Disambig grey.svg Nota: Não confundir com Oito Imortais.

Os Oito Grande Oficiais Eminentes (chinês: 八大元老, pinyin: Bā dà yuánlǎo), também abreviado como os Oito Anciões (chinês: 八老, pinyin: Bā lǎo), foram um grupo de anciões membros do Partido Comunista da China que tiveram poder considerável durante os anos 80 e 90. No mundo anglófono eles são chamados de Os Oito Imortais. A designação teve início nos anos 90 e é uma alusão às deidades taoístas conhecidas como os Oito Imortais.[1]

MembrosEditar

Os oito membros são:

Foto Membro
Deng Xiaoping (1904–1997), Líder Político da China (1978–1992), membro do Comitê Permanente do Politburo (1977–1987), Presidente da Conferência Consultiva Política do Povo Chinês (1978–1983), Presidente da Comissão Militar Central (1980–1989), Presidente da Comissão Consultiva Central (1982–1987).
Chen Yun (1905–1995), membro do Comitê Permanente do Politburo (1977–1987), primeiro secretário da Comissão Central para Inspeção Disciplinar (1979–1987), Presidente da Comissão Consultiva Central (1987–1992).
Li Xiannian (1909–1992), membro do Comitê Permanente do Politburo (1977–1987), Presidente da República Popular da China (1983–1988), Presidente da Conferência Consultiva Política do Povo Chinês (1988–1992).
Peng Zhen (1902–1997), Presidente do Congresso Nacional do Povo (1983–1988).
Yang Shangkun (1907–1998), Presidente da República Popular da China (1988–1993), Vice-Presidente da Comissão Militar Central (1982–1992).
Bo Yibo (1908–2007), Vice-Presidente do Comitê Consultivo Central (1982–1992).
Wang Zhen (1908–1993), Vice-Presidente do Comitê Consultivo Central (1985–1992).
Song Renqiong (1909–2005), Vice-Presidente do Comitê Consultivo Central (1985–1992).

Papel na política de "homens fortes"Editar

O sistema do politburo foi criado pelos bolcheviques em 1917, quando Vladimir Lenin o estabeleceu para comandar e controlar a Revolução de Outubro. Foi posteriormente adotado pelos Comunistas chineses. Tanto na China como na Rússia, a "política do homem forte" teve um role de grande importância na tomada de decisões. Ambos os Politburos, sob Josef Stalin e Mao Zedong, foram posteriormente criticados por serem disfuncionais e largamente decorativos, permitindo que os altos líderes ditassem tanto a política do partido como o destino de outros líderes.[carece de fontes?]

Sob Deng Xiaoping, decisões importantes eram frequentemente feitas na casa de Deng com uma bancada de oito quadros seniores do partido, chamados de "Oito Anciões". Deng governou como Líder Político, embora nunca tenha assumido a posição máxima no Partido Comunista da China ou no Estado. De todo modo, Deng foi capaz de remover três líderes do Partido com o apoio dos Oito Anciões: Hua Guofeng foi gradualmente removido dos cargos de Primeiro-Ministro e Presidente do Partido entre 1980 e 1981; Hu Yaobang foi removido em 1987; e Zhao Ziyang foi removido em 1989.[2]

DescendentesEditar

Os descendentes dos Oito Anciões que tem sido beneficiados por conta de sua ascendência constituem um grupo conhecido como os "Príncipes do Partido". Seus membros, crescendo através da hierarquia do partido, se sobrepuseram facilmente qualquer oposição em suas jurisdições, mesmo se fossem atribuídos a uma posição de administração local. Eles são frequentemente vistos como superiores a outros oficiais do partido e possuem grande prestígio em razão de sua linhagem.[2] Em 2012, a empresa Bloomberg informou sobre a extensa riqueza acumulada por esses descendentes através de seus papéis em várias empresas públicas e privadas.[3]

Ver tambémEditar

ReferênciasEditar

  1. Joseph, William A. (2010). Politics in China : an introduction. Oxford: Oxford University Press. ISBN 0195335309. OCLC 423389355 
  2. a b Xiang, Lanxin (Apr 20, 2012). "Bo Xilai probe shows up China's outdated system of government". South China Morning Post
  3. «Heirs of Mao's Comrades Rise as New Capitalist Nobility». Bloomberg. 26 de dezembro de 2012. Consultado em 8 de agosto de 2019 

Ligações externasEditar

NotasEditar