial: Os Três Porquinhos)
  5. "I'm Too Sexy", da banda Right Said Fred, cantada pelo Príncipe Encantado.
  6. "I Can See Clearly Now", do cantor Johnny Nash, cantada pelos Três Ratos Cegos.
  7. "Sugar, Sugar", da banda The Archies, cantada pelo Biscoito. (participacao especial: Fada Madrinha)
  8. "Hooked on a Feeling", da banda Blue Swede, cantada pelo Capitão Gancho.
  9. "These Boots Are Made for Walkin'', da cantora Nancy Sinatra, cantada pelo Gato de Botas.
  10. "What I Like About You", da banda The Romantics, cantada por Shrek e Fiona.
  11. "My Way", do cantor Frank Sinatra, cantada por Simon.

Recepção editar

Bilheteria editar

O filme estreou nos Estados Unidos no dia 19 de maio de 2004 e arrecadou US$ 108.037.878, ficando em primeiro lugar nas bilheterias, e na época bateu o recorde de maior arrecadação em um único dia (US$ 44.797.042). Também contém a segunda maior abertura da história, atrás apenas de Homem-Aranha. Arrecadou US$ 441.226.247 nos Estados Unidos e Canadá, sendo na época, a animação de maior bilheteria na América do Norte, sendo ultrapassado somente doze anos depois por Finding Dory que arrecadou US$ 486 milhões em 2016.[20] Ganhou mais US$ 487.534.523 nos outros países, perfazendo um total global de US$ 928.760.770.

Com esses resultados, o filme não só se tornou a maior bilheteria da franquia Shrek como também a maior bilheteria da história da Dreamworks, além de ser a maior bilheteria de 2004. Durante seis anos o filme foi a animação de maior bilheteria da história do cinema, até o lançamento de Toy Story 3 em 2010.[21]

Resposta crítica editar

Shrek 2 tem um índice de aprovação de 89% com base em 239 avaliações profissionais no site agregador de críticas Rotten Tomatoes, com uma classificação média de 7,7/10; seu consenso crítico diz: "Pode não ser tão novo quanto o original, mas o humor atual e os personagens secundários coloridos fazem de Shrek 2 um vencedor por si só".[22] O Metacritic atribuiu a Shrek 2 uma pontuação de 75 de 100 com base em 40 críticas, indicando "críticas geralmente favoráveis".[23] O público consultado pelo CinemaScore deu ao filme uma nota média "A" em uma escala de "A+" a "F".[24]

Roger Ebert deu ao filme três de quatro estrelas, dizendo que é "brilhante, animado e divertido",[25] enquanto Robert Denerstein, do Denver Rocky Mountain News, chamou-o de "extremamente engraçado".[26] James Kendrick da QNetwork elogiou o enredo, chamando-o de "familiar, mas engraçado".[27] J. R. Jones, do jornal Chicago Reader, chamou-o de "entretenimento familiar inatacável" e semelhante ao primeiro filme.[28] Michael O'Sullivan, do The Washington Post, chamou-o de "melhor e mais engraçado que o original".[29] Sean Naughton da revista Complex o descreveu como "uma das sequências de animação mais bem-sucedidas de todos os tempos".[30]

Embora tenha escrito que não é tão bom quanto o primeiro filme, Kevin Lally da revista Film Journal International o descreveu como "inventivo e muitas vezes muito engraçado".[31] Peter Rainer, da revista New York, no entanto, afirmou que o filme "consegue desfazer muito do que fez de seu antecessor um passeio de alegria gerado por computador".[32]

Prêmios e indicações editar

Shrek 2 foi indicado à Palma de Ouro no Festival de Cinema de Cannes de 2004.[33] Ganhou cinco prêmios durante a 31ª cerimônia do People's Choice Awards: Filme de Animação Favorito, Estrela de Cinema de Animação Favorita por "Burro" (Eddie Murphy), Filme de Comédia Favorito, Vilão de Filme Favorito por "Fada Madrinha" (Jennifer Saunders) e Sequência Favorita.[34] Também ganhou um Teen Choice Award na categoria Escolha do Público – Comédia.[35] O filme foi indicado ao prêmio da Visual Effects Society na categoria "Melhor Performance de um Personagem de Animação em um Filme de Animação".[36]

O filme foi indicado ao Óscar de Melhor Filme de Animação, mas perdeu para The Incredibles.[37] Uma das canções do filme, "Accidentally in Love" recebeu indicações ao Oscar de melhor canção original,[37] Globo de Ouro de melhor canção original,[38] e ao Grammy Award para Melhor Canção em Mídia Visual.[39]

Em 2008, o filme foi indicado para constar na lista dos dez melhores filmes de animação estadunidenses elaborada pelo American Film Institute, mas acabou não sendo finalista.[40]

Referências culturais editar

Piadas e paródias editar

  • No início do filme, Shrek está beijando Fiona na praia, quando uma onda surge e uma sereia aparece beijando ele, até Fiona joga-lá no mar novamente. Essa sereira é idêntica a Ariel, de A Pequena Sereia da Disney.[41] A cena do beijo é uma referência a clássica cena do filme From Here to Eternity entre Burt Lancaster e Deborah Kerr.
  • Quando o anel de casamento cai no dedo da Fiona é uma referência ao filme The Lord of the Rings: The Fellowship of the Ring, onde o anel "cai" no dedo de Frodo Baggins.[41]
  • A cena em que Shrek é beijada por Fiona enquanto estava pendurada de cabeça para baixo em uma armadilha com lama em seu rosto (que Fiona limpa como uma máscara) é uma referência ao primeiro beijo de Peter Parker e Mary Jane em Homem-Aranha.[41]
  • O trompetista que continua tocando depois do resto do grupo, quando Fiona está recebendo o convite de seus pais, está tocando a música original do Hawaii Five-O.[41]
  • A terra de Tão Tão Distante é uma paródia das áreas do Sul da Califórnia, como Hollywood, inclusive Tão Tão Distante possui o mesmo tipo de letreiro de Hollywood na montanha.[42]
    • O castelo de Tão Tão Distante é uma paródia do castelo da Disney.
  • Na cena em que o Gato de Botas começa a atacar Shrek e a percorrer todo o seu corpo, arranhando-o, em um certo momento, ele sai pela sua barriga, rasgando sua camisa. Essa parte é uma sátira ao filme Alien.[41]
  • Há várias paródias de marcas e empresas famosas em Tão Tão Distante, como "Farbucks", uma paródia do Starbucks,[43] "Burger Prince",[44] uma paródia de Burger King, "Abercrombie & Witch", uma paródia da Abercrombie & Fitch, "Pewtery Barn",[44] uma paródia de Pottery Barn, "Armani Armory",[44] uma paródia da Armani, "Tower of London Records", uma paródia da Tower Records,[44] "Versarchery",[44] uma peça da gravadora Versace, e "Old Knavery",[44] uma paródia da Old Navy.
  • Na cena em que o Rei Harold, a Rainha Lilian, Shrek e Fiona gritam furiosamente o nome um do outro (com o Burro alegremente chamando seu próprio nome) depois que o jantar é arruinado é uma referência ao The Rocky Horror Picture Show.[41]
  • O número musical da Fada Madrinha com a mobília do quarto da Fiona faz paródia às canções Bibidi Babidi Boo, de Cinderela e À Vontade de Beauty and the Beast.
  • O personagem Gato de Botas foi baseado no personagem Zorro, interpretado nos cinemas por Antonio Banderas, que também é o dublador do Gato. Vários trejeitos do felino foram inspirados com base na interpretação de Banderas no filme The Mask of Zorro.[41]
    • A cena onde o Gato risca a letra P (de Puss in Boots, seu nome original) no tronco de uma árvore com sua espada faz referência ao Zorro.[41]
  • Na cena em que Shrek derruba o balde de poções na fábrica da Fada Madrinha, dois operários se transformam em um castiçal e em um relógio, fazendo uma paródia dos personagens de Beauty and the Beast da Disney.[42]
  • Quando Shrek, Burro e o Gato estão saindo da sala de poções da Fada Madrinha com a porta se fechando, o Gato desliza sobre o chão e ainda consegue salvar seu chapéu, assim como Indiana Jones em The Temple of Doom.[41]
  • O Burro grita "Estou derretendo!" quando começa a chover, fazendo um referência à Bruxa Malvada do Oeste em The Wizard of Oz.[41]
  • Durante uma cena dentro do bar Maçã Envenenada, o Gato bebe uma dose de leite e diz: "Odeio segundas-feiras!", uma referência à frase de efeito do gato dos quadrinhos Garfield.[42]
  • A cena em que o Pinóquio, o Homem-Biscoito, Os Três Porquinhos e o Lobo Mau vão salvar Shrek, Burro e o Gato de Botas do calabouço onde estão presos é uma paródia ao filme Missão Impossível, inclusive contendo a música tema do mesmo.[41]
  • No final do filme, durante o número musical do Burro e do Gato de Botas, o Gato puxa uma corda e joga água nele mesmo em uma referência ao filme Flashdance.[41]
  • A cena em que vários personagens de contos de fadas, incluindo a Fada Madrinha, chegam ao Castelo de Tão Tão Distante é uma paródia ao Tapete Vermelho do Óscar.[42]
    • A atriz, comediante e apresentadora Joan Rivers aparece como ela mesma, apresentando a cerimônia na cena.
  • Shrek chama o biscoito gigante de "Mongo", em uma referência ao personagem igualmente estúpido, mas incrivelmente forte de mesmo nome em Blazing Saddles. Mongo é uma paródia de monstros da ficção como Frankenstein, Godzilla e Sr. Stay Puft, o Homem de Marshmallow, de Os Caça-Fantasmas.[41]
  • Quando Mongo afunda no fosso em frente ao castelo, ele diz "Seja bom" para o Biscoito, em referência ao filme E.T. - O Extraterrestre, de Steven Spielberg (co-fundador da Dreamworks).[41]
  • O número musical da Fada Madrinha com um vestido vermelho no baile é uma paródia da clássica performance de Michelle Pfeiffer no filme The Fabulous Baker Boys.[41]
  • Ao final do filme, o Rei Harold volta a sua forma original, a de um sapo, em uma paródia da fábula A Princesa e o Sapo.
  • Levando o humor do filme para um lado mais adulto, a cena em que Shrek, o Burro e o Gato estão sendo presos por guardas do reino, um deles encontra um saquinho de erva de gato com o Gato de Botas, que afirma não ser dele. Isso faz referência ao porte de drogas ilícitas. O programa que exibe a prisão dos três se chama Cavaleiros, uma paródia da série policial Cops.[41]
    • Em seu filme, Puss in Boots, guardas voltam a encontrar a tal erva nos pertences do Gato, que afirma ser seu medicamento.

Videogames editar

  • Shrek 2 (Shrek 2: Team Action) (2004)
  • Shrek 2 Activity Center: Twisted Fairy Tale Fun (2004)[45]
  • Shrek 2: Beg for Mercy (2004)[46]
  • Shrek Super Slam (2005)
  • Shrek Smash n' Crash Racing (2006)

Referências

  1. «Cannes: May 14 and 15». CBS News (em inglês). 17 de maio de 2004. Consultado em 21 de julho de 2023 
  2. DeMott, Rick (5 de maio de 2004). «Shrek 2 Moved Up Two Days to the 19th». Animation World Network. Consultado em 21 de julho de 2023. Arquivado do original em 7 de abril de 2014 
  3. a b c «Shrek 2». AdoroCinema. Brasil. Consultado em 17 de agosto de 2021 
  4. a b «Shrek 2 (2004)». Box Office Mojo (em inglês). Estados Unidos: IMDb. Consultado em 25 de julho de 2022 
  5. «Shrek 2». SAPO Mag. Portugal. Consultado em 17 de agosto de 2021 
  6. Gray, Brandon (24 de maio de 2004). «"'Shrek 2' Lands Far, Far Ahead of Summer Pack"». Cópia arquivada em 5 de novembro de 2013 
  7. «Pedro Bial dubla "Shrek 2"». Terra. 18 de maio de 2004. Consultado em 14 de junho de 2018 
  8. a b c King, Tom (17 de maio de 2002). «DreamWorks's Katzenberg Talks 'Toons and 'Shrek 2'». The Wall Street Journal. Consultado em 4 de outubro de 2016. Cópia arquivada em 5 de outubro de 2016 
  9. Brodesser, Claude (10 de julho de 2001). «Inside Move: 'Shrek 2's' expensive voices». Variety. Consultado em 24 de março de 2012. Cópia arquivada em 18 de junho de 2021 
  10. a b Goldstein, Patrick (18 de dezembro de 2001). «A Voice Actor Speaks for Herself». Los Angeles Times. Consultado em 4 de outubro de 2016. Cópia arquivada em 5 de maio de 2016 
  11. Griffin, Nancy (6 de julho de 2003). «When A-List Actors Are Happy to Hide Their Faces». The New York Times. Consultado em 4 de outubro de 2016. Cópia arquivada em 31 de julho de 2017 
  12. «Most Expensive 3D Animated Movies, Ever!». your3dsource.com. Consultado em 4 de fevereiro de 2012. Arquivado do original em 4 de julho de 2013 
  13. «Movie Budgets». The Numbers. Consultado em 4 de fevereiro de 2012. Arquivado do original em 28 de julho de 2013 
  14. a b c Alex Ben Block, Lucy Autrey Wilson (30 de março de 2010). George Lucas's Blockbusting: A Decade-by-Decade Survey of Timeless Movies Including Untold Secrets of Their Financial and Cultural Success . [S.l.]: HarperCollins. pp. 976. ISBN 978-0061778896. LCCN 2010279574. OCLC 310398975 
  15. Raman Hui (2007). The Tech of Shrek The Third. Em cena em 0:41. Consultado em 10 de julho de 2019. Cópia arquivada em 16 de novembro de 2015. We started animation in 2001. 
  16. The Tech of Shrek 2 – Shrek 2 DVD. Retrieved July 8, 2011.
  17. Desowitz, Bill (20 de maio de 2010). «A Decade of Shrek Tech». Animation World Network. Consultado em 29 de janeiro de 2012. Arquivado do original em 15 de junho de 2014 
  18. Hopkins, John (2004). Shrek: From the Swamp to the Screen. New York: Harry N. Abrams. p. 163. ISBN 978-0810943094 
  19. Desowitz, Bill (14 de maio de 2004). «Shrek 2: A Visual Development Gallery». Animation World Network. Consultado em 15 de maio de 2012. Arquivado do original em 24 de fevereiro de 2014 
  20. João Gabriel Borges Chiezi. «Procurando Dory ultrapassa Shrek 2 na bilheteria doméstica». Box Office Mojo. Consultado em 31 de maio de 2020 
  21. João Gabriel Borges Chiezi. «Toy Story 3 bilheteria de 1 bilhão». Box Office Mojo. Consultado em 31 de maio de 2020 
  22. «Shrek 2». www.rottentomatoes.com. 19 de maio de 2004. Consultado em 20 de janeiro de 2016 
  23. «Shrek 2». Metacritic. Consultado em 20 de janeiro de 2016 
  24. «CinemaScore». CinemaScore. Consultado em 22 de julho de 2019. Cópia arquivada em 19 de janeiro de 2015 
  25. Ebert, Roger (18 de maio de 2004). «Shrek 2». Chicago Sun-Times. Consultado em 10 de julho de 2010. Cópia arquivada em 4 de janeiro de 2011 
  26. Denerstein, Robert (21 de maio de 2004). «Shrek 2 Movie Review». Denver Rocky Mountain News 
  27. Kendrick, James. «Shrek 2 Movie Review». QNetwork Entertainment Portal. Consultado em 20 de dezembro de 2011. Arquivado do original em 7 de abril de 2014 
  28. Jones, J.R. «Shrek 2 Movie Review». Chicago Reader. Consultado em 20 de dezembro de 2011. Arquivado do original em 7 de abril de 2014 
  29. O'Sullivan, Michael (21 de maio de 2004). «Hilarious 'Shrek 2' Goes Hollywood». The Washington Post. p. WE45. Consultado em 20 de dezembro de 2011. Cópia arquivada em 27 de fevereiro de 2015 
  30. Naughton, Sean (17 de março de 2022). «How 'Shrek 2' Managed to Top the Original». Collider. Consultado em 21 de fevereiro de 2023 
  31. Lally, Kevin. «SHREK 2». Film Journal International. Consultado em 24 de março de 2012. Arquivado do original em 5 de dezembro de 2013 
  32. Rainer, Peter (21 de maio de 2005). «Con Anima». New York Magazine. Consultado em 24 de março de 2012. Arquivado do original em 7 de abril de 2014 
  33. Tartaglione, Nancy (22 de abril de 2004). «A crowded field at Cannes». Los Angeles Times. Consultado em 19 de agosto de 2016. Cópia arquivada em 29 de agosto de 2016 
  34. Susman, Gary (6 de dezembro de 2004). «Shrek 2 tops People's Choice nominees». Entertainment Weekly. Consultado em 19 de agosto de 2016. Cópia arquivada em 7 de novembro de 2016 
  35. «2004 Teen Choice Awards Winners». Billboard. 9 de agosto de 2004. Consultado em 19 de agosto de 2016. Cópia arquivada em 4 de outubro de 2014 
  36. «3rd Annual VES Awards». Visual Effects Society. Consultado em 19 de dezembro de 2017. Cópia arquivada em 22 de julho de 2015 
  37. a b Rosen, Lisa (26 de janeiro de 2005). «Superheroes on top of animation's world». Los Angeles Times. Consultado em 19 de agosto de 2016. Cópia arquivada em 28 de agosto de 2016 
  38. Susman, Gary (1 de janeiro de 2005). «Here are the Golden Globe nominations». Entertainment Weekly. Consultado em 19 de agosto de 2016. Cópia arquivada em 7 de novembro de 2016 
  39. «Part II of the 47th annual Grammy Awards nominees». Variety. 7 de dezembro de 2004. Consultado em 19 de agosto de 2016. Cópia arquivada em 25 de agosto de 2016 
  40. «AFI's 10 Top 10 Official Ballot» (PDF). 2008. Consultado em 19 de agosto de 2016. Cópia arquivada (PDF) em 16 de julho de 2011 
  41. a b c d e f g h i j k l m n o p q Audrey Worboys (11 de maio de 2018). «22 referências à cultura pop que talvez você tenha perdido nos filmes do Shrek». BuzzFeed 
  42. a b c d Hill, Jim. «"Shrek 2" features dizzying array of in-jokes and cultural references. Did you spot them all?"». Skwigly. Consultado em 13 de junho de 2018 
  43. «"Starbucks becomes pop up Farbucks"». TNT Magazine. 14 de junho de 2015 
  44. a b c d e f Wloszczyna, Susan (20 de maio de 2004). «"Blink during 'Shrek 2' and you'll miss a joke"». USA Today. Consultado em 9 de junho de 2015 
  45. «Shrek 2 Activity Center: Twisted Fairy Tale Fun - PC - IGN». 27 de janeiro de 2013. Consultado em 20 de janeiro de 2016 
  46. «Shrek 2: Beg for Mercy (Game Boy Advance)». IGN. Consultado em 20 de janeiro de 2016