Celso Frateschi

Celso Frateschi (São Paulo, 9 de fevereiro de 1952) é um ator, professor, diretor teatral e político brasileiro, tendo atuado no teatro, cinema e televisão e sendo proprietário do Teatro Ágora.

Celso Frateschi
Nascimento 9 de fevereiro de 1952 (69 anos)
São Paulo, SP
Nacionalidade brasileiro
Ocupação Ator e político
Cônjuge Denise Del Vecchio (c. 1971–78)

Sylvia Moreira (c. 1998)

Filho(s) André Frateschi
Ludmila Frateschi

Filiado ao Partido dos Trabalhadores, foi secretário de cultura de algumas prefeituras e também presidente da Funarte. É casado com a arquiteta e cenógrafa Sylvia Moreira, pai do também ator André Frateschi e da psicanalista Ludmila Frateschi.[1]

BiografiaEditar

Como ator e diretorEditar

Foi um dos fundadores dos grupos Teatro Núcleo Independente, Teatro Pequeno, e Ágora – Centro para o Desenvolvimento Teatral, de São Paulo. Estreou no Teatro de Arena de São Paulo, em 1980, em Teatro Jornal 1ª Edição, de Augusto Boal.[2] Trabalhou com os principais diretores do teatro brasileiro, como Enrique Diaz, José Possi Neto e Domingos de Oliveira.[3]

Escreveu A Epidemia, com Paulo Maurício, e Os Imigrantes, com o qual estreou como diretor e recebeu, em 1978, o 'Prêmio Mambembe' de melhor ator.[4] Recebeu o 'Prêmio Shell' de melhor ator em 1988, por Eras, de Heiner Müller.[4] Desde o ano de 1980 é professor licenciado da Escola de Arte Dramática da USP.[5]

Estreia na televisão em Uma Esperança no Ar, de 1985. Mas só retorna a TV quase dez anos depois, em 1994, nas séries Memorial de Maria Moura e Você Decide. Depois disso, se torna presença constante na Globo, atuando em O Rei do Gado em 1996, na segunda versão de Pecado Capital e em Torre de Babel, de 1998.

Em 1999, funda, junto com Sylvia Moreira e Roberto Lage, o Teatro Ágora, do qual é proprietário até hoje, em São Paulo. O teatro tem sua sede atual no Bixiga. A primeira peça é um monólogo do ator, Diana, dirigido por Lage.[6][7][8]

Apesar dos cargos políticos que ocupou na década de 2000, ainda participou de muitas produções: as minisséries A Muralha e Presença de Anita, em 2000 e 2001, as novelas O Beijo do Vampiro e Começar de Novo, em 2002 e 2004, mais uma minissérie, Um Só Coração, também em 2004, todas na Globo. Após uma breve passagem pela RecordTV onde fez Essas Mulheres em 2005, retorna a Globo, fazendo participações em Carga Pesada e A Diarista, a novela de 2005 Belíssima e a nova versão de Sinhá Moça em 2006. Após uma rápida passagem pela Band, onde fez Paixões Proibidas em 2007, faz Queridos Amigos e participações em Casos e Acasos e Força Tarefa. Em agosto de 2008 Celso Frateschi inaugurou seu blog pelo site da revista Bravo![9][10]

Ainda na Globo, fez as novelas O Astro e Escrito nas Estrelas.[9] No ano de 2014, recebeu a Ordem do Mérito Cultural aos seus serviços prestados a arte brasileira.[11]

Em 2013, interpreta o personagem bíblico Jacó nas produções da RecordTV José do Egito, que retorna em Os Dez Mandamentos.[12] Participou da série da Netflix 3% em 2016, como o personagem Velho, estando presente em três das quatro temporadas.[13] Também fez uma participação na série da Globo Assédio, em 2018, e do filme Hebe - A Estrela do Brasil.[14]

Na políticaEditar

Frateschi é filiado ao Partido dos Trabalhadores.[15] Foi secretário municipal da Cultura em 2003 e 2004, na gestão de Marta Suplicy (PT) frente a prefeitura do município de São Paulo.[16] Também ocupou o cargo de secretário de Cultura em Santo André entre 1997 e 1998.[17][4] Foi presidente da Fundação Nacional de Artes (Funarte) até outubro de 2008, quando pediu demissão: em carta intitulada "O transatlântico fantasma" divulgada no dia 6 de outubro daquele ano, Frateschi afirmou que não resistirá ao "movimento articulado de alguns funcionários e de alguns setores do Ministério da Cultura para desestabilizar minha gestão na presidência da Funarte".[18][19]

Vida pessoalEditar

André Frateschi é filho de Celso com a atriz Denise Del Vecchio e Ludmila Frateschi; sua filha, com a socióloga Márcia Y. Mafra. Em 1997, casou-se com a arquiteta e cenógrafa Sylvia Moreira, mãe de seu enteado, Pedro Moreira Becker.[3][20]

FilmografiaEditar

TelevisãoEditar

Ano Produção Personagem Notas
1985 Uma Esperança no Ar Rui
1994 Memorial de Maria Moura Liberato
Você decide Episódio "Pressão Total
1996 O Rei do Gado Caminhoneiro
1998 Pecado Capital Pacheco
Torre de Babel Delegado
2000 A Muralha Afonso Góis
2001 Presença de Anita Igor
2002 O Beijo do Vampiro Ezequiel
2004 Começar de Novo Mikhail
Um Só Coração Ernesto da Silva
2005 Belíssima Juiz
Carga Pesada Casão Episódio: "Caixa preta"
Essas Mulheres Pedro Camargo
2006 Sinhá Moça Inácio
A Diarista Nestor Episódio: "Faxinando com a Inimiga"
2007 Paixões Proibidas Álvaro de Sousa
2008 Casos e Acasos Pai de Sílvia Episódio: "O Desejo Escondido, o Cara Deprimido e o Livro Roubado"
Jacinto Episódio: "A Noiva, o Desempregado e o Fiscal"
Renato Episódio: "A Fuga Arriscada, a Nova Namorada e o Recheio do Bolo"
Queridos Amigos Dr. Hélio Gomes Vianna
2009 Uns Braços Solicitador Borges
Força-Tarefa Valfrido Episódio: "Temporada de Caça"
2010 Escrito nas Estrelas Jardel
2011 O Astro Nelson Cerqueira
2013 José do Egito Jacó
2014 Sessão de Terapia Guilherme Damasceno 3 episódios
2015 Sete Vidas Augusto (jovem)
2015 Os Dez Mandamentos Jacó
2016 Êta Mundo Bom! Joaquim Sampaio Goytacazes (Barão de Goytacazes)
2016–20 3% O Velho 18 episódios
2018 Deus Salve o Rei Juiz Superior do Conselho da Cália
Assédio Milton
2021 Verdades Secretas II Lorenzo

CinemaEditar

Ano Filme Personagem Notas
1983 A Próxima Vítima Deputado Nogueira [21]
1997 O Trabalho dos Homens Policial Curta-metragem
1999 Contos de Lygia
2001 Bufo & Spallanzani Dr. Ribeiroles
Mater dei
Sonhos Tropicais Sales Guerra
2003 Cristina Quer Casar
2006 Veias e Vinhos - Uma História Brasileira Capitão
2011 Astheros Curta-metragem
2016 O Escaravelho do Diabo Jairo Saturnino
2018 Paraíso Perdido Delegado
2019 Hebe: A Estrela do Brasil João Capuano

Referências

  1. «"Volta Dilma" ecoa em evento sobre a resistência ao golpe de 2016». Partido dos Trabalhadores. 20 de junho de 2016. Consultado em 3 de agosto de 2020 
  2. Cultural, Instituto Itaú. «Celso Frateschi». Enciclopédia Itaú Cultural. Consultado em 3 de agosto de 2020 
  3. a b «O som inspirado na conversa com o ator e político Celso Frateschi». Portal da Câmara dos Deputados. Consultado em 3 de agosto de 2020 
  4. a b c «A TEMPESTADE « Pombo Correio». Consultado em 3 de agosto de 2020 
  5. «Celso Frateschi | ECA - Escola de Comunicações e Artes». ECA - Escola de Comunicações e Artes. Consultado em 3 de agosto de 2020 
  6. «Celso Frateschi celebra 20 anos do Ágora com remontagem de 'Diana'». Guia Folha. 12 de julho de 2019. Consultado em 3 de agosto de 2020 
  7. «CURRÍCULO: Celso Frateschi». agorateatro. Consultado em 4 de setembro de 2020 
  8. «Nossa História». agorateatro. Consultado em 4 de setembro de 2020 
  9. a b «CELSO FRATESCHI». museudatv.com.br. Pró-TV. Consultado em 4 de setembro de 2020 
  10. http://bravonline.abril.com.br/blog/celsofrateschi/
  11. «Ordem do Mérito Cultural homenageia artistas brasileiros – Secretaria Especial da Cultura». 7 de novembro de 2014. Consultado em 3 de agosto de 2020 
  12. «Celso Frateschi diz sobre José do Egito: "Eu nunca fiz um trabalho de equipe 'tão equipe'"». R7. 16 de fevereiro de 2018. Consultado em 4 de setembro de 2020 
  13. «Série brasileira "3%" é renovada pela Netflix». Correio do Povo. 4 de junho de 2018. Consultado em 4 de setembro de 2020 
  14. «'Assédio': Rede Globo lança série repleta de responsabilidade, coragem, força e maestria». Artecult. 20 de setembro de 2018. Consultado em 4 de setembro de 2020 
  15. Cultural, Instituto Itaú. «Celso Frateschi». Enciclopédia Itaú Cultural. Consultado em 3 de agosto de 2020 
  16. Silva, Élcio (18 de novembro de 2014). «Celso Frateschi recebe honraria da Ordem do Mérito Cultural». Teatro da USP. Consultado em 3 de agosto de 2020 
  17. «Celso Frateschi». Casa do Saber. Consultado em 3 de agosto de 2020 
  18. «Ex-secretário da Marta, Celso Frateschi assumirá a Funarte - Política». Estadão. Consultado em 3 de agosto de 2020 
  19. «Presidente da Funarte, Celso Frateschi pede demissão». O Globo. 6 de outubro de 2008. Consultado em 3 de agosto de 2020 
  20. «Celso Frateschi estreia "Diana" no Sesc Ipiranga». ABC do ABC. 12 de julho de 2019. Consultado em 3 de agosto de 2020 
  21. «A Próxima Vítima». Cinemateca Brasileira. Consultado em 20 de outubro de 2021 

Ligações externasEditar