Abrir menu principal
Comandos Militares do Brasil
CMP
Comando Militar do Planalto
Região Militar 11ª RM
Ano de criação 1960
Comandante Gen Div Sérgio da Costa Negraes [1]
Localização Av. do Exército Setor Militar Urbano - SMU
Brasília
 Distrito Federal
Página oficial www.cmp.eb.mil.br
Abrangência Distrito Federal, Goiás, Tocantins e Triângulo Mineiro

O Comando Militar do Planalto (CMP) é um dos Comandos Militares de Área do Brasil. É situado em Brasília (DF), e é o Comando da 11ª Região Militar, que compreende o Distrito Federal e os estados de Goiás (exceto a área jurisdicionada pela 9ª Região Militar) e Tocantins (exceto a área jurisdicionada pela 8ª Região Militar) e a região do Triângulo Mineiro. Ao Comando Militar do Planalto compete o preparo, o planejamento e o emprego operacional da Força Terrestre, área de jurisdição supracitada[2].

HistóricoEditar

Ao final da década de 1950, em função do processo de transferência do Distrito Federal do Rio de Janeiro para ainda em construção Brasília, era necessário dotar a nova Capital de um contingente do Exército que atendesse as demandas de segurança e defesa do Governo Federal em implantação no Planalto Central.

Em 1958, um aquartelamento de madeira, próximo ao Palácio da Alvorada, foi a sede da primeira Organização Militar do Exército Brasileiro presente na nova Capital Federal, constituindo-se no embrião do Comando Militar do Planalto.

Em 25 de abril de 1960, quatro dias após a inauguração de Brasília, foi criado o Comando Militar de Brasília e 11ª Região Militar, pelo Decreto-Lei nº 48.138, da Presidência da República e de conformidade com o Art. 3º, do Decreto-Lei nº 41.186, da Presidência da República, de 20 de março de 1957, abrangendo os territórios do novo Distrito Federal, do Estado de Goiás e o Triângulo Mineiro.

O primeiro Comandante foi o General-de-Brigada Mário Poppe Figueiredo.

Em 21 de junho de 1967, o Decreto-Lei nº 60.881, da Presidência da República, extinguiu o Comando Militar de Brasília, passando a 11ª Região Militar (11ª RM) a subordinar-se diretamente ao então I Exército, hoje Comando Militar do Leste (CML).

Em 26 de fevereiro de 1969, por intermédio do Decreto-Lei nº 64.138, da Presidência da República, foi criado o atual Comando Militar do Planalto (CMP), com sede em Brasília, o qual passou a ser designado Comando Militar do Planalto e 11ª Região Militar (CMP/11ª RM).

Em 5 de outubro de 1988, o norte de Goiás foi emancipado, passando a se chamar Tocantins, inserido na Região Norte. Em 1º de janeiro de 1989, o novo estado foi oficialmente instalado. A partir de então, a área de responsabilidade do CMP passou a compreender o  Distrito Federal, o Estado de Goiás, o Triângulo Mineiro e o Estado do Tocantins, excetuando a região ao norte desse estado, conhecida como “Bico do Papagaio”, que permaneceu sob a subordinação do Comando Militar da Amazônia (CMA).

Em 23 de março de 1994, a 11ª RM tornou-se novamente autônoma, por desmembramento do CMP, permanecendo assim até os dias atuais.

Em 11 de julho de 2013, o Decreto-Lei nº 8.053, da Presidência da República, criou o Comando Militar do Norte (CMN) e alterou as áreas de jurisdição dos Comandos Militares de Área e das Regiões Militares. Em consequência, o Estado do Tocantins passou integralmente para a responsabilidade do CMP e da 11ª RM.

A Portaria nº 148, do Estado-Maior do Exército, de 30 de julho de 2013, que aprovou a Diretriz para Implantação do CMN, estabeleceu que a região do “Bico do Papagaio” passaria a ser área sob a responsabilidade do CMN, para fim de proteção integrada.

MissãoEditar

 
Área de atuação do Comando Militar do Planalto

O Comando Militar do Planalto tem sua responsabilidade operacional abrangida pelo espaço territorial que engloba o Distrito Federal, centro das decisões político-administrativas e sede das representações diplomáticas no Brasil, o Estado de Goiás, o Estado do Tocantins, além da área geográfica que compreende o Triângulo Mineiro.

Desde a sua criação, o Comando Militar do Planalto tem como missão planejar, supervisionar e coordenar o preparo e o emprego das Organizações Militares a ele subordinadas. Tem ainda o controle das atividades de guarda, segurança e cerimonial militar ligado à Presidência da República e ao Exército.

OrganizaçãoEditar

O Comando Militar do Planalto possui quatro Grandes Comandos: a 11ª Região Militar, Comando de Apoio Logístico sediado em Brasília – a 3ª Brigada de Infantaria Motorizada, Comando Operacional sediado em Cristalina-GO, o Comando de Operações Especiais sediado em Goiânia-GO, o Comando de Artilharia do Exército sediado em Formosa-GO, seis Organizações Militares Diretamente Subordinadas (OMDS) sediadas em Brasília-DF e uma em Araguari-MG.

 
Comando Militar do Planalto na cerimônia de posse presidencial (2019)

Composição do Comando Militar do PlanaltoEditar

Ver tambémEditar

Ligações externasEditar

Referências

  1. www.eb.mil.br http://www.eb.mil.br/documents/16768/8526667/INFORMEX%20N%C2%BA%20006. Consultado em 25 de junho de 2018  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  2. www.planalto.gov.br http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2004-2006/2006/Decreto/D5751.htm#art5. Consultado em 14 de maio de 2019  Em falta ou vazio |título= (ajuda)

BRASIL, Decreto nº 64.138, de 26 de fevereiro de 1969. Cria o Comando Militar do Planalto.

EXÉRCITO BRASILEIRO, portaria nº 137-EME, de 13 de agosto de 2018. Aprova a Diretriz para a Desativação da 7ª Circunscrição de Serviço Militar (EB20-D-03.020).

EXÉRCITO BRASILEIRO, portaria nº 037-EME, de 22 de fevereiro de 2019. Aprova a Diretriz que altera a sede do Comando de Artilharia do Exército, de Porto Alegre-RS para Formosa-GO (EB20-D-03.033).

EXÉRCITO BRASILEIRO, portaria nº 036-EME, de 22 de fevereiro de 2019. Aprova a Diretriz que altera a sede do 16º Grupo de Artilharia de Campanha Autopropulsado de São Leopoldo-RS para Formosa-GO (EB20-D-03.034).

EXÉRCITO BRASILEIRO, portaria nº 038-EME, de 22 de fevereiro de 2019. Aprova a Diretriz que altera a sede da Bateria de Comando do Comando de Artilharia do Exército, de São Leopoldo-RS para Formosa-GO (EB20-D-03.035).