Abrir menu principal
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Banabuiú (desambiguação).
Banabuiú
  Município do Brasil  
Do topo: vista aérea da BR-122 sobre a barragem do Açude Banabuiú e zona urbana da cidade.
Do topo: vista aérea da BR-122 sobre a barragem do Açude Banabuiú e zona urbana da cidade.
Símbolos
Bandeira de Banabuiú
Bandeira
Brasão de armas de Banabuiú
Brasão de armas
[[1]]
Lema Civitatem margin flumin, amico populo
"Civilização de margem do rio, amiga do povo"
Apelido(s) "Mudubim"
"Cidade Carinho"
"Princesa do Sertão"
"Brejo das Borboletas"
Gentílico banabuiuense
Localização
Localização de Banabuiú no Ceará
Localização de Banabuiú no Ceará
Banabuiú está localizado em: Brasil
Banabuiú
Localização de Banabuiú no Brasil
Mapa de Banabuiú
Coordenadas 5° 18' 36" S 38° 55' 15" O
País Brasil
Unidade federativa Ceará
Municípios limítrofes Norte: Quixadá, Leste: Morada Nova, Sul: Jaguaretama e Solonópole, Oeste: Quixeramobim
Distância até a capital 210km (Via Rod, Pe, Cícero BR 122) 225km (Via Rod, Governador Faustino Albuquerque CE 060) 250km (Via Rod, Raimundo Lucas de Brito CE 226) km
História
Fundação 25 de janeiro de 1988 (31 anos)
Emancipação 1988
Aniversário 25 de janeiro
Administração
Distritos
Prefeito(a) Edinho (PDT, 2017 – 2020)
Características geográficas
Área total [1] 1 080,329 km²
População total (estimativa IBGE/2019[2]) 18 197 hab.
Densidade 16,84 hab./km²
Clima Seco
Altitude 166 m
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
CEP 63960-000
Indicadores
IDH (PNUD/2000[3]) 0,629 médio
PIB (IBGE/2016[4]) R$ 141 751 66 mil
PIB per capita (IBGE/2016[4]) R$ 7 889,12
Outras informações
Padroeiro(a) Nossa Senhora de Fátima
banabuiu.ce.gov.br (Prefeitura)

Banabuiú é um município brasileiro do estado do Ceará. É um dos vinte e um municípios pertencentes à Macrorregião do Sertão Central, localiza-se a sul da capital do estado, Fortaleza, distando desta cerca de 210 km. Ocupa uma área de 1 080, 329 km², enquanto sua população foi estimada em 18 197[2] habitantes, conforme dados do IBGE de 2019, contabilizando uma densidade demográfica de 16,03 habitantes./km². A sede do município tem uma temperatura média anual de 27, 2 °C.

Desenvolveu-se com a construção do Açude Arrojado Lisboa na década de 1950[5] pelo Departamento Nacional de Obras Contra a Seca, na zona sul do município, sendo este o quarto maior reservatório de água do Brasil e o terceiro do estado, seguido do Castanhão e Orós, e o maior da sub-bacia hidrográfica do rio Banabuiú, cobrindo uma área de 13.500 km².

Sendo destaque nas exportações, em 2015 foi o 27º município do Ceará e o 15º fora a RM de Fortaleza que mais fez exportações com valores acima de US$ 2,0 milhões. Em relação à frota automobilística, em 2017 foram contabilizados 3.766 veículos.

No turismo, alcançou a marca como um dos destinos mais procurados do estado na época carnavalesca, com o Carnaval das Águas de Banabuiú. No esporte, é palco de diversos eventos esportivos durante todo o ano, atraindo centenas de pessoas de toda a região. No segundo semestre do ano acontece a Feira de Artesanato, Música e Gastronomia do município, Banartes, considerada uma das maiores feiras culturais do interior. O município faz parte do mapa turístico do Ceará.

EtimologiaEditar

O topônimo banabuiú vem do tupi guarani bana (borboleta) e buy ou puyú (brejo), e significa brejo das borboletas.[6] De acordo com Tomás Pompeu de Sousa Brasil, banabuiú significa rio que tem muitas voltas: bana(que torce, volteia), bui(muito, com excesso), e u (água, rio). Sua denominação original era Poço Preto,[7] depois Laranjeira e, desde 1943, Banabuiú.[6]

HistóriaEditar

Localizado no território de várias etnias indígenas como: Potiguara, Paiacu, Tapairiu, Panati, Ariu,[8] este começou a ser colonizados através das entradas do sertão-de-dentro e a expansão da pecuária do Ceará, na época da carne seca e do charque. Laranjeiras, antigo distrito de Quixeramobim, foi o núcleo central do município de Banabuiú, tendo sua autonomia política declarada pela primeira vez no dia 29 de outubro de 1918 com a publicação da Lei nº 1.613. Contudo, laranjeiras voltou à condição de distrito de Quixadá em 1938 com a publicação da Lei Nº 448 de 20 de dezembro de 1938.

A Lei nº 1.114 de 30 de dezembro de 1943, trocou a denominação de Laranjeiras para Banabuiú, mas apenas em 25 de janeiro de 1988 com a Lei nº 11.427, Banabuiú foi elevado em definitivo à categoria de município.

O local onde foi instalado a sede do município nunca tinha sido sede do distrito de Banabuiú, era conhecido como Acampamento Banabuiú, logo se transformou em povoado. Pode-se dizer que a zona urbana do município hoje nunca foi distrito sede de nenhuma cidade do estado anteriormente, em lei. Nasceu em torno da construção do Açude Arrojado Lisboa, obra realizada pelo Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (DNOCS), também conhecido como mudubim, pelo açude que foi inundado pela obra do DNOCS, sendo até 2001 a segunda maior bacia hidrográfica do estado do Ceará e terceira do país, superada pelo Açude Castanhão e Orós, que fazem parte da bacia do Vale do Jaguaribe, no qual abastecem a capital do estado, Fortaleza.

PolíticaEditar

A administração do município é feita a partir dos poderes executivo e legislativo. O primeiro prefeito da cidade foi eleito no ano de 1988, Benedito Gonçalves de Melo, médico e o vice, Aluísio Cajazeiras de Sá, agricultor.

Nome Nascimento
1 1989 - 1992: Benedito Gonçalves de Melo ✩ 1947 † 1997
2 1993 - 1996: Aluísio Cajazeiras de Sá ✩ 1931
3 1997 - 1997: Benedito Gonçalves de Melo ✩ 1947 † 1997
4 1997 - 2000: Isabel Maria Queiroz de Freitas
5 2001 - 2008: Antônio Sales Magalhães ✩ 1931 † 2015
6 2009 - 2016: Veridiano Pereira de Sales ✩ 1951
7 2017 - 2020: Francisco Hermes Nobre ✩ 1956

GeografiaEditar

SubdivisãoEditar

 
  Sitiá
  Pedras Brancas
  Laranjeiras
  Banabuiú (sede)
  Rinaré

Bairros e distritosEditar

Banabuiú (sede)Editar

Alto Alegre, Balneário Banabuiú, Centro, Conjunto Esperança, Vila Brasília, Vila Operária e Vila dos Marianos.

O município possui cinco distritos: Banabuiú (sede), Laranjeiras, Pedras Brancas, Rinaré e Barra do Sitiá.

ClimaEditar

Tropical quente semi-árido com pluviometria média de 782,9 mm[9] com chuvas concentradas de janeiro a abril[10].

Hidrografia e recursos hídricosEditar

O município está localizado na bacia hidrográfica do rio Banabuiú e em seu leito está construído o Açude Arrojado Lisboa, ou Banabuiú, como é mais conhecido. Outro importante rio é o Sitiá que deságua no Banabuiú no distrito de Sitiá e que no território de Banabuiú fica a parede do Açude Pedras Brancas. Outras fontes hídricas são os riachos Cruxoti e Pimenta.

Banabuiú (município) encontra-se na sub-bacia hidrográfica de mesmo nome, pertencendo a bacia do Jaguaribe, sendo portanto um grande acumulador de água através dos cursos d'água que chegam ao seu rio principal, "Banabuiú".

Relevo e solosEditar

As principais elevações são as serras, destacando-se as serras da Passagem, do Logrador e dos Tanquinhos.

Solos arenosos e coesivos no estuário do rio, mas em geral arenos como solos predominantes.

VegetaçãoEditar

A caatinga é a vegetação predominante. Mas podemos encontrar áreas de cajueiros e carnaúbas, em especial ao longo do rio.

RodoviasEditar

 
Rodovia Raimundo Lucas de Brito (CE-266/CE-368). Trecho entre o entrocamento da Rodovia Padre Cícero (BR-122/CE-153) no sul do município de Banabuiú e CE-371 no distrito de Roldão em Morada Nova.

LigaçõesEditar

Rodovia Raimundo Lucas Brito (CE-266/CE-368) ligas os municípios de Banabuiú e Morada Nova pelo entrocamento da Rodovia Padre Cícero (BR-122/CE-153) no sul do município ao entrocamento da CE-371 em Roldão (Morada Nova), em um trecho de 52km.

Rodovia Padre Cícero (BR-122/CE-153) liga o município de Banabuiú a Quixadá e Quixeramobim pelo entrocamento da BR-122/CE-265 entre Quixeramobim e Quixadá em um trecho de 40km. Seguindo 10km a leste até o município de Quixadá pela BR-122 e 27km oeste ao município de Quixeramobim pela CE-265. Totaliza 50km à cidade de Quixadá e 67km à cidade de Quixeramobim.

Rodovia Padre Cícero (BR-122/CE-153) liga o município de Banabuiú à Solonópole em um trecho de 50km.

EconomiaEditar

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o município possui um PIB de R$141 751 66 mil (IBGE/2016).. A criação de bovino, avícola e suíno é o destaque da pecuária banabuiuense. Destaca-se a agricultura de subsistência e comercialização de algodão arbóreo e herbáceo (bem menos), caju, milho e feijão. Atualmente destaca-se a plantação de hortas no estuário do rio Banabuiú.


Com relação à economia e de acordo com estatísticas do cadastro central de empresas do IBGE, no ano de 2016 o município contava com 169 empresas atuantes registradas no CNPJ. A principal fonte de renda na zona rural é a agricultura, a pesca e a pecuária e na sede, a principal fonte de renda é o comércio e os empregos ofertados pelo setor industrial do município, além dos empregos ofertados pelo governo municipal.

De acordo com o IBGE, em 2016 a média salarial mensal do município era de 1,8 salários mínimos.

CulturaEditar

Os principais eventos são:

BanartesEditar

A Feira de Artesanato, Música e Gastronomia do município surgiu em 1988, no ano de emancipação do município. Com o objetivo de de dar maior destaque à cultura local, o projeto exalta o trabalho das comunidades através da exposição e venda dos produtos por elas confeccionados, busca ampliar sua atuação para assumir um viés de geração de negócios e a cada ano diversifica suas ações estimulando apresentações culturais, gerando aprendizado, dinamizando a economia local, envolvendo e beneficiando a comunidade.

A programação da Banartes é composta de: Feira de Exposição de Artesanato e Gastronomia, Premiação de destaques da Feira e dos Festivais como o da canção, da viola e da sanfona, Oficinas artísticas para o público infantil, serviços de utilidade, pública e apresentações musicais durante os dias do evento

O evento é realizado pelo Governo Municipal de Banabuiú juntamente com a população e a Secretaria de Turismo e Cultura, com programação distribuída nos espaços da cidade com atividades distintas e aberta ao público de toda a região totalmente gratuito. Em 2018 aconteceu a 27ª (vigésima sétima) edição.

Referências

  1. IBGE (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  2. a b «Estimativa populacional 2019 IBGE». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 28 de agosto de 2019. Consultado em 28 de novembro de 2019 
  3. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  4. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 1999-2016». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 19 de março de 2019 
  5. http://www.dnocs.gov.br/barragens/banabuiu/banabuiu.htm
  6. a b http://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/dtbs/ceara/banabuiu.pdf
  7. http://objdigital.bn.br/acervo_digital/div_cartografia/cart249778.jpg
  8. Sebok. Lou, Atlases published in the Netherlands in the rare atlas collection. Compiled and edited by Lou Seboek. National Map Collection (Canada), Ottawa. 1974
  9. «Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos». FUNCEME 
  10. Instituto nacional de Pesquisa espacial - INPE.

Ligações externasEditar