Abrir menu principal

Suely Campos

Ex-Governadora de Roraima
Suely Campos
Suely Campos em 2017.
9.ª Governadora de Roraima
Período 1 de janeiro de 2015
até 10 de dezembro de 2018 [nota 1]
Vice-governador Paulo Quartiero (2015-2018)
Nenhum (jan-dez 2018)
Antecessor Chico Rodrigues
Sucessor Antônio Denarium
Vice-prefeita de Boa Vista
Período 1 de janeiro de 2009
até 1 de janeiro de 2013
Prefeito Iradilson Sampaio
Antecessor Iradilson Sampaio
Sucessor Marcelo Moreira
Deputada Federal por Roraima
Período 1 de fevereiro de 2003
até 1 de fevereiro de 2007
Dados pessoais
Nascimento 14 de maio de 1953 (66 anos)[2]
Amajari, TFRB, Brasil
Alma mater Universidade Federal de Roraima
Cônjuge Neudo Campos
Partido Progressistas
Profissão Empresária
Assinatura Assinatura de Suely Campos

Maria Suely Silva Campos (Amajari, 14 de maio de 1953) é uma empresária e política brasileira filiada ao Partido Progressista (PP). Foi governadora do estado de Roraima. Foi a única mulher eleita para o cargo no pleito de 2014, obtendo 54,85% dos votos.

BiografiaEditar

Graduada em Letras pela Universidade Federal de Roraima, é casada com o político e ex-governador Neudo Campos e mãe de quatro filhos.

Iniciou sua trajetória política em 1997 como secretária do Trabalho e Bem Estar Social do Governo de Roraima, cargo ocupado até o ano de 2002. Entre 2003 e 2006 foi deputada federal pelo Partido da Frente Liberal (PFL) e vice-prefeita da capital Boa Vista no período de 2009 e 2012, na chapa encabeçada por Iradilson Sampaio,[3] já pelo PP, legenda a qual pertence atualmente.

Governadora de RoraimaEditar

Substituiu o marido e candidato Neudo Campos na disputa pelo cargo de governador do Estado de Roraima nas eleições estaduais em 2014.[4] Obteve a primeira colocação no primeiro turno e venceu o pleito no segundo turno contra o governador em exercício Chico Rodrigues.[5]

Na primeira semana no exercício do cargo nomeou dezenove parentes, entre eles suas próprias filhas e irmã, a diversos cargos na estrutura do estado.[6] No entanto, o Tribunal de Contas de Roraima considerou que a decisão da governadora não foi ilegal,[7] entendendo que a natureza das nomeações realizadas não configuraram casos de nepotismo.[8]

Em meados de setembro de 2015, foi instaurada uma Comissão Parlamentar Especial na Assembleia Legislativa para analisar um possível afastamento da governadora, baseado em uma representação por crime de responsabilidade do Ministério Público de Contas (MPC). Entre as denúncias, estão a de que a nomeação de Neudo Campos ao cargo de consultor especial é inconstitucional e configuraria crime de responsabilidade.[9]

Em resposta, o governo afirmou: "O Governo reitera que não foi criado nenhum cargo público através de Decreto e que o ex-governador Neudo Campos assinou Termo de Adesão para atividade de Consultor Especial, sem remuneração e sem vínculo empregatício com o Estado, seguindo os dispositivos da Lei Nacional 9.608/1998. Neudo não recebeu diárias e não fez nenhum pedido de ressarcimento pelas despesas em viagens de interesse do Estado."[9]

Crise migratóriaEditar

Roraima enfrenta em 2018 uma grave crise migratória motivada pela situação política e econômica da Venezuela. Nos últimos três anos, mais de 50 mil venezuelanos chegaram ao estado, o que representa um acréscimo de cerca de 10% da população local.[10]

Por conta do impacto da onda migratória nos serviços públicos estaduais, a governadora ingressou com uma ação no Supremo Tribunal Federal (STF) pedindo ao Governo Federal o fechamento temporário da fronteira com a Venezuela.[11] Na ocasião, a governadora argumentou que “o desequilíbrio social e econômico que essa forte migração está causando em nosso estado não foi previsto em nenhum tratado internacional”. Ela disse ainda que a “excepcionalidade” da situação exigia “atitudes mais rígidas”[12]

Intervenção Federal em RoraimaEditar

Suely esteve no exercício efetivo do cargo de governadora de Roraima até 10 de dezembro de 2018,quando foi afastada por intervenção federal anunciada pelo presidente Michel Temer,[13] o qual anunciu Antonio Denarium como Interventor federal em Roraima.[14]

Notas

  1. Exerceu suas funções, efetivamente, até 10 de dezembro de 2018 quando foi afastada em razão da decretação de intervenção federal no Poder Executivo de Roraima.[1]

Referências

  1. «Entenda a intervenção federal em Roraima». G1. Consultado em 9 de dezembro de 2018 
  2. «Suely Campos 11». Eleições 2014 
  3. «Iradilson Sampaio é reeleito em Boa Vista». Terra. 5 de outubro de 2008 
  4. «Suely Campos (PP) e Chico Rodrigues (PSB) disputam 2º turno em Roraima». UOL. 5 de outubro de 2014 
  5. «Suely Campos, do PP, é eleita governadora de Roraima». G1. 26 de outubro de 2014 
  6. Aliny Gama (7 de janeiro de 2015). «Governadora do RR dá cargos a 19 parentes, que custarão R$ 398 mil por mês». UOL. Consultado em 8 de janeiro de 2015 
  7. «TCE decide que nomeação de parentes de Suely não é ilegal». Folha de Boa Vista 
  8. «TCE dá aval para governadora de RR nomear parentes». Folha de S.Paulo 
  9. a b Marcelo Marques (15 de setembro de 2015). «Deputados de RR podem afastar governadora por nomear marido». G1. Consultado em 24 de dezembro de 2015 
  10. «Crise na Venezuela aumenta imigração ao Brasil e sobrecarrega cidades de Roraima - Internacional - Estadão». Estadão 
  11. «Governo de Roraima pede ao STF para fechar fronteira com a Venezuela e impedir entrada de imigrantes». O Globo. 13 de abril de 2018 
  12. «Roraima pede ao STF fechamento da fronteira com a Venezuela». Agência Brasil. 13 de abril de 2018 
  13. «Temer anuncia intervenção federal em Roraima; interventor será governador eleito». G1. Consultado em 8 de dezembro de 2018 
  14. «Conselhos aprovam intervenção em Roraima, e Temer assina decreto na 2ª feira, diz Etchgoyen». G1. Consultado em 9 de dezembro de 2018 
Precedido por
Chico Rodrigues
Governadora de Roraima
2015 – 2018
Sucedido por
Antônio Denarium