Abrir menu principal

Jean Dolabella

Músico brasileiro
Question book.svg
Esta biografia de uma pessoa viva não cita as suas fontes ou referências, o que compromete sua credibilidade (desde fevereiro de 2015).
Ajude a melhorar este artigo providenciando fontes confiáveis e independentes. Material controverso sobre pessoas vivas sem apoio de fontes confiáveis e verificáveis deve ser imediatamente removido, especialmente se for de natureza difamatória.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Jean Dolabella
Dolabella em 2018
Informação geral
Nome completo Jean Turrer Dolabella
Nascimento 14 de maio de 1978 (41 anos)
Local de nascimento Uberaba, Minas Gerais
Brasil
Gênero(s) heavy metal, groove metal, thrash metal, rock experimental, rock alternativo
Ocupação(ões) Músico
Instrumento(s) Bateria, percussão
Outras ocupações Compositor, produtor musical
Gravadora(s) J, Nuclear Blast, SPV, RED Distribution
Afiliação(ões) Sepultura, Udora, Indireto, RockFellas, Ego Kill Talent

Jean Dolabella é baterista, multi-instrumentista, professor e produtor musical[1]. Graduado pela Los Angeles College of Music (2004), fez parte da formação do Udora (1997-2006, ex-Diesel) e integrou o Sepultura (2006-2011). Trabalhou com diversos artistas como Lenine, Milton Nascimento, Ana Carolina, Paul Di'Anno (Iron Maiden) e Mike Patton (Faith No More), além de produtores como Matt Wallace (Faith No More, Maroon 5), Thom Russo (Audioslave, Michael Jackson) e Steve Evetts (The Cure, The Dillinger Escape Plan). Atualmente, além de sócio-fundador do estúdio paulistano Family Mob Studios onde ministra aulas e trabalha com diversos artistas, Jean integra a banda Ego Kill Talent[2].

Vida ProfissionalEditar

Natural de Minas Gerais, Jean iniciou seus passos como músico aos 10 anos de idade e graduou-se na Los Angeles College of Music em 2004 estudando com nomes como Michael Shapiro, Ralph Humphrey, Joe Porcaro e Dave Beyer.

Sua carreira alcançou projeção nacional com o Udora (ex-Diesel), banda mineira que se destacou na cena independente ao tocar no palco principal do Rock in Rio, em 2001. Com o intuito de alçar uma carreira internacional, a banda mudou-se para Los Angeles no fim do mesmo ano[3][4].

Após algumas apresentações, assinaram contrato diretamente com Clive Davis, CEO da J Records (braço da RCA) e a regravação do álbum Diesel foi produzida por Matt Wallace (Faith No More, Maroon 5). Além de realizar turnês dividindo o palco com Jerry Cantrell (Alice in Chains) em mais de 20 estados dos EUA, a banda lançou outro álbum: Liberty Square (2005), produzido independentemente por Thom Russo (Audioslave, System of a Down, Michael Jackson)[5].

Em mais um trabalho com o produtor Matt Wallace, Jean gravou as baterias para quatro faixas do álbum Before I Speak (2005) de Kyle Riabko. As outras faixas foram gravadas pelos bateristas Gregg Bissonette (Steve Vai, Ringo Starr) e Michael Bland (Prince).

Em 2006, Jean se juntou ao Sepultura onde permaneceu até 2011. Com a banda tocou em mais de 500 shows, gravou o álbum A-LEX (2010) e Kairos (2011), produzido por Roy Z (Rob Halford, Bruce Dickinson). O último, considerado o melhor disco depois de Roots (1996), permaneceu em primeiro lugar em College rádios americanas por semanas consecutivas. Retornou ao Rock In Rio após 10 anos para tocar com o Sepultura, dividindo o palco com o grupo de percussão francês Tambour du Bronx e Mike Patton (Faith No More)[6]

No Brasil, Jean também tocou com artistas renomados como Lenine, Pitty, Scarcéus, Supercombo, Milton Nascimento, Jair Rodrigues e Flávio Venturini. Gravou duas faixas do álbum Dois Quartos de Ana Carolina e Hubis I & II, primeiro álbum solo de Andreas Kisser (Sepultura)[7].

Juntou-se ao guitarrista mineiro e amigo Augusto Nogueira (Scarcéus) para formar o Indireto, duo instrumental/experimental. Após lançar o primeiro EP em 2008, seu álbum de estreia (2010) teve a participação de Pitty, Andreas Kisser e Milton Nascimento. Faixas do álbum compuseram a trilha sonora da novela Amor e Revolução e do filme Assalto ao Banco Central, de Marco Paulo. Atualmente, o Indireto trabalha em seu segundo disco.

Ainda em 2008, Jean integrou o Rockfellas, supergrupo dedicado em tocar clássicos do rock. Junto com Paul Di’Anno (Iron Maiden), Canisso (Raimundos) e Marcão (Charlie Brown Jr.), fizeram shows pelo Brasil e América Latina.

Em 2013 fundou com Estevam Romera (Desalmado) o Family Mob Studios, estúdio de gravação profissional localizado no Alto da Lapa, zona oeste de São Paulo. Já passaram pelo estúdio nomes como Coldplay, Steve Jordan, Halsey, Death, Fresno, Marrero, CPM 22, One Republic, Ratos de Porão, Diplo e Skrillex.

O estúdio realizou em 2015 uma parceria com a marca de calçados Converse (All Star) para sediar o projeto global Converse Rubber Tracks no Brasil. A iniciativa visava estimular a produção independente ao proporcionar uma diária de gravação para bandas emergentes. Jean coordenou, produziu e dividiu sua experiência com cerca de 300 bandas gravadas dentro do projeto no estúdio.

Paralelamente à carreira de instrumentista, Jean realiza outras atividades relacionadas à música. Professor de bateria desde 1997, atualmente dá aulas no Family Mob Studios e já escreveu o método de ensino de bateria de uma das maiores escolas de música de Belo Horizonte,MG. Também apresenta o Musica Mob, web série de entrevistas com episódios com Dave Lombardo (Philm, ex-Slayer), Illan Rubin (Nine Inch Nails),Thomas Pridgen (ex-The Mars Volta) e vários outros.

AtualidadeEditar

Atualmente, Jean é multi-instrumentista na banda Ego Kill Talent, formada por Niper Boaventura (ex-Pull down), Jonathan Correa (Reação em Cadeia), Theo van der Loo (ex-Sayowa) e Raphael Miranda (ex-Sayowa). Os primeiros EPs Sublimated (2015) e Still here (2016) e o álbum debut Ego Kill Talent (2017) foram produzidos por Steve Evetts (The Cure, Hatebreed, Symphony X, The Dillinger Escape Plan, Sepultura). A banda já tocou em festivais de expressão como Lollapalooza, Maximus Festival, Rolling Stone Festival, Download Paris e Rock In Rio[8][9].

Jean usa baterias Pearl, pratos Zildjian, peles Evans e baquetas Vic Firth.

DiscografiaEditar

Ligações externasEditar

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre Jean Dolabella:
  Categoria no Commons
  Base de dados no Wikidata
  • Jean Dolabella

Instagram

Facebook

Twitter

  • Ego Kill Talent

Site

Instagram

Facebook

  • Family Mob

Site

Instagram

Facebook


  Este artigo sobre um baterista é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
  1. «Aulas de Bateria em São Paulo com Jean Dolabella». Clube do Baterista. Consultado em 1 de novembro de 2019 
  2. «Jean Dolabella». IZZO MUSICAL. Consultado em 1 de novembro de 2019 
  3. «Diesel comemora sucesso no Rock in Rio - Cultura». Estadão. Consultado em 1 de novembro de 2019 
  4. «Rock in Rio 2001: 20 curiosidades sobre a 3ª edição do festival». whiplash.net. Consultado em 1 de novembro de 2019 
  5. «Jean Dolabella - Artista exclusivo Pearl Drum Brasil». PEARL DRUM BRASIL. Consultado em 1 de novembro de 2019 
  6. «Zildjian® Brasil». www.zildjian.com.br. Consultado em 1 de novembro de 2019 
  7. «Jean Dolabella artista brasileiro que usa Zildjian.». Zildjian. Consultado em 1 de novembro de 2019 
  8. «Crítica: Ego Kill Talent abre último dia mostrando o valor do novo rock nacional». O Globo. 24 de setembro de 2017. Consultado em 1 de novembro de 2019 
  9. Aiex, Tony (1 de março de 2018). «Conversamos com o Ego Kill Talent sobre abrir a turnê do Foo Fighters, Lollapalooza e mais». Tenho Mais Discos Que Amigos!. Consultado em 1 de novembro de 2019