Guilherme Villela

Político, economista e professor brasileiro
(Redirecionado de Guilherme Socias Villela)

Guilherme Socias Villela (Uruguaiana, 3 de junho de 1935) é um economista e político brasileiro filiado ao Progressistas (PP). Foi prefeito nomeado (isto é, não eleito pelo voto popular) de Porto Alegre em dois períodos, de 1975 a 1983, durante a Ditadura Militar, pela ARENA e pelo partido que a sucedeu a partir de 1980, o PDS.

Guilherme Socias Villela
Guilherme Socias Villela
Prefeito de Porto Alegre
Período 8 de abril de 1975
até 8 de abril de 1983
Antecessor(a) Telmo Thompson Flores
Sucessor(a) João Antônio Dib
Vereador de Porto Alegre
Período 1 de janeiro de 2013
31 de dezembro de 2016
Dados pessoais
Nascimento 3 de junho de 1935 (86 anos)
Uruguaiana, Rio Grande do Sul
Partido ARENA (1966-1979)
PDS (1980-1993)
PPR (1993-1995)
PP (1995-presente)
Profissão Economista

Em sua gestão foram inaugurados o Parque Marinha do Brasil e o Parque Maurício Sirotski Sobrinho.[1] Em sua gestão também foi criado o Brique da Redenção, evento cultural que se repete todos os domingos, há mais de duas décadas, na Rua José Bonifácio, junto ao Parque Farroupilha. Além desses, foram abertos o Parque Vinte de Maio e o Parque Mascarenhas de Moraes, além de 35 novas praças e feitas ampliações no Parque Moinhos de Vento e no Parque Farroupilha, totalizando o plantio de 1,15 milhão de árvores em oito anos de governo.

Criou a primeira Secretaria Municipal do Meio Ambiente, pioneira no Brasil. Foi o autor da Lei do Impacto Ambiental, que dispõe sobre a prevenção e o controle da poluição do meio ambiente no município.

Foi o responsável pela conclusão de 15 mil casas no complexo habitacional da Restinga e de obras como o Centro Municipal de Cultura, onde se situam o Teatro Renascença, a Sala Álvaro Moreyra, o Ateliê Livre e a Biblioteca Pública Municipal Josué Guimarães.

Exerceu, também, as seguintes atividades de economista do BRDE; professor da UFRGS e de pós-graduação em outras universidades; assessor do Ministério das Relações Exteriores, em Montevidéu; assessor do Ministério do Planejamento e coordenador técnico da Fundação IPEA, no Rio de Janeiro e em Washington; secretário de Estado de Coordenação e Planejamento e Secretário de Estado Extraordinário do Governo; e diretor-presidente da CEEE. Foi, ainda, deputado estadual, secretário de Estado dos Transportes e Presidente do Conselho Superior da Agência Estadual de Regulação dos Serviços Públicos Delegados do Rio Grande do Sul (AGERGS) e superintendente regional da Companhia Nacional de Abastecimento (CONAB).

Tentou, sem sucesso, voltar à prefeitura da capital gaúcha em 1988. Em 1994 concorreu a senador pela coligação PPR/PFL, não tendo sido eleito.

Em 2000, foi candidato a vice-prefeito na chapa encabeçada por Yeda Crusius, em aliança do PSDB com o PPB e o PSDC, que ficou em terceiro lugar nas eleições, atrás de Tarso Genro e Alceu Collares.[2]

Em 2012, foi eleito vereador em Porto Alegre com 13.574 votos, sendo o terceiro mais votado, atrás de Pedro Ruas e João Derly.[3] Foi primeiro secretário da Câmara Municipal no último ano de mandato, assumindo a presidência da casa legislativa após a 3ª Vara da Fazenda Pública de Porto Alegre determinar o afastamento de Cássio Trogildo, que então ocupava o cargo de presidente, em agosto.[4]

Referências

  1. Brum, Maurício (7 de junho de 2020). «Uma Porto Alegre mais verde». Matinal News. Consultado em 3 de setembro de 2020 
  2. «1º turno». www.tre-rs.jus.br. Consultado em 4 de setembro de 2020 
  3. Povo, Correio do. «Advogado, judoca e economista são vereadores mais votados». Correio do Povo. Consultado em 4 de setembro de 2020 
  4. Guaíba, Vitória Famer / Rádio. «Com afastamento de Trogildo, vereador Socias Villela deve assumir presidência da Câmara da Capital». Correio do Povo. Consultado em 4 de setembro de 2020 

Precedido por
Telmo Thompson Flores
Prefeito de Porto Alegre
1975 — 1983
Sucedido por
João Antônio Dib