Abrir menu principal

Estação Ferroviária de Ermidas-Sado

estação ferroviária em Portugal
Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre a estação na Linha do Sul. Se procura a estação na Linha do Douro, veja Estação Ferroviária de Ermida.
Ermidas-Sado
Estação de Ermidas-Sado, em 2003.
Linha(s) Linha do Sul (PK 129,631)
Linha de Sines (PK 129,631)
Coordenadas 38° 00′ 09,24″ N, 8° 24′ 50,74″ O
Concelho Santiago do Cacém
Serviços Ferroviários Intercidades
Horários em tempo real
Serviços Acesso para pessoas de mobilidade reduzida Serviço de táxis Parque de estacionamento

A Estação Ferroviária de Ermidas - Sado, igualmente conhecida por Ermidas, é uma gare da Linha do Sul, que funciona como ponto de entroncamento com a Linha de Sines e que serve a localidade de Ermidas-Sado, no Concelho de Santiago do Cacém, em Portugal.

Índice

CaracterizaçãoEditar

Vias e plataformasEditar

Em Janeiro de 2011, contava com quatro vias, uma com 679 m de comprimento, e as restantes, com 620 m; as duas plataformas tinham 40 e 70 cm de altura, e 139 e 208 m de comprimento.[1]

 
Estação de Ermidas - Sado, em 1990.

HistóriaEditar

Esta interface encontra-se no troço da Linha do Sul entre Alvalade e Lousal, que abriu à exploração em 1 de Agosto de 1915, com o nome de Linha do Sado.[2] Por seu turno, a Linha de Sines começou a ser construída no dia 6 de Dezembro de 1919, quando se iniciaram as terraplanagens a partir de Ermidas.[3] O primeiro tramo da linha, entre Ermidas-Sado e São Bartolomeu da Serra, sido aberto em 9 de Abril de 1927.[2] Ambos os troços foram construídos pela divisão dos Caminhos de Ferro do Estado.[2]

Em 11 de Maio de 1927, os Caminhos de Ferro do Estado foram integrados na Companhia dos Caminhos de Ferro Portugueses, que passou a explorar as antigas linhas estatais.[4]

Em finais de 1933, a Comissão Administrativa do Fundo Especial de Caminhos de Ferro autorizou a instalação de uma báscula de 40 T na estação de Ermidas.[5] Na reunião de Janeiro de 1934 daquele organismo, foi aprovada a construção de uma plataforma na gare de Ermidas.[6] A nova plataforma foi construída ainda naquele ano pela Companhia dos Caminhos de Ferro Portugueses, que também modificou as vias no interior da estação.[7] Em 1935, a companhia construiu um reservatório de betão e uma placa de inversão de máquinas, e ampliou o edifício da estação e a plataforma em Ermidas.[8] Estas obras de ampliação inseriram-se no âmbito de um programa da companhia para a requalificação das estações e apeadeiros do Sul e Sueste.[9]

Em 1990, foi aberto o concurso para o projecto SISSUL - Sistemas integrados de sinalização do Sul, que compreendia a instalação de sinalização electrónica em todas as estações e na plena via em vários lanços, incluindo de Ermidas-Sado até ao Poceirão, estando previsto em 1996 o seu prolongamento até à Funcheira.[10]

Ver tambémEditar

Referências

  1. «Linhas de Circulação e Plataformas de Embarque». Directório da Rede 2012. Rede Ferroviária Nacional. 6 de Janeiro de 2011. p. 71-85 
  2. a b c TORRES, Carlos Manitto (16 de Fevereiro de 1958). «A evolução das linhas portuguesas e o seu significado ferroviário» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 70 (1684). p. 91-95. Consultado em 29 de Agosto de 2014 – via Hemeroteca Municipal de Lisboa 
  3. SILVA, 1992:152
  4. REIS et al, 1996:63
  5. «Direcção Geral de Caminhos de Ferro» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 47 (1105). 1 de Janeiro de 1934. p. 29. Consultado em 27 de Março de 2017 – via Hemeroteca Municipal de Lisboa 
  6. «Direcção-Geral dos Caminhos de Ferro» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 47 (1107). 1 de Fevereiro de 1934. p. 99. Consultado em 27 de Março de 2017 – via Hemeroteca Municipal de Lisboa 
  7. «O que se fez nos Caminhos de Ferro Portugueses, durante o ano de 1934» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 47 (1130). 16 de Janeiro de 1935. p. 50-51. Consultado em 12 de Dezembro de 2013 – via Hemeroteca Municipal de Lisboa 
  8. «Os nossos Caminhos de Ferro em 1935» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 48 (1154). 16 de Janeiro de 1936. p. 52-55. Consultado em 27 de Fevereiro de 2017 – via Hemeroteca Municipal de Lisboa 
  9. «Importantes melhoramentos ferroviários em Barreiro, Lavradio e na Linha do Sado» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 47 (1144). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 16 de Agosto de 1935. p. 350. Consultado em 27 de Março de 2017 – via Hemeroteca Municipal de Lisboa 
  10. MARTINS et al, 1996:158-167
 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre a Estação de Ermidas-Sado

BibliografiaEditar

  • MARTINS, João; BRION, Madalena; SOUSA, Miguel; et al. (1996). O Caminho de Ferro Revisitado. O Caminho de Ferro em Portugal de 1856 a 1996. Lisboa: Caminhos de Ferro Portugueses. 446 páginas 
  • REIS, Francisco; GOMES, Rosa; GOMES, Gilberto; et al. (2006). Os Caminhos de Ferro Portugueses 1856-2006. Lisboa: CP-Comboios de Portugal e Público-Comunicação Social S. A. 238 páginas. ISBN 989-619-078-X 
  • SILVA, Manuel João da (1992). Toponímia das Ruas de Santiago do Cacém. Breve História. Santiago do Cacém: Câmara Municipal. 207 páginas. ISBN 972-95159-4-8 

Leitura recomendadaEditar

  • GOMES, Paulo Alexandre P. N. (2000). Ermidas-Sado: história de uma povoação contemporânea: monografia sócio-histórica, 1915-1970. Ermidas-Sado: Junta de Freguesia de Ermidas-Sado. 242 páginas. ISBN 972-95169-9-5 

Ligações externasEditar