Abrir menu principal

Bebedouro (São Paulo)

município brasileiro do estado de São Paulo
Bebedouro
  Município do Brasil  
Entardecer visto da região central de Bebedouro
Entardecer visto da região central de Bebedouro
Símbolos
Bandeira de Bebedouro
Bandeira
Brasão de armas de Bebedouro
Brasão de armas
Hino
Apelido(s) "Cidade Coração"
Gentílico bebedourense
Localização
Localização de Bebedouro em São Paulo
Localização de Bebedouro em São Paulo
Bebedouro está localizado em: Brasil
Bebedouro
Localização de Bebedouro no Brasil
Mapa de Bebedouro
Coordenadas 20° 56' 56" S 48° 28' 44" O
País Brasil
Unidade federativa São Paulo
Municípios limítrofes Colina, Terra Roxa, Viradouro, Pitangueiras, Taquaral, Taiuva, Taiaçu, Pirangi, e Monte Azul Paulista
Distância até a capital 379 km
História
Fundação 3 de maio de 1884 (135 anos)
Aniversário 3 de maio
Administração
Prefeito(a) Fernando Galvão Moura (DEM, 2017 – 2020)
Características geográficas
Área total [1] 682,511 km²
População total (Estimativa IBGE/2019[2]) 77,496 hab.
 • Posição SP: 96º
Densidade 0,11 hab./km²
Clima Tropical com estação seca (Aw)
Altitude 573 m
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
Indicadores
IDH (PNUD/2013[3]) 0,780 alto
 • Posição SP: 66°
PIB (IBGE/2018[4]) R$ 2 748 338,325 mil
PIB per capita (IBGE/2016[4]) R$ 41 444,67

Bebedouro é um município brasileiro do estado de São Paulo. Localiza-se a uma latitude 20º56'58" Sul e a uma longitude 48º28'45" Oeste, estando a uma altitude de 573 metros. Situada na região Norte do estado de São Paulo, faz parte da microrregião da Serra de Jaboticabal e da mesorregião de Ribeirão Preto. O município é formado pela sede e pelos distritos de Botafogo e Turvínia[5][6].

Bebedouro limita-se com os seguintes municípios: ao norte Colina; ao sul, Pirangi, Taiuva, Taiaçu, Paraíso e Taquaral; a leste, Pitangueiras, Viradouro e Terra Roxa, e ao Oeste, Monte Azul Paulista. Em 2014 a cidade de Bebedouro ficou em 30º lugar no ranking de desenvolvimento do Brasil e 24º no Estado de São Paulo, segundo o Índice Firjan de Desenvolvimento Municipal (IFDM).

HistóriaEditar

A origem do nome do município é devido a um córrego chamado "Bebedor", que, no século XIX, era pousada para tropeiros e peões de boiadeiro.

Outra possível origem, ouvida de antigos moradores, é a de que o "bebedouro" era um ponto de caça, onde os caçadores esperavam pela caça, geralmente capivaras. Conta ainda, que durante a travessia dos animais, de um lado a outro do córrego, sabiam onde deviam atirar pois os mosquitos sobrevoavam o local onde o animal caçado nadava sob a água.

Com a doação de terra ao patrimônio, em homenagem a São João Batista, por Francisco Inácio Pereira e Joaquim José de Lima (além de outros nomes, tais como: João Francisco da Silva, José Francisco Pimenta, Antônio Gonçalves Valim, Rogério Alves de Toledo, Antônio Luiz dos Reis França, Ana Cezária Pimenta, Francisco Bonifácio de Souza Guerra, e Francisco Valente) nasce a Vila de São Sebastião do Bebedor, mais tarde, São João Batista da Bela Vista de Bebedor. A gleba de terras pertencia ao jaboticabalense Corrêa Mesquita, e foi paga com três prestações de porcos (devido à escassez de moeda na época). A última prestação foi paga com um cavalo de cela arriado. A doação da terra ao patrimônio foi lavrada em cartório no dia 3 de maio de 1884, dia que é considerado a data de fundação da cidade.

O povoado, pertencente inicialmente a Jaboticabal, cresceu e em 27 de agosto 1886 cria-se o primeiro distrito policial da vila, que passa a ser chamada de "Vila de São João Batista de Bebedouro", a partir de um ato do governador provincial na época, o Barão de Parnaíba. Em 6 de setembro de 1892, foi elevada a distrito de paz, pela lei Estadual número 87, passando a então se chamar Bebedouro. A partir de 6 de maio de 1893, passou a pertencer oficialmente ao município de Pitangueiras. Emancipou-se em 19 de julho de 1894, pela lei número 298, e através da lei número 487, datada 29 de dezembro de 1896, foi elevada à comarca, a qual foi instalada em 11 de março de 1896. Em 11 de março de 1889 foi elevada à município.

Em 30 de novembro de 1903, Bebedouro incorporou o distrito de Monte Azul Paulista, em 31 de agosto de 1922 os distritos de Botafogo, e Turvínia (ou Turvínea). Em 22 de dezembro de 1914, Monte Azul se desmembrou de Bebedouro, e em 30 de novembro de 1938 o distrito de Turvínea foi extinto e recriado novamente em 30 de novembro de 1944.

Um fator que alavancou o crescimento de Bebedouro foi a inauguração da estação ferroviária da Paulista em 1902 como ponto final da linha tronco rioclarense, juntamente com a estação Andes (hoje um povoado urbanizado do município) e Mandembo. Em 1909 a linha foi estendida até Barretos. Em 1916, inaugura-se a estação Areias ou Areia (também conhecida como Santa Irente), hoje demolida.

No ano de 1912, a Companhia São Paulo-Goiás (São Paulo-Goiaz, na época) criou a linha Bebedouro-Olímpia, passando por Botafogo, Miragem de São Paulo, Atalia, Rosário e Dona Luiza. Tal linha foi estendida em 1916 até Viradouro, tornando Bebedouro um entroncamento ferroviário. O trecho entre Passagem e Bebedouro foi comprado pela Companhia Paulista em 1927, que alargou a bitola e criou duas linhas entre Rincão e Barretos: a primeira passando por Jaboticabal (extinta em 1966), e a segunda passando por Guatapará (que funciona até hoje, mas como linha cargueira). O ramal até Nova Granada (passando por Olímpia) foi extinta em 1969.

Hoje, a antiga estação da FEPASA é um museu: Museu dos Ferroviários, inaugurado em 2004, funcionando como um memorial.

Durante as primeiras décadas do município de Bebedouro, um engenheiro da Companhia Ferroviária São Paulo-Goiaz, Oscar Werneck, constrói o coreto da Praça Barão do Rio Branco assim como as torres de iluminação do estádio da Associação Atlética Internacional, o primeiro estádio que recebeu iluminação no interior paulista. No ano de 1912, é construído o prédio da prefeitura municipal em frente à praça Valêncio de Barros, também conhecida até hoje como Jardim Misterioso, por ter abrigado no passado um cemitério. Logo, construiu-se também o prédio da Cadeia, na esquina das ruas Campos Salles e São João.

Economicamente, o município vive no início do século XX da lavoura do café. Após a crise de 1929, a laranja substitui o café. O município chegou a ser o maior produtor mundial de laranja. Hoje, produz também cana-de-açúcar em grande escala.

Na década de 1970, com o apogeu do ciclo da laranja, e com a instalação de indústrias de suco, o município experimentou um rápido crescimento populacional, passando de 30 mil habitantes a 70 mil habitantes em cerca de 20 anos.[carece de fontes?]

Com o fim do ciclo da laranja, em meados da década de 1990, o município passa por um crescimento mais lento, atribuído, sobretudo, à melhora do setor de comércio e serviços. Hoje, a população do município é entre 75 - 80 mil habitantes.[carece de fontes?]

O município ostenta o título de "Cidade Coração", recebido de Jaboticabal em homenagem ao antigo distrito (devido à restituição de um busto de bronze do jornalista jaboticabalense Jocelym de Godoy, que, retirado da Praça Nove de Julho - na época praça Conrado Caldeira - foi enviado a Jaboticabal), e "Capital da Laranja", devido o fato do cultivo dessa fruta ter alavancado o desenvolvimento do município no passado.

Hoje (2008), o município está num entroncamento rodoviário, onde três importantes rodovias passam pelo município. Uma delas, faz parte da ligação São Paulo - Goiânia.

Formação AdministrativaEditar

A história de Bebedouro não é tão simples quanto seu povo é bom e laborioso.

Nasceu a cidade à beira de um córrego conhecido por "Bebedor", cuja água era procurada por tropeiros e boiadeiros, animais fatigados por longas caminhadas através do sertão. Utilizado para pouso de tropas e boiadas, ganhou o lugar a denominação de "Bebedor" e depois "Bebedouro".

Os primeiros ocupantes da terra adquiriram de um senhor Correa Mesquita, residente em Jaboticabal, uma gleba que servisse de patrimônio à povoação, cujo pagamento deveria ser feito em três prestações de porcos, devido a escassez, no local, de moeda corrente. Foi então que o patrimônio doado a São João Batista passou a ser o padroeiro do lugar.

Antes do término do século XIX, Bebedouro já apresentava favoráveis aspectos de progresso, com a formação de lavouras de café, que se tornariam mais tarde na maior riqueza do município.

O café, todavia, entrou em tremenda crise por volta de 1929/1930, e as lavouras foram aos poucos sendo abandonadas. Os bebedourenses, porém, não desanimaram e, alguns anos depois, deram início ao plantio de laranjeiras, tornando-se por muitos anos um dos maiores produtores do mundo.

Também ganhou Bebedouro há tempo - a cognominação de "Cidade Coração", por ter, em ocasião de divergência política no vizinho município de Jaboticabal dado agasalho numa de suas praças públicas (9 de Julho, naquele tempo, Conrado Caldeira), à herma de Jocelym de Godoy, democrata e jornalista jaboticabalense. Até que, cessados os motivos da permanência ali, o busto de bronze foi restituído ao povo daquela cidade sem nenhuma relutância. Além desse fato, deu também a origem ao cognome o espírito filantrópico do povo bebedourense, que tem levado a efeito notáveis campanhas beneficentes.

A data oficial da fundação de Bebedouro é 3 de maio de 1884, de acordo com a Lei Municipal nº 57, de 27 de abril de 1949, por ser o dia em que se lavrou a escritura de doação da primeira parte do atual patrimônio urbano.

O Distrito Policial foi criado - por decreto de 27 de agosto de 1886. Por Lei Estadual nº 87, de 6 de setembro de 1892, elevou-se a Distrito de Paz, e, a Município, pela Lei Estadual nº 34, de 11 de março de 1899. A Lei nº 487, de 29 de dezembro de 1896, elevou Bebedouro a Comarca, cuja instalação, entretanto, só se verificou a 5 de abril de 1897. A elevação a cidade deu-se por lei Municipal nº 34, de 11 de março de 1889.

Fonte: Prefeitura municipal de Bebedouros-SP

Mais Historia

A região, compreendida entre os rios Pardo e Turvo, em 1885, era sítio de pousada dos tropeiros e boiadeiros que demandavam o sertão para Jaboticabal. Num córrego existente, conhecido por Bebedouro, os animais saciavam a sede. O nome passou a pertencer ao povoado nascente.

Os fundadores da localidade, Joaquim José de Lima., Antônio Gonçalves Valim, Rogério Alves de Toledo, Padre Antônio Luiz dos Reis França, a família Pimenta, entre outros, adquiriram do Jaboticabalense Corrêa e Mesquita uma gleba de terras, cujo pagamento ocorreu em três cotas de suínos, devido à escassez de moeda.

O patrimônio adquirido foi doado a São João Batista do Bebedouro, seu Padroeiro, em 3 de maio de 1884, e os povoadores passaram a se concentrar na área, dando início ao povoado.

Com o incremento da lavoura e do comércio, o núcleo se desenvolveu e, em 1886, foi criado o Distrito Policial.

O Distrito de Paz surgiu em 1892, no Município de Jaboticabal. Dois anos depois Bebedouro alcançou sua emancipação.

O Município povoou-se rapidamente e, em 1901, os trilhos da Companhia Paulista de Estrada de Ferro - hoje FEPASA -, puseram Bebedouro em comunicação com a Capital.

FORMAÇÃO ADMINISTRATIVA

Distrito criado com a denominação de Bebedouro, por Lei Estadual nº 87, de 6 de setembro de 1892, no Município de Jaboticabal.

Elevado à categoria de vila com a denominação de Bebedouro, por Lei Estadual nº 293, de 19 de julho de 1894, desmembrado de Jaboticabal. Constituído do Distrito Sede. Sua instalação verificou-se no dia 9 de novembro de 1894.

A Sede do município foi elevada à categoria de Cidade, por força da Lei Municipal nº 34, de 11 de março de 1899.

Lei Estadual no 898, de 30 de novembro de 1903, cria o Distrito de Monte Azul, no Município de Bebedouro.

Segundo a divisão administrativa referente ao ano de 1911, Bebedouro se compõe de 2 Distritos: Bebedouro e Monte Azul.

Lei estadual no 1443, de 22 de dezembro de 1914, desmembra do Município de Bebedouro o Distrito de Monte Azul.

Lei Estadual no 1864, de 31 de agosto de 1922, cria o Distrito de Turvína e incorpora ao Município de Bebedouro.

Lei Estadual no 1865, de 31 de agosto de 1922, cria o Distrito de Botafogo e incorpora ao Município de Bebedouro.

Na divisão administrativa referente ao ano de 1933, o município é composto de 3 Distritos: Bebedouro, Botafogo e Turvínia.

Em divisões territoriais datadas de 31-XII-1936 e 31-XII-1937, bem como no quadro anexo ao Decreto-lei Estadual nº 9073, de 31 de março de 1938, citado Município Figura com 3 Distritos: Bebedouro, Botafogo e Turvínia.

Decreto-lei Estadual no 9775, de 30 de novembro de 1938 (extingui o Distrito de Turvínia).

De acordo com o quadro fixado pelo Decreto Estadual nº 9775, de 30 de novembro de 1938, para vigorar no quinquênio 1939-1943, o Município de Bebedouro se compõe de 2 Distritos: Bebedouro e Botafogo.

Pelo Decreto-lei Estadual nº 14334, de 30 de novembro de 1944, que fixou o quadro da divisão territorial administrativo-judiciária do Estado de São Paulo, vigente em 1945-1948, Bebedouro perdeu parte do território do Distrito Sede para construir o novo Distrito de Turvínia, do mesmo município. Assim, por efeito do citado Decreto, o município é Constituído de 3 Distritos: Bebedouro, Botafogo e Turvínia.

Em divisão territorial datada de 01-VII-1960, o município é constituído de 3 Distritos: Bebedouro, Botafogo e Turvínia.

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 15-VII-1999.

EconomiaEditar

Bebedouro possui atualmente um índice de desenvolvimento humano (IDH) alto, * apresentando também uma alta renda per capita de R$ 39.112 em 2007 segundo o IBGE, devido principalmente ao seu parque industrial, no qual se destacam indústrias de suco de laranja, de óleos vegetais, de fertilizantes, carrocerias e confecções. Bebedouro possui 1.596 Empresas, 126 Indústrias, 1.144 no comércio, 16 Agências Bancarias e 10 Empresas de Hospedagem. Bebedouro é privilegiado pela sua localização estratégica e com uma estrutura desenvolvida.

Como atuação destacada para a citricultura, sobretudo nas décadas de 1970 e 1980, Bebedouro tornou-se conhecida internacionalmente como a "Califórnia Brasileira". Atualmente (2012), Bebedouro apresenta uma economia focada em serviços e comércio.

LazerEditar

 
Bebedouro vista do Museu Eduardo Andre Matarazzo.

1 Estação Ecológica

3 Parques municipais

47 Praças arborizadas

1 Sambódromo

Destaque para o  Parque Centenário conhecido também como "Região do Lago" com quadras poliesportivas, campos de futebol, kartódromo, pista de "skate", calçadão para caminhada, equipamentos para exercícios físicos.

A cidade também possui um Shopping Center, com um mix variado de lojas, hipermercado, cinema, hotel,restaurantes e agência bancária.

CulturaEditar

 
Antiga Estação Ferroviária, atual Estação Cultura.
  • 1 Biblioteca Municipal
  • 1 Teatro Municipal - Maurício Alves de Oliveira
  • 3 Museus:  Ferroviários, Estação cultura e do automóvel

Esse último, conhecido também como "Museu Matarazzo ou Museu de Bebedouro" (oficialmente: Museu de Armas, Veículos e Máquinas Eduardo Andrea Matarazzo), possui um grande acervo de automóveis, aviões, locomotivas, tanques de guerra e armas antigas.

Uma importante peça do museu é o avião que trouxe a Seleção Brasileira, bicampeã na Copa do Mundo de 1958, de volta da Suécia. Além de aviões que são únicas peças no mundo todo, este museu está sendo mantido pela Prefeitura Municipal de Bebedouro, porem ainda precisa de muitos reparos e restauração de suas peças principalmente os aviões.

SaúdeEditar

1 Hospital Municipal - Pronto Socorro

1 Hospital Municipal Infantil

1 Unidade de Pronto Atendimento - UPA

2 Hospitais particulares - Unimed

1 Hospital de Olhos

13 Postos de Saúde

6 Unidades Básicas de Saúde - UBS

1 Laboratório municipal de análises e clinicas

1 Ambulatório de Especialidaes

1 Hemocentro

1 Centro de combate ao câncer - Fundação Abílio Alves Marques

Seguem as obras do Hospital Regional de Bebedouro, que apresenta-se com 32% de execução, segundo informações da Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo. Estão sendo investidos R$ 34,2 milhões na construção do hospital, cuja unidade será de urgência e emergência, de referência, para atendimento a casos de média complexidade. A previsão é que as obras sejam concluídas no primeiro semestre de 2018.

O prédio de cinco andares terá área total de 17 mil metros quadrados e 122 leitos, sendo 20 deles de UTI, além de anfiteatro, capela ecumênica, maternidade, farmácia e Centro de Diagnóstico, com equipamentos como ressonância magnética, ultrassonografia, radiografia, endoscopia, colonoscopia, cujos investimentos devem totalizar R$ 100 milhões.

EducaçãoEditar

8 Escolas municipais de ensino fundamental

7 Escolas estaduais de ensino fundamental

6 Escolas estaduais de ensino Médio

4 Escolas municipais de ensino infantil

16 Escolas Particulares de Ensino fundamental e Médio

4 Escolas particulares de ensino infantil

6 Centros de ensino supletivo

13 creches municipais

1 Unidade do Senac

1 Universidade - Unifafibe

1 Faculdade Estadual - Fatec

1 Escola Técnica Estadual - Etec

1 Faculdade - Imesb

ReligiãoEditar

 
Testemunhas de Jeová pregando em Bebedouro-SP.

Possui diversos centros religiosos, incluindo Testemunhas de Jeová, católicos, evangélicos, espíritas e outros.

A Igreja Católica divide o município em 8 paróquias (São João Batista, Nossa Senhora Aparecida, Sagrado Coração de Jesus, Santo Antônio de Sant'ana Galvão, Santo Inácio de Loyola, São Judas Tadeu, São Pedro Claver e Nossa Senhora Aparecida de Botafogo).

Geografia e TransporteEditar

Possui uma área de 682,511 km².

Bebedouro limita-se ao norte com Colina; ao leste com Terra Roxa, Viradouro e Pitangueiras, ao sul com Taquaral, Taiúva, Taiaçu, e Pirangi, e ao oeste com Monte Azul Paulista.

O município possui, além do distrito sede, dois distritos: Botafogo (cerca de 1000 habitantes) e Turvínia* (cerca de 500 habitantes), além de dois pequenos povoados: um de natureza urbana, Povoado de Andes** (cerca de 300 habitantes), e outro de natureza rural, Povoado de Areias (menos de 100 habitantes).

O município está entre duas sub-bacias hidrográficas: a do rio Turvo e a do Pardo/Moji-Guaçu. A sede do município (cidade) é cortada por pequenos córregos: Bebedouro, Consulta e Parati. O Consulta ao passar pelo centro da cidade, transforma-se num grande lago artificial, com dois quilômetros de comprimento e largura que varia entre 50 (funil da Ponte da avenida Donina Valadão Furquim) e 300 metros.

O Bebedouro nasce próximo ao Horto Municipal, corta-o, passa pelo Parque Sinésio Junqueira Franco, onde se encontra com o Consulta e passa a dividir a região central da Zona Leste da cidade. O Parati corta parte da Zona Norte da cidade e vem apresentando problemas de assoreamento.

O município tem altura entre 550-600m, localizado no Vale do Rio Grande, na região do Planalto Paulista. Desde 2005, o Povoado de Andes, na zona rural de Bebedouro, vem sofrendo sismos de 2-3 graus de magnitude, o que tem origem em fraturas do basalto da Serra Geral, o que se agrava com a extração de água de poços de água subterrânea.

Transporte Urbano e MobilidadeEditar

O sistema viário Bebedouro consta com avenidas radiais conectadas por um subsistema com avenidas em anel viário. Possui ciclovias de lazer que operam nos finais de semana nas avenidas que circundam as áreas de lazer na região central da cidade (conhecida como "Região do Lago"). No centro da cidade, há um calçadão na rua principal do comércio da cidade (Rua Coronel João Manoel), que por quatro quarteirões possui o passeio para pedestres mais largo que a média das vias nessa região, deixando uma pequena viela para automóveis.

Quanto ao transporte urbano coletivo, possui 9 linhas de ônibus urbanos (serviço prestado pela Viação Guarulhos), que perfazem um linha especial radial (510 Cláudia /Centro, que atua em horários de pico), e dois conjuntos de linhas diametrais que somam mais 8 linhas regulares. O primeiro conjunto de linhas (110, 120, 210, 220) atua no eixo norte-sul (Cláudia/Paulista) cujo percurso completo demora 2 horas proporcionando uma frequência média de 30 min do centro para cada destino (Cláudia ou Paulista) em horário comercial. As linhas do eixo norte-sul possuem variações passando ou não pelo Shopping, e atingindo ou não o Jd. São Carlos, na zona sul, ou o bairro Jd. do Bosque, na zona norte. As linhas também se alternam quanto ao itinerário no sentido centro-zona norte (se um linha atinge primeiro o Residencial Pedro Paschoal e volta pelo Menino Deus, a linha seguinte atinge primeiro o Menino Deus e volta pelo Residencial Pedro Paschoal, complementarmente). O segundo conjunto de linhas (310, 320, 330 e 410) atua no eixo leste-oeste, com destinos finais Centenário ou Residencial (via Alto da Boa Vista) na ponta leste, e Alvorada ou Elizabeth na ponta oeste percorrendo um percurso que demora 80 minutos, fazendo com que cada destino tenha uma frequência média em horários comerciais de 40 minutos. As linhas do eixo leste-oeste possuem variações passando ou não pelo Três Marias (linha 410) ou Jardim Canadá. Todas as 8 linhas regulares passam no Terminal Rodoviário Intermunicipal localizado na região centro-oeste. As linhas não possuem integração tarifária, e a integração física entre as linhas se dá por paradas de ônibus distribuídas ao longo do centro da cidade, ou a partir de eixos comuns das linhas (Rodoviária, Poupatempo, Shopping ou Hospital Júlia Pinto). A Praça Barão do Rio Branco no centro da cidade, possui uma parada especial denominada "Terminal Urbano" que concentra as linhas com destino aos bairros Paulista, Cláudia, Alvorada e Centenário. Para destino aos bairros Três Marias e Residencial as paradas se localizam em outros lugares do centro, não havendo, portanto, um real terminal (ou parada integrada) no centro onde se concentram todas as linhas da cidade.

Possui 1 aeroporto asfaltado sem voos comerciais (o aeroporto mais próximo é o de Ribeirão Preto, a aproximadamente 80 km), e um terminal rodoviário, localizado a 2 km do centro da cidade, de onde saem ônibus suburbanos para cidades da microrregião de Bebedouro (Terra Roxa, Viradouro, Pitangueiras, Taquaral, Taiuva, Pirangi), e da macrorregião (Catanduva, Palmares Paulista, Sertãozinho), e para os centros urbanos do município fora da sede (distrito de Botafogo e povoado de Andes). Também operam nessa rodoviária, ônibus rodoviários para várias cidades do estado e do Brasil, com razoável frequência para Barretos, Ribeirão Preto, São José do Rio Preto, Olímpia, Jaboticabal, Matão, Araraquara, Campinas e São Paulo.

RodoviasEditar

Há três principais rodovias. A Rodovia Brigadeiro Faria Lima, é o principal acesso para a capital paulista.

A Rodovia Comendador Pedro Monteleone dá acesso ao município de Catanduva e à Rodovia Washington Luiz, para a chegada até São José do Rio Preto.

Já a Rodovia Armando de Salles Oliveira, interliga Bebedouro a Sertãozinho e a Ribeirão Preto.

AeroportosEditar

 
Planador no Aeroclube.

O aeroporto de Bebedouro foi fundado em 1988, e conta com um ativo Aeroclube de Planadores que sempre serviu de base de apoio para a realização de todos os campeonatos. O Aeroclube de Bebedouro é um dos mais movimentados aeroclubes do estado de São Paulo, e neste momento está formando pilotos através do projeto “Voa São Paulo II”.

Sediando campeonatos, servindo de base para voos de recordes e ativo na instrução primária, o Aeroclube de Bebedouro tem sido o local onde mais se voa de planador nos últimos anos no Brasil. Com isso, a cidade ficou em primeiro lugar no Brasil e segundo na América do Sul e sediará em outubro de 2018 o Campeonato Sudeste e Nacional da FBVV do Voo a Vela.

Bairros e ZoneamentoEditar

 
Movimentação no centro de Bebedouro em um dia útil.

A área urbana de Bebedouro se divide em cinco áreas a saber:

  • Zona Central (dentro do anel viário)

Centro, Vila Paula, Jardim São Sebastião, Novo Lar, Jardim Nossa Senhora Aparecida, Monte Castelo (Vila Comerciária), São Conrado, Jardim Paraíso, Jardim Ciranda, Vila Maria, Jardim Luciana, Jardim do Sonho, Jardim Olga, Vila Julieta, Jardim São João, São Benedito (parte do Centro, não é um bairro oficial), Região do Lago (parte do Centro, não é um bairro oficial), Vila Industrial

  • Zona Norte, popularmente conhecida como "Extremo Norte" (após a rodovia Armando de Salles Oliveira, e a oeste dos antigos trilhos da FEPASA).

Jardim Cláudia I, Jardim Cláudia II, Jardim Menino Deus I, Jardim Menino Deus II, Jardim Aeroporto, Vila Santa Terezinha, Jardim do Bosque, Parati I, Parati II, Parati III, Chácaras Parati, Expansão Industrial, Rassim Dib, Jardim São Fernando, Jardim Vale do Sol, Pedro Paschoal, Jardim Primavera, Residencial Moriá e Residencial Cidade Coração.

  • Zona Oeste (após a Av. Pedro Paschoal e antes da Rodovia Armando de Salles Oliveira). A região entre a av. Pedro Paschoal e a Rodovia Pedro Monteleone é subsetoriada como "centro oeste".

Jardim Alvorada, Jardim São Lourenço, Jardim Califórnia, Parque Eldorado, Jardim Canadá, Jardim Júlia, Jardim Marajá, Vila Elizabeth, Jardim Progresso, Vila Lourdes, Jardim Sânderson, Jardim Casagrande (parte deste é conhecido como Conjunto Primavera), Vila Cruzeiro, Jardim Talarico, Jardim Esplanada, Jardim Lima, Distrito Industrial III.

  • Zona Sul (após o Lago, córrego da Consulta e Córrego do Banco)

Vila Major Cícero de Carvalho (Vila São José), Jardim Recanto, Jardim Três Marias, Jardim Estoril, Vila Paulista, Residencial Furquim, Residencial Franciscano, Jardim São Francisco, Jardim São Carlos, Residencial Santo Antônio, Bom Retiro, Jardim Tropical I, Jardim Tropical II, União I (Multirão), União II (Multirão).

  • Zona Leste (após os trilhos da antiga FEPASA). A região a norte da rodovia Armando de Sales Oliveira é subsetoriada como "nordeste".

Hércules Hortal, Residencial Candinho (Jardim São Paulo), Centenário, Pedro Maia, Santaella, Alto do Sumaré, Vila Califórnia, Vila Irmã Antonieta Farani (Alto da Boa Vista), Distrito Industrial I, Distrito Industrial II, Jardim Laranjeiras, Jardim De Lúcia, Souza Lima, Residencial Bebedouro, Jardim das Acácias, Jardim Itália.

  • A grafia oficial do município traz o nome como "Turvínea"
    • Povoado de Andes é às vezes referido como "Distrito de Andes", embora não seja oficialmente um distrito. É portanto, um núcleo urbano pertencente ao Distrito sede de Bebedouro.

DemografiaEditar

Estimativa em 2017: 80.000

Dados IBGE (2010): População: 77 695

Censo de 2000:

(Fonte: IPEADATA)

EtniasEditar

Cor/Raça Percentagem
Preta 35%
Branca 20%
Parda 44,5%
Amarela 0,4%
Indigena menos que 0,1%

Fonte: Censo 2010

FrotaEditar

A taxa de motorização de Bebedouro é de aproximadamente 1 veículo para cada 2 habitantes.

Automóvel (passeio): 20.229
Caminhão: 1.439
Motocicleta: 13.353
Ônibus: 317
Caminhonete: 2.386
Trator (rural): 397

Total = 45;000

EsporteEditar

  • 1 Estádio Municipal - 15.300 Lugares
  • 1 Ginásio municipal - 2.000 lugares
  • 4 Clubes de Campo - Sócios

A cidade se destaque no futsal feminino e já alguns anos teve conquistas no futsal masculino. A cidade possui o primeiro estádio do interior do Brasil com iluminação artificial. Além disso a cidade está crescendo no cenário estadual com o Rugby, sendo trabalhado em escolas, com o Torneio Bebedouro Rugby Seven's e a equipe local o Laranja Mecânica Rugby.

FutebolEditar

Bebedouro conta no futebol com a Associação Atlética Internacional, o segundo clube mais antigo do estado de São Paulo, atualmente na 2ª divisão do Futebol Paulista.

Time este que conta com investimento das principais empresas da cidade.

FutsalEditar

A cidade tem tradição também no futsal: em 1993 o Bebedouro Clube foi campeão paulista da série ouro e também foi campeão da taça EPTV daquele ano, contra a Associação, outra equipe da cidade que disputou o torneio por Igarapava. Outras equipes de futsal da cidade foram a Inter Futsal, campeã da taça EPTV em 1997; Agremiação Bebedourense de Futsal, campeã da taça EPTV em 2003 e vice-campeã da taça EPTV em 2004.

O município também tem os títulos da taça EPTV de 1988, 1992, 1993,1997 e 2004.

[7][8][9][10][11]

AdministraçãoEditar

ComunicaçõesEditar

A cidade foi atendida pela Companhia Telefônica Brasileira (CTB) até 1973[12], quando passou a ser atendida pela Telecomunicações de São Paulo (TELESP), que construiu a central telefônica utilizada até os dias atuais. Em 1998 esta empresa foi privatizada e vendida para a Telefônica[13], sendo que em 2012 a empresa adotou a marca Vivo[14] para suas operações de telefonia fixa.

Canais de TVS e Rádios de BebedouroEditar

DigitalEditar

  • Emissoras de Radio=
  • Radio Bebedouro Fm 88,3 Mhz
  • Radio Iguatemi Fm 94,7 Mhz
  • Radio Viva Fm 105,7 Mhz
  • Radio Caminho Seguro Fm 107,9 Mhz
  • Radio Nova Bebedouro Am 1.180 Khz

Ver tambémEditar

Referências

  1. IBGE (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  2. «Bebedouro» 
  3. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2013. Consultado em 13 de setembro de 2013 
  4. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2016». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 16 de dezembro de 2018 
  5. «Municípios e Distritos do Estado de São Paulo» (PDF). IGC - Instituto Geográfico e Cartográfico 
  6. «Divisão Territorial do Brasil». IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística 
  7. http://www.catanduvananet.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=2022:mastodontes-e-campeao-do-bebedouro-sevens-2012&catid=7:mastodontes-catanduva-rugby-&Itemid=9
  8. http://www.portaldorugby.com.br/noticia/27-fora-de-campo/5134-giro-pelo-brasil-130712
  9. http://www.portaldorugby.com.br/equipes/nacionais/4754-laranja-mecanica-rugby
  10. https://www.facebook.com/pages/Laranja-Mec%C3%A2nica-Rugby-Bebedouro-SP/137741279631131?fref=ts
  11. http://www.unifafibe.com.br/noticias/?noticia=3809
  12. «Relação do patrimônio da CTB incorporado pela Telesp» (PDF). Diário Oficial do Estado de São Paulo 
  13. «Nossa História». Telefônica / VIVO 
  14. GASPARIN, Gabriela (12 de abril de 2012). «Telefônica conclui troca da marca por Vivo». G1 

Ligações externasEditar

 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Bebedouro