Abrir menu principal

Luís, Conde de Áquila

Luís
Príncipe das Duas Sicílias
Conde de Áquila
Esposa Januária do Brasil
Descendência Luís
Maria Isabel
Filipe
Germana
Manoel
Casa Bourbon-Duas Sicílias
Nome completo
Luís Carlos Maria José
Nascimento 19 de julho de 1824
  Nápoles, Duas Sicílias
Morte 5 de março de 1897 (72 anos)
  Paris, França
Pai Francisco I das Duas Sicílias
Mãe Maria Isabel da Espanha
Religião Catolicismo

Luís Carlos Maria José, Conde de Áquila (Nápoles, 19 de julho de 1824Paris, 5 de março de 1897) foi o segundo filho do rei Francisco I das Duas Sicílias e de sua segunda consorte, Maria Isabel de Bourbon. Era irmão de Teresa Cristina das Duas Sicílias, Imperatriz consorte do Brasil.

CasamentoEditar

 
Luís Carlos das Duas Sicílias em 1825, autor desconhecido.

No dia 28 de abril de 1844, Luís desposou D. Januária Maria de Bragança, a segunda filha de D. Pedro I do Brasil. Eles tiveram quatro filhos. De acordo com o Tratado de Casamento era considerado um membro da família imperial brasileira e detinha o tratamento de Sua Alteza Imperial.

"Art. II. Logo que se verifique o matrimônio, Sua Alteza Real o Príncipe D. Luiz Carlos Maria, Conde d'Aquila, esposo de Sua Alteza Imperial a Princesa Imperial do Brasil D. Januária Maria, será considerado como Príncipe da casa e da Família Imperial do Brasil, e gozará de todos os direitos e prerrogativas que pela Constituição do Império competem a tais Príncipes. Tomará o título de Príncipe Imperial, que atualmente pertence á sua futura Augusta Esposa; quando, porém, Sua Majestade o Imperador tiver descendência, os dois Augustos Esposos tomarão o titulo de Príncipe e Princesa do Brasil, conservando com tudo o Tratamento de Alteza Imperial." [1][2]

Luís tinha dons para pintura de marinhas, e uma de suas obras, Tempestade, que mostra pescadores e seus familiares ajudando vítimas de naufrágios, encontra-se hoje no Museu Imperial.[3]

Referências

  1. Botafogo, A. J. S. (1890). O balanço da dinastia. Rio de Janeiro: Imprenssa Nacional. 131 páginas 
  2. Silva Maya, José Antônio (1846). Apontamentos de legislação para uso dos procuradores da Corôa e Fazenda Nacional. Rio de Janeiro: Typographia Americana de I.P. da Costa. p. 115. 214 páginas. Consultado em 5 de Outubro de 2017 
  3. «Cópia arquivada». Consultado em 10 de dezembro de 2008. Arquivado do original em 25 de outubro de 2008 
  Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.