Abrir menu principal
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde junho de 2019). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Arquidiocese de Paris
Archidiœcesis Parisiensis
Catedral Metropolitana de Paris
Localização
País França
Dioceses sufragâneas Créteil
Évry Corbeil-Essonnes
Meaux
Nanterre
Pontoise
Saint-Denis
Versailles
Estatísticas
Área 105,000 km²
Informação
Rito Romano
Criação da diocese 250
Elevação a arquidiocese 20 de outubro de 1622
Padroeiro Notre-Dame
Governo da arquidiocese
Arcebispo Michel Christian Alain Aupetit
Bispo auxiliar Denis Jachiet
Thibault Verny
Philippe Marsset
Arcebispo emérito André Vingt-Trois
Jurisdição Arquidiocese Metropolitana
Contatos
Página oficial www.paris.catholique.fr

A Arquidiocese de Paris é uma das maiores circunscrições eclesiásticas da Igreja Católica na França.[1] De acordo com a tradição, a diocese original foi estabelecida ainda no século III por São Denis e elevada a Arquidiocese em 1622.[1] A Arquidiocese de Paris representa toda a região da Île-de-France, englobando as dioceses de Créteil, Corbeil-Essonnes, Meaux, Nanterre, Pontoise, Saint-Denis e Versalhes.

A sede da arquidiocese é a Catedral de Notre-Dame, em Paris.

Índice

HistóriaEditar

O bispado de Paris foi criado no século IV. Segundo a tradição, Paris teria sido evangelizada por São Denis, o primeiro bispo da cidade, mas o primeiro bispo de Paris atestado é Vitorino (Victorinus) citado em 346.

A diocese tem por séculos uma importância relativa no reino, Sens ou Reims tendo um papel essencial no norte. Assim, ao contrário dos seis pares eclesiásticos primitivos do Reino da França - ao arcebispo-duque de Reims, o bispo-duque de Laon, o bispo de Langres, o bispo-conde de Beauvais, o bispo de Châlons e o bispo de Noyon - e ao abade da Abadia de Saint-Remi de Reims, guardião da Santa ampola, e o bispo da abadia de Saint-Denis, guardião das outras insígnias reais e da necrópole real, os bispos depois arcebispos de Paris não participaram da cerimônia de Coroação dos reis da França na Catedral de Reims.

No entanto, por causa do papel político de Paris, o reino apoiou a transformação do bispado em arcebispado que é obtida em 1622. Pela bula Universi Orbis de 20 de outubro de 1622, o Papa Gregório XV elevou assim Paris ao posto de sé arquiepiscopal.

Em 1674, o rei Luís XIV fortaleceu ainda mais o poder do arcebispo fazendo de sua propriedade de Saint-Cloud um ducado-pariato. Assim, em 1690, em 1790, os arcebispos de Paris foram feitos duques e pares de Saint-Cloud.

Entre 1790 e 1801, Paris é a sede episcopal da Diocese do departamento de Paris depois do Sena, uma das oitenta e três dioceses da Igreja Constitucional criada pela Constituição civil do clero. Esta diocese abrange o departamento de Paris tornada em 1795, a do Sena.

De 1801 a 1822, os arcebispos de títulos relevam de Paris os títulos de arcebispo de Reims e do arcebispo de Sens. Na verdade, a bula Qui Christi Domini vices (29 de novembro de 1801), que definiu a concordata, prevê que o arcebispo de Paris junte o seu título aos dessas sedes então suprimidas de Reims e Sens. Esta adição cessou com o restabelecimento dessas sedes pela bula Paternae Caritatis de 6 de outubro de 1822.

Desde 1967, os arcebispos de Paris são criados cardeais-sacerdotes da Igreja de São Luís dos Franceses de Roma.

Ver tambémEditar

Referências

  1. a b Cheney, David M. (2019). «Archdiocese of Paris». The Hierarchy of the Catholic Church. Consultado em 17 de julho de 2019. Cópia arquivada em 20 de março de 2019 

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre catolicismo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Arquidiocese de Paris