Abrir menu principal

Eleições estaduais no Maranhão em 1962

As eleições estaduais no Maranhão em 1962 ocorreram em 7 de outubro como parte das eleições gerais em 20 estados e nos territórios federais do Acre, Amapá, Rondônia e Roraima. Foram reeleitos os senadores Sebastião Archer e Vitorino Freire, e escolhidos 16 deputados federais e 40 deputados estaduais.[nota 1]

‹ 1960 Brasil 1965
Eleição parlamentar no  Maranhão em 1962
7 de outubro de 1962
(Senadores eleitos)
Replace this image male.png Replace this image male.png
Líder Vitorino Freire Sebastião Archer
Partido PSD PSD
Natural de Pedra, PE São Luís, MA
Votos 170.680 161.365
Porcentagem 30,72% 29,05%


Coat of arms of Brazil.svg
Senador do Maranhão

Índice

Resultado da eleição para senadorEditar

Dados fornecidos pelo Tribunal Superior Eleitoral.[1]

Candidatos a senador da República
Primeiro suplente de senador Número Coligação Votação Percentual
Vitorino Freire
PSD
Miguel Lins
PSD
-
PSD (sem coligação)
170.680
30,72%
Sebastião Archer
PSD
José de Matos Carvalho
PSD
-
PSD (sem coligação)
161.365
29,05%
Clodomir Millet
PSP
Cícero Neiva
PSP
-
PSP, UDN, PR
116.365
20,95%
Antenor Bogéa
PDC
Colares Moreira
UDN
-
PDC, UDN
107.121
19,28%
  Eleitos

Deputados federais eleitosEditar

Deputados estaduais eleitosEditar

Foram eleitos 40 deputados estaduais e as vagas foram assim distribuídas: PSD vinte e três, PSP seis, Oposições Coligadas seis, PL três e PTB duas.[1][4][nota 5]

Deputados estaduais eleitos Partido Votação Percentual Cidade onde nasceu Unidade federativa
José Pereira dos Santos PSD 8.392
Raimundo Bogéa PSD 6.212 Grajaú   Maranhão
Carlos Orleans Brandão PSD 6.063
Lauro Barbosa Ribeiro PSD 5.977
João Henrique Belo Pereira PSD 5.900
Travassos Furtado PSD 5.810 Viana   Maranhão
Magno Bacelar PSD 5.708 Coelho Neto   Maranhão
José Ribamar Bayma Serra PSD 5.679
José Ribamar Dominici PSD 5.656
Francisco Gomes de Sá PSD 5.169
Turíbio da Rocha Santos PSD 5.084
Themístocles Teixeira PSD 5.023 Pastos Bons   Maranhão
Euclides Carneiro Neiva PSD 4.932
Raimundo Arruda Gomes de Sá PSD 4.914
José Gabriel dos Santos Neto PSD 4.900
Telêmaco Leda Ribeiro PSD 4.856
Mário Flexa Ribeiro PSD 4.141
Adail da Silva Carneiro PSD 4.103
Aldenir José da Silva PSD 4.073
Frederico Leda PSD 3.990
Henrique Schalcher Filho PSD 3.980
Osvaldo Apolônio Ferreira Campos PSD 3.957
Newton Abreu Serra PSD 3.907
Bernardo Coelho de Almeida PL 3.723
Antenor Freitas de Abreu OC 3.620
João Jorge Filho PL 3.526
Ariston Gomes da Costa PL 3.490
Wilson de Sá Marques PSP 3.430
Antônio Bento Cantanhede Farias PSP 3.043
João Batista Macedo Sandes PTB 2.970
Sálvio Dino OC 2.834 Grajaú   Maranhão
Ivaldo Perdigão Freire OC 2.757
Evandro Ferreira de Araújo Costa OC 2.713
Manoel de Oliveira Gomes OC 2.582
Benedito Bogéa Buzar PSP 2.490 Itapecuru-Mirim   Maranhão
Antônio Dino PSP 2.401 Cururupu   Maranhão
Francisco Ferreira Figueiredo PSP 2.379
José Mário de Araújo Carvalho OC 2.377
Emílio Murad PSP 2.372
Acrísio dos Santos Viegas PTB 2.121

Notas

  1. Não foram realizadas eleições no Distrito Federal, unidade federativa onde se situa Brasília, nova capital do país.
  2. Renunciou ao mandato em favor de Cesário Coimbra após ser eleito governador do Maranhão em 1965 para um mandato de cinco anos.
  3. Teve o mandato cassado pelo Ato Institucional Número Um em 1964 sendo permitida a efetivação de Alexandre Costa.
  4. Faleceu em São Paulo vítima de um acidente aéreo em 3 de maio de 1963 sendo efetivado Clodomir Millet.
  5. Reeditadas em 1962, as "Oposições Coligadas" eram uma aliança formada por quatro partidos (UDN, PDC, PR, PTN) cuja filiação individual dos deputados estaduais eleitos será determinada a posteriori.

Referências

  1. a b «Banco de dados do Tribunal Superior Eleitoral». Consultado em 18 de abril de 2014 
  2. «Página oficial da Câmara dos Deputados». Consultado em 28 de fevereiro de 2017. Arquivado do original em 2 de outubro de 2013 
  3. «BRASIL. Presidência da República: Lei nº 9.504 de 30/09/1997». Consultado em 28 de fevereiro de 2017 
  4. «Biblioteca Nacional Digital Brasil: Hemeroteca Digital». Consultado em 2 de março de 2019