Abrir menu principal

Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas

(Redirecionado de Dia da Raça)
Dia de Portugal
Flag of Portugal.svg

Bandeira de Portugal
Nome oficial Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas
Celebrado por Portugal, Lusofonia, Olivença, Extremadura e Galiza
Tipo histórico-religioso
Data 10 de Junho
Tradições Assinala a morte de Luís Vaz de Camões e o Dia do Anjo Custódio de Portugal

O Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas celebra a data de 10 de Junho de 1580, data da morte de Camões, sendo também este o dia dedicado ao Anjo Custódio de Portugal. Este é também o dia da Língua Portuguesa, dos cidadãos e das Forças Armadas.

Durante o Estado Novo, de 1933 até à Revolução dos Cravos de 25 de Abril de 1974, era celebrado como o Dia da Raça: a raça portuguesa ou dos portugueses.

OrigensEditar

A primeira referência ao caráter festivo do dia 10 de junho é no ano 1880 por um decreto real de D. Luís I que declara "Dia de Festa Nacional e de Grande Gala" para comemorar apenas nesse ano os 300 anos da hipotética data da morte de Luís de Camões, 10 de junho de 1580.[1]

Na sequência dos trabalhos legislativos após a Proclamação da República Portuguesa de 5 de Outubro de 1910, foi publicado um decreto em 12 de Outubro estipulando os feriados nacionais. Alguns feriados foram eliminados, particularmente os religiosos, de modo a diminuir a influência social da igreja católica[2] e laicizar o Estado.

Neste decreto ficaram consignados os feriados de 1 de Janeiro, Dia da Fraternidade Universal; 31 de Janeiro, que evocava a revolução falhada no Porto, e portanto foi consagrado aos mártires da República; 5 de Outubro, Dia dos heróis da República; 1 de Dezembro, o Dia da Autonomia (Restauração da Independência) e o Dia da Bandeira; e 25 de Dezembro, que passou a ser considerado o Dia da Família, laicizando a festa religiosa do Natal.[2][3]

O decreto de 12 de Junho dava ainda a possibilidade de os concelhos escolherem um dia do ano que representasse as suas festas tradicionais e municipais.

A 29 de agosto de 1919, através do decreto 17.171, passa a consagrar-se o dia 10 de junho como feriado nacional.[4]

Com a entrada em vigor da Constituição de 1933, todas estas leis ficaram sem efeito.

Dia de CamõesEditar

Luis Vaz de Camões representava o génio da pátria na sua dimensão mais esplendorosa, significado que os republicanos atribuíam ao 10 de Junho, apesar de nos primeiros anos da república ser um feriado exclusivamente municipal. Com o 10 de Junho, os republicanos de Lisboa tentaram invocar a glória das comemorações camonianas de 1880, uma das primeiras manifestações das massas republicanas em plena monarquia.

Dia da Raça e Dia das Comunidades PortuguesasEditar

O 10 de Junho começou a ser particularmente exaltado com o Estado Novo, o regime instituído em Portugal em 1933 sob a direção de António de Oliveira Salazar. Foi a partir desta época que o dia de Camões passou a ser festejado a nível nacional. A generalização dessas comemorações deveu-se bastante à cobertura dos meios de comunicação social.[2]

Durante o Estado Novo, o 10 de Junho continuou sendo o Dia de Camões. O regime apropriou-se de determinados heróis da república, não no sentido laico que os republicanos pretendiam, mas num sentido nacionalista e de comemoração coletiva histórica e propagandística.[2]

Até ao 25 de Abril de 1974, o 10 de Junho era conhecido como o Dia de Camões, de Portugal e da Raça, este último epíteto criado por Salazar na inauguração do Estádio Nacional do Jamor em 1944. A partir de 1963, o 10 de Junho tornou-se numa homenagem às Forças Armadas Portuguesas, numa exaltação da guerra e do poder colonial.[2] Com uma filosofia diferente, a Terceira República converteu-o no Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas em 1978. Desde o ano 2013 a comunidade autónoma da Extremadura espanhola festeja também este dia.

Dia do Santo Anjo da Guarda de PortugalEditar

 
Monumento ao Anjo da Paz, ou Anjo de Portugal, em Fátima.

A pedido do rei D. Manuel I de Portugal, o Papa Júlio II instituiu em 1504 a festa do «Anjo Custódio do Reino» cujo culto já seria antigo em Portugal. O pedido terá sido feito ao papa Leão X e este autorizou a sua realização no terceiro Domingo de Julho.[5] A sua devoção quase desapareceu depois do séc. XVII, mas seria restaurada mais tarde, em 1952, quando mandada inserir no Calendário Litúrgico português pelo Papa Pio XII, para comemorar o Dia de Portugal no 10 de Junho.[6]

Terá surgido pela primeira vez na Batalha de Ourique, e a sua devoção deu uma tal vitória às forças de D. Afonso Henriques sobre os invasores muçulmanos que lhe deu a oportunidade de autoproclamar-se rei de Portugal.

Nas suas Memórias, a Irmã Lúcia contou ainda que, entre abril e outubro de 1916, nas aparições de Fátima, teria já aparecido um anjo aos três pastorinhos, por três vezes, duas na Loca do Cabeço, no lugar dos Valinhos, e outra junto ao poço do quintal de sua casa, chamado o Poço do Arneiro, no lugar de Aljustrel, em Fátima, convidando-os à oração e penitência, e afirmando ser o "Anjo da Paz, o Anjo de Portugal".[7]

ComemoraçõesEditar

Em PortugalEditar

As comemorações do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas são celebradas por todo o país, mas só as Comemorações Oficiais são presididas pelo Presidente da República e muitas outras grandes individualidades como o Presidente da Assembleia da República, o Primeiro-ministro, os Ministros, os Embaixadores e outras personalidades. As comemorações envolvem diversas cerimónias militares, exposições, concertos, cortejos e desfiles, além de uma cerimónia de condecorações feita pelo Presidente da República.

Desde 1977 dezenas de cidades já receberam as comemorações, oito delas não são capitais de distrito. Todos os anos, o Presidente da República Portuguesa elege uma cidade para ser sede das comemorações oficiais. Em 2016, as comemorações oficiais decorreram pela primeira vez em duas cidades ao mesmo tempo: Lisboa e Paris, naquela que foi a primeira eleição da cidade-anfitriã por Marcelo Rebelo de Sousa enquanto Presidente da República. Foi também a primeira vez que as comemorações oficiais aconteceram numa cidade fora do país. Abaixo, a lista de todas as cidades que já receberam as comemorações oficiais, ou que vão receber:

Em outros paísesEditar

O Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, é comemorado um pouco por todo o mundo. Sendo Portugal um país que já foi dono de colónias nos 5 continentes, este dia é então comemorado pelos milhões de luso-descendentes espalhados pelo mundo e também pelos cerca de 5 milhões de emigrantes portugueses que vivem fora de Portugal.

CanadáEditar

Em Toronto, Ontário, mais de 200.000 luso-canadianos celebram mantendo uma infinidade de eventos em torno da data de 10 de Junho. A semana de festival culmina com a Parada do Dia de Portugal na Dundas Street, na área conhecida como Little Portugal. O desfile termina perto Trinity Bellwoods Park, onde shows, eventos culturais e várias outras actividades acontecem. The Parade Day Portugal é o terceiro maior festival de rua de Toronto e foi celebrado pela primeira vez em 1966.[17]

Reino UnidoEditar

Em Londres, Inglaterra, luso-britânicos comemoram o feriado anualmente, como parte do Dia de Portugal, Reino Unido eventos. Em 2009, as festividades foram realizadas em 21 de Junho, em Streatham Common Park, Londres. Em 2010 e 2011, as festividades foram celebradas em 13 de Junho e 12 de Junho, respectivamente, em Kennington Park, no sudeste de Londres, na área conhecida como Little Portugal.

A observância de 2012 foi realizada no dia 10 de Junho, em Kennington Park. Os funcionários e atletas que representam Portugal nos Jogos Olímpicos de Verão de 2012 foram baseadas em Little Portugal perto de Kennington Park, e participaram no Portugal Day 2012, em Kennington Park.[18]

Em 2013 o evento foi realizado no domingo, 9 de Junho, 2013 em Kennington Park, como em anos anteriores.[19]

Em 2015 o evento foi realizado no domingo, 14 de Junho, em Streatham Common Park, Londres.[20]

EspanhaEditar

Na comunidade autónoma da Estremadura, principalmente nas cidades de Badajoz e Olivença, é também comemorado o Dia de Portugal com diversas cerimónias, atividades e concertos musicais que juntam milhares de pessoas, entre emigrantes portugueses, luso-espanhóis e simpatizantes de Portugal. Esta é uma região que tem desde há muitos séculos grandes relações com Portugal, principalmente com a região vizinha do Alentejo, na qual está inserida a Eurocidade Elvas-Badajoz. [21][22]

BrasilEditar

O Dia de Portugal é comemorado em diversas cidades do Brasil como Rio de Janeiro e São Paulo. Sendo este um país que já foi uma colónia de Portugal, onde vivem muitos milhões de luso-descendentes e hoje em dia muitos milhares de portugueses, o Dia de Portugal é comemorado por todo o território do Brasil. Em 2017, as comemorações oficiais do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, decorreram em Portugal na cidade do Porto e nas cidades brasileiras do Rio de Janeiro e de São Paulo, conforme anunciou o Presidente da República. Depois de Paris em 2016, esta foi a segunda vez que as comemorações oficiais decorreram em 2 ou mais cidades diferentes, sendo uma delas fora de Portugal.[23]

Referências

  1. «Sabe quando foram as primeiras comemorações?». www.dn.pt. Consultado em 30 de agosto de 2019 
  2. a b c d e As origens do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades na perspectiva de Conceição Meireles, especialista em História Contemporânea de Portugal
  3. Diário do Governo de 13 de Outubro de 1910
  4. «Sabe quando foram as primeiras comemorações?». www.dn.pt. Consultado em 30 de agosto de 2019 
  5. Anjo Custódio do Reino, O Portal da História, Manuel Amaral, 2000-2010
  6. Anjos, Enciclopédia Católica Popular, por D. Manuel Franco Falcão
  7. Anjos, Enciclopédia Católica Popular, por D. Manuel Franco Falcão
  8. «2006: 10 de Junho no Porto». Consultado em 12 de junho de 2013 
  9. «2007: 10 de Junho Setúbal». Consultado em 12 de junho de 2013 
  10. «2008: 10 de Junho Viana do Castelo». Consultado em 12 de junho de 2013 
  11. «2009: 10 de Junho Santarém». Consultado em 12 de junho de 2013 
  12. «2010: 10 de Junho Faro». Consultado em 12 de junho de 2013 
  13. «2011: 10 de Junho Castelo Branco». Consultado em 12 de junho de 2013 
  14. «2012: 10 de Junho Lisboa». Consultado em 12 de junho de 2013 
  15. «2013: 10 de Junho Elvas». Consultado em 12 de junho de 2013. Arquivado do original em 14 de maio de 2013 
  16. «Comemorações do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas 2018». Consultado em 10 de junho de 2018 
  17. «Toronto's Portugal Day has a long history». Consultado em 12 de junho de 2013 
  18. Degun, Tom (27 de abril de 2011). «Lambeth To Be Base for Portugal During London 2012». insidethegames.biz. Consultado em 12 de junho de 2012 
  19. Dia de Portugal - Londres 2013. «Dia de Portugal Londres 2013». Dia de Portugal - Londres 2013 (via Facebook). Consultado em 30 de abril de 2013 
  20. Day of Portugal UK (via Facebook). «Day of Portugal UK». Consultado em 5 de abril de 2015 
  21. Monago, José Antonio. «A Extremadura comemora o Dia de Portugal». PÚBLICO. Consultado em 24 de janeiro de 2017 
  22. «Actos para celebrar el Día de Portugal en Extremadura». www.extremadura.com. Consultado em 30 de agosto de 2019 
  23. Otão, Susana. «Dia de Portugal comemorado por Marcelo e Costa no Brasil». Observador. Consultado em 24 de janeiro de 2017