Abrir menu principal
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde janeiro de 2017).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Ambox question.svg
Esta página ou seção carece de contexto .

Este artigo (ou seção) não possui um contexto definido, ou seja, não explica de forma clara e direta o tema que aborda. Se souber algo sobre o assunto edite a página/seção e explique de forma mais clara e objetiva o tema abordado.

Question book.svg
Este artigo ou secção não cita fontes confiáveis e independentes (desde fevereiro de 2014). Ajude a inserir referências.
O conteúdo não verificável pode ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Viatura Blindada Brasileira
Tipo Veículo Blindado de Combate e Reconhecimento
Local de origem  Brasil
Histórico de produção
Data de criação 1967
Fabricante PqRMM/2 e Engesa
Quantidade
produzida
1 protótipo
Especificações
Tripulação 4 (Comandante, Atirador, Motorista e Operador de Radio)
Armamento
primário
1 Canhão 37mm M6
Armamento
secundário
1 metralhadora.30
Motor Mercedes Benz Diesel
200 hp (149 000 W)
Suspensão Tração 4 X 4, Barra de torção
Alcance
Operacional
640 km (398 mi)
Velocidade 90 km/h estrada, 48 km/h terra

HistóricoEditar

O protótipo foi desenvolvido com o objetivo de substituir o veterano M8 Greyhound, que ainda em uso pelo exército brasileiro, logo na década de 1960 demonstrava claros sinais de defasagem e obsoletismo.

O VBB I foi elaborado pela PqRMM/2 1967 e concluído em 1970, essa viatura foi criada para ser a base do sucesso brasileiro: o EE-9 Cascavel.

O maior benefício do esforçocom o protótipo foi a estimulação do estudo de blindagem, até então inexistente no Brasil e também a criação de um Centro de Pesquisa e Desenvolvimento de Blindados - CPDB

Modificações perante a versão anteriorEditar

Versão anterior: M8 Greyhound

Houve grandes modificações, como a troca do motor de gasolina para diesel, mudança que aumentou a economia de combustível e a potência debitada pelo motor.

Houve também uma reestruturação das armas que foi colocada uma metralhadora .30 em cima do canhão de 37mm.

Além destas mudanças ocorreu apenas uma perda na tração, responsável pelo VBB I não passar de um protótipo pois era um veículo tracionado apenas 4X4 quando o real interesse do exército brasileiro era em uma veículo com tração 6X6 por ser mais adequado às necessidades nacionais.

FinalidadeEditar

Criado para missões de reconhecimento como seus antecessores.

ProduçãoEditar

1 única unidade em 1968 - 1970 pela PqRMM/2

FabricadorEditar

PqRMM/2 e a ENGESA

EvoluçãoEditar

CRR - Carro de Reconhecimento sobre Rodas. Um dos protótipos 6X6 da PqRMM/2

  Este artigo sobre Veículos militares é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
  Este artigo sobre tópicos militares é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.