Abrir menu principal
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde junho de 2019). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Diocese de Aveiro
Aveirensis
Sé de Aveiro
Localização
País Portugal
Arquidiocese metropolitana Arquidiocese de Braga
Estatísticas
Área 1 537 km²
Arciprestados 10
Paróquias 101
Informação
Denominação Católica Romana
Rito Romano
Criação 12 de Abril de 1774 (extinta em 1882)
Restaurada em 24 de Agosto de 1938
Catedral Sé Catedral de Aveiro
Padroeiro(a) Beata Joana de Portugal (Santa Joana Princesa)
Governo da diocese
Bispo D. António Manuel Moiteiro Ramos
Vigário-geral P. Manuel Joaquim Estêvão da Rocha
Jurisdição Diocese
Página oficial www.diocese-aveiro.pt
dados em catholic-hierarchy.org

A Diocese de Aveiro foi originalmente instituída pelo Papa Clemente XIV, com a publicação do breve Militantis Ecclesiae gubernacula, de 12 de Abril de 1774, depois de D. José I ter feito diligências nesse sentido. O seu território ficava destacado da Diocese de Coimbra e sufragâneo da Arquidiocese de Braga. O breve emitido pelo papa foi finalmente executado em 24 de Março de 1775, ficando o rei com o direito de padroado. A Diocese de Aveiro foi suprimida em 1882 aquando da reforma do mapa eclesiástico. Veio a ser restaurada em 1938.[1]

Índice

HistóriaEditar

Aquando da criação da Diocese a igreja da Misericórdia tomou, então, o estatuto de Catedral. Em 1830, é transferido esse estatuto para a antiga igreja do Recolhimento de S. Bernardino. Foram bispos, nesta primeira fase, D. António Freire Gameiro de Sousa (1774-1799), D. António José Cordeiro (1801-1813) e D. Manuel Pacheco de Resende (1815-1837).

Depois da morte de D. Manuel Pacheco de Resende, a diocese passou por um período de indefinição, até que a 1 de Abril de 1845, o arcebispo de Braga passa a ser o administrador apostólico da Diocese de Aveiro que passa a ser dirigida por vigários gerais. A bula papal Gravissimum Christi Ecclesiam regendi et gubernandi munus, de 30 de Setembro de 1881, do papa Leão XIII, que levou à abolição desta diocese foi executada, depois, em 4 de Setembro de 1882. O papa Pio XI, contudo, ao publicar a bula Omnium Ecclesiarum, de 24 de Agosto de 1938, volta a criar a diocese, agora com 82 freguesias que pertenciam anteriormente às Dioceses de Coimbra, do Porto e de Viseu. A Catedral passou a ser a igreja secular conventual de S. Domingos e matriz da paróquia de Nossa Senhora da Glória. A restauração é confirmada por sentença executória a 11 de Dezembro de 1938. D. João Evangelista de Lima Vidal foi, então, designado administrador apostólico , tornando-se a 16 de Janeiro de 1940, bispo residencial. Com a sua morte a 5 de Janeiro de 1958, sucede-lhe D. Domingos da Apresentação Fernandes, que falecerá a 21 de Janeiro de 1962. D. Manuel de Almeida Trindade será designado bispo de Aveiro a 16 de Setembro de 1962, mas resignará do cargo através de um pedido, deferido, dirigido à Santa Sé. Deixa de ser bispo a 20 de Janeiro de 1988.

D. António Baltasar Marcelino, que já era bispo coadjutor de Aveiro desde 19 de Dezembro de 1980, sucedeu-lhe até ter sido substituído, a 21 de Setembro de 2006, por D. António Francisco dos Santos que foi bispo desta diocese até 21 de Fevereiro de 2014. Passou por um período de sede vacante, até à eleição do atual Bispo, D. António Manuel Moiteiro Ramos

Bispos de AveiroEditar

Primeira faseEditar

  1. António Freire Gameiro de Sousa (1774–1799)
  2. António José Cordeiro (1801–1813)
  3. Manuel Pacheco de Resende (1815–1837)

Segunda Fase[1]Editar

  1. João Evangelista de Lima Vidal (1940–1958), Administrador Apostólico desde 1938
  2. Domingos da Apresentação Fernandes (1958–1962)
  3. Manuel de Almeida Trindade (1962–1988)
  4. António Baltasar Marcelino (1988–2006)
  5. António Francisco dos Santos (2006–2014)
  6. D. António Manuel Moiteiro Ramos (2014–presente)

ArciprestadosEditar

EscutismoEditar

Referências